UE quer proibir backdoors nas comunicações e serviços cifrados


Destaques PPLWARE

28 Respostas

  1. Blob says:

    Abram a caixa de pandora e depois queixem-se de intermináveis ataques….

    • Bruno says:

      De que caixa de pandora estás a falar?

      • Toder says:

        A porta aberta para os refugiados

        • Bruno says:

          São mesmo os refugiados que explicam os milhares de Europeus que foram para a Síria, e tudo aquilo que esses europeus fizeram por lá e por cá!

      • Spoky says:

        É uma força de expressão, significa que abram as portas e depois queixem-se de que vão sofrer vários e diversos ataques intermináveis devido ao proibirem os backdoors.

        Mas oh Blob, os backdoors são ilegais e é crime usar-lo contra as pessoas que direitos tem a CIA, NSA de espiar cidadãos europeus? Cada pais tem a sua agencia, não tem direito nenhum, quer seja introduzir, invadir sem uma autorização legal para tal ou que exista fortes motivos para tal.

        Hoje em dia metem backdoors em routers e em tudo o que é sitio até em emprestas de segurança como os FW da Juniper, Cisco!

        Acho muito bem isto, enquanto aos ataques é ignorar… Por vezes são precisos e são esses que nos dão informação! Por exemplo o Shadow Brokers (acho que não me enganei) reveleram imensas tools usadas pela CIA e NSA sem eles e sem edward snowden nem sabias de nada!

        • Bruno says:

          Eu sei o que é “caixa de pandora”, o que queria era saber a que coisa é que ele estava a atribuir essa designação.

          • Napoléon Bonaparte says:

            Salvo melhor opinião, referia-se ao facto de criando essa proteção ou reforçando-a, deixa a inteligência sem forma de investigar e poder detetar determinadas prática criminosas, na medida em que a nossa proteção em termos tecnológicos é também a proteção dos criminosos. Os terroristas deixam de ser detetáveis até ao momento em que põem em prática os seus crimes, atingindo tudo e todos, a começar pelos inocentes em geral.
            Aprendi na universidade que a binómio segurança e liberdade estão sempre em confronto: se aumentarmos a segurança, reduz-se automaticamente a liberdade. Se aumentarmos a liberdade, então tal acontecerá à custa da nossa segurança.
            É verdade que não gostaria de viver num mundo sem liberdade mas também não quero que o exagero no sentido do apregoar a liberdade em todos os sentidos e levando o conceito ao extremo, nos retire qualquer segurança na nossa vida diária, permitindo quer fiquemos em risco com as nossas famílias quando vamos o centro comercial ou quando viajamos de comboio ou de avião.
            As novas tecnologias permitem fazer muita coisa que era impossível há uma ou duas décadas. Temos a internet, os smartphones encriptados e outras maravilhas utilizadas ao extremo inclusivamente para a prática de atividade criminosa. As nossas policias devem ter condições
            para lutarem contra essa nova realidade. O que não pode obviamente implicar que se possa monitorizar ou escutar e aceder ao que faz todo e qualquer um cidadão.

          • Bruno says:

            Esse género de raciocínio parte sempre duma falácia, a de que os ditos terroristas vão usar ferramentas de comunicação que respeitam as leis, que não existem alternativas aos meios que os Estados conseguem fiscalizar.
            Outra falácia é achar que sem interceptar comunicações (segundo a prática estabelecida) os serviços de investigação ficam cegos. Tal é falso, pois não só há outros dados a que continuam a ter acesso, como existem maneiras para vigiar aparelhos e pessoas que não passam pela intercepção directa de comunicações.

          • Mario says:

            @Napoléon Bonaparte

            “Aqueles que abrem mão da liberdade essencial por um pouco de segurança temporária não merecem nem liberdade nem segurança”.

            – Those who would give up Essential Liberty to purchase a little Temporary Safety, deserve neither Liberty nor Safety.

            Benjamin Franklin

  2. Alvega says:

    “Para já esta será uma alteração a ser proposta pelo Parlamento Europeu à lei da proteção de dados, deixando de ser obrigatória a existência de cifra nas comunicações”, pelo titulo, parece uma boa noticia…parece…..mas nao é pelo paragrafo transcrito.
    Areia para os olhos, dos votantes.
    Proíbem back-doors, e facilitam a intercepção dos dados !!! Grandes AMIGOS.
    Tudo em apoio da segurança dos cidadãos, contra o TERRORISMO, digo eu, mas quem me PROTEGE contra o TERRORISMO dos ESTADOS ?

    • Álvaro Campos says:

      Pensa assim e possivelmente entenderás:
      Se a comunicação é aberta, sem encriptação, ela pode ser escutada MAS (e parece-me que no meio disto tudo esta será a palavra mais importante) se a comunicação é encriptada não poderão existir formas de a escutar.

    • Vitor says:

      “…mas quando esta existe, não podem existir backdoors para acesso aos dados e às comunicações”! Deverias ter transcrito o paragrafo por inteiro…e não apenas a “parte” que te interessa! Parece a transcrição dos mails do Porto…tudo colocado fora do contexto das conversas e dos assuntos!!

    • Bruno says:

      Essa frase citada está muito confusa. Primeiro porque não existe actualmente uma obrigação geral para encriptar todas as comunicações, em segundo lugar porque a proposta do parlamento europeu pretende responsabilizar quem fornece comunicações a manter a segurança das mesmas contra acesso não autorizado, usando tecnologia adequada para o efeito.

  3. Álvaro Campos says:

    Parece-me que a questão do Reino Unido é uma falsa questão já que eles estarão de saída da União Europeia.

  4. Jorge says:

    “…mas quem me PROTEGE contra o TERRORISMO dos ESTADOS ?”

    Tens que ser tu!

  5. betano says:

    acho “graça” que digam que querem espionar os cidadãos para os proteger e prevenir actos terroristas, curioso é que todos ato terroristas cometidos nos últimos 3 ou 4 anos foram cometidos por pessoas que estavam em alguma lista terrorista ou eram conhecidas por tendências extremistas, alguns tendo ate mesmo sido presos e logo liberados e passa um tempo matam um multidão, porque não os mantiveram presos? A questão é este povo deixar de ser intencionalmente incompetentes porque eles sabem exactamente quem pode e de certo virá a cometer atentados, não existe nenhuma necessidade em espionar a todos por culpa de poucos e conhecidos bandidos

  6. JF says:

    Uma boa iniciativa, agora só falta a União Europeia (UE) deixar de apoiar o terrorismo.

  7. paulo lopes says:

    eu trabalho na área e como é óbvio sou 100% contra backdoors. a privacidade das pessoas deve ser a prioridade, mas todos esses sistemas devem ter funcionalidades que identifiquem de alguma forma determinados padrões de comunicação e assim que algum dos utilizadores utilize determinados termos/expressões o mesmo deveria ser referenciado e analisado por completo o conteúdo das comunicações se necessário e em ultimo caso entregar o caso as autoridades competentes.

    acima da privacidade deve vir a segurança e como se tem visto.

    depois isto da privacidade acaba por ser treta. toda a gente é contra governos e agencias de segurança por analisarem os dados, mas a maior parte das pessoas esquece se que faculta tudo isso de borla nas redes sócias.

    esta discussão como sempre dificilmente ira ter um consenso mas pronto.

    • Jorge says:

      “e comunicação e assim que algum dos utilizadores utilize determinados termos/expressões o mesmo deveria ser referenciado e analisado por completo o conteúdo das comunicações se necessário e em ultimo caso entregar o caso as autoridades competentes. ”

      Que estranho conceito de privacidade!

    • betano says:

      o sistema que você propõe destrói completamente a ideia de comunicação cifrada. acho que já basta de tentar justificar prejudicar toda a sociedade por conta de uns poucos bandidos. Quanta liberdade já entregamos sob o pretexto de vivermos em segurança e recebemos de volta aumento de atentados e novos pedidos para que cedamos anda mais os nossos direitos(não foram as medidas que falharam nós apenas não cedemos liberdades o bastante se perdemos mais algumas a coisa funciona se espionarem a todos de modo mais agressivo os atentados param, haha). no fim ficaremos sem liberdade nem segurança, e teremos 2 inimigos, terroristas de um lado e governo terrorista do outro ou você inocentemente acredita que os governos nunca irão abusar do poder que espiar toda a população os dá? Todos que cometeram atentados estavam identificados e a policia e o governo nada fez, não existe nenhum problema na identificação dos terroristas existe uma falha intencional, eles querem que atentados aconteção para justificar cercear ainda mais as nossas liberdades

    • betano says:

      e já agora, não toda gente usa redes sociais, a ultima que eu usei foi o finado orkut e isso foi há 9anos atrás, eu participo em ZERO rede social

  8. Joao ptt says:

    É do interesse em especial dos políticos e seus amigos/ financiadores/ etc. garantir uma boa confidencialidade/ segurança das comunicações, já que são normalmente estes que tem mais a perder em caso de divulgação pública ou acesso ilegítimo de terceiros… e como todos estes utilizam os meios COMUNS de comunicação porque para se comunicarem com a maioria das pessoas acabam por ter de adoptar o mínimo denominador comum (ou seja: pouca ou nenhuma confidencialidade/ segurança) prejudicando-se assim pois a espionagem a todos os níveis é uma prática comum e em certas áreas quase “obrigatória”… logo só um sistema vasto que proteja TODOS poderá também proteger estes.

    Curiosamente tem sido estes mesmo que mais tem a perder que mais tem defendido a intrusão/ espiolhamento da vida alheia! Aparentemente já deverão ter aprendido à própria custa todos os males que se originam de tais intrusões e aparentemente já ponderam com esta legislação criar melhores condições para que os meios que protegem as comunicações possam de facto ser seguros se os seus criadores assim realmente o desejarem e acabarem de uma vez por todas com as falhas de segurança que colocam em especial os que legitimamente mais precisam de manter as suas conversações privadas… privadas!

    A questão do terrorismo é uma falsa questão, o terrorismo não deve ser razão para se privar as pessoas do direito à sua privacidade… da mesma forma que não acabam com as árvores todas cá em Portugal só porque ardem milhares de quilómetros todos os anos de florestas, bosques, matas, campos de cultivo e por aí em diante, também não faz qualquer sentido acabar com a confidencialidade e segurança das comunicações, pois tal como no caso das árvores que trazem muitos benefícios para a saúde humana, a confidencialidade e segurança das comunicações também trás muitos benefícios para os seres humanos (nomeadamente o direito a não ser julgado por algo ouvido, que para os envolvidos pode ter um significado e para terceiros ter um outro significado completamente diferente e dar origem a grandes sofrimentos do(s) envolvido(s) na comunicação inicial, que nunca aconteceria se não se tivessem a espiolhar a vida dos outros… ou por exemplo para prevenir que ex-namorado(a)s e conjugues andem a controlar a vida desses ex… ou para prevenir espionagem industrial, ou política, ou cívica).

  9. blimb says:

    Seria a primeira lei relacionada com tecnologia que trás algo de bom. Com o caso do pirate bay parece que a censura na internet pelos ISPs veio para ficar. Partilha de bases de dados entre estados membros (operadoras principalmente, está na lista de leis do cnpd pertencente à UE, em que as operadoras são obrigadas a ter bases compartilhadas -_-). E agora parece que bruxelas quer aprovar uma lei em que os gestores financeiros têm 5 dias para indicar o itinerario do dinheiro de clientes…

  10. sakura says:

    do doc.
    “”Conclusion
    will increase trust of individuals on digital economy and will also allow
    !!!businesses!!! to pursue their activities in full respect???? of fundamental rights. “” LOL…..

    https://www.theguardian.com/technology/2017/jun/18/foxconn-life-death-forbidden-city-longhua-suicide-apple-iphone-brian-merchant-one-device-extract

    backdoors são ferramentas para diagnostico monitorização etc tal como
    uma bomb_a nu_clear <–(não quero aqui a NSA) teem que ter aceso limitado, mais como é que a UE garante que um ruter made in china não tem backdoors?
    há parte do businesses e fundamental rights não vejo pq mudar a Lei.

  11. Das trevas says:

    Todos já mataram em nome das religiões, hoje são os primitivos muçulmanos quer doutrinar o mundo, falta de cultura para cuspir nas exculturas,o principal objectivo muçulmano é entrar na política global a Inglaterra já tem seu prefeito de Londres se deixarem cair a máscara não vai sobrar muitos humanos.

  12. diogo says:

    Isto é tudo teatro. Isto nunca vai ser aprovado. Vai ser existir backdoor ou spywares nas aplicações das grandes empresas (ex: apple, google, rsa, microsoft e muitas outras).
    Ataques terrorista não iram acabar facilmente.
    Depois esquecem-se do software open source que não têm backdoors ou spywares. Que essas agências não gostam nada. É tão bom que até eles próprios utilizam (ex: encriptação pgp ou TOR)
    Por exemplo diz-se que os atentados terroristas em frança foram planeados pelo telegram (open source).
    os terroristas utilizavam até a rede social do telegram para fazer propaganda.

  13. Arlindo Pereira says:

    Percebo a ideia da UE por detrás disto. Mas não vai funcionar.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.