Quantcast
PplWare Mobile

Portugal: Ministério da Defesa alvo de ciberataque

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Redin says:

    Se lerem o whitepaper do projeto P2T poderão ver a importância que teria um sistema que troque o ónus de responsabilidade do destinatário para o remetente.
    Com um modelo desta natureza, o remetente ficaria exposto perante uma necessidade de tracking forense até que o destinatário sinta a necessidade de receber a mensagem.

    • a_nobody says:

      Sim, isso era tudo muito bem pensado. O problema está em que o ataque poderia vir de qualquer lado, e de qualquer fornecedor de email. Sim, iria salvaguardar a Defesa Nacional e qualquer outro Departamento que precisasse de uma camada extra de segurança, que diga-se de passagem, hoje em dia, são poucos ou nenhuns os Departamentos que têm as camadas de segurança necessárias para proteger os dados. Um ataque de phishing pode ser gerado de mil e uma formas, utilizando N fornecedores de email, protegidos por proxies, VPN’s, endereços fictícios…
      A Defesa Nacional e não só, ainda está um pouco aquém do desejado…

  2. Euéquesei says:

    Ai se tomassem conta do sistema de misseis balísticos Portugueses secretamente instalados numa quinta agrícola em Tancos.
    Já tentaram, por mais de uma vez, aceder aos registos da nossa frota naval do Ártico e do Atlântico Sul.
    Estamos a falar de 6 porta aviões e restante frota de combate.

    Agora a sério, mas que ser infeliz quer entrar no sistema do ministério da defesa português?
    Nem sabia que tínhamos defesa, não foi tudo roubado aqui atrasado?

    • Joao Ptt says:

      Qualquer nação quer saber, hoje em dia, o que as outras têm, e Portugal faz parte da NATO o que a ainda a torna mais apetecível… além do mais estamos na União Europeia o que é mais um chamariz… e Portugal interessa por exemplo à malta radical do Islão que quer reconquistar a península Ibérica (e provavelmente toda a restante Europa) assim exista em algum momento alguém que os lidere e incentive a tal e condições propícias a tal (vulcão que impeça a utilização de aeronaves, tsunami que inunde as zonas costeiras destruindo a capacidade defensiva de tais zonas, etc.)… e tal é muito fácil de acontecer, aliás está previsto que irá acontecer nas próximas décadas… e ter acesso a informações como, onde, quem, que meios existem de facto e em que condições são informações valiosas. Além disso a área territorial marítima de Portugal é gigantesca, quem a controlar pode criar grandes problemas a outras nações.

    • Miguel says:

      Mas sabes que tudo o que nem sabias que tínhamos foi roubado “aqui atrasado”…

  3. poiou says:

    Portugal é um pais ideal para atacar e escalar. Somos um pais periférico, tem pouca força e i fluência, por isso princípio mecanismos de segurança mais desleixados. No.entanto só.os membros de tudo quanto é organização, CPLP, UE, NATO e afins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.