PplWare Mobile

Tim Cook, CEO da Apple: “Tenho orgulho em ser gay”


Autor: Marisa Pinto


  1. MarioM says:

    Por isso é que aquilo tem vido a descer no aspecto e na qualidade.

  2. UmPonteiroANull says:

    Sim concordo, who the f* cares…
    E acho estranho a parte do orgulho. Se ser homossexual não é uma escolha (e não me vejam com a treta que é) então não faz sentido dizer que se está orgulhoso disso. É quem ele é. Ele é assim. Nasceu assim. Assim como eu tenho cabelo preto, olhos verdes e sou hetero. Orgulho-me de ter cabelo castanho. Orgulho-me de ter olhos verdes. Orgulho-me de me sentir atraído por raparigas… parece que não faz muito sentido esta conversa.

    • jm says:

      ha coisas que nao sao escolhas que te podes orgulhar. Tipo orguho-me de ser tuga. Entende-se que há um orgulho numa naçao, numa cultura nos portugues e orgulhar-se do que ela representa. No entanto “orgulho me de ser gay?” quê orgulha-se dos outros gays? quanto muito poderia orgulhar-se de se assumir como gay.

      • Lourenço says:

        Conceito interessante!…

        ser portugues!? …

        costumes?
        nacionalidade?
        praticas políticas?
        historia sobre o que significa ser luso?

        porque obviamente não escolhes-te ser Portugues, mas como sabes, existem muitos português que não são Portugueses de costumes.., não são portugueses por tricas políticas, que não sentem nem se identificam sequer com o que foi e significou a pegada do português no mundo!…, em suma.., Existem muitos portugueses que não são portugueses, contudo, têm nacionalidade portuguesa

        se em resposta a tua pergunta, de que ser português foi ou não escolha tua, e por isso um orgulho.., ya.., ser português foi escolha tua…, talvez a nacionalidade ou mesmo os limites do que te foi ensinado não.., e talvez esses limites tenham condenado a tua forma de ver o que é ser português, e talvez no fim não tenha sido escolha tua.., mas aquilo que tu sentes que ser português é, foi escolha tu!….,

        fica a ideia!….

    • Pedro says:

      Sem querer entrar em discussões sobre a origem das orientações sexuais, aquilo que dizes com tanta certeza ser “treta”, não o é, portanto discordo contigo. No entanto, todo o restante comentário estou completamente de acordo.
      Não faz qualquer sentido dizer que se é gay com orgulho. Se é gay, é gay. Acredito que essa questão do orgulho foi apenas para mostrar que não tem complexos com a sua orientação e de modo a que os outros homossexuais não sintam que ele (uma pessoa com tanto status social) “escondeu” isto durante tanto tempo. Na minha opinião também faz parte do complexo de inferioridade que alguns homossexuais possuem…
      Gostar de algo ou ser algo, é uma opção de cada um. O facto de eu apenas usar ténis, não me faz sentir a necessidade de o afirmar dizendo que “uso e tenho muito orgulho!!”. Faz até lembrar aquelas senhoras que são assim meio que “cheínhas” e, apenas porque não conseguem emagrecer, dizem ser gordinhas porque querem e porque sentem muito orgulho nisso… mentira. É apenas o seu complexo de inferioridade a falar e o seu mecanismo de defesa a agir.

    • Marco Martins says:

      Realmente, também não percebo.
      Também tenho uma declaração a fazer, após 30 anos de ter iniciado a minha vida sexual, que por minha vontade foi com uma mulher e depois de ter casado com uma mulher e depois de ela ter 2 filhos que eu ajudei a fabricar, venho declarar que sou Heterossexual.
      Não parece um bocado ridícula esta declaração!!!!
      Parem de se por em bico de pés.

      • Charles says:

        Excelente comentário!
        O do “UmPonteiroANull” também vem na mesma linha de pensamento!

        Só pode ser para dizer “Atenção! Reparem em mim! Estou aqui!”, porque de resto, o que raio tem o mundo a ver com isso?!
        Só faltou dizer que tem orgulho em gostar de “Bacalhau à Brás”!! Que raio interessa?!
        Enfim…

    • Nunes says:

      Num mundo em que ser homossexual é ainda alvo de discriminação e preconceito, afirmar orgulho é afirmar que não se deixa menosprezar por aquilo que outros pensam, é afirmar amor próprio e que outros devem fazer o mesmo.
      Certamente que nunca foste discriminado por ter olhos verdes…

      • Claudio Opereta says:

        Eu descrimino homofobicos e faço-o com orgulho porque acredito que varias pessoas têm a mesma informação ou mais que eu e ainda assim preferem ir com o rebanho, eu tenho orgulho do que consegui aferir com a informação que tenho e tenho ainda mais orgulho de dar do proprio veneno a provar as pessoas. Seja qual for o veneno seja qual for a pessoa. Se fizer a pessoa pensar nem que seja o minimo é uma vitoria.

        • Nunes says:

          Sentes isso tudo por escreveres comentários ignorantes com preconceitos tudo menos simpáticos sobre pessoas que nem conheces? Nem quero imaginar como te vais sentir quando estiveres realmente bem informado, deve ser uma explosão de alegria e excitação com tanto veneno a circular por essas veias

          • Cláudio Petrolina says:

            Pre conceitos sobre homofóbicos. Pessoas que não conheço… Repara… Homofóbicos disse eu… É um conceito que está bem definido sobre um grupo de pessoas que partilham o (aparentemente) salutar habito de odiar homosexualidade. Cálculo que sejas um doutorado em genética e psicologia tendo em conta a qualidade dos argumentos que apresentas, ou seja, “tu és parvo e não sabes nada”. Darwinismo? Isso é coisa do passado já ninguém liga a isso… Inscreve-te na frente Nacional a menina Le Pen argumenta como tu.

          • Nunes says:

            @ Claúdio
            meu caro, tenho formação em bioquímica, por isso genética faz parte da minha área de formação!
            O teu preconceito expressado noutros comentários é sobre homossexualidade… a sua suposta origem genética, sobre árvores genealógicas, etc, etc.
            Se soubesses alguma coisa de jeito sobre genética saberias que para características tão complexas como comportamento humano, um gene não implica incondicionalmente determinada característica, é apenas uma factor entre muitos, que pode aumentar a probabilidade para algo.
            Saberias tb que um gene pode ser transmitido silenciosamente entre várias gerações, saberias tb que os genes são regulados e que certa regulação pode ser ou não transmitida de pais para filhos, introduzindo um factor de aleatoriedade a somar à aleatoriedade do processo de divisão do material genético na formação de gâmetas (espermatozóide e óvulo).
            Saberias tb que o desenvolvimento dum feto é influenciado pelas hormonas da mãe, podendo afectar o seu comportamento.
            Saberias que para coisas tão complexas, um gene desempenha mais do que um papel e que pode haver vários genes a influenciar.
            Resumindo saberias que se por ventura houver um factor genético esse gene não desaparece da população se um indivíduo desaparecer porque o gene não existe só para isso, saberias que se pode “nascer” com determinada característica sem que para isso os progenitores e antepassados tenham demonstrado a mesma característica. E saberias muito mais, ao ponto de não escrever o que escreveste.

          • Claudio Travassos says:

            Meu caro, se leres com atenção os meus comentarios vais perceber que eu defendo uma origem social em detrimento de uma origem genética. Mas como viste a palavra “genética” por lá decidiste que a tua função era espalhar jargões técnicos. E nem sequer são impressionantes, qualquer miudo do secundário sabe o que acontece no crossover e sabe o que são genotipo, fenotipo, alelos, gametas etc. A discussão não era essa, mas tu não vieste para discutir. Defender que a homosexualidade tem uma origem genética tem para mim o mesmo fundo que dizer que os Judeus são suvinas porque nascem assim e como tal vão ser sempre assim. Há factores genéticos que podem influenciar certos comportamentos, com certeza, eu só não acho que este seja um desses.

          • Nunes says:

            @ Claudio
            meu caro, em lado algum defendi que a homossexualidade tem ou não origem genética, aliás repetidamente disse me abster duma discussão dessas pois é totalmente inapropriada num local destes.
            O que defendi é que pseudo-teorias que tentam demonstrar um comportamento humano ser ou não de origem genética, quando claramente a pessoa não sabe nada sobre genética, são ignorantes! Ainda mais quando tentam defender que ninguém nasce com esse “comportamento” – uma teoria perigosa que permite defender que é uma questão de controlar as influências. Uma pessoa pode “nascer” homossexual, sem haver influências sociais. Homossexualidade (no sentido lado) existe na natureza em várias espécies – a sexualidade não é só para reprodução, nem a biologia foi “feita” com um desígnio único e imutável.
            Aliás se tentasses perceber muito do que eu disse, falo em vários factores que afectam o desenvolvimento mesmo antes de uma pessoa nascer, e como os genes podem influenciar mas não implicam incondicionalmente algo no comportamento humano, e como qualquer pessoa pode ter esses mesmos genes e ser diferente.

    • MM says:

      O mais curioso é que se disseres “Tenho orgulho em ser hetero” és acusado de homofóbico.
      Um gay dizer que tem orgulho em ser gay é o quê?! Heterofóbico?!

      • Galo says:

        @MM

        hahaha mesmo

        faz lembrar o “racismo” atualmente (e saliento o atualmente):
        Se um “branco” faz uma piada sobre um “magricelas” tudo bem.
        Se um “branco” faz uma piada sobre um “preto” é racista.
        Se um “preto” faz uma piada sobre “magricelas” tudo bem.
        Se um “preto” faz uma piada sobre “preto” é porque convive bem com a sua cor e não tem problema com marginalização -.-

    • dimitri says:

      “Assim como eu tenho cabelo preto…Orgulho-me de ter cabelo castanho…” explica la isso melhor…

      • Francisco Castro says:

        @Nunes lol Desta vez essa do “deves ser 1 doutorado em…” foi 1 belo tiro no pé! Boa resposta a tua 🙂

        @MM Tens toda a razão!

        @dimitri Também reparei nesse pormenor :p

  3. Áquila Freitas says:

    O que Deus tem a ver com isso?

    • JJ says:

      +1
      É uma frase que não percebi…

    • Marisa Pinto says:

      E porque não tem a ver? eheh 🙂 É a fé dele 🙂

      • SSaraiva says:

        que fé? no que é contrário? ok tudo bem

        • Marisa Pinto says:

          Contrário para ti, não para ele. Não podemos impor as nossas escolhas aos outros.

          • João says:

            Pelo que vemos, esta gente faz isso mesmo, impor o seu ponto de vista, sempre! Caso contrario, ficava tudo calado.

          • Galo says:

            @Marisa Pinto

            convenhamos que é tão válido ele dizer que “considero que ser gay é um dos maiores dons que Deus me deu” é tão válido como o que @SSaraiva escreveu..

            porque é que Tim Cook se pode “superiorizar” dizendo que ser gay é um dom e o @SSaraiva não pode dizer que ser gay é contrário.

            No meu ver o melhor caminho para conviver saudavelmente com as diferenças, seja na escolha de orientação, cor de pele, etc é tratar tudo por igual…ser gay não é dom nenhum…ser gay é ser gay, como ser hetero é ser hetero!

          • Marisa Pinto says:

            É dom para ele, não é dom para ti… isto é simples de perceber!!

            Para mim é um dom ser baixa, para ti pode não ser dom sere baixo, compreendes?? Ele não está a dizer que ser gay é um dom para TODOS mas sim para ELE!

          • Nunes says:

            @ Galo
            “dom”, apesar de ser sinónimo, não será talvez a melhor palavra, pois tem uma certa conotação em português, que difere um pouco da ideia que ele transmite.
            Dádiva talvez transmita melhor a ideia, e se leres o que ele escreve a seguir vais perceber a razão do que ele diz, e como faz sentido. É o problema de se fazer citações removidas dum contexto.

          • Nunes says:

            “É o problema de se fazer citações removidas dum contexto.”… depois as pessoas que lêem não percebem a ideia toda

    • zombie says:

      aiaiaiaai…entao, ele so escolheu apostol”o”s, as transas com a maria madalena, eram as “escondidas”…!!!tal como ainda hj, elas n podem entrar (a n ser como freiras-escravas, sem direito a coisa nenhuma )nos orgaos clericais, nos sinodos, nem ser ordenadas, padres, bispos, cardeais, papas…no fundo n contam pa nada…a n ser pa trabalhar no duro e dp os “meninos” infelizmente eh que pagam ( e as beatas tb, mas essas merecem );por isso ate teve alguma logica esta referencia metafisica !
      ps: 1 – começa a ser insuportavel, esta treta de que ser “gay” eh ser mto a frente, eh estar noutra dimensao superior; qto mais agirem como diferentes, mais serao considerados assim !qto mais agirem com perfeita naturalidade, assumindo que ser gay eh algo perfeitamente natural, com mais naturalidade geral serao tratados! eh como a questao de qq minoria. por ex. ninguem pode tocar nos ciganos, nos negros, nos judeus, pq vem logo a treta do racismo, da xenofobia, do anti-semitismo, que mts confundem com anti-sionismo (isto ate eu sou , etc…(os casos provados, em que terao a sua razao, devem e passam a ser casos de policia, como outra situaçao qq ),mas qdo sao os outros a sofrer com eles, assobiam po ar…!o deve e haver, n eh bionivoco !
      2 – ja repararam que estas questoes normalmente sao mais levantadas por homens que por mulheres ( eh que homosexual, ao contrario do que o senso comum absorveu, eh ter relacionamento com pessoas do mm sexo, sejam homens ou mulheres ).isto de facto n acontera pq elas ( em geral )se comportam com total naturalidade e normalidade, n fazendo disso “pedigree” ou algo que as eleve ao status de divindade a idolatrar ??? qto mais, nos fizer-mos questao de ser-mos diferentes, mais a sociedade nos vai tratar como tal, alias eh isso mm que procuramos ( vejam o ex recente da Miley Cirus ); podemos ser diferentes ou ter a nossa especificidade, com naturalidade, nao ha necessidade de ostracizar, provocar, vandalizar, chocar, anarquizar. polemizar, so pa demonstrar que “somos mto a frente”, com qta mais serenidade o conseguir-mos fazer mais resultados teremos, pelo menos mais rapidos.
      p ex. qdo vamos na rua, se nos deparar-mos com alguem gay, eh algo natural, e se forem mulheres, provavelmente continuara a ser, mas se forem hamens, a maioria das vezes eles farao td que eh possivel para que reparemos neles, numa necessidade injustificada de afirmaçao! imaginem se vivessem nos paises onde ainda eh criminalizado, ate com pena de morte (neste caso acho k ainda sao 7 ).
      qto a discriminaçao, ela sp existira na sociedade e nao eh propriedade de grupos, eh geral, seja de que forma for, começando pela estigmatizaçao economica e social .

      • João Silva says:

        eXcelente…!

      • Ppl Get Used to It, But Never Change says:

        E já te perguntaste por que será que isso acontece?
        É que se forem duas mulheres aos beijos e a comerem-se todas, os homens até agradecem e ficam ali todos excitados. Agora se forem dois homens o caso já muda de figura, já é tudo obra do diabo e são rebaixados e considerados menos homens.
        Ou seja, enquanto homossexualidade entre mulheres é um turn on, entre homens é um turn off… Os homens, NESTE contexto, são sempre mais menosprezados e inferiorizados, portanto é perfeitamente natural que seja mais difícil aos homens homossexuais “ser diferentes ou ter a nossa especificidade, com naturalidade” quando só existem dedos apontados a gritar ‘bichas’.
        A discriminação da orientação sexual não começou nos Homossexuais, começou nos Heterossexuais, e acredito que seja com os Heterossexuais que tem de acabar.

  4. Tryklon says:

    Por isso é que o iPhone 6 se “dobra”, lol

  5. JJ says:

    Eles aos poucos… vão controlar o mundo!!!

  6. Claudio Opereta says:

    Tudo muito jeitoso sim, mas em que medida é que isto é uma noticia sobre tecnologia? Parece uma noticia da Caras IT. Só mais uma coisa para as pessoas que defendem que ele (ou qualquer outro homosexual) “nasceu assim”, se “nasceu assim” então é um factor genético se é um factor genético há toda uma àrvore genealogica que andou a “mentir” no acto da concepção.

    • Vítor M. says:

      Não sendo tecnologia é um facto que mexe com o sector da tecnologia, pela carga mediática que o CEO da Apple tem. Só por isso.

      • Claudio Opereta says:

        Eu espero um dia viver num mundo onde este tipo de noticia não tenha qualquer impacto, e num mundo onde isto não seja encarado como noticia. É sinal que a homosexualidade já estará no dominio da banalidade, infelizmente ainda não é assim. Obrigado pela resposta.

        • Vítor M. says:

          Completamente de acordo… ma completamente meu caro. Mas lá está e como refiro, é essa mesmo a atitude que nos levou a publicar esta notícia, um dia, mesmo sendo o CEO de qualquer empresa de tecnologia por mais gigante que seja, nunca este assunto seja motivo de notícia pelo seu amplo mediatismo. Toda a razão.

        • João says:

          Se fosse banal o mundo estava calado! Essa é boa, contam à força de tanto imporem e isnsultar os outros, que um comportamento que choca com instintos se torne banal! Tretas! Já existe genbte dessa desde a tenra idade da Humanidade e nunca foram aceites como banais!

      • Fábio says:

        Verdade, veremos agora às 14:30 se os acionistas ficarão indiferentes.

      • Só um gajo says:

        O Steve Jobs tinha carga mediática. Este gajo é só mais um.
        O ele ser gay ou não é apenas mexerico.

        • Vítor M. says:

          Pois tinha, de facto era outro tipo de mediatismo, mais frontalidade e confronto. Este tipo de notícia não é igual ao que o Steve gerava, ele tinha sempre algo a dizer, do ponto de vista tecnológico. Este tipo de mediatismo sim, também é mais mexerico verdade, mas como é o CEO da Apple…

    • Marisa Pinto says:

      Estamos a falar de declarações dp CEO da Apple, achas que precise ser mais específica? Vá… sei que és capaz de compreender 🙂

      • Claudio Opereta says:

        Sim mas o presidente da Apple pode-se pronunciar sobre qualquer assunto, se o presidente da Apple se pronuncia-se sobre ensopado de borrego (exemplo ridiculo propositado, para que não haja duvidas) não era noticia. Logo esta noticia é sobre homosexualidade de um individuo e não sobre tecnologia.

        • Vítor M. says:

          Discordo e qualquer pessoa inteligente (que acredito que o Claudio disse isso por distração, mas é inteligente) percebe que está mais em causa o impacto midiático do facto da pessoa em si ser o CEO da maior empresa de tecnologia do mundo. Se fosse um actor, presidente de um clube de futebol, primeiro ministro de um país, ou mesmo dirigente de uma associação de sueca… não seria aqui notícia.
          Verdade?

          • Claudio Opereta says:

            Com certeza, compreendo o argumento e compreendo até que ponto pode ser encarada como uma noticia relevante sobre tecnologia tendo em conta que pode ter impacto na opinião de alguns accionistas e até consumidores. Por outro lado está nas mãos da imprensa (não por culpa propria) uma boa parte da influência na opinião publica e enquanto a opção sexual de uma pessoa seja ela qual for, for uma noticia, dificilmente se transitará para o banalizar total e completo da situação. Obrigado novamente pela resposta Vitor.

          • Claudio Opereta says:

            Agora um comentário menos relevante, maior empresa de tecnologia do mundo? Como assim? Google? Microsoft? IBM? Intel? Samsung? Sony? EA? Motorola? Amazon? é um conceito ambiguo de definir eu sei mas nunca nunca consideraria a apple a maior empresa de tecnologia do mundo. Nem pelas vendas nem pela gama de produtos nem pela quantidade e qualidade de serviços. Só se for pelas receitas (e mesmo assim) mas eu atribuo as receitas à diferença entre o custo de produção e o custo final ao comprador, isso parece-me obra de marketing não de avanço tecnologico de qualquer ordem.

          • Vítor M. says:

            Tu onde estiveste este tempo todo? Não sou eu quem diz que é a maior empresa do mundo ao nível tecnológico, são os dados. Acresce o facto de ser a empresa considerada por empresas da especialidade, como a mais inovadora de 2014 e é a quem tem a marca mais valiosa. Para mim até poderia ser a menos valiosa, estou-te só a responder com dados actuais.

            O resto que disseste, são igualmente empresas fantásticas e muito grandes, mas mais pequenas que a Apple. Mas isso, como referi, para mim não tem valor, não tenho acções em nenhuma delas (o que é uma pena). 😀

          • Claudio Opereta says:

            Pagar coisas com o iphone? 2 telefones em vez de 1? Esses especialistas são como os especialistas de musica, Rihanna é um ponei com o Q.I. de um piaçaba e o talento natural para o autotune e ainda assim vai ganhar um grammy por ano enquanto houver partes para mostrar que não estejam moles e flacidas. Pagar pelas embalagens não é mesmo para mim.

          • Vítor M. says:

            Oi? Perdi-te algures na primeira frase.

          • Claudio Opereta says:

            Mas sim também não me ralava de lá ter acções 😀

          • Galo says:

            @ Vitor M.

            concordo com o @Claudio Opereta…”maior empresa de tecnologia do mundo” em que sentido?
            Eu tenho andado aqui este tempo todo, e se não estou em erro, Apple é a “maior empresa de tecnologia do mundo” apenas em valor de cotação de bolsa…e como sabemos o valor das acções é muito “volátil” 😛

            “maior empresa de tecnologia do mundo” também pode significar por exemplo aquela que tem um maior leque de produtos tecnologico, também pode ser aquela que cuja tecnologia está mais embutida na vida das pessoas, etc, etc…

    • JJ says:

      Essa ultima frase é forte, mas com toda a lógica!

    • Nunes says:

      :S
      comentário mais ignorante! Não vou entrar na discussão se o tema é ou não genético, mas falando na generalidade, haver um factor genético responsável por determinada coisa (fenótipo), não significa que um ou os progenitores tenham o mesmo fenótipo, não só porque o fenótipo é influenciado por outras coisas para além dos genes, como muitas vezes até as características mais “simples” são resultado dum par específico de genes vindo de ambos os progenitores.
      enfim…

      • Vítor M. says:

        Há muita falta de informação, isso é verdade, será por isso que cada vez mais há “estes mediatismos” em volta? Para esclarecer e “limpar” estas mentes?

      • Claudio Opereta says:

        Mas tem que concordar também que era estranho que estando presente o genotipo ao longo de milhoes de anos o fenotipo nunca se manifestar. Este seria um fenotipo auto-destrutivo (evolutivamente) os individuos que demonstrassem esta catracterisca não se iriam reproduzir logo o gene não seria passado. Se eu fosse homosexual sentir-me-ia ofendido se me dissessem que eu era geneticamente diferente por isso. Se eu fosse darwin então…

        • Nunes says:

          repito, não vou falar se este tema é ou não genético, é uma discussão demasiado estúpida quando se aborda um tema destes, especialmente quando uma das partes não sabe nada sobre genética!
          Darwin? Darwin não estudou genética, aliás a ideia de genética é posterior às teorias de Darwin, e ficou quase que esquecida até ao século 20

          • João says:

            Blá blá blá só para dizer que um gajo é do ocntrario!

          • Cláudio Petrolina says:

            A actual teoria aceite pela comunidade científica chama-se neo-darwinismo… Mas porque raio invoquei darwin? Isto há coisas nesta vida. Só estou a dizer que não é genético, mas tu estás cá para outra coisa.

          • Nunes says:

            @ Cláudio
            antes de falares de teorias sobre a evolução de espécies (neo-darwinismo), informa-te como deve ser sobre genética, epigenética e desenvolvimento intra-uterino

      • Nunes says:

        onde falo em par de genes queria dizer alelos do gene!

        • Claudio Opereta says:

          Sim eu sei, não altera nada no meu raciocinio. Num determinado ambiente um factor (fenotipo) pode ditar a não reprodução dos individuos que o possuem, tendo em conta a natureza do factor que promove a não reprodução independentemente do ambiente este seria um genotipo (e consequentes alelos) condenado ao desaparecimento, e bastante rapido.

        • Claudio Opereta says:

          Sim eu sei, não altera nada no meu raciocinio. Num determinado ambiente um factor (fenotipo) pode ditar a não reprodução dos individuos que o possuem, tendo em conta a natureza do factor que promove a não reprodução independentemente do ambiente este seria um genotipo (e consequentes alelos) condenado ao desaparecimento, e bastante rapido.

  7. Miguel Machado says:

    A meu ver tem os dias contados como CEO da Apple!
    Não sei… mas vamos ver!

  8. SO WHAT?
    Cada um mete-se na cama com quem quer e ninguém tem nada a ver com isso.

    • João says:

      Pelo visto, tem ao ponto de um CEO vir fazer alarde disso, com se tivesse ganho o grande prémio. Na realidade ninguém tinha nada a ver com isso, até ele vir “orgulhar-se” a sobre aquilo que diz ser, na sua vida intima!

  9. Fernando Moreira says:

    O que muita gente nao percebe e’ que o que ele faz e’ simplesmente para “ajudar” os outros gays que tem “medo” e que sofrem imensas represalias… e ter um CEO de uma grande empresa a dizer isto pode ser algo que os ajude a ficarem mais confiantes e confortaveis…
    o resto sao voces a ser mesquinhos 🙂

    • MM says:

      Alguns homossexuais dizem que hoje em dia um dos principais problemas são criados pela própria comunidade gay com a ideia de vitimização e auto-separação da sociedade com a criação de festas exclusivas, eventos exclusivos, bar exclusivos, clubes exclusivos, etc.
      O dizer “tenho orgulho em ser gay” é prejudicial para a comunidade!
      A comunidade gay para ser mais bem aceite tem deixar de ser discriminatória entre si e para com a sociedade.
      E já agora, parar com as ridículas paradas gay – com oquerem ser levados a sério quando andam vestidos com cabedal, com correntes ao pescoço e com o nalguedo à mostra?!

  10. DASSE says:

    Bem me parecia que os ultimos produtos estavam a sair um bocado abichanados 😀 , Samsung vai copiar e colocar o Elton John como CEO.

  11. Proud Troll says:

    Boas noticias, menos um a fazer-me concorrência.

  12. luislelis says:

    Antigamente ser Gay era proibido.
    Depois passou a ser aceite.
    Uns anos mais tarde passou a ser moda.
    Uns anos mais tarde legalizaram o casamento Gay.
    Porra, qualquer dia ainda vai ser “Obrigatorio”.

    Nao tenho nada contra os gays, muito pelo contrario, reduz drasticamente a concorrencia lol)

    Aquele abraco

    • Vítor M. says:

      Hehehe… atenção, parar isso antes que seja obrigatório!!!!!!

      Mas lá está e bem ao encontro da importância (relativa) deste artigo. O impacto hoje destas “tomadas” de posição fazem mexer os mercados. As consciências, os críticos, as alas moderadas e as menos moderadas, tudo isso cria logo uma pressão diferente no mundo da tecnologia. Tecnologia porque é onde opera a Empresa empregadora do Tim, se fosse noutro qualquer sector o efeito era proporcional.

      Contudo, o impacto deve ser na vida dele, o homem deveria precisar de deixar de andar “escondido”. Digo eu… sou como qualquer cidadão informado e culto, não percebo esta tendência, contudo respeito a escolha de cada um.

      Mas de facto há um certo “esforço” da sociedade em padronizar este comportamento, não há uma novela que não tenha um gay, um filme, uma série… enfim, respeito totalmente… mas perceber… hmmmmmm

      • JJ says:

        Eles andam a tentar controlar a sociedade!!!

        • João says:

          Já a controlam há muito! Basta ver o lobi na politica. O que eu não sabia era do facto de um tipo ser mais culto e informado SÓ porque “compreende” os coitadinhos. Que hipocrisia. Defende uns e insulta outros, como se houvesse um medidor de cultura ou informação, ainda por cima, com base nas opções sexuais dos outros. Essa é boa!

      • luislelis says:

        Sabes , agora falando serio, estes gajos, cheios de nota, por vezes tem de se “abrir” e mostrar a bandeira, para nao serem chantageados.
        Claro q isto ira afectar a imagem da APPLE quer queiramos quer nao.
        Mas a culpa e mesmo do Tim, ele e q esta a espetar a bandeira do arco iris na sede da Apple. E ele sabe q vai ter custos.
        Aquele abraco (com a devida distancia de corpos lol)

        • Vítor M. says:

          Não acredito que vá prejudicar a imagem da Apple. Isso é irrelevante para quem compra, para quem negoceia. Dou-te um exemplo: a Apple está prestes (segundo parece) a fechar negócio com a gigante chinesa Alibaba. Só esse salto no mercado asiático com o Apple Pay dá logo ao Tim uma liderança brutal, face eventualmente Às pressões dos mercados bolsistas (que no fundo são quem pode ou não decidir o fim do Tim na liderança da Apple), isto porque ao nível comercial ele é um grande estratega, como temos visto.

          Agora, antes de serem máquinas de “fazer dinheiro” e tecnologia, são pessoas, cheias de defeitos e virtudes. O Steve Jobs era um idiota chapado que tratou sempre mal a sua filha primogénita, segundo relatos de quem seguia o caso.

          Era um idiota no trato com os funcionários, uma autêntica besta, ao ponto das pessoas terem medo de andar no mesmo elevador que ele. Tinha um trato com a imprensa de cortar à faca, tratava-os abaixo de cão e, contuso, é visto como um visionário, um génio.

          O Tim era já visto pela sociedade como uma pessoa “muito reservada”, sempre muito na dele e mais do que uma vez se falou lá pela imprensa cor de rosa americana, na sua orientação sexual, este empenho todo nas paradas gays e tal… mas isso é para lá do conceito Apple, dos produtos, ele um dia vai sair e o próximo vai trazer outras manias e atitudes do foro pessoal… a Apple continuará como é e como será, vais ver.

          Então não vaticinaram o fim da Apple com a morte de Steve Jobs? E morreu, não, bem pelo contrario, está mais forte que nunca… por isso…

          • luislelis says:

            Bom ponto de vista, o futuro nos dira.
            Para a Apple morrer tem de morrer muita gente primeiro. (eu nao gosto deles , mas q sao bons no que fazem, nao tenho duvidas)

            Aquele abraco (com a devida distancia)

          • Vítor M. says:

            Isso 🙂 manter distâncias… ou até não, quem não deve não teme 🙂 como dizia o filósofo: de mim basta eu! 😀

          • Francisco Castro says:

            Sem dúvida. Aliás, mesmo aqueles que são totalmente homofóbicos, mas fãs da marca, vão continuar a adquirir produtos Apple. Bonito vai ser os amigos deles a dizer: “Então, és tão anti-gay, são aberrações, deviam ser todos erradicados do planeta, etc etc etc…” (sim, porque há mesmo pessoas com essa mentalidade pequenina) “…e andas a comprar produtos de 1 gay???” lol Adorava presenciar uma situação dessas para os ver a entrar em modo avestruz 🙂

            Se é gay, ok, só a ele diz respeito. E tudo bem que sendo o CEO da Apple, dá uma maior projecção à “notícia”, mas mesmo não sendo eu adepto da Apple, acho (e espero) que a mesma não vai ser minimamente prejudicada por tais declarações; é demasiado forte para tal. Nem tinha lógica nenhuma se fosse.

      • João Silva says:

        Eu também respeito as tendências de cada um, sejam elas quais forem… desde que esses cada um respeitem também as minhas, senão está tudo virado do avesso! Seja em matéria de religião, raça, orientação sexual, poder económico, cultural, etc.. É que não existe pior racismo quando minorias pretendem impor-se a maiorias à força: é que não existe maior xenofobia quando minorias pretendem impor-se a maiorias à força; é que não existe pior homofobia quando minorias pretendem impor-se a maiorias à força!

    • Rafael says:

      Por este andar e pelos postos e cargos chave que estão a ocupar, qualquer dia passará a ser obrigatório…

  13. TravessaK says:

    e a orientação sexual de alguém é noticia porque…

  14. NewJ says:

    Dizer que se é gay é uma coisa.. Dizer que se tem orgulho em ser gay, é salientar que não se gosta de mulheres.. Que se tem aversão a esse género..
    Mulheres, este gajo não gosta de vocês, menospreza-vos.. Abram a pestana quando compram produtos Apple.

    • Vítor M. says:

      Hehehe, espera lá, mas isso tem alguma coisa a ver com os produtos? Olha que nessa perspectiva há mais (muitos mais) consumidores de produtos não Apple, logo muitos mais gays que compram produtos não Apple 🙂 uiii tu estás num caminho perigoso 😀

      Concordo contigo numa cena… ok tudo bem, cada um é como quer, respect!! Mas, na minha opinião, deveria haver algum cuidado nessa luxuria, como referes. Essa do orgulho… pronto, só respeito cada pessoa como é e com as escolhas que faz.

    • zombie says:

      calma ai…ele nao disse que era misogeno !!!!! ah uma grande difença…..do tamanho do universo….n tem nadinha a haver !!!!!

  15. zefra says:

    Como já disseram afinal e por isso que o ultimo telele “é mais grande e se dobra”… e o que tem a paneleirice dele a ver com tecnologia?

  16. JohnnyBG says:

    Por isso é que os últimos lançamentos de produtos da Apple têm vindo a ficar um bocado parolos!

    • Vítor M. says:

      Também é verdade, neste último evento andaram ali a perder tempo com cenas que não era necessário. Acho que eles deram por ela.

      • jedi says:

        descobriram a careca mas é, desde o ultimo evento. lol

      • MM says:

        Acho que o problema é que o Tim Cook quer à força continuar com o estilo de eventos e de apresentações do Steve jobs.
        O Jobs era um comunicador por excelência e estava à vontade nos grandes eventos. Ele dominava todo o evento e a audiência.
        O Cook não tem perfil para este tipo de abordagem. Não domina o evento nem sabe dominar o público (precisa de bengalas constantemente). O problema não está nos produtos, que seguem o conceito geral da Apple, o problema está na forma como são apresentados. O Cook deveria ter adaptado as apresentações ao seu estilo e não ser ele a adaptar-se a um estilo.
        É esta falta de carisma, e se calhar de liderança, que leva a muita gente a ver a Apple como uma empresa já não tão bem gerida como era.
        Obviamente que os produtos vendem, não é isso que está em causa, mas claramente que a força já não vem do seu líder.

        • Vítor M. says:

          Verdade, mas não quer dizer que este tipo de keynote não funcione com esta nova equipa, funciona, mas têm é de adaptar. O tom calmo, mais focado, contrasta com o tom incisivo e por vezes feroz de Steve Jobs, contudo, estas keynotes são muito bem preparadas, já fizeram escola (todos já tentaram copiar) e é simples apresentar seja o que for. Têm é de ter um registo próprio, isso sim.

          • MM says:

            Claro que estas keynotes são eficientes, fazem parte dos manuais das keynotes eficazes, mas para funcionarem precisam de um bom comunicador, de um “one-man-show” por excelência.
            Uma keynote tem de ser preparada de acordo com o orador e não o contrário.
            É como dizes, o Cook tem de criar o seu registo próprio e não tentar usar o do jobs.

        • Francisco Castro says:

          Concordo quando dizes que ele devia adaptar o evento ao seu modo de abordagem porque quando se tenta ser muito como outra pessoa, nunca corre bem. Aí pode denotar-se uma falta de identidade ou de confiança para tal situação. Há quem tenha imenso jeito para falar com todo o à vontade para centenas de pessoas (que estão lá fisicamente), e há quem não o tenha. Lá está, cada um é como é.

          Contudo, o facto de não se ter jeito para este tipo de situações, não significa propriamente falta de liderança; tu podes não te sentir à vontade para discursar para muita gente, apresentando um qualquer produto, mas teres óptimas capacidades de liderança dentro da tua empresa. Pelo menos é a minha opinião.

    • Claudio Opereta says:

      Até pode ser verdade, mas, fazer a essa relação de causalidade é homofobia…

    • MM says:

      Os dourados afinal tinham alguma lógica!! 😀

  17. António Pereira says:

    Não compreendo nem nunca compreenderei esta necessidade de homosexuais dizerem que têm orgulho em o ser.

    Se uma outra personalidade diz o mesmo sobre a sua heterosexualidade é uma “shit storm” que se adivinha e daí aos insultos é um salto.

    Se realmente vêem a homosexualidade como normal e se querem que a sociedade a encare da mesma forma, parem de falar dela de uma maneira anormal.

    Como já aqui foi dito, é como eu vir dizer que tenho orgulho em ter cabelo preto, ser alto/baixo, etc. Não faz sentido.

  18. CC says:

    E o gajo que inventou o Javascript não pode ser o CEO da Firefox?

  19. irlm says:

    Fredy Mercury também assumiu ser uma prostituta musical e não é por isso que se vai deixar de ouvir, como o caso do Elton John e Jorge Michael, ou o Jorge Cloney que agora se casou para disfarçar.

    • João says:

      Fredy Mercury, era “ferranhamente” homossexual, frequentava locais que nós nem sonhamos, preferiu morrer a controlar-se mesmo após os avisos dos outros elementos da banda, chamaram-no a atenção para a SIDA quando gravavam na Alemanha e ele virou as costas. Pena, ter sido tão histérico e destravado, porque perdemos uma grande voz.

      • Claudio Travassos says:

        Nessa altura ainda era comum na comunidade homossexual assumirem-se esses riscos como uma coisa inevitável e com a qual teriam que lidar eventualmente. Eu é uma pena, eu não sou fã de Queen mas que o homem cantava ridiculamente bem não posso negar.

  20. Jonathan Fitzgerald says:

    Cada comentário aqui…reflectem mesmo a mentalidade pequenina típica dos Portugueses!

    Começam logo a dizer que é por ele ser gay que o iPhone dobra e coisas parecidas, mostra o preconceito que têm de achar que alguém por ser gay é inferior ou que não consegue fazer tão bem como os outros.

    E sim, um CEO de uma grande empresa tecnológica (ainda por cima a mais valiosa do mundo em termos de capitalização de mercado e sem dúvida uma das mais bem sucedidas dos últimos anos) assumir que é gay é notícia sim senhor. Se forem ao Gizmodo, TechCrunch, Endaget, Mashable, TheVerge, etc etc, isto está em todos eles e em alguns até tem lugar de destaque!

    • Vítor M. says:

      Pois, mas a alguns temos mesmo de fazer desenhos. Mas até para isso estamos cá… Mas tens razão sim senhor.

    • Claudio Opereta says:

      Neogaf também, só acho que daqui a 20/30 anos esta conversa lida indicará outros personagens a precisar de desenhos.

    • MM says:

      Piadas sobre homossexuais é uma coisa comum (até gays as dizem). Quem nunca disse uma piada gay que atire a primeira pedra (é como as piadas dos alentejanos). Brincar com as situações não quer dizer falta de respeito ou mentalidade pequena. Há limites, como é obvio, mas, p.ex., dizer que o iphone dobra ou outras coisas são piadas que, quanto a mim, não ultrapassam o limite.

    • zefra says:

      Cada um pode ser o que quiser e entender mas quanto as suas orientações guardem la isso para si. Eu que sou hetero e se dar umas escapadinhas aqui e ali isso é assunto meu. Agora se queremos ser noticia ou queremos criar sei lá o quê guardem-se. Isto agora vai abrir precedentes. Que dirige empresas vai pegar numa moda sem sentido assim como foi a tal parvoíce do balde de agua fria. Ha por ai tanta mulher boa e vão estes andarem a comer-se uns aos outros… e depois ainda dizem que é normal.

    • João says:

      Coitado é de si! Tanto preconceito! Agora até se atrevem a impedir os outros de brincar! Como sou dislexico vou proibir, piadas na própria família sobre isso, que estupidez! Pelo contrario não me importo nada e brinco também com o meu defeito! É isso, que é inteligência e é isso espírito democrático! Estamos numa democracia onde temos mais proibições que no tempo da ditadura! E mais, não se acham inferiores, bem pelo contrário vendem bem a ideia que quem não pensa ou age assim é burro, estúpido e atrasado! Gostava que alguém me provasse o que é que a orientação ou escolhas sexuais, tem a ver com a inteligência e a cultura! Mentalidade pequenina, é de quem apenas vê o Mundo e acha que este tem razão de existir do seu ponto de vista! Que piada, queixa-se de descriminação, descriminando, todo um povo e cultura! E quer que lhe batam palmas!

  21. Hugo Coelho says:

    “As mentalidades estão a mudar e a sociadede está cada vez mais a aceitar as escolhas sexuais dos outros.”
    Nem acredito que acabei de ler isto… escolhas sexuais? A única escolha que existe é assumir ou não a homossexualidade, ninguém escolhe… pelo menos não me lembro de me terem dado a opção para escolher a minha orientação sexual, alguém teve?

  22. Joselito says:

    É chamado pelo termo “gay” por ser CEO da Apple, se fosse uma pessoa qualquer seria chamado por um adjectivo bastante pejorativo.
    É assim a vida…

  23. censo says:

    Como a concorrência é forte, estou ansioso por saber qual vai ser a resposta da Microsoft e da Google a mais esta incrível novidade e funcionalidade da Apple…!

  24. Nelito says:

    Pronto, admitiu que é um iFag, ainda bem para ele, que seja feliz.

  25. Benchmark do iPhone 6 says:

    Portugal 2010: Ao reconhecer o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo na legislação, Portugal tornou-se o 6º país europeu e o 8º país do Mundo a fazê-lo.

    Nigéria, o país mais populoso de África, 2014: O presidente nigeriano assinou uma lei que criminaliza relações entre pessoas do mesmo sexo com penas de até 14 anos de prisão.

    É evidente que há discriminação com base na orientação sexual. Portugal é a excepção e não a regra. A Nigéria é um caso extremo, mas não é único.

    Se se ler o artigo todo (link do fim do post) percebe-se a declaração de Tim Cook. O que gostaria era de ficar muito sossegado sem falar na sua vida privada. Achou que devia fazer mais qualquer coisa contra uma forma de discriminação de que sofrem outras pessoas. Só isso.

  26. DrHouse says:

    Boa noite,

    Acho exagerado “e considero que ser gay é um dos maiores dons que deus me deu”. De certo modo parece que ser gay é superior por exemplo aos heteros!

    Acho que nem os hetero, gays, transgeneros… seja qual for a opção sexual, devem fazer tal afirmação, pois de certo modo estão a descriminar outras opções sexuais.

    Se fosse um hetero a dizer tal coisa, talvez alguns gays iriam dizer que estão ofendidos, fariam um abaixo assinado, não entenderiam tal afirmação.

    Cumprimentos

    • Nunes says:

      Essa frase pode ser mal interpretada, mas tem um contexto, já que logo a seguir menciona o que é ser uma minoria e os desafios que enfrentou por ser minoria (subentendesse preconceitos, etc), e como isso o moldou para ser quem é hoje e a ter empatia por outros que sofrem discriminação. É isto que é a dádiva, e considerando que o país é tão influenciado por questões religiosas, mencionar Deus é uma forma de quebrar uma das barreiras de preconceito, afirmando-se tb religioso.

  27. LP says:

    Esta descoberto quem deu a dentada à maçã! 😀

  28. joão says:

    Para Tim Cook, a sua orientação sexual deve-se a Deus e menos a ele próprio.

    Pressupõe também que Deus não precisava de criar a mulher, género que se tornaria supérfluo se todos os homens recebessem o mesmo “dom”de Deus que Tim Cook diz ter recebido.

    Para Tim Cook, ser heterossexual deve ser um castigo de Deus a que nem os seus pais escaparam.

    Depois da violação da segurança do iCloud , a dobradinha do Iphone 6, o elevado nível de radiação do mesmo e agora estas declarações, sou levado a pensar que a Apple vai também atribuir a Deus a graça do seu declínio. Quem dera !

  29. Bruno says:

    Gostar de arroz de feijão foi o maior orgulho que Deus me deu. e tenho ORGULHO nisso!!!!

  30. curiosamente todos os gays que eu conheço usam iphone. (a maioria o 5c)

  31. Gui says:

    Quero dizer ao mundo que sou orgulhosamente hetero!

    E não tenho nada contra os gays, simplesmente gosto de mulheres!

  32. Freitas says:

    E se fosse algo do género “Tenho orgulho em ser heterosexual”
    Caos no mundo

  33. nuno says:

    dizer que se sente bem em ser gay tudo bem… agora dizer que e um dom de Deus… ai já e o capeta falando.

  34. LG says:

    mesmo assim se nunca leste a Biblia Sagrada seria uma vergonha =D

  35. LG says:

    mete deus em Letra grande Deus

  36. dajosova says:

    Um reparo preconceituoso e baseado na Bíblia mesmo:

    Deus deu o direito às pessoas de escolherem mas não disse para o fazerem.
    Dizer que ser gay é um dom de Deus é enganar-se a si próprio e os mais incautos. O mais grave é que é fazer precisamente o oposto ao que a Bíblia ensina.

    Por isso, este senhor, assume com orgulho, de forma ignorante ou não, que se habilita a ganhar um bilhete diretamente para o inferno!

    Curioso vindo dum líder cuja marca representa o pecado da ciência do bem e do mal.

    Ainda bem que todos respeitamos a liberdade de cada um, e posso rejeitar um velho “neoconceito” criticando-o!

    P.S.: Já que a notícia incide sobre esse tema, não me apetece falar de tecnologia.

  37. SirFrankPhoenix says:

    Eu li o artigo e antes de ler todos os comentários pensei: ser gay… um dom… o que é que ele foi dizer?
    É uma coisa muito polémica de se dizer e incorreta porque dom tem como sinónimo talento e a homossexualidade não é nenhuma aptidão especial. O verbo “ser”, está correto pois é algo que se é; é uma característica pessoal que difere de pessoa em pessoa como as características do cabelo, dos olhos, da boca, da pele…
    Eu concordo, não é uma coisa que se tenha de se dizer, num mundo perfeito, homossexual, heterossexual, bissexual é irrelevante, ninguém é descriminado, estamos todos ao mesmo nível. Mas este mundo está longe de ser perfeito; intenda-se que para chegarmos a esta igualdade, estas celebridades e outras personalidades que conseguem comunicar com um grande número de pessoas, tentam ajudar a explicar que está tudo bem, que ter uma orientação diferente da maioria não é ser doente, ou ter uma anormalia psicológica ou qualquer outro problema. Mas é verdade que dizer que ser gay é um dom, não ajuda o caso. Penso que há uns anos atrás ser gay era um dom que valia umas valentes chapadas na boca.
    É verdade que a situação está mais equalizada, mas ainda há muita descriminação. Acredito que há muita falsa aceitação, que há quem diga “who cares”, não importa mas ao mesmo tempo sentem-se superiores. Mas é como tudo, há o inverso, há que se ache superior sendo diferente.
    Penso que em Portugal se aceita bem ou pelo menos melhor, só acho o que temos uma grande dificuldade a separar as coisas relativamente ao homossexual masculino. Um homem gay é alguém exatamente igual ao homem heterossexual a única diferença é que em vez de gostar de mulheres, gosta de homens; não é necessariamente uma bicha com tiques efeminados nem alguém tem de se pintar e usar perucas e sapatos de salto alto.
    Nunca tinha pensado nisso, um gay é um hétero que gosta de homens, obrigado Pplware 😀
    Marisa Pinto espero que a tenha ajudado com isso das escolhas. Quando um homossexual encontrar o amor da sua vida não lhe vão dar um botão para ele escolher sentir-se atraída pelo sexo oposto.
    Isto não é uma ciência, as relações são complicadas.

    • Marisa Pinto says:

      Não percebi nada do teu comentário, onde dizemos que ser gay é um hetero que gosta de homens?

      Outra coisa, dom não tem a ver apenas com talento, mas sim com o que a situação nos faz sentir, o que nos permite, e a ele decerto que faz sentir coisas positivas, não tema ver com talento somente….

      Quanto às escolhas, pode muito bem ser, lê novamente o que escrevi sobre isso noutros comentários,

      Eu sei bem que as relações são complicadas, eu trabalho com elas n meu dia-a-dia!

      Cumps 🙂

      • SirFrankPhoenix says:

        Eu li todos os comentário e não encontrei um único argumento que justifique que a homossexualidade é uma escolha.
        Se continua com esta opinião, explique-a por favor.
        Eu tenho a certeza que não, que não é uma escolha. Se uma pessoa se sente mais atraída por uma coisa, não se pode obrigar a ser atraída para outras.
        Dou-lhe um simples exemplo: a senhora gosta mais da cor azul, sente-se atraída pelo azul, quando é confrontada com uma variedade de cores, vai sempre olhar primeiro para o azul, vai ser atraída para o azul. Pode mudar para experimentar algo diferente, mas a sua cor preferida continua a ser o azul. E isto é algo que não se pode explicar ou mudar. Eu não consigo explicar porque gosto mais do vermelho, ninguém consegue. Tal como ninguém consegue explicar porque ninguém prefere o castanho.

        • João Silva says:

          Excelente tese. Falo por mim: com 3 anos de idade, com pais e avós Belenenses (clube de futebol), filho de jogador Belenense, nascido e crescido em Belém (terra dos pastéis de nata – e de cerveja), quando me perguntavam qual era o meu clube, dizia sempre FAFICA (Benfica em língua de trapos), porque ouvia o meu Pai falar nos nomes dos Clubes com quem jogava. Hoje, ainda não sei responder porque razão fiz essa escolha… 3 anos de idade e um universo azul à minha volta!

    • Nunes says:

      É o problema de muitas vezes as citações retiram o contexto do que é dito.
      O Tim Cook falou em dádiva, e a seguir dá-lhe um contexto, sobre como ser uma minoria o moldou a ser quem é, etc. Se leres tudo acho que vais perceber melhor

  38. Tim says:

    Peço desculpa aos moderadores, entusiasmei-me com o que penso sobre os gays, e claro que eram ofensas, mas não deixam de ser as minhas verdades daí não as ver como tal, enfim as regras são vossas….
    de qualquer forma, o tim n dura mais de 6 meses na apple, vai uma aposta?

  39. LG says:

    dajosa eu estou acabar ate novembro a biblia onde tens isso que Deus deu o direito às pessoas de escolherem mas não fazerem.

    em vez de dizeres este dispara te lê mazé e tenta n voltares a dzer essa barbaridade =D

    • dajosova says:

      Ó LG, não digas tu disparates só porque te apeteceu responder ao meu comentário.

      Livre arbítrio foi por Deus concedido ao Homem, bem como ensinamentos e mandamentos foram-lhe transmitidos.

      Já que não entendeste a minha simples frase, recomendo que leias a Bíblia com um auxiliar para a entenderes. Se quiseres mando-te material didático.

      • Benchmark do iPhone 6 says:

        Essa do livre arbítrio também está boa.

        Se Deus já sabia que “o fruto proibido é o mais desejado” por que é que apareceu com a história da macieira? “Vocês andem por aí à vontade, comam o que quiserem sem pagar nada, mas não me comam as maçãs, senão lixam-se”.

        Isso é que são ensinamentos em condições? Nem explicou por que é que não se podiam comer as maçãs! E custava construir uma cerca à volta da árvore, se fazia tanta questão?

  40. Paulo Bastos says:

    Só faltou dizer se era activo ou passivo.

  41. Benchmark do iPhone 6 says:

    Há uns comentários em que o pessoal em vez de puxar pelos miolos coçou os tomates. Faz assim muita diferença se alguém, em casa, coça os dele ou de mais alguém?

    O que é preciso é ter miolos, fazer alguma coisa da vida, se possível (é sempre possível) fazer alguma coisa pelos outros (ou pelo menos tratá-los bem) e não passar a vida a coçar os tomates.

    Já que metem religião ao barulho, o que Tim Cook diz é “Graças a Deus que sou como sou”. Que toda a gente possa dizer o mesmo, homo ou hetero, e tenha as mesmas oportunidades e não seja discriminado por isso ou por outra coisa qualquer.

  42. Full says:

    Como?
    So espero que nao pegue moda agora e que nao siga o mesmo rumo dos iphones!(Popularidade)

  43. Viana says:

    Sou gay e entendo o que ele disse sobre orgulho. É apenas para, como ele mesmo afirmou, “ajudar” homossexuais em todo o mundo a não sentirem vergonha de si mesmos. Eu já senti muita , quando deixava que os outros me impusessem como eu deveria sentir meus desejos.
    Sobre o “dom de Deus” … isso é fé, é crença dele e penso que ele quis dizer que sendo homossexual ele pode ter experiências que na condição heterossexual seriam mais raras.

  44. Filipe says:

    O texto não é meu mas merece ser publicado:

    “Orgulho em ser gay?

    Esta semana Tim Cook, CEO da Apple, afirmou que tem orgulho em ser gay. Faz isso sentido?

    A construção identitária das pessoas gay e lésbicas é baseada em três is.

    PRIMEIRO i: INSULTO
    Uma das experiências mais marcantes e, consequentemente, uma das características identitárias das pessoas gays e lésbicas é “crescer no insulto”. A descoberta da identidade, nomeadamente da identidade sexual, faz-se desde cedo tendo como referência que a “homossexualidade” e o “ser-se homossexual” está no cimo da hierarquia de insultos – paneleiro, bicha, rabeta, fufa de merda, maricas, larilas, a lista de sinónimos é infindável. O crescimento das pessoas LGBT ocorre, assim, num ambiente particularmente negativo e hostil – elas são, secretamente, aquilo que toda a gente repudia. O orgulho LGBT é, neste contexto, o oposto do insulto, corresponde à apropriação do insulto. O orgulho em ser gay ou lésbica não é, portanto, um orgulho por se ser mais ou melhor que as outras pessoas. Não é por se merecer um melhor salário, prioridade na fila do supermercado ou facilidades no pagamento de impostos. O orgulho em ser gay ou lésbica é a oposição à vergonha, é o orgulho em se ter ultrapassado o insulto, em se ser um “sobrevivente” de uma adolescência violentíssima do ponto de vista emocional. Não faz sentido ter orgulho em ser hetero. Mas faz sentido ter orgulho em ser gay ou lésbica.

    SEGUNDO i: INVISIBILIDADE
    Ao contrário da maioria das outras categorias de discriminação, a orientação sexual não é visível. Um gay ou uma lésbica podem viver toda a vida “no armário”. E isso até lhes pode dar uma vantagem num mundo de discriminação, porque enquanto escondem esse facto podem ir progredindo no seio da “maioria” onde se inserem. Mas é sobretudo uma grande desvantagem, porque ou vivem a violência permanente de se esconder ou têm permanentemente de afirmar ou justificar aquilo que são. Por exemplo, para não passarem a vida a ouvir bocas sobre paneleirices na escola, no emprego, nos jantares de Natal com a família. Mais, políticas como o “don’t ask, don’t tell”, até muito recentemente aplicadas nas forças armadas dos EUA, ou seja, o poder ser-se o que se quiser desde que não se fale disso, não fazem mais que (re)forçar essa invisibilidade, num mundo já por si deficitário de referências positivas e onde mesmo as personagens gays ou lésbicas na ficção eram (ou ainda são em alguns casos) maioritariamente associadas a estereótipos negativos.

    TERCEIRO i: ISOLAMENTO
    A outra característica da construção identitária de gays e lésbicos é o isolamento. Um gay ou uma lésbica, na maioria dos casos, tem de aprender sozinho o que é ser-se gay ou lésbica, tem de aprender a defender-se sozinho, porque crescem numa família hetero, e não existe nem a transmissão dos mais velhos para os mais novos de mecanismos de proteção contra este tipo de discriminação nem a compreensão e o apoio contra um tipo de discriminação que todos conhecem. Aliás, algumas famílias rejeitam / expulsam / violentam alguns dos seus elementos pelo simples facto de serem gays ou lésbicas. E como existe uma grande invisibilidade, essas pessoas sentem-se “únicas”, sentem-se sozinhas.

    A intervenção de Tim Cook, que considera não ser um ativista, é importantíssima porque é um exemplo para milhões de pessoas que vivem no insulto, que vivem na invisibilidade, que vivem isoladas em todo do mundo. A intervenção de Tim Cook é um contributo para que essas pessoas possam viver com orgulho, e ser felizes!”

  45. John says:

    Mas o que interessa ao comum mortal saber que este Sr. é Gay ?
    Só tenho que respeitar as pessoas se elas me respeitarem a mim, e não me costumo meter nas opções sexuais das outras pessoas.
    Isto é uma não noticia, pois este anuncio só serve para apaziguar a consciencia deste Sr.
    É impressionante um tipo dizer que é gay, e tem uma publicidade enorme por isso. Por este andar qualquer dia uma pessoa dizer que é Heterossexual é crime. Ahahahaha.

  46. Ppl Get Used to It, But Never Change says:

    Claro que o artigo tinha de ser estragado em 3 segundos com “escolhas sexuais dos outros”.

    Enquanto AS sociedadES não perceberem que NÃO É uma ESCOLHA (BOLD, UNDERLINE), ou uma OPÇAO, ou derivados…, nunca vão ser verdadeiramente aceitas as pessoas cuja orientação sexual seja diferente dos heterossexuais.

    Nem vou ler o resto do artigo. Passem bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.