Quantcast
PplWare Mobile

Portugal é dos primeiros países a ter vistos para “Nómadas Digitais”

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. JóJó says:

    Somos uns vendidos!

    • Rio says:

      Deve ser também dos poucos Países que quem é milionário e tem visto Gold tem direito a 125€.. Já ajuda-os pra pagar uma multa insignificante por excesso de velocidade.

  2. Joseph Goebbels says:

    desde 2015 a 2022 e sempre a cair no ridiculo

    • Nuno says:

      Mas pelo menos o salário mínimo aumentou de 485€ para 705€… Penso que quem recebeu este aumento de 45% na retribuição mensal mínima não se importará por aceitarmos pessoal que trabalha a partir de casa no nosso país…

      • Luís Costa says:

        E já foste ver quanto aumentou o custo de vida? se esse aumento serviu de alguma coisa? Tenho quase de certeza que se fores perguntar se o custo de vida está bonzinho agora com este ordenadito vão te fazer um manguito

      • David Guerreiro says:

        Esse pessoal que ganha o salário mínimo é o que depois não consegue pagar os valores das rendas, que dispararam devido a esses nómadas digitais que estão dispostos a pagar 1500€ ou mais de renda mensal por um apartamento, o que faz com que os senhorios subam os preços devido a existirem pessoas dispostas a pagar preços pornográficos de aluguer. O português comum não tem possibilidade de pagar esses valores.

  3. Nick says:

    Fazem tudo para atrair os de fora, já os de dentro nada se faz para os segurarem sendo mesmo “convidados” a saír. Este país está a pouco e pouco a perder a sua identidade.

  4. says:

    Somos os primeiros em tanta coisa….. Pena não Sermos Realmente os Primeiros No Essencial

  5. wtf is this says:

    Os nómadas digitais, ou seja, trabalhadores com boa formação

  6. GM says:

    São bem dispensados. Sei de uma situação em que um apartamento T3 foi arrendado por 1000€ a um grupo de 3 nómadas digitais irlandeses. O apartamento está muito bem localizado, com uma vista fabulosa sobre a praia e mar. Tem cerca de 40 anos, não é nada de especial. O proprietário fica bem servido pelo valor pedido. Quem arrendou fica ainda melhor pelo valor que está a pagar. Já os munícipes da zona, ficam com menos uma hipótese, além de que a esmagadora maioria não teria poder económico para poder pagar valores dessa grandeza. Além da vista, o apartamento não vale aquele valor.

    • Filipe says:

      Concordo (e se pagam 1000€ por um T3, já não é “mau” para o que se vê por aí). Isto só vai prejudicar ainda mais os jovens adultos portugueses que pretendem ter habitação, que não têm certamente esse tipo de salários. Em vez disto, o estado devia era promover o investimento público de habitação e vender/arrendar a preços controlados… A habitação é um direito.

    • Nuno says:

      Quem melhor para aproveitar a vista do que quem passa os dias em frente à janela?
      Quanto aos munícipes da zona, sei de um que passou a estar bem na vida sem se chatear nada…

    • David Guerreiro says:

      É esse o grande problema. São os nómadas digitais e os reformados franceses e italianos que chegam e alugam apartamentos por valores altos, o que faz com o que o incentivo a aumentar os preços seja ainda maior. A imagem que passa para os senhorios é, vamos aumentar, porque há quem pague. E claro, o português comum, fica de fora, pois não ganha o suficiente para suportar esses valores. 1000€ é uma bagatela para um estrangeiro desses, no país de origem se calhar nem um quarto alugava com 1000€ quanto mais um apartamento.

  7. irritadiço says:

    Um Nómada digital tem de ganhar pelo menos 2820 EUR brutos por mês? Eh lá!!! Assim também quero ser Nómada digital…

    • Zé Fonseca A. says:

      É um salário baixo

    • Keyboardcat says:

      Não é muito difícil. Como freelancer consegues facilmente fazer entre 90 a 100 euros por hora, com um contrato de 32h semanais. Vai dar em média um pouco acima dos 10000 EUR mensais.

    • MCakaZim says:

      já dizia o outro… estudasses XD

    • Rrrrrr says:

      quem quer, que tente! , pode fazer freelance ou trabalhar para uma empresa fora de Portugal, estando a viver em Portugal.
      Porque nao tenta?

    • Nuno says:

      A quantas propostas de trabalho no estrangeiro já respondeste?

      • GM says:

        Há tanto para fazer por cá, vai-se desperdiçar a trabalhar para os estrangeiros? Não é de admirar que depois faltem profissionais para os lugares vagos, cá. Se cada um e cada qual olhar apenas para o seu umbigo, faz sentido o que dizes. Se olhares no sentido abrangente da comunidade, já não.

        • Toni da Adega says:

          +1 Se podemos trabalhar para empresas portuguesas com ordenados mais baixos e piores condicoes, que sentido faz trabalhar para as empresas estrangeiras.
          Deve-se primeiro e antes de tudo trabalhar pelo pais, tudo o resto (ordenado e afins) só interessa a pessoas egoístas.

        • Luís Costa says:

          Ahahahah deu me vontade de rir com o teu comentário sem noção

        • Nuno says:

          Eu não pago as contas com o trabalho que se faz por cá… Não meto um teto em cima dos meus filhos com o nr. de contribuinte da entidade que enriquece às minhas custas, e não vou de férias à pala da comunidade. Eu trabalho única e exclusivamente por dinheiro!
          E não sou egosísta… Mas também não sou burro!
          Deixo cá 23% ou mais de tudo o que compro para as vossas baixas, desempregos, reformas, etc…

    • David Guerreiro says:

      A maioria ganha bem mais do que isso, ainda mais os norte-americanos. Viver com salários de outros países, com os preços de Portugal é um mimo para essa gente. Podem dar-se ao luxo de almoçar e jantar fora todos os dias, pagar 1500€ de renda, etc.

  8. Adeus says:

    Acho que é uma boa iniciativa. No entanto só deveriam ser aceitem em regiões sem problemas habitacionais. O problema das rendas altas tem que ser resolvido e os nómadas digitais não vão naturalmente ajudar nessa matéria. Agora como é que se combate a ganância? Não sei….

    • David Guerreiro says:

      Poucas são as regiões sem problemas habitacionais… E os nómadas digitais vão sobretudo para onde há problemas desses, e por isso mesmo agravam-se. Porque é que viver dentro de Lisboa é caríssimo? Porque há estrangeiros com capacidade de pagar valores altíssimos, e só eles conseguem lá viver.

  9. Figueiredo says:

    Portugal gera sub-desenvolvimento e atrai mediocridade.

    A desregulação e aumento do preço das rendas não se deve aos chamados «nómadas digitais», mas sim à chamada «Lei das Rendas» – que é ilegal, inconstitucional, e criminosa – elaborada pela ex-Ministra da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, Maria Graça, por forma a permitir que o actual esquema de arrendamento fosse possível.

  10. Red Devil says:

    Uma coisa que seria de importancia ser referida no post seria mensionar o tempo que uma pessoa nessas circunstancias podera ficar no pais com esses visto.

  11. JS says:

    Portugal só não é bom para os portugueses

  12. Roberts says:

    O problema é que a maioria sao ytubers que veem a falar de Portugal e está habiendo un efeito chamada á imigraçao , Alem de que nao pagam os mesmos impostos que os portugueses .Enquanto a França fecha fronteiras , Portugal abre as de par en par

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.