PplWare Mobile

PJ em ação contra compra e venda de produtos ilícitos na Dark Web


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Blue Beast says:

    Penso que na semana passada foram detidos e presos um bando deles que se dedicava ao tráfico de droga na Dark Web.Muito bem,dou os meus sinceros parabéns às autoridades.Isto havia de levar uma purga total e encerrar esse tipo de “internet” que é uma miséria total !!

    • TSSRK says:

      E acabar também com a Internet normal, partilham videos de massacres, virus informáticos, pirataria.

      E já agora com o oxigénio que provoca a morte de centenas de milhares de pessoas anualmente.

      • Spoky says:

        Oh god, TSSRK dos que mencionaste, a pirataria é a menor deles. LOL. Mencionar Pirataria como algo perigoso e comparavél a virus informáticos, videos de massacres.

    • MDS says:

      Desde quando é que é crime partilhar vídeos de massacres ou de acidentes ou o que quer que seja? Se houvesse um lei da Internet para isso, mas não ha, tás-te a queixar do quê mesmo? É imoral? É e então?
      Há pessoas que gostam de ver, algumas são sádicas e também partilham de problemas psicológicos e têm tendências criminosas, outras podem simplesmente gostar de ver a realidade um pouco mais descoberta, outros é só mesmo pelo gore e entretenimento.
      Liberdade de expressão ainda existe, partilha de conteúdo ainda existe, acesso a conteúdo que queremos ver ainda existe, e tu mesmo se filmaste uma coisa queres partilhar na internet, foi um crime, podes partilhar num site para o efeito meu, tás a ser inconveniente e a desrespeitar as vítimas? Estás, mas não estás tu a cometer nenhum crime, percebes a diferença?
      Tens muitos sites legais com videos explícitos de massacres assassinatos e suicídios, o que não faz sentido é teres na internet legalmente videos de terroristas a decapitar-nos a raça, e quando há um gajo dos “nossos” que limpa uns quantos deles, todos os sites (que por acaso têm os outros videos todos) são corridos a críticas e mensagens dos governos para removerem o vídeo de church crist.
      Não estou a dizer que o vídeo deve ser disponibilizado, mas porquê que ao contrário estão aí há anos os ataques terroristas todos bem explícitos e o inverso é censurado ao extremo?
      Em relação à venda de produtos ilegais na darkweb, não é por ser a darkweb que é crime, é por que é crime vender droga lol…e armas também se vendem lá… mas isso também existe em mão, não é preciso ser comprado online, e não te vejo assim tão indignado com o tráfico no mundo real…curioso…
      Esse “tipo de internet” tem lá coisas bem interessantes, nomeadamente coisas que tu vives a achar que são uma coisa e afinal são outra, mas obviamente se muito do que lá aparece, sai fora da dark web, facilmente são rastreados e há lá informações que levavam à limpeza imediata do cebo de quem as tem. Mas isso são outros 500, queres saber vais lá, informas-te.
      Em relação à venda ilegal, é um sitio fixe para esses criminosos porque nem toda a gente lá chega e mais dificilmente são rastreados, mas isso não é nem 1 terço da darkweb lol.
      As autoridades deviam era aproveitar a Darkweb para apanhar pedófilos que lá andam a mostrar crimes que já cometeram, assassinos que são pagos para publicarem os vídeos consoante a encomenda. Isso é que era de valor, mas curioso, ouves falar disso? Alguém está preocupado? Não me parece 😉

      • Realista says:

        Partilhar publicamente conteúdo multimédia sem o consentimento das pessoas envolvidas não é permitido, salvo excepções previstas na lei – como por exemplo em locais públicos. Chama-se a isso o direito de Imagem, artº 79 Código Civil.

    • MDS says:

      Para completar muito rapidamente, até lá passaram informações muuuuuito claras sobre a Maddie há 5 ou 6 anos atrás, já uns 2 ou 3 anos depois do desaparecimento, não me recordo bem, muita gente nem sabia que caso era aquele. E sabes que mais? A conta do gajo que estava a disponibilizar informações nunca mais teve qualquer acesso, nem sequer publicou ou teve actividade noutros tópicos ou compras. Desapareceu do mapa, puff.
      Coisas curiosas não te parece? É triste é haver necessidade de sítios como a darkweb para descobrir verdades do mundo que não são para ser descobertas.
      Mas pronto o mundo tá feito assim mesmo, para não se saber tudo.

      • Spoky says:

        Uii onde se pode ver, isso? parece ser interessante! Envia no pastebin… Quero ler isso. PS: Estou a falar a sério.

        • MDS says:

          Esquece, foi tudo ao ar na altura. Isso não existe mais, batia tudo certo, tinha fotografias que nunca apareceram em lado nenhum, tinha conversas telefónicas dos pais gravadas (diz ele, nunca publicou só contou por escrito coisas que faziam um sentido enorme), mas tinha os prints de mensagens reveladas dos pais com pessoal britânico que ele lá indicava quem eram e que eram super poderosos, mas tu nunca sabes se são mesmo aquelas pessoas que ele falava ou não.. mas tinha tudo, documentos, muita coisa. E ao ver o documentário então parece que estão a fazer um esforço do outro mundo para fugir mesmo a tudo o que ligava as coisas que o outro anónimo estava a dizer que tinha acontecido, o que só torna o que estava a aparecer na dark web mais credível ainda. Mas teorias e gajos a dizer que sabem e que fizeram parte é o que há lá mais…nunca sabes se tás ou não na realidade ou ficção.
          Obviamente que podes estar a mentir ou a falar a sério na internet, mas normalmente na dark web, por mais surreal que as coisas sejam, o mais provável é serem verdade.
          É so veres aquele que tinha um tutorial para fazer uma sexdoll humana…mostrava como cortares cordas vocais, drogá-las e cortar-lhes os movimentos musculares, substituir os dentes todos com uma massa toda xpto, e mostrou fotos de alguns exemplos que pareciam mulheres basicamente vegetais, que ele dizia ter raptado e usado para fazer as experiências. Agora pensa, andam a pegar os que vendem cocaína e armas na darkweb, ok façam-no, mas já usavam aquilo para apanhar os doentes que tiram vidas humanas, digo eu.

          • Lopes says:

            Este texto é demonstrativo do que é faltar às aulas de português!!!

          • Spoky says:

            Tem de haver alguém que copiou e publicou na web normal… Duvido que não exista… Normalmente esse tipo de coisas é logo partilhado pela web normal tens a certeza que não tem?

            Gostava mesmo de ver..

  2. Blue Beast says:

    “A Polícia Judiciária esclarece que as pessoas que eventualmente pretendam adquirir produtos ilícitos na Dark Web correm riscos elevados,podendo elas próprias,com grande probabilidade,tornar-se vítimas de diversas actividades ilícitas.” Exactamente,muito bem dito.Infelizmente muitos nem fazem noção onde se metem.

  3. Joao says:

    Legalizem e regulem as drogas e metade da criminalidade do mundo desaparece.

    • Luis says:

      João, entendo o que diz assim como o direito de cada um fumar ou consumir o que quer. Aliás em Portugal, que tem as leis e políticas mais avançadas do Mundo nesta área e reconhecidas pela ONU, ninguém é preso por consumir. No entanto, é importante lembrar que uma das funções do Estado é proteger os seus cidadãos, pelo que de modo algum pode permitir que substancias que provocam adição possam ser vendidas ou acessíveis à população em geral. Aliás, seria criminoso se o Estado o permitisse. Por outro lado é preciso lembrar que todos os dias chegam ao mercado químicos (drogas) feitos em “laboratórios” caseiros com efeitos altamente destrutivos para quem as consome. Onde se tem de apostar não é na legalização e regulação das drogas mas sim na prevenção. Educar as pessoas e explicar-lhes que alguns momentos de “prazer” pode vir a ser o início da destruição da sua vida, levando muitas vezes à morte ou a problemas gravíssimos do foro psiquiátrico. Isto para não falar no impacto que também tem na família dos toxicodependentes… As drogas não são mais de que uma fuga momentânea da realidade que muitas vezes levam ao abismo!

      • Joao says:

        Luis, em primeiro lugar obrigado pelo comentário educado e que se vê de uma pessoa adulta.

        É certo que o Estado tem essa tal obrigação de proteger a população mas temos que ser realistas: Por muita prevenção que exista, haverá sempre consumo. E isso não tem necessáriamente de ser algo negativo se for feito de forma moderada, tal como acontece com o alcool. E precisamente por ser consciente dessa moderação é que escrevi legalizar e regular e não apenas legalizar.
        Historicamente está provado que a proibição absoluta não tem vantagem absolutamente nenhuma e o melhor exemplo disso é a lei seca dos USA.
        As drogas não são mais de que uma fuga momentânea da realidade que muitas vezes levam ao abismo, tal como o é o alcool.

        • Luis says:

          Obrigado João também pela sua resposta educada. É sempre bom poder discutir pontos de vista diferentes de forma inteligente e elegante, mesmo discordando!!!
          Eu percebo a sua argumentação e claro que as questões que se colocam em relação às ditas drogas também se poderiam aplicar ao álcool e tabaco, aliás levando as coisas ao extremo até se podiam estender ao café. Embora, para ser-mos intelectualmente honestos, tabaco, álcool e café ( : ) ) são coisas diferentes das ditas drogas! E sim, haverá sempre consumo! E, claro, a proibição levará, potencialmente, há existência de criminalidade! No entanto, eu não posso (não consigo!) admitir que o Estado permita a venda de drogas como p.ex, cocaína, heroína e outras drogas sintéticas sabendo de antemão o impacto que elas têm no cérebro humano e na vida de milhares de pessoas. Até concebo a ideia de ser possível a venda, não só por razões medicinais, de erva de forma controlada. Mas essa seria a minha linha vermelha! O João diz-se uma pessoa consciente, no entanto tal não é transversal a todos. E é por causa dos outros que o Estado tem a obrigação de zelar por forma a não terem acesso a substâncias com um potencial destruidor enorme. Saberá tão bem como eu que alguém que tem predisposição para doenças do foro psiquiátrico a probabilidade de desenvolver essas doenças aumenta dramaticamente com o consumo de drogas. E o problema é que praticamente ninguém sabe se tem ou não essa predisposição! E João, quantas pessoas se dizem conscientes do que estão a fazer e…. a droga apodera-se delas. Penso é que deve haver educação e informação de modo a que todos percebam que o estado de bem-estar que qualquer droga (ou álcool) dá é apenas momentâneo e que a fatura vai aparecer mais tarde. Eu sou um amante da liberdade, pelo que até entendo que os consumidores sintam que são livres e que devem de ter a liberdade para tomar o que lhes apetecer e que o Estado não se deve intrometer na vida deles. No entanto quando a toxicodependência tem um impacto tão grande nos cidadãos afetados e suas famílias, quando o impacto é tão mau para a sociedade como um todo então o Estado só pode mesmo é proibir o livre acesso. É que João, nem todos são conscientes e nem todos se conseguem controlar ou sabem quando devem parar.

      • Nelson says:

        O tabaco, o álcool e um número infindável de fármacos provocam adição (e muitos milhões em impostos….).
        A prevenção é uma boa aposta, mas a legalização e regulamentação poderiam evitar muita da criminalidade. Quer quer consumir, irá sempre conseguir o seu produto, por meios ilegais. A legalização seria uma forma das autoridades conseguirem algum controlo sobre estes meios, enquanto gerava impostos.

      • Nuno Monteiro says:

        Concordo, mas o fruto proibido é sempre o mais apetecido, se fosse tudo legal e regularizado a preços normais, o estado ganhava mais dinheiro e as pessoas perdiam o interesse porque passava a ser banal.

  4. rjSampaio says:

    O que é uma “conta de Dark Web” ?

    E já agora, qual a fonte/fontes usadas para este artigo, queria ler sobre essa parte.

  5. Rui Ribeiro says:

    Também fiquei curioso: como é que se desativa uma conta na darkweb…?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.