PplWare Mobile

Painéis Solares: 30 kW para consumo próprio sem taxas


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. José says:

    e isto traduz-se numa redução de preço ?

  2. hsff says:

    O autoconsumo(independência energética) é sempre visto com maus olhos, porque será?

    Sabem quem é o principal produtor de painéis solares da Europa?

    • Miguel says:

      O auto consumo devia ser incentivado…

      • Francisco says:

        E vai ser, mas só para atingirem os objectivos de nos dizerem que afinal foi em enxcessoe agora que já montaram vão pagar uma taxa…mas uma fonte de rendimentos para so que nada fazem e nem deixam fazer…pagamos para tudo…embora ainda falte taxas em algumas coisas…tais como….

  3. Rui says:

    Taxas? Que taxas? Quem for fino constrói casa, faz a instalação normal para obter a certificação da instalação, a seguir põe painéis e baterias para o armazenamento da energia (já há à venda em Portugal) e ponto final, a EDP e as outras que vão mamar na quinta pata do cavalo!

    • k says:

      “Quem for fino”

      Quem tiver dinheiro para o fazer.

    • Nonnus says:

      Tens razão no que escreves e muita gente faz isso. O problema é que se houver uma fiscalização traz problemas. Por lei até 1500w apenas precisas de dar conhecimento, a partir dos 1500w tens de ter uma autorização, por causa do que vais injectar na rede.

      • GM says:

        Diz antes, licenciamento. DL 153/2014 de 20/Outubro. Atê 1,5kW apenas terás de registar a instalação no site da DGEG, no portal SERUP. Corresponde a 6 colectores fotovoltaicos de 250Wp. Acima desta potência, já terás de ter projecto para microprodutor, registar-te como tal, etc.

      • João Pinho says:

        Os inversores do tipo que eu tenho (fronius primo) tem controle do que se injecta na rede, para ser 0. Com isto, posso ter a produção que quiser, nada vai para a rede. Portanto posso ter a produção que quiser, o armazenamento que quiser, não sai nada de minha casa. Não tenho de prestar contas nenhumas.

        • dajosova says:

          LOL… até o governo decidir fazer uma inspeçãozinha surpresa (nem que tenha de alterar a lei para o efeito).
          Nem a casa e o terreno são 100% teus, quanto mais!!!
          Não é à toa que dizem há séculos que só a morte e os impostos são garantidos 😉

          • João says:

            Tens razão. Mas com esse risco posso eu viver bem. Não considero que ter uma produção minha, para meu consumo, afete o que quer que seja, portanto…

          • dajosova says:

            Tb é verdade… se fazemos tudo o que o Governo quer estamos bem tramados.

  4. Asdrubal says:

    Gostava de ter um consumo próprio assim com painéis solares, mas não percebo nada do assunto.
    Taxas sobre auto-consumo? Como assim? Mas então não se é independente de qualquer fornecedor de energia?
    Deduzo que os custos ficam pela compra dos painéis solares e manutenção.

    • Mentecaptor says:

      Compras um kit de painéis, pousas onde houver boa exposição solar, ligas a uma ficha e está feito.

      • Rui says:

        Não é assim tão fácil, pelo menos nas instalações de maior potência ou que estejam projectadas para levar baterias e não haver flutuações de fornecimento.

        • Técnico Meo says:

          Com um conversor de onda sinusoidal perfeita e dos bons em condições e já com algumas seguranças instaladas, basta desligar o disjuntor da edp que funciona perfeitamente. No entanto, é preciso fazer contas á potência e um bom calculo para as baterias. As baterias é que ” lixam ” tudo pelo preço…. Isto se uma pessoas não quiser comprar um equipamento que faça a gestão de rede interna com rede externa… mas assim fica caríssimo.

      • PG says:

        Não precisa inversor?

        • GM says:

          Precisa, claro, para converter a corrente contínua do(s) colector(es) em alterna para a sua utilização. MAs é precisamente o inversor que é ligado à tomada.

          • PG says:

            obrigado!

          • PG says:

            E o tipo de contador (analógico ou digital) que temos em casa, interessa ou não para ‘injectar’ directamente?

          • João says:

            O tipo de contador interessa… supostamente, quer se seja ou não vendedor de eletricidade, até 1,5kw tem de se fazer o registo no SERUP. É gratuito e fácil de fazer; com isso, eles comunicam à EDP e eles vem colocar um contador digital, que mede apenas o que nos é vendido e não o que é fornecido por nós à rede (o caso de alguns contador digitais mais antigos que contavam tudo contra nós). Agora, quem tem contadores analógicos.. de rodinha… quando se produz a mais e se envia para a rede, há quem diga que eles rodam ao contrário; nesses casos se não fizerem o registo, eles não o vem trocar……

          • GM says:

            Para contar para vender à EDP, é necessário registar com o micro-produtor, inspeccionar a instalação e comprar a instalação de um contador bi-direccional. Custos injustificados, na minha opinião, para o benefício que tráz. O valor/kWh deve rondar os 0,05€. Com instalações de baixa capacidade, com o objectivo de auto-consumo mas com o intuito de receber alguma coisa pelo excedente de produção injectado na rede, é preferível sub-dimensionar a instalação de maneira a que haja a garantia de que a totalidade ou quase da produção é consumida localmente.

    • JOSE PEREIRA says:

      Asdrubal,pagas-me 5 euros a hora e eu faço a montagem que tu quiseres ,a potencia que tu quiseres e te explico como podes comprar mais barato e mais eficiente com o minimo de investimento,se tu quiseres o alguém quiser,estou disponível,faço a hora o mais barato do mercado ,nao vão encontrar mais barato kikasp52@gmail.com 927838250 e monto e vendo computadores muito baratos com 2 gigas de gráfica e 8 gigas de memoria ,também posso fazer muito mais forte á vontade do cliente,50% de desconto

  5. Jose says:

    vão baixar os preços dos paineis ?

  6. Int3 says:

    Ridículo as taxas. Devíamos de estar a motivar usar energia limpa e é assim.

  7. Paulo Mendez says:

    O problema actual é teres que gastar para armazenar corrente elétrica, se houvesse troca de kWh, pouparias 60% dos custos.

    • Ricardo Costa says:

      Concordo plenamente. Para mim é um absurdo quem quer ser auto suficiente ser” obrigado” a ter um sistema isolado da rede com baterias e com toda a produção de co2 que isso obriga. Deveria ser facilitado o acesso à contadores que fizessem a diferença entre o produzido e o gasto, ter painéis para autoconsumo quando gastamos mais energia à noite desmotiva muita gente, e toda a rede deveria ser a nossa enorme Bateria, seria melhor para todos

  8. Rui Nunes says:

    Perdoem-me a ignorância não faço ideia dos consumos mas 30 kW chegam para abastecer uma casa normal?

    • Paulo Braz says:

      Dá e sobra, a maior parte de os clientes EDP tem 6,9 KW, mas a Amperagem conta muito!

      • Asdrubal says:

        Mas da EDP tem-se 6,9kW permanentes. Durante a noite não se produz energia solar, pelo que é necessário armazenar energia durante o dia. E depois há os dias de inverno, que são mais pequenos que as noites, ou os dias com menos sol, em que se armazena menos energia solar e menor intensidade.

        • GM says:

          Ou não armazenas de todo. O que significa que não podes ser assim tão independente dos fornecedores de energia. Quanto muito, podes dizer que és menos dependente deles. Já agora, sugiro que ao invés de instalarem um sistema fotovoltaico com armazenamento (muito válido, sim, para zonas isoladas, em que puxar o ramal é uma fortuna), instalem apenas a potência necessária para suprir as necessidades diurnas em consumo directo.

          • João Pinho says:

            Tem toda a razão. O autoconsumo deve ser avaliado sempre com base nos consumos da casa no período diurno (8h-18h) e dimensionado sempre abaixo da média. Por exemplo na altura a minha casa, em média (muito importante, tem de ser a média e não os picos de consumo!) gastava 200w. Instalei então só um painel! entretanto passei a gastar mais, tenho um aparelho a debitar 1500w, dia e noite em continuo e então já coloquei mais 5 paineis para ficar nestes valores. Nunca acima, porque senão estamos a gastar dinheiro para dar à EDP energia, ou então simplesmente não a aproveitar. Comprei um inversor de 4kw da FRONIUS (Primo), para de futuro poder expandir para o caso de meter baterias, que pretendo. Mas pretendo um sistema que analise se no dia a seguir vai estar chuva ou sol (com base nas previsões) e veja se carrega durante a noite ou não com base no bi horario, e se apenas é usado nos periodos entre a tarifa noturna e a tarifa diurna. Nunca se é totalmente dependente da rede, porque até podia dar no Verão, mas no Inverno, com dias e dias com baixa produção, é dificil atingir essa independencia.

      • int3 says:

        Tem 6,9kVA. A amperagem depende da tensão.

  9. João Nunes says:

    Estás taxas que referem não existem em Portugal.
    Para auto-consumo a 100%, sem exportação para a RESP (rede pública), não é necessário pedir parecer à EDP Distribuição. Só tem que cumprir a regulamentação em vigor para as redes prediais de baixa tensão e registar a mesma na DGEG com um Termo de Responsabilidade do electricista instalador. Só se quiser vender à RESP é que tem exigência de inspeção e limite de potência instalada.

  10. Carlos Campos says:

    Caros;
    Quando alguém refere que não existem taxas, não é verdade!
    Sugiro que leiam com muita atenção o DL153/2014, e respectivas Portarias.
    Está bem explícito quais são a taxas inerentes, e demais condições com custos adicionais, estes não referenciados como taxas, mas considerados por mim e outras pessoas entendidas na matéria como “camufladas”, as ditas taxas, claro!
    Cumprimentos,
    Carlos Campos

  11. BGG says:

    Cada vez está mais patente o tipo de país que somos e para onde caminhamos…é só alimentar interesses. Podem passar 100 anos que o resto do mundo desenvolvido irá estar sempre 100 anos à frente de nós…

  12. Francisco says:

    Boas
    Faço aqui uma pergunta para os entendidos n’a matéria.
    Nao é possivel i nstalar esses 1.5Kw tambem com uma torfe eolica que mais depressa fera energia durante a noite?
    E parece que existe paineis que geram durante a noite?

    • GM says:

      Painéis solares nocturnos não existem. Simplesmente porque não existe sol de noite, por isso se chama noite. Está a fazer confusão com os painéis termodinâmicos. Esses sim funcionam de dia e de noite, mas não se destinam a gerar electricidade, mas sim a mudar o estado físico do gás frigorigéneo da bomba de calor, para produção de água quente sanitária.

      • helio neves says:

        Bom… vejo aqui muita coisa escrita e estou com alguma dificuldade em decidir o que fazer… no ano passado fizemos um furo para rega, que levou uma bomba de 2 CV, teoricamente consome 1,5Kw ( mas não sei ao certo qual a corrente que debita ) e com as mexidas no quadro legal que se avizinham, estava a pensar comprar um painel fotovoltaico para a alimentar, uma vez que basicamente só a usamos no verão… não sei o que existe à venda no mercado, custos/qualidade, e tipos de sistemas… não pretendo de todo deixar de ser cliente da EDP & companhia, queria apenas pagar ( muito ) menos, a menos claro, que o investimento seja proibitivo, e que esse dinheiro de-se para muitos kwh…

        • Joao Pinho says:

          Um painel de 330w, no pico do verão, considerando perdas devido a eficácia do painel e inversor (calor, etc) dá-te no máximo 260wh. Se precisas de 1,5kw tens de fazer as contas. E ter em conta que só atinge o pico +- ao meio dia, até lá vai subindo e depois descendo. E escreve-se “desse” e não “dê-se”. Se precisares de mais ajuda diz, está dá vontade.

          • helio neves says:

            Obrigado pela resposta ( acho eu )… eu disse que não sabia qual a corrente debitada pela bomba, porque considero que, à semelhança do que se passa no processo de selecção da potencia contratada para o dimensionamento dos disjuntores ( um motor consome sempre mais corrente que o simples divisão I = W/U – por causa do factor de potencia ), extrapolei que com o painel aconteceria o mesmo, ou seja, ele tem uma potencia nominal, e também valores limite para o factor de potencia, que não passa do desfasamento entre a corrente e a tensão. Outra coisa; vivo num sitio onde nem Judas quis borrar as botas, e como tal, não estou rodeado propriamente por empresas instaladoras ou vendedores de painéis e inversores…

          • helio neves says:

            outra coisa; as dimensões desses painéis, são mais ou menos semelhantes, não? e onde podem ser instalados? pode ser no chão? ( sim, já sei que têm de ser virados a Sul, para que a incidência seja maior, e logo o rendimento ). Outro aspecto; são totalmente autónomos, ou precisam de ser “iniciados” pela tensão de rede?

          • Joao Pinho says:

            Os painéis podes comprar e instalar em qualquer lado. Tem de ser virados a sul ou ligeiramente a poente. Devem ter um ângulo de inclinação de cerca de 30graus. De resto é ligá-los ao inversor e ligar o inversor à corrente elétrica. A generalidade dos inversores, por uma questão de segurança, só começam a produzir energia quando há tensão na tomada a qual estão ligados. Isto para evitar acidentes na rede (do género da edp estar em manutenção na rede, desligarem a mesma e tu estares a injetar corrente na mesma e algum tecnico ficar lá esticado). Se quiseres um inversor off grid, isso já é outra coisa. E sim, as dimensões são semelhantes, o rendimento é que varia. Eu por exemplo comprei os da LG Néon 2 de 330w. Inversor fronius primo de 4.0kw. No site alma-solar (pesquisa na net, o material veio do Luxemburgo).

          • helio neves says:

            “off grid” ?

          • João Pinho says:

            Sim, tens instalações off-grid, que são instalações cujos inversores não necessitam estar ligados a uma corrente elétrica. Tipo um lugar remoto onde não tenhas eletricidade. Em qualquer outro caso, sendo ligados em conjunto com a rede elétrica, são grid-tie.

        • Joao Pinho says:

          Mas na minha opinião, o painel, ou os painéis pode compensar para a casa, um consumo contínuo. So para o verão, utilização pontual e essa potência.. mais vale estar quieto

  13. Nuno Miguel says:

    Boas!
    Pelo que leio sobre o assunto, deve-se investir no número de painéis a que correspondem a potência dos standbys ( média do consumo, durante o dia, no meu caso, salvo algumas excepções).
    Com a diferença de preços entre um sistema com 2 ou 3 painéis (cento e poucos euros), não se justifica ir para o sistema com mais painéis? Sei que muitas vezes vou estar a dar energia de borla á EDP mas também me cobre as máquinas da louça , de roupa , etc, que passo a fazer nas alturas de maior sol.

    • Joao Pinho says:

      Viva! As máquinas consomem geralmente logo mais de 1kWh portanto mesmo 3 painéis não cobrem pois darão um máximo real aí duns 675w (nas condições ideiais, considerando 300wp por painel e perda de 25% no geral) isto no pico porque o gráfico é um U invertido. Portanto eu apostava apenas nos 2 painéis se tiveres um standby que consuma aí uns 300wh

      • Nuno Miguel says:

        Obrigado pela resposta, João
        Percebo o que dizes mas se tiver um pouco mais de potência que os standbys, esta vai sempre dar um suporte ás máquinas, ferro, aspirador, fim de semanas, etc, certo?
        Acredito que, se o sistema for um pouco mais sobredimensionado que o dito normal ( standbys) demore mais um pouco a ter o retorno do investimento mas a muito longo prazo não iria compensar?
        Preferia amortizar o investimento um ano ou dois mais tarde e depois disso ganhar mais um pouco por mês do que amortizar um ano ou dois mais cedo e ter retorno mensal inferior…
        Não sei se me fiz perceber ou se estou mesmo a pensar mal

  14. Joao Pinho says:

    A questão é que se a potência for muito mais alta vai-se estar a dar à edp e aí o ROI é muito mais alto..

  15. Francisco says:

    Sempre a mesma conversa, só se este Mundo do solar crescer é que poderá haver taxas…só este tipo de conversa já me mete revolta…mas quem pensarão esta gente que tem estas ideias que são na vida das pessoas? não vejo ninguém dizer-me se eu quero algum dinheiro oferecido..? só quando eu tiver tudo a funcionar esta gente já preparam o golpe…é isso? tenham vergonha….estamos a falar do Sol…de uma coisa que é livre e de todos….tenham vergonha….mas agora sou obrigado a ter que alimentar toda a gente sempre que eu quero ter alguma coisa? estejam encima dos corruptos e dos ladrões esses sim devem ser obrigados a devolver tudo que nos tem roubado….deixem as pessoas em paz…é demais…eu não suporto este tipo de atitudes desta gente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.