Quantcast
PplWare Mobile

Saiba como pode ajudar os refugiados

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Diogo Martino says:

    Erro no título. Não seria “os refugiados”?

  2. Jaime says:

    ” Com 7€ por mês, a UNICEF pode fornecer 264 saquetas de PlumpyNut, um alimento terapêutica especial para crianças gravemente mal nutridas. ”

    Para quê? Para fazerem isto: https://www.youtube.com/watch?v=7L3eSbpETf8

    Não obrigado, prefiro ajudar um mendigo da minha cidade que sei que não vai recusar nem uma migalha de pão.

    • Marisa Pinto says:

      Há sempre situações não felizes…

      • Jaime says:

        É verdade. O problema é que este tipo de temas levantam sempre muitas questões e conseguimos obter muitas opiniões, umas conforme um certo grupo, outras um pouco mais “violentas” que no entanto, magoando esse certo grupo, muitas das vezes são essas que dizem a verdade.

        • Lopes says:

          Ajuda-los? Nunca.
          Ajudar sim os nossos europeus que já temos problemas que chegue.
          E ainda a quem ajude e eles recusam? Esse video não é o único!
          Se fosse nós a entrar na terra deles apesar da miséria seriamos muito mal bem-vindos, e ainda por cima teríamos de andar vestidos como eles queriam.

          • joaquim says:

            Lopes concordo contigo plenamente. Ajudar os Europeus e milhres de portugueses que vivem abaixo do limiar de pobreza,… campanhas como nos tem sido impingido ultimamente pelos meios de irformacao nao fazem eles a favor de quem precisa.

            Sao povos que nao respeitamoutro tipo de cultura ou sociedade que nao a deles mesmo nos pises que os acolhem de boa vontade.

            para curiosos:
            https://www.facebook.com/240638706109428/videos/479634978876465/?pnref=story

          • Sérgio S. says:

            Caramba, tomam logo todos por iguais! Queriam uma desculpa para não ajudar ninguém e já arranjaram.

          • joaquim says:

            Bom dia Sergio S.

            Eu ja o referi e refiro-o novamente:
            Tens pinta de ser um bom samaritano ( moralista )
            Recebe um destes em tua casa:

            https://www.facebook.com/240638706109428/videos/479634978876465/?pnref=story

            EU PAGO-lhe o bilhete ( aviao, comboio, bus,…)

          • Joao Magalhaes says:

            Lá vamos nós com a história de ” não são todos iguais ” pois não, mas a maioria é e como aprendi na tropa, por causa de um pagam todos, tenho quase a certeza que os Nazis não eram todos iguais, mas duvido que os Judeus acreditassem ou confiassem em algum.

          • sr.knom says:

            lol…. vocês só se afundam mais e querem ajuda?

          • Joana says:

            Desde quando é que perdemos a nossa humanidade a ponto de não ajudar quem mais precisa?
            É saudavel ter-se um certo receio e apreensão mas a ponto de não deitar a mão para ajudar devido ao medo… isso é triste. Muito triste.
            Ter a capacidade de empatia é o que nos torna a cada um humanos, e essa história de haver muita gente na Europa que precisa de ajuda e que deviamos primeiro ajudar essas pessoas é rídicula, especialmente porque um não invalida o outro. No terramoto que afectou o Japão meio mundo se união em solidariedade para a desgraça alheia, na altura do tsunami que afectou a Tailandia o mesmo aconteceu. Agora que são estas pessoas, que o unico crime que cometeram foi o de nascerem numa sociedade que mata só por falares contra Maomé, a pedirem ajuda e apoio… já temos toda a justificação e mais alguma para virarmos a cara e fazer de conta que não é nada.
            Se não querem ajudar não ajudem, ninguém vos pede para o fazer, mas também não deitem abaixo quem quer de facto ajudar, porque se vocês estivessem do outro lado também queriam que alguém vos deitasse a mão.
            Só tenho ouvido mais do mesmo… que são pessoas que não respeitam a nossa cultura, que exigem isto ou aquilo e que quando menos esperarmos vão morder a mão a quem os ajudou. Isso a mim só me parece o típico caso de sofrer por antecipação e a simples existência de preconceito. Porque de certeza que há muito boa gente no meio da multidão, tal como existem más pessoas. Há de tudo, mas isso é em qualquer lado.
            E não confiem em tudo o que vêm na TV porque nem tudo é o que parece.
            E sejam humanos acima de tudo.

    • SF says:

      A maior parte dessas pessoas são migrantes económicos e não refugiados, isto causa um problema enorme e infelizmente a ajuda não está a chegar a quem realmente precisa, não é por acaso que todos eles querem ir para Alemanha, a economia mais forte da EU.
      O primeiro passo seria identificar a origem de cada um deles e depois verificar se realmente merecem receber o estatuto de refugiado, a ajuda deve ser dada a quem realmente necessita e que tem a sua existência em risco.

      • Jaime says:

        Já há uns dias frisei certos aspectos que não deixam de ser verdade, e fui crucificado nas redes sociais por um grupinho de falsos moralistas e hipócritas. Apesar de serem refugiados, não passam de imigrantes ilegais sem documentos, que no entanto, imagine-se, fazem manifestações e protestam com as condições que os países que os recebem em primeira instância lhes dão. Muita sorte têm eles de não serem extraditados de volta para a pucilga de onde vêm.

        Também acho muito engraçado todas aquelas pessoas que defendem o abrigo destes refugiados, esquecendo-se que muitos deles, senão a grande maioria, são muçulmanos. Ora já todos sabemos como agem os muçulmanos, ainda à pouquíssimo tempo noticiaram que alguns deles jogaram refugiados cristãos que vinham com eles nos barcos porta fora… Sem comentários.

        • SF says:

          Na minha opinião tens toda a razão e isto da Merkel é uma tremenda palhaçada, alguma coisa tem que ser feita rapidamente pois isto esta a tomar proporções incontroláveis.
          Estas pessoas não aceitam ficar em campos de refugiados nem mesmo na própria UE, recusam comida, ainda maltratam cristãos e depois ainda querem ser acolhidos.

        • joaquimjoaquim says:

          Finalmente Parabens Jaime expoes opiniao sobre aquilo que acreditas e es possivelmente fortemente criticados por esses ditos moralistas ( Politicos ou individuos que devem estar a viver a custa dos pais ou recebem um subsidio qualquer do estado ).

          Tentam impingir-nos esses individuos, esses ( os moralista ) que fiquem com eles em suas casas ou nos seus Bairros, mas agora que deixem e o resto da populacao em paz.

          Eu ja o referi em outro forum e refiro-o aqui novamente:
          Se algum destes moralistas quiserem ficar com um destes individuos:

          https://www.facebook.com/240638706109428/videos/479634978876465/?pnref=story

          EU PAGO-lhe o bilhete ( aviao, comboio, bus,…)

        • Sérgio S. says:

          Antes de serem Muçulmanos, ou sejam lá o que forem são Seres Humanos, e a esmagadora maioria são Muçulmanos moderados. Os radicais são os que sobressaem e dão a má reputação aos restantes. Estes refugiados fogem do mundo que os países ocidentais ajudaram a criar. Eles fogem da guerra e da destruição, de modo que embarcam às centenas em barcos sem condições ou em botes de borracha. Isto parece-vos capricho ou puro desespero?

          A NATO é muito expedita a actuar no que toca a defender interesses estratégicos e económicos, mas quando não interessa assobia para o lado.

          O maior problema é a Humanidade estar dividida em grupos; “Nós estamos bem e o que acontece lá dentro das fronteiras deles é lá com eles.” Mas “eles” estão agora a transbordar fronteiras em busca de segurança, são Seres Humanos que têm tanto medo da guerra como vocês e eu. E há mais, o Boko Haram, por exemplo, entra nas vilas e mata às centenas e ninguém mexe uma palha.
          Ser Ser Humano não tem nada de moralista nem hipócrita. Temos de fazer com eles o que a Humanidade deveria fazer entre si sempre. Hoje são eles e amanhã poderemos ser nós.

        • José says:

          Meu caro, como o entendo. Para mim redes sociais não passam de lugares onde pululam, falsos moralistas que apenas querem fazer-se de caridosos aos “amigos” numa chocante lógica da “sopeira da telenovelas” ou do “labrego da bola” de serviço, são raros os casos onde encontramos alguém com um pouco mais de conhecimentos, lógica e que sabe fundamentar as ideias. O que ninguém fala, e aqui deixo a minha critica ao PPware é nas consequências que esta invasão irá trazer-nos, eu vou muitas vezes a Inglterra, onde vive a minha cunhada casada com um inglês (daqueles que designados, mesmo como ingleses, já nem sei como classificar os nativos verdadeiros de uma nação), e o que vejo choca com a situação social, grave com que estão confrontados os Britânicos, os tais nativos daquela ilha. Estão, já hoje em certas localidades sob regime de ocupação islâmica, onde nunca houve integração, ao contrário dos políticos que nos mentem diáriamente iludidos com as lendas da carochinha ou lá aonde andam aquelas cabeças, nos dizem todos dias. Na questão, aqui lançada, digo desde já que, jamais ajudaria essa gente que ai vem! Eles, já têm refúgio, fogem agora do refúgio e não da guerra, para dar seguimento aos ditames dos seus lideres religiosos, o facto de “conquistar” a Europa a qualquer custo. Inicialmente pelo ventre e agora com o pretexto de “fugirem da guerra”. Lançam-se ao mar pagando a passadores dinheiro que se fossem mesmo gente necessitada, jamais o teriam. Têm, certamente, mais dinheiro que muitos portugueses, disso não tenho dúvidas. E há algo mais grave e pernicioso, a maioria mais de 90%, são homens, jovens, bem nutridos e em excelente forma física. Não têm ar de quem está necessitado e a precisar de atenção. Comparar essa gente com quem realmente precisa, e passa mesmo fome e vive no terror, é no mínimo cruel. Fizerem do miúdo que o pai deixou afogar, nada me tira isso da cabeça, porque conheço já 4 ou 5 versões ditas por ele, um símbolo, desta invasão com o pretexto do azar da criança, nem a sua memória respeitaram, foi um inocente nas mãos de gente sem escrúpulos. Repare que a imprensa está a chamar aos campos de refugiados na Hungria: “Campos de detenção, e na Áustria de: Acolhimento, só nisto vemos a manipulação das mentes mais fracas e imbecis! As tv’s não mostram a reportagem todas, apenas as que lhes convém, a tal cena do casal onde o marido, acho eu, empurra a mulher com o bebé para alinha do comboio em pose estudada para que os abutres dos fotógrafos tenham uma imagem do “desespero”! São desesperados bem sem ar famélico e bem vestidos, dentro da cultura deles, ainda por cima! E só podem estar a gozar connosco, quando vemos gente necessitada, sem sequre um olhar de compaixão no nosso próprio país! Como podem esses hipócritas narcisistas das redes sociais, falar à boca cheia, quando ao lado terão uma família onde o pai e mãe estão desempregados, foram expulsos da sua casa por não terem dinheiro para a pagar devido a esta crise, não arranjam trabalho, nem têm ajuda de qualquer espécie! Esta atitude “humanista” falsas como as víboras, é própria de “novo rico” só aparece para fazer figura, nada mais não passam de gente vazia. Provavelmente terão, um pai, mãe ou tios a vivem num lar como tenho aqui na frente da minha casa, católico ainda por cima, onde os idosos morrem sozinhos e vivem sempre sós. Gente esse que no verão que para “ir trabalhar para o bronze” abandonam os animais, ou matam-nos. Gente que pratica violência doméstica e mal-trata os filhos chegando ao ponto de nem educação lhes dar, e quando entendem educação é aquelas na base da chapada! E, depois são esses mesmo que se fazem os mais caridosos, tenho muitos exemplos de conhecidos meus que são “amigos” do Facebook por exemplo, como pais são uma miséria, conheço-os de ginjeira, mas estão agora a por-se me bicos de pés para “dar” uma boa gente, está na moda e fica bem. Mesmo que isso signifique o fim do nosso modo de vida, acéfalos, abundam em demasia.

          • Vítor M. says:

            Depois de tanta lengalenga, fica o seguinte: a tua irmã foi para um país trabalhar, foi como emigrante. Provavelmente os migrantes também gostariam de ser emigrantes, mas a guerra patrocinada pelos russos, árabes, ingleses, americanos e ‘europeus’ obriga-os a ser migrantes.

            Se deixarem de vender armas, incentivar á guerra e ajudar na educação… há coisas que vão melhorar e tal como a tua irmã, muitos poderiam ser emigrantes.

            Depois Portugal sabe integrar outras culturas, fez isso com os retornados, mais tarde fez com a vaga de brasileiros e depois com milhares da ex união soviética. Sabemos integrar.

            Também, por motivos econômicos e não de guerra, portugueses foram para outros países, muitos sofrem com posições de repudio, de racismo e de exclusão social.

            Há um meio termo nisto tudo, é isso que tem de ser encontrado.

            Depois falas em casos de polícia, de muitos migrantes que estão a invadir aceuropa, mas uma coisa são casos de polícia e outra coisa são casos de assistência humanitária.

            Deixo aqui a minha crítica a uma atitude tua, aqui expressa, que é descriminatória.

          • joaquim says:

            Jose concordo contigo plenamente ve-se bem que es uma pessoa coerente e irformada do que realmente passa. Bom dia senhor Vitor M. acredito mesmo que se identificou com as palavras acima referidas pelo jose ” falsos moralistas que apenas querem fazer-se de caridosos aos “amigos””

            Descriminatoria pq ??? Porque nao concorda contigo Afinal encontramo-nos num Pais democratico ou nao, ja agora o Jose nao pode ter uma opiniao e expressa-la,… So os Ditos “Moralista”e que o podem,….

            Eu ja o referi aqui e volto a referir novamenete
            Se quiseres ficar com um destes individuos:

            https://www.facebook.com/240638706109428/videos/479634978876465/?pnref=story

            EU PAGO-lhe o bilhete ( aviao, comboio, bus,…) nao queiram e agora impingir esses individuos ao resto da populacao Europeia,…

          • Luis M. says:

            Vitor M. os retornados eram portugueses a viver em território português ultramarino, salvo raras excepções todos tinham cá raízes, portanto não há comparação possível nesse ponto. Os brasileiros falam a nossa língua, somos culturalmente parecidos. Os da antiga URSS são ocidentais como nós, dai que a integração também não foi complicada.
            Estes são islâmicos as mulheres deles andam mascaradas na rua, não comem o que nós comemos, não frequentam locais com álcool. Desta vez até temos os exemplos mesmo ao lado, a França está cheia de emigrantes islâmicos, não me parece que sejam muito amados por lá. Também não gosto da postura subserviente, “nos sabemos integrar”, nós só temos de manter a nossa identidade e eles só têm de adoptar os nosso hábitos que a integração é fácil. Certamente não vou aprender árabe, deixar de comer porco, beber álcool ou usar símbolos cristãos para ser “amiguinho” deles.

          • Vítor M. says:

            Espera lá, milhões de pessoas africanas vieram para Portugal e não eram portugueses, olha que tu estás enganado. E muita gente que nessa altura chegou a Portugal ajudou a tornar o país como ele é hoje, com as suas virtudes e defeitos. Isso de serem só portugueses, está completamente errado, vieram igualmente muitos indianos, há muitos timorenses… acho que não percebeste bem o que se passou naquela altura!!!

            Quanto às tradições, usos e costumes de cada povo, sempre soubemos lidar com eles. Basta ver a enorme comunidade chinesa que cá vive, ou também não deste conta deles? Aposto que sim, apenas não te lembraste, são completamente diferentes de nós e estão totalmente inseridos.

            Não vamos extremar posições, pois há graves problemas humanitários e a culpa também é nossa, que assinamos de cruz aos mandos e desmandos dos alemães, ingleses e franceses.

            E os portugueses que na década de 50 e 60 foram por essa europa fora a fugir da fome em Portugal?

          • Luis M. says:

            Ok Vítor M., vamos então colocar a questão de outra vertente. Vês assim tanta abundância na Europa para receber os migrantes? Tirando a Alemanha todos os restantes países estão cheios de problemas, as economias não crescem há poucos empregos e a segurança social está falida. É esta a nossa realidade, lê-se por essa intenet fora que eles podem trabalhar em supermercados por exemplo, mas em que supermercados? Nós temos licenciados que adoravam ter um emprego num supermercado.
            Está tudo a ser tratado de forma muito leviana.

          • Vítor M. says:

            Espera, agora inseriste uma nova temática na conversa. Não discordo, mas o problema nada tem a ver com os licenciados nos supermercados, até porque licenciados podem estar em qualquer lado a trabalhar. Trabalhar não é demérito e se não houver espaço para os licenciados trabalharem naquilo que foram formados, não devem de certeza estar a receber um subsídio do estado, que trabalhem onde houver. Um pensamento um pouco antigo esse teu, a meu claro.

            Agora, volto a dizer, não temos espaço para milhares deles, é verdade, mas podemos ajudar a esta barbárie ter um fim, pelo menos na ajuda humanitária.

            Agora, aqui a solução está em acabar lá com a guerra, ponto.

        • José says:

          Vitor M, para já não é minha irmã, é cunhada! E, foi viver para Inglaterra não porque precisasse, vive com o marido, e foi convidada a trabalhar lá na British Airways! E depois denota um fraco conhecimento da História, essa gente sempre andou em guerra e fabricava as próprias armas! E se essa sua “lengalenga” tivesse um pingo de lógica, também Portugal e outras nações que compram armas, teriam então razões para espatifar tudo! Desculpe, mas essa não cola, até é bem ridícula! Eles pertencem a nações soberanas e independentes, tal como as demais nações no Mundo. “Ajudar na educação???”, não têm cultura própria? Quem ajuda na educação em Portugal? O BurKina Fasso? É obrigação dos outros, de fora, zelar pelo bem estar da própria população? E os portugueses ,foram por razões económicas viver para fora, quase empurrados, jamais saíram se houvesse condições para trabalhar na sua terra, para além do mais estão sempre bem integrados, fazem parte das sociedades que os acolhem e são bem vistos! E não se atreva chamar ao retornados de “outras culturas”! Deve estar a gozar com milhões de portugueses, e mesmo os brasileiros estão muito próximos da nossa, nada têm a ver com estes que nos invadem! E reconheço, no seu discurso que não conhece nada sobre o que se passa na Europa! Ou então finge que não conhece o que é mais grave. Mais grave, permitiu que esses portugueses saíssem, sem lhe dar a ajuda que se está a colocar em bicos de pés para dar aos outros, Nunca vi aqui sinal de revolta por ver os nossos cidadãos partir, porque a terra deles, que, por sinal, nem em guerra está, para garantir a comida no prato. Não há casos de polícia, nem humanitários, estes, sobretudo sírios, já vêm de campos de refugiados? Aliás, nisso as tvs, nem o escondem. E temos o direito à descriminação se isso, colocar em perigo o nosso modo de vida, ou quer fazer passar os outros por trouxas? A democracia, só funciona num sentido? Que raio de democracia é essa? E tenho pena que se tivesse usado no seu argumento apenas lugares comuns, e tenha “esquecido” convenientemente, uma outra série de detalhes, usando a “lengalenga” repetida e monocórdica, pelos que aparecerem aos magotes a afirmar a sua “Humanidade”, sem na verdade saberem que raio de conceito é esse. E pena, num Mundo cheio de tragédias diárias, só se terem lembrado dessa Humanidade agora. Farto de “lengalenga hipócrita” estou eu.

          • José says:

            Mais um “dado” falei à pouco com a minha cunhada, e sabe a mais recente “nova” que obteve? Uma amiga, tem uma filha de 7, anos, em idade escolar, na escola que, frequenta,TODAS as raparigas usam véu islâmico, a menina é a única que não usa e está a ser vitima de “bulling” por parte das outras, que a chamam diariamente de porca e nojenta entre outros títulos “humanitários”. Gente que supostamente, chegou a esse país em socorro, estão sempre em socorro, e agora a nível local , são eles a dar cartas! Se tiver uma filha acho, que devia pensar bem nela, nela e nos seus futuros netos. Eu, penso. Sei muito bem o que quero e não quero. Islâmicos e gente desta no meu país não. Não quero outra Reconquista.

          • Marisa Pinto says:

            Sinceramente acho que há aqui um erro gravíssimo… É assumir que o comportamento/carácter de um determinado número de pessoas, representa aquilo que todos os da sua cultura são.

            Isso é grave, isso é uma lógica totalmente irracional!!! Assim sendo podiamos dizer que todos os portugueses são assassinos visto que há muitos que o são.

          • Vítor M. says:

            Indiferente o laço que tem contigo, o exemplo não era para ser pessoal, apenas um exemplo.

            Quanto ao restante, reafirmo, é uma lengalenga que apenas nos obriga a encontrar um meio termo, falar como falas, é o mais fácil.

            Retornados, brasileiros, ao contrário da tua opinião inicial, sobre os migrantes e outras culturas, são pessoas muito válidas, merecem todo o respeito e são de outras culturas sim. Os portugueses que referes, muitos deles, décadas fora da metrópole adoptaram a cultura residente, ao contrário do que estás a afirmar, em nada os diminuiu, bem pelo contrário.

            Cuidado que começaste com uma ideia separatista, não vamos manipular o início desta conversa.

            Eu não penso como tu, não comungo com as tuas ideias que entendo serem separatistas. Nos migrantes há casos de polícia sim, mas a grande maioria é um caso humanitário, porque os ingleses, americanos, russos e árabes estão a ganhar dinheiro com a guerra nos seus países. O resto é lengalenga.

          • Prim says:

            Nunca pensei encontrar (tantos) ideais retrógrados e até perigosos por aqui, como me enganei… Esta gente não aprendeu com a história, com o Holocausto.

          • joaquim says:

            Voces os samaritanos ( moralistas ) sao Hilariantes ,….. Deixei-nos vir depois falamos,…. Nao vai ser preciso muito tempo,…. A proxima PRIMAVERA ARABE vais ser na Europa espero que seja e nos vossos bairros ( dos moralistas ). Nao sei se se lembra do resultado, da primeira,…

            Sao povos que nao e possivel dialogar, que nao aceitam nem respeitam a outra e qualquer cultura, e antes de virem para aqui disserem que certos comentarios sao “Descreminatorios” ou de natureza”Racista” facam um road trip pelos locais que o jose referiu e por terras de Ala.

            Por mim era muito simples, um referendo :
            Querem-nos ca?
            sim
            nao

          • Alien says:

            “Amigo” Joaquim consegues ao menos raciocinar como tudo isso começou? Com a dita solidariedade ocidental em “limpar” esses países da ditatura e afins… e esse povo tao assertivo e justo endossou de forma muda, cega e cobarde os seus líderes a gastarens biliões em bombas na Líbia, na Síria, no Iraque, no Afeganistão, na Yougoslavia, na Ucrânia, no Yemen… etc etc etc… agora arquem com a consequências, aliás deveriam pedir ajuda ao Estados Unidos e mandarem uns refugiados para lá, mas a América está longe, certo? E eles querem saber algo disso? Duvido! Mas querem saber sim quando os seus capachos e vassalos europeus seguem a risca a ordem do mestre para largarem bombas a todo o lado através da sua linda NATO, nessa altura é tudo muito bonito, até da gozo em ver aquelas imagens na televisão, é tudo tao lá!

            Gente burra, nao lutam pelo que deveriam lutar e me vem aqui apresentarem-se como se os europeus fossem a raça de abençoados, seres de cultura e inteligência superiores, só o nosso ponto de vista é bom, único e honesto. .. vai-se la entender

    • SF says:

      A maior parte dessas pessoas são migrantes económicos e não refugiados, isto causa um problema enorme e infelizmente a ajuda não está a chegar a quem realmente precisa, não é por acaso que todos eles querem ir para Alemanha, a economia mais forte da EU.
      O primeiro passo seria identificar a origem de cada um deles e depois verificar se realmente merecem receber o estatuto de refugiado, a ajuda deve ser dada a quem realmente necessita e que tem a sua existência em risco.

    • Fábio Reis says:

      Jaime, isso foi uma situação diferente, eles recusaram-se a sair do Comboio e a se dirigirem para um centro de refugiados e a policia impediu o Comboio de continuar a viagem durante três dias (Ou seja, estavam ali parados há cerca de três dias, daí que lhes estavam a fornecer água) a revolta não era contra a ajuda, nem a recusar a água por não quererem ser ajudados, a revolta seria sim pelo facto do Comboio estar a ser impedido de continuar a viagem, por esses mesmos policias. (Atenção, isto foi o que pesquisei após ter visto esse vídeo, não significa que seja a info correcta, eu não estava lá para ver).

      Apesar de concordar consigo, prefiro também ajudar um sem abrigo em Lisboa (ex.) do que refugiados que vamos ser sinceros, está a existir tanta ajuda e tenta públicidade, porque é a tendência, é a “moda”, infelizmente até para caridade existe moda, daqui a um mês já ninguém se lembra disto. Apenas acho que contexto é importante e o seu comentário pode estar a induzir em erro.

  3. Gustavo says:

    Muito oportuno e de grande valor este artigo! Essas pessoas, em sua maioria, estão fugindo dos monstros terroristas do Estado Islâmico. Sem dúvida, ajudar a esses refugiados com qualquer doação não deixa ninguém mais pobre. 🙂

    • Jaime says:

      E já agora, que gostas de ajudar os refugiados, quantas vezes neste último ano, fizeste doações às instituições, ajudas-te um mendigo pelo qual passas-te na rua?

      • Censo says:

        Eu deixei de ajudar mendigos desde o dia em que um me pediu dinheiro para comer e eu o convidei para uma sopa e uma sandwich na pastelaria ao lado e recusou pois “eu pedi dinheiro “!! É assim esta vida!

        • Jaime says:

          Não os podes colocar todos no mesmo saco.

          • Felipe Teixeira says:

            Pois os mendigos de cá colocas em sacos separados, já os refugiados, colocas todos no mesmo saco. Esta europa está cheia de gente como tu, que se acha uma raça superior. É pena que em 2015 ainda se assista a ideologias e formas de pensar destas.
            Há seres humanos bons em todo o lado do mundo, não é só á nossa porta, só é preciso dar lhe a oportunidade.

          • Jaime says:

            @ Filipe Teixeira O problema não é ter um complexo de superioridade, o problema em questão é a maneira em como os refugiados estão a agir e como muitas pessoas os colocam num pedestal. Porque motivo mandaram refugiados cristãos fora dos barcos onde todos vinham? Porque motivo querem ir apenas para o Reino Unido e Alemanha? Porque motivo rejeitam comida apenas por ter o símbolo da cruz vermelha? Porque motivo acham eles que têm direitos sendo imigrantes ilegais? Responde-me a estas quesões com pés e cabeça por favor.

          • Felipe Teixeira says:

            @Jaime mas tu estás a supor que todos ajem dessa maneira, o que dizes é verdade, nem nós queremos pessoas dessas no mundo é um facto, mas nem todos são assim, grande parte foge porque se não fugir vai morrer. É por essas razões que falas-te que a Europa está a tentar encontrar um solução para integrar os refugiados de forma segura. Eu não sou a favor de começar a deixar entrar toda a gente, sou a favor de salvar os inocentes, sejam de que raçã ou religião forem, e para isso e preciso haver coordenação entre todos na Europa.
            E eu podia te perguntar por motivos de coisas piores que acontecem aqui na nossa “civilização”, mas acho que percebes onde quero chegar.

          • José says:

            Não só mendigos desses! Há famílias desesperadas sem trabalho nem emprego! Só mostra como são limitados! Basta olhar à volta! Já visitou um lar? E um IPO, para passar uma tarde com as crianças? Certamente que não. Esses não “merecem”.

          • joaquim says:

            Looollll
            Em grande Jaime, Agora disses-te tu tudo. Parabens e continua a expressar a tua opiniao, nao vas na conversas destes falsos moralistas,… Forca

            https://www.facebook.com/240638706109428/videos/479634978876465/?pnref=story

            https://www.youtube.com/watch?v=7L3eSbpETf8

            https://www.youtube.com/watch?v=AVoaL2UWyng

        • Joana says:

          Uiiii esse é de facto um exemplo belo! xD
          Especialmente quando já me fizeram exactamente a mesma pergunta e eu lhe respondi com exactamente a mesma resposta… e o engraçado é que a reacção foi completamente diferente da do seu mendigo. Aceitou a comida e mais viesse. Não faça de uma maça podre a maceira.

  4. Luis M. says:

    Os nossos foram obrigados a emigrar devido à falta de emprego, a UE não disponibilizou nenhum subsidio para que as pessoas pudessem ficar por cá até terem emprego, pelo contrário a palavra de ordem era a austeridade que nos ia curar, agora já estamos novamente ricos e vamos receber islâmicos, que não respeitam os direitos humanos e consideram as mulheres seres inferiores, não são esses os valores em que fui criado, por isso sou contra a integração dessa pessoas na Europa, eles não vão mudar, vão é contaminar-nos com as ideias desumanas deles.

    • Jaime says:

      Concordo plenamente. Não esquecendo que muitos dos refugiados, poderão, quem sabe, serem membros do Estado Islâmico. Ora vejamos, que excelente oportunidade para expandirem o seu califado, meia dúzia para a Alemanha, mais outra para o Reino Unido, mais outra para a Hungria, e vai outra para a Áustria… e por aí em diante. Depois, quando estiver tudo mais calmo e estiverem instalados nos países europeus, toca a fazer a lavagem cerebral aos outros refugiados e vamos todos bombardear a União Europeia. Ideia lunática? ” Deus queira que sim “…

      • Bónus says:

        Infelizmente tenho de concordar contigo…
        E esses “falsos moralistas e hipócritas” muito “humanitários” criticam muito mas são os últimos a ajudar quem precisa.

      • Benchmark do iPhone 6 says:

        Num velório, alguém chega ao pé da viúva e diz:

        – As minhas condolências, era colega de trabalho do seu marido.
        – Conhecia-o bem?
        – Sim, foram para mim as suas últimas palavras.
        – E quais foram?
        – “Ó Jaime, não mexas no andaime!”

        Parece que há uns certos problemas com os Jaimes.

      • Lopes says:

        Vocês deviam ver a reportagem islâmico na europa na sic noticias. Eles a noite já andam a recrutar alguns para o EI, dizer as mulheres para se taparem, etc. Como eles não tem cultura nem perspectiva de futuro aceitam logo. E outras coisas que me deixam a pensar o que se virá a tornar a europa.

        • Flávio Ferreira says:

          E o grande problema para além disso é que como já disse aqui num comentário e que nem dos portugueses se lembram como a senhora que ardeu a casa e para mais não lhe dão uma casa nova para ela e para os outros e dar tudo que é como eles querem. E sim gostei destes comentários sobre a possível passagem de pessoas pertencentes ao Estado Islámico podendo ser um perigo para nós e toda a Europa

      • SF says:

        A vinda destas pessoas para a Europa não vai melhorar a situação dos seus paises, apenas vai transformar a Europa naquilo de que eles fogem.

  5. Jorge says:

    Enquanto houver fome e pobreza em portugal sou contra ajudar outros!!!

    • Lopes says:

      Mesmo. Eles falam como se não tivesse-mos problemas na europa/portugal que cheguem.
      Empresas já disponibilizadas a recruta-los? E os jovens portugueses? Que tiram cursos e andam a estudar um monte de anos e que procuram um emprego.

    • Felipe Teixeira says:

      Enquanto estas ideias não desaparecerem do mundo, existirão coisas bem piores que a fome e a pobreza.

  6. Johnny says:

    Não vou ajudar coisa nenhuma e não não me chamem de ingrato etc, nada disso o problema é que no meio desses refugiados pode estar um jihadista, e vocês vão dizer que isso não é verdade, mas sim pode ser verdade.. e quem não vos garante que no meio desses refugiados haja um terrorista infiltrado? fazendo-se de santo? Ninguem pensa nisso, não vou doar nada.. Injusto? Não.. nunca sabemos quem são esses refugiados e de onde vêm, a que familias pertencem a que pais pertencem.. a que organizações por ai fora…

    Deixem-se de coisas, doar por causa de refugiados? Enquanto existe cães, animais e pessoas a dormir na rua, quantas doações já fizeram a essas pessoas? Nenhuma! Presumo eu! Enfim, Instituições, Associações de Animais que precisam de Ração,Comida e Medicamentos, Lares e Idosos, Animais a fome e ninguem doa, vem os refugiados o governo e o estado pede uma doação la vão vocês seguir o que o estado diz.. É por isso que não temos a nossa liberdade, tudo o que o estado diga vocês vão todos a tras que nem camelos mas depois reclamam que existe muitos “Impostos” enfim, eu fico pasmado é com o pessoal que doa a refugiados enquanto há gente bem PIOR DENTRO DO NOSSO PAÍS e que nasceu no nosso pais..

    Haja paciência e comprenssão

    • Ricardo says:

      101% de acordo.

    • Prim says:

      Que tu não dês, tudo bem, agora porque “pode haver” um terrorista no meio deles?! Só podes estar a brincar… Terroristas há em todo o lado.
      Depois, misturar cães e pessoas no mesmo saco também não, problema de valores.

      • Ricardo says:

        Misturar cães e pessoas no mesmo saco são problema de valores?
        Quem tem problema de valores vê-se logo que és tu.
        O pode haver já passou. Há! Muitos deles influenciados pelo islamismo. E claro que não vão chegar cá e dizer Sou islamita!

      • NewJ says:

        A parte mais infeliz do comentário dele foi mesmo essa, comparar pessoas com caes ou outros animais..

        • Johnny says:

          Infeliz? Porquê? Um animal não é um ser humano? não é uma pessoa como todas as outras? diferentes como todo o mundo mas é, existem várias associações de Animais que precisam de Comida e Doações e ninguem lhes faz.. Existem Associações de Caridade para doar, e pouco ou ninguem as faz.. é assim tão “infeliz” o comentário? Eu não acho..

          Não estou a comparar estou a por ai numa lista as associações que PRECISAM de ajuda e ninguem lhes ajuda nem que seja com 5€ e aos refugiados já fazem doações porque o Estado ou o Governo anda a espalhar pela TV,Internet pedidos.. é como disse vocês são paus mandados do estado, só fazem o que eles querem, vocês são robots é essa a diferença, e depois queixam-se que o nosso país esta como esta.. porquê? O Dinheiro que pagas vai para o estado estas a alimentar as bolsas deles, eles não querem melhorar a tua vida, estão se marimbar para isso, o que importa neste mundo é o dinheiro sem dinheiro não há poder. Simples

          Da uma vista de olhos no Canal do Youtube – Daniel FRAGA aconselho a ires ver o Último video dele

          Por outro lado, quem vós garante que no meio desses refugiados não têm um terrorista? infiltrado? para vocês é tudo agua benta.. nunca se sabe e depois admiram-se como entram em paises ou até mesmo em Portugal..

          • Prim says:

            Mas anda tudo tolo?! um animal é um ser humano, uma pessoa??? eh pá, tragam os refugiados e mandem é este pessoal embora daqui…

        • José says:

          Porquê? Não sofrem? Não nos c0ompete a nós como ser “racional” também olhar por eles? Acabou o Verão, e todos anos é uma tragédia com os “caridosos” dos donos a abandonarem à sua sorte milhares de animais para que o dono possa ir descansado “trabalhar para o bronze” . O que não me admira, há mães que fazem isso com os filhos. Quando o meu filho era pequeno os últimos buscar os filhos à escola, eram papás com a cabeça molhada e muito bem dispostos, a ir buscar a criança contrariados! E conheci uma mão que paga à ama para “aturar” os filhos por que “é boa mãe, chega a dar-lhes um beijinho uma vez por semana, quando já estão dormir” . Exemplos não faltam, mas agora são os primeiros a berrar por solidariedade nesta “onda”, noto que alguns são pessoas que vivem em condomínios privados com segurança privada. Os “outros” se houver problemas que os aturem.

          • Prim says:

            Uma coisa é olhar por eles, ou melhor, respeitar os seus direitos, outra coisa é não entender as diferenças entre um cão e uma pessoa, e afirmar que são a mesma coisa, isto é grave.

          • Ricardo says:

            Prim grave é a tua falta de sensibilidade por parte de seres vivos como nós.
            “tragam os refugiados e mandem é este pessoal embora daqui”
            Aplica-se bem a ti. Como esses muçulmanos que consideram a morte de um ser vivo algo vulgar e insignificante.

          • Prim says:

            “Como nós”?! É pá, fala por ti, porque eu sou racional.

  7. Flávio Ferreira says:

    A certo dia vi uma reportagem de uma senhora já de idade em que a sua habitação tinha sofrido um incendio, e mesmo assim sem condições algumas pois esse mesmo incendio destruiu-lhe a habitação por completo. Essa mesma senhora habita nessa mesma casa sem condições de forma desumana, sem qualquer apoio só mesmo de vizinhos lá da sua terra, e depois está este governo a dar apartamentos novos para pessoas que sim não tem culpa da guerra mas que nem o governo deles faz alguma coisa e nós que nem dos nossos cuidamos como esta senhora e muitos outros casos existente no nosso pais e volto a repetir nosso pais, vamos dar apoio a pessoas de fora.
    Por isso a que refletir em certas coisas os dias passam e nós esquecemos dessas noticias como a da senhora e o que importa e o que se passa e não aquilo que não fazem por nós portugueses o nosso pais.

  8. Pois says:

    Coitadinhos:

    https://www.facebook.com/TELEGRAPH.CO.UK/videos/10153615808569749/

    Boa apresentação, boas roupas, telemóveis, cigarros, etc…

    Países ricos como Arábia Saudita, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Bahrain, china, Rússia, etc fecham as portas a esta gente, pois sabem quem eles são.

    Estamos a assistir a uma organizada invasão muçulmana na europa. Emigrar, reclamar, procriar e conquistar…

    A invasão muçulmana em todos os países cristãos é um problema e deve ser tomado como um assunto delicado. Esta gente nunca irá integrar-se na nossa cultura, nunca verá a mulher como um ocidental nem aceitará as nossas tradições.

    Cuidado com as propagadas! Nem tudo é o que parece,,, Não se esqueçam que o nosso território já pertenceu ao califado e está nos planos de alguns que volte a fazer .

    Quando tiveres um destes muçulmanos à porta de casa a reclamar por terem as vossa mulheres ou filhas com muito do corpo à mostra e vos exigirem que preguem a sua religião, que respeitem as suas tradições religiosas, quero ver o que dizem?

    Ou vocês acham que eles vão mudar só porque chegaram à europa? Nope, vão ser sempre muçulmanos!

  9. Prim says:

    Este artigo parece-me um pouco descabido para o sítio onde estamos, mas isso se calhar sou eu que sempre fui contra os coitadinhos, a caridade e afins. São refugiados, são pessoas, a União Europeia cria condições de acolhimento e sobrevivência dignas, sem confundir a condição de refugiado com a de imigrante e assim, todos nós contribuímos, de forma ponderada, organizada e sem serem precisas “penas dos coitadinhos”.

  10. Cris says:

    Estes comentários (com pequenas excepções) enchem-me de orgulho.

  11. Tiago says:

    O problema é que eles vêem para cá, a troco de comida. Muitos deles virão trabalhar para comer.

    E qual o problema no meio disto tudo? É que nós, no nosso país queremos ter uma vida minimamente estável, e conseguir algum no final do mês, e vêem essas pessoas sem qualquer posses, trabalhar a troco de nada.
    E como hoje em dia, a escravidão infelizmente esta cada vez maior, o povo de cada país é que vai sofrer isso na pele.

    Não está a haver qualquer controle de quem sai e de quem entra, e isto vai colocar um caos na união europeia, se não se põem firme o quanto antes.
    Infelizmente é esta a realidade, e nós, o zé povinho, é que irá sofrer com as consequências, por causa destes ditos refugiados.

  12. NewJ says:

    Se por um lado ajudar quem foge da guerra me parece bem.. Vindos de onde vêm trás bastantes preocupaçoes para o futuro da Europa e para a segurança dos nossos filhos..
    Espero que não, mas tenho a impressão que os atentados na Europa vão aumentar exponencialmente.

  13. luislelis says:

    Entristece tanto a esteria das massas. (medo)
    Nao merecem ajuda pq sao de uma relegiao da qual tenho medo?
    Nao sao humanos pq nao teem olhos azuis nem pele branca.
    Primeiro os nossos?
    Que chatisse virem morrer aqui tao perto da nossa porta.
    Nao temos nenhuma responsabilidade na libia, Siria,Iraque,afeganistao,etc…etc.
    Nao consumimos os recursos deles ao preco da chuva?
    As guerras sao sempre por rasoes economicas. pq acham q o petrolio esta a baixar de preco? Milagre?
    Migrantes nao sao os Portugueses tb que emigram a procura de trablho/vida pelo mundo?

    A questao: os necessitados estao ai como resolver?
    Nao sei , nao sou um especialista na materia. Pago aos meus governantes para que me apresemtem ideias e solucoes.
    Claro q tenho ideias mas podem nao ser as mais correctas.
    Exemplos?
    1 grande guerra.Milhoes refugiados
    2 grande guerra. Milhoes refugiados
    Salazar? Milhoes de refugiados/migrantes
    Refugiados das ex colonias. milhoes
    Austeridade e Desemprego sec 21.Milhoes

    Enquanto o chicote vai e vem folgam as costas.

    (sem tempo para o corrector)

    • José says:

      Histeria de massas, vejo eu com esta lavagem ao cérebro que nos estão a impingir! Não confunda medo, com bom senso! Pois as pessoas nesta “onda primária nem sabem distinguir os conceitos! Vêm morrer à nossa porta? E a culpa é nossa? alguém os empurrou borda fora? Por sinal eles empurraram, mas esses eram cristãos! Os recurso ao preço da chuva? E os lideres deles o que fazem? Não são nações soberanas e independentes? sabe o que são esses conceitos? E por favor, não faça essa confusão tão básica entre essas guerras, isso +é gozar com o sofrimento de milhões! Essas, pessoas, no resultado dessas guerras eram refugiados à procura de asilo, vinham rotos e famélicos, nem reagiam, não exigiam. Estes, já têm asilo, fugiram dele, na maioria homens em excelentes estado físico, quiçá com muita experiência de guerra, para vir para a Europa viverem à custa do contribuinte Europeu, que ainda por cima lhe irá pagar, já pagar, a sua multiplicação, até poderem impor as regras do buraco de onde fugiram! É isso que vejo, nesta Europa. Não é medo, é saber o que se quer, eu eu não os quero por cá, quando muito uns poucos, principalmente, famílias cristãs, e apenas até poderem regressar ao país de origem, é a isso que se chama refugiado. Devia interrogar-se por que, a impressa numa atitude nojenta, chama aos campo de refugiados na Hungria de “detenção” e , aos da Áustria de “acolhimento”, não pense, que as palavras são escolhidas por acaso. E o corrector, não elimina tudo.

  14. Flávio Ferreira says:

    Vamos falar do socrates já não se fala dos refugiados hoje. Só se fala do que vende mais e o que choca quando é necessário que é para as pessoas ficarem chocadas. Hoje o que vende é o socrates daqui a uns tempos é os refugiados novamente que veem chatear os outros que estamos aqui sossegados

  15. Bónus says:

    E quando isto acontecer, já vai ser muito tarde para abrirmos os olhos. Aí quer ver os “anti-xenófobos” com pena de toda a gente só porque são seres humanos.
    http://www.dinheirovivo.pt/Buzz/interior.aspx?content_id=4723314

    Para quem acha que eles devem entrar pela Europa dentro sem regras só porque “são humanos”, neste artigo explica como os podem receber nas vossas próprias casas. Isso sim, isso é que tem valor, não é andar a disparar contra tudo e todos que pensam de forma diferente.

  16. Bónus says:

    Acerca dos “falsos moralismos” e de quem se deve ou não ajudar, numa sociedade (a nossa) onde eu vejo as pessoas a dar dinheiro aos drogados parasitas que nos rodeiam nos estacionamentos e passam indiferentes por um sem-abrigo com fome, algo está MUITO MAL!

  17. Bónus says:

    Marisa Pinto, eu compreendo perfeitamente o teu ponto de vista, mas a percentagem de pessoas desta cultura que nos quer mal e destruir a nossa cultura, é muito grande. Não estamos a falar de uma ínfima percentagem como a de assassinos em Portugal.
    Nunca fui à Síria, mas já visitei várias vezes países vizinhos. De uma forma geral, eles odeiam-nos e querem destruir a nossa cultura.
    Conheço pessoas inglesas que querem fugir do seu próprio país quando chegarem à reforma porque esta “cultura” está-se a impor e a destruir os nossos valores.
    Não é assim tão simples este problema de ter que ajudar “so porque são humanos”.

    • Marisa Pinto says:

      Ok e de que percentagem estamos a falar? Desculpa mas eu só sei discutir com dados concretos.. opiniões são subjectivas. Nunca podes, nunca em momento algum, determinar que se, imagina, 70% daquelas pessoas são más, que as outras 30% o serão também, isso está, logicamente, errado… não podes fazer isso…

      Não é simples, nunca será, mas não ajuda em nada termos esse raciocínio. 🙂

      • Bónus says:

        Logicamente que há pessoas boas em qualquer parte do mundo! Disso ninguém duvida. Ninguém tem dados concretos sobre a percentagem de assassinos em Portugal, nem dos extremistas na sociedade islâmica. Mas pegando no teu exemplo, se 70% daquelas pessoas são más, quer dizer que em cada 1000 pessoas que entrarem na Europa, vão entrar 700 pessoas más. Eu não estou a querer dizer que não se deve ajudar. Eu próprio ajudei.
        Eu só penso que se deve ter muito cuidado com esta migração, porque é muito fácil isto causar gravíssimos problemas.
        Vê este vídeo onde dá para perceber o que eu falo. Eu conheço pessoas em inglaterra que querem sair de lá por causa desta nova “cultura”.
        https://www.youtube.com/watch?v=AVoaL2UWyng

        • Marisa Pinto says:

          Não, continuas a pensar erradamente. Não podes, nunca e em momento algum, repito, assumir que daquele conjunto de pessoas fazem parte os da percentagem má.

          Imagina exitem 12 pessoas, e 50% são assassinos. Entram 6 pessoas dessas no nosso país, todas elas as boas. Não podes assumir como verdade que metade dessas que entraram (3) é assassina, podes é apenas indicar que é provável ou que tem essa percentagem de probabilidade.. pois para além de não ser verdade, é um raciocinio sem lógica correcta, nunca podes assumir do particular para o universal, isto é regra básica… podes apenas colocar como hipótese válida e muito provável, nada mais…

      • Bónus says:

        Eu já visitei países islâmicos do médio oriente e posso te dizer que este tipo de pensamento que se vê na discussão do vídeo, é geral. Não é uma percentagem que pensa assim. São todos. Se há excepções, eu nunca as vi, e familiares meus que vivem lá há anos também nunca viram ninguém pensar de form diferente desta.

        • Marisa Pinto says:

          Não podes julgar o universal pelo particular, tão simples quanto isto.

          • Bónus says:

            Eu não posso julgar o universal pelo particular. Mas as regras e as leis da sociedade são feitas para o universal, baseadas no particular.

          • Marisa Pinto says:

            São? Não… isso depende do raciocínio de cada um. O senso comum é o ‘verdadeiro’ com defeitos.

          • Bónus says:

            Todos temos fechaduras em casa, ou até alarmes , certo?
            Para quê se a maioria da sociedade portuguesa não é assaltante? Estamos a julgar o universal pelo particular?
            Não, mas temos que ter regras universais por causa do particular.

            Todos somos revistados antes de entrar num avião. Estão tomar-me por um presumível terrorista? Estão a julgar o universal pelo particular? Não, mas têm de haver regras e leis universais por causa do particular.

  18. Gustavo says:

    A questão principal aqui é encontra-se o meio-termo nessa grave situação que mexe com todo o mundo.

    É preciso analisar rigorosamente quem é mesmo refugiado de guerra e precisa de asilo entre esses milhares. Assim, serão atendidos apenas os que realmente merecem.

    Desde o aparecimento dos monstros do EI, acompanho seus atos. Assim, vi que Kobane (Síria) é a mais valente cidade do país, que tem lutado com todas as forças, bravura, incluindo mulheres e com poucos recursos e armas contra o Estado Islâmico. E, segundo a imprensa, a maioria desses recém-chegados à Europa vem de Kobane, pois não receberam ajuda suficiente das potências mundiais (EUA, Inglaterra, França, Alemanha etc) para conter os terroristas, os quais tomaram uma grande parte da referida cidade.

    Assim, é obrigatório separar o trigo do joio nesse caso. Ajudar os que realmente necessitam, identificando e punindo severamente os terroristas que estejam entre eles.

    • Bónus says:

      Exactamente Gustavo. Há realmente quem precisa, e há o EI a entrar pela Europa dentro.
      É obrigatório separar o trigo do joio

    • Bruno M. says:

      CHEGA DE HIPOCRISIA!!

      Há relatos que grande parte dos refugiados nem estão nas zonas de combate da siria… Há relatos que em muitos botes que nos chegam de refugiados não se encontra uma única mulher….

      Há relatos bem mais preocupantes.. há relatos que grande parte dessa gente nem é refugiada e têm como infiltrados membros do ISIS!

      Além do mais, é mais que sabido que o ISIS quer ocupar a Europa, conquistar a Europa até 2050…

      Não aos refugiados oriundos dos países árabes, não aos fundos de mais de 2 milhoes de Euros que poderiam ser usados para criar ajudas aos sem abrigos que assolam o país, ajudas às famílias que perdem o tecto por causa do desemprego…

      Não aos campos de refugiados, sim aos campos de ajuda aos sem abrigo e às famílias carenciadas!!

  19. Luis M. says:

    A nossa democracia tem coisas fantásticas, já se lembraram de fazer um referendo para perceber o que as pessoas pensam? Claro que não!

    • Vítor M. says:

      Esse vídeo tem um problema, é capado. É capado de factos, faltou dizer em que religião apareceu a Santa inquisição, a primeira guerra mundial quem a espoletou de que religião era, o hittler, era de que religião, o conflito armado na Europa, tinha que povo em conflito, que matou milhões….

      Faltou dizer isso.

      Mas, la está, os russos, americanos, ingleses, alemães e franceses (além dos árabes fantoches dos americanos) são quem tem interesse neste conflito na Síria, imaginemos os milhões de dólares em armamento que já se vendeu!!!!!

      • Vítor M. says:

        Por mim este assunto esta terminado, ja dei para este peditório.

      • Bónus says:

        Não é questão de ser “capado”.
        O que referes sobre as atrocidades Santa Inquisição e do Hitler, são assuntos do passado, já não existem.
        A Santa Inquisição acabou e o Hitler foi eliminado!
        Este problema está vivo. É o PRESENTE e continua a matar muita gente! Este problema também deve ser resolvido como foram os outros.

  20. Antonio says:

    Parece mesmo bastante obvio que 95% dos portugueses estão contra a vinda destes imigrantes e não refugiados… Refugiados teriam de ter uma das religiões perseguidas… São varias…
    Não são bem vindos pela eamagadora Aioria da população… Senhores da media nacional ainda não repararam nisso ou querem que alguém vos faça um desenho? Se fizessem uma pequena amostra estatística… Diria que pelo menos 95% são contra esta vinda destes infiltrados… Passem bem…

  21. Mia says:

    Onde posso doar roupa para os refugiados?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.