PplWare Mobile

OpenOffice.org deixa Oracle


Autor: Pedro Pinto

Destaques PPLWARE

  1. lmx says:

    Boas..
    o openofice foi criado com o nome inicial de starofice e foi criado por uma empresa alema que a sun comprou e posteriormente o starofice passou a chamar-se openofice.
    De facto esta compra da sun pela oracle, ou se quisermos pela IBM, não foi muito positiva para o software livre…
    Estes gajos da Oracle ca na europa estiveram por um fio de não conseguir a compra, mas a EU la deixou e agora vejam, precisamente aquilo que mais se temia acabou por acontecer.
    Mas claro como a partilha de info e vontade do espirito da comunidade é enorme, se calhar acaba por ser melhor do que estar debaixo da “Asa” sa Oracle.
    A IBM como dona indirecta bem podia ter dado um murro na mesa, mas não deu…estranho isso acontecer pois é precisamente no openofice que o lotus é baseado,estranho mesmo…

    cmps

    • racpxt says:

      Algo semelhante aconteceu com o MySQL. Existe o fork MariaDB, lançado por um dos criadores do MySQL, preocupado com um gigante das bases de dados ficar com a mais popular marca de software de bases de dados open source. Pessoalmente acho absurdo terem aprovado o negócio sem obrigarem a Oracle a abrir mão do MySQL.

      Parece que isto da concorrência está a passar um pouco de moda lá para os lados dos Reguladores da Concorrência!!!

      Na questão do Office, ao contrário do MySQL/MariaDB, o nome do novo “fork” está a ser bastante divulgado, por isso pode ser que o pessoal se habitue.

      A continuidade parece garantida, ainda bem. Depois de 3 anos a usar quase exclusivamente o OpenOffice finalmente compreendo porque o pessoal do ms office quando usa o OpenOffice acha aquilo inferior, pois agora pego no ms office e aquilo parece-me ser algo inferior ao que uso, ou seja: ferramenta informática inferior deve significar apenas que é diferente!!!

      • kekes says:

        Ora nem mais pelo menos o “LibreOffice” está a ser divulgado muito mais que o MariaDB, mas a realidade e que o publico alvo do MySQL é mais tecnico que vai encontrar a alternativa mesmo sem grande divulgação, enquanto o do LibreOffice é um pessoal mais leigo se é que me faço intender e tem um publico muito maior como tal é claramente alvo de mais divulgação.
        Anyway, pensei que esta separação seria muito mais rapida ainda demorou mais que pensava, alias a Oracle já era sabido que iria destruir o que a Sun criou devido aos seus pontos de vista diferentes. Mas ainda bem que a OpenOffice tinha uma comunidade unida e solida, agora iremos observar probavelmente a um desenvolvimento competitivo se a Oracle decidir continuar a desenvolver o Openoffice de maneira intensiva.

        Usei o OpenOffice durante 4 anos seguidos porque não tinha uma licensa do MS Office e discordo contigo na ultima parte porque considero o MS Office superior em todos termos. Obtenho resultados superiores em menos tempo com o Office mesmo após 4 anos sem contacto com ele, o que deve significar alguma coisa. Mas um é pago e outro é gratuito… o OpenOffice é muito potente é pena é ainda ter muitas coisas em termos de funcionamento a 2000 e não a 2010.

        • racpxt says:

          Eu fiz um relatório de 300+ páginas, cheio de texto, tabelas, imagens e diagramas e nunca me senti de mãos atadas, senti que trabalhei com toda a naturalidade e sem novos obstáculos.

          Ainda para mais tornei-me um utilizador do Open Office a tempo inteiro antes de ter posto as mãos no office 2007, e agora quando pego nele só não ando totalmente à deriva porque 90% do que faço é através de teclas de atalho.

          • lmx says:

            boas..
            concordo plenamente contigo, a usar o openofice ja ha pelo menos 4 anos.
            Outro dia precisei de mexer as formatações de uns ficheiros de config´s grandes, abri o M$Excel e quando dou por ela aquilo nem me perguntou se queria fazer separação nem nada…fiquei chocado.
            Sem perder mais tempo meti a info numa pen passai para a minha maquina e ai sim, vi o poder da inteligência a funcionar.
            Ofice MS para mim é para esquecer, é que nem tenho paciencia para ele.
            Em relação ao MariaDB sim é verdade também tenho pena, por outro lado a comunidade do MariaDB continua a Crescer, mas penso que o nome esolhido foi muito fraco”MariaDB”…
            Se´ra que a maioria doa Workbench´s etc para my sql existe para mariaDB?
            Na merd* da América ainda entendo agora aqui na Europa, isto foi um roubo que nos fizeram, tanto ao utilizador final, como ao programador das comunidades afectadas, deveria ter havido mais respeito por alguém que trabalha para nós com vontade de ajudar…

            cmps

          • kekes says:

            Pois eu tive que comprar uma licensa do novo office apos ter problemas coma formatação do texto em open office de uns resumos que tinha feito de +/- 500 paginas, havia certas coisas que depois de guardar e voltar a abrir ele simplesmente punha no sitio errado, alem que consegui em muito menos que metade do tempo que gastei no OpenOffice acabar essa tarefa com sucesso e com melhor resultado. Mesmo quando usava exclusivamente o OpenOffice tinha noção que havia coisas principalmente na formatação que teria menos problemas a fazer se usasse o MSOffice, por alguma razão apesar dele ser bem pago continua a ser o mais usado nos meios profissionais.

            OpenOffice é bom mas ainda é uma alternativa nãoa solução, na minha opinião claro.

      • Alex says:

        Concordo contigo em quase tudo, mas sejamos sinceros o office da microsoft é bastante superior ao openoffice (libreoffice)..agora tudo depende do tipo de uso que dás ao software. Se e para fazeres coisas simples então, concordo contigo, o libreoffice chega perfeitamente. Se começares a fazer trabalhos mais complexos bem o libreoffice fica a milhas daquilo pretendido. E não é uma questão de ser diferente, porque sei lidas bem com as diferenças (uso tanto windows como linux), é questão de ver a fundo as potencialidades das duas suites.

        • Mário says:

          também acho que em questões de funcionalidades e de User-friendly o ms office é melhor.

          Embora todo o meu apoio e amor vá mesmo para o agora LibreOffice (ex-openoffice)

      • Tiago Sá says:

        O copy paste do excel continua a ser a maior palhaçada de todos os tempos. Eu troquei para o open office por essa e outras razões, e logo de início que vi que é bastante melhor que o ms office.

        • racpxt says:

          A nível de folhas de cálculo ponho as minhas mãos no fogo pelo OOo (agora LO). Se no copy paste já acertaram em cheio, em termos de mover grupos de células é um must mesmo.

          • lmx says:

            boas..
            podes crer, partilho da mesma opinião, mas também confesso que quando coemcei a usar achava que o msofice era melhor a fazer tudo que o openofice, mas depois de anos com isto quando pego num msofice as vezes fico chocado com o funcionamento do mesmo.

            cmps

    • Mário says:

      IBM dona indirecta?!?!

      desculpa, explica-me lá essa, que eu não apanhei…

      mas “como se eu fosse MESMO MUITO burro” LOLOL

      • Nuno José says:

        Estou contigo nunca ouvi/li nada sobre isso.

      • lmx says:

        Boas..
        Imagine uma situação…
        A é dona de B
        B compra C
        logo …
        A é dona indirecta de C Correcto?
        Caso tenha mais duvidas se puder esclareço, mas desculpem não consigo ser mais básico do que isto.Logo vão ter que se esforçar pelo menos um bocadinho.

        cmps

      • Trambulhao says:

        Nem eu..

        A única história que começo foi a compra do MySQL pela Sun que foi adquirida pela Oracle

        Ou seja, a Oracle agora é dona do Java, MySQL e o OpenOffice.

        A equipe do OpenOffice está a seguir o mesmo caminho da equipe do MySQL.

        • lmx says:

          boas a Oracle é dona do nome mysql porque a tecnologia continua no MariaDB, e o openofice o mesmo.
          De facto eu ouvi dizer a alguém bastante conceituado que a IBM tinha adquirido a oracle, mas possivelmente falou de ações…de facto não encontro artigos sobre o mesmo…o que me faz gostar cada vez mais da IBM e menos da Oracle…

          cmps

          • Trambulhao says:

            Exactamente, dono do nome.

            Tanto o MySQL como o OpenOffice são softwares livres. Qualquer um pode ter acesso ao código fonte, manipular e distribuir como bem entender, desde que não seja comercializado. Caso do MariaDB.

          • JT says:

            Se não estou em erro MySQL é GPL, logo pode ser alterado e comercializado! Desde que distribuas também o código fonte…

  2. Filipe says:

    Desculpem o off-topic.

    O Google disponibiliza, através do serviço Google Calendar(Agenda), notificações via sms. Gostava de saber se essas notificações são gratuitas ou pagas.

    Obrigado

  3. Lx says:

    Boas,
    uma correcção à noticia

    o libreoffice NÃO é um fork e a document foundation deixou isso claro.

    aqui se existir um fork será da oracle caso não queiram aceitar o convite da document foundation para fazer parte do grupo de empresas que já os apoiam (google, canonical, red hat, etc)

  4. Ryan says:

    A Oracle apenas fez porcaria com a compra da Sun. É certo que eles Sun precisavam de se financiar mas o que a Sun criou e que estava a ser muito acarinhado pelas diversas comunidades a Oracle destruiu. Agora foi o Openoffice antes foi o Open Solaris… daqui a uns tempos ainda vai ser o java

  5. mike says:

    Parece mais que foi adquirido por uma empresa espanhola 😀

  6. Carlos B. says:

    Para os que, como eu, n sabiam o significado do termo “fork” neste contexo:
    Quote from wikipedia

    “acontece quando um desenvolvedor (ou um grupo de desenvolvedores) inicia um projeto independente com base no código de um projeto já existente, ou seja, quando um software é desenvolvido com base em outro, já existente, sem a descontinuidade deste último”

    “ambos os lados herdam propriedade intelectual idêntica, mas tipicamente apenas o maior grupo, ou aquele que contém o arquiteto original, irá manter o nome original e o seu capital social associado”

    • Pedro Pinto says:

      Já agora acrescento. Para quem é programador certamente que conhece a função fork, que basicamente faz derivar um processo pai para um processo filho. É uma analogia interessante

      • Lx says:

        novamente e em resposta ao Carlos B. e ao Pedro Pinto.

        A document foundation deixou claro que não seria um fork. o Libre office não é um fork porque simplesmente mudaram o nome. todo o código mantem-se. a mudança ocorreu não por imposição da oracle mas para os distanciar de quem julgasse que eles estavam sobre a “asa protectora” oracle.

        O projecto não e independente como dizia o Carlos, é o mesmo mas com outro nome.
        por isso é que se a oracle não quiser fazer parte dos que patrocinam a document foundation terão eles mesmos que fazer um fork do libreoffice.
        outra coisa, eles já tem o staroffice que nunca deixou de existir (pago e incluido em solaris).
        o staroffice sempre existiu e o openoffice por vezes servia de playground para novas tecnologias que eles queriam implementar no starOffice.

        Havia muitas funcionalidades que existiam no starOffice que só apareceram no openoffice quando já eram banais e já havia em tudo o que é office (Ms, corel, etc..)

    • Armando says:

      “ambos os lados herdam propriedade intelectual idêntica, mas tipicamente apenas o maior grupo, ou aquele que contém o arquiteto original, irá manter o nome original e o seu capital social associado”

      Pois… essa definição encaixa-se nesta situação? Pois “o maior grupo” talvez seja a comunidade (ou não)?
      A Oracle comprou a SUN e esta tinha adquirido a Star Division que tinha criado o StarOffice. O OpenOffice nasce após a disponibilização (oferta…) de parte do código do StarOffice à comunidade. Nasce assim um novo projecto open source chamado OpenOffice.org.
      Ou seja parece-me que a SUN era a principal patrocinadora e não a dona da marca (mas como é quem entra com o pilin, não sei…). Acho que é mais um abuso por parte da Oracle e uma falta ou inexistência de entidades que façam a regulação (existir existem… mas quem as financia :D).

  7. Wilson Silva says:

    Será que fiz uma má interpretação ou o Pplware e o Tek têm conteúdos opostos?

    Pplware:
    A comunidade OpenOffice vai mudar de nome e criar uma entidade independente para gerir a suite de produtividade, ao que muitos denominam de “fork”. -> Será “fork”

    Tek:
    Schulz refere ainda que a nova suite será a continuação do projecto inicial do OpenOffice.org, e não um “fork” -> Não será “fork”

  8. Tiago says:

    Por mim, vou desistindo aos poucos do OpenOffice e passando para o Lotus Shymphony!

    Não é opensource, é certo, más é jeitoso e bem mais agradável à vista! O OOffice parou no tempo!

    • lmx says:

      boas..
      se consulta-se mais artigos iria ver que o lotus é baseado no OpenOfice…
      E ao apoia-lo esta a apoiar esta “facada nas costas a comunidade”…

      cmps

      • Tiago says:

        Eu sei que é baseado no OOffice, nota-se bem!

        Mas a verdade é que o OOffice devia ter pensado no utilizador em vez de adormecer à sombra da bananeira!

        Não há mais nenhum software do género que seja open-source, tão bom ou pelo menos com um equilíbrio entre a qualidade técnica (na óptica do utilizador) e visual, quanto o lotus symphony!

        E eu como utilizador penso em mim, como toda a gente!

        O lotus symphony (apesar de constantemente “crashar” e ser bem menos flexível ao nível de extras) é mais apelativo além de já utilizar GTK nos menus! É que uso o globalmenu…

        Mas venha um “novo” OpenOffice que eu mudo logo no próprio dia!

        Cumps.

  9. Goliver says:

    Bem, há aqui várias questões. Em primeiro lugar, foi a Sun que se pôs a jeito para ser comprada. Na altura a IBM fez uma oferta que acabou por não agradar aos accionistas da Sun. Depois, foi a vez da Oracle, o que após meses de negociações (sem contar com as questões de análise monopolista) se veio a verificar.
    Para a Oracle, a mentalidade “grátis” e “opensource” da Sun é um grande problema. E eles vêem por exemplo o Java e o MySQL como um grande calcanhar de Aquiles, já que no negócio ficou explícito que não podem nunca (o nunca é sempre relativo, mas serão pelo menos muitos anos) ser fechados à comunidade. Os restantes produtos gratuitos já estão a sofrer alterações de licenciamento. O último com que eu me deparei foi precisamente o Virtual Box, que deixou a licença GPL para passar a ser gratuito para uso PESSOAL. E esperem para ver que o Solaris vai deixar de ter uma versão gratuita. E o mesmo poderá acontecer a outros produtos, entre os quais o OpenOffice.
    O que me assusta mais nesta questão, é que a Sun dava realmente uma ajuda muito preciosa à comunidade para o desenvolvimento do OOo.

    • lmx says:

      Boas..
      a IBM tentou comprar a sun primeiro o problema foi o as “entidas da Concurrencia” que não validaram o negocio, pois a ibm ficaria com o monopólio do mercado, e ai entrou a oracle a correr, esta como só tinha software além de diversos entraves la consegui.
      Concordo plenamente, a Oracle estragou aquilo que de melhor existia na sun, a sun era a maior empresa no que toca a “crânios” e com a chegada da oracle a dar coices em tudo e todos eles foram saindo isto aconteceu no openofice,mysql, e no java, possivelmente em outras áreas também.A sun era uma empresa que primava pela qualidade quer a nível de optimizações que a nivel de productos finais.
      Com isto perdemos todos muito indirectamente…o vbox ja tinha uma versão free para fins não comerciais, e uma versão ose para linux agora não sei como vai ficar..??!!
      Em relação ao openSolaris,…é uma grande incógnita, pois o tipo de licença que havia dava a sun total posse do código, os programadores nunca se importaram muito com isso pois conheciam a politica da sun no que toca a isso, mas agora la se foi todo o trabalho desenvolvido que foi “roubado” pela Oracle, tendo em conta que esta não tem princípios nenhuns, na medida do possível vou boicotar produtos Oracle, cada um que decida segundo as suas convicções, eu decido segundo os meus valores.
      todos juntos podemos dar uma chapada a alguém quando este alguém a merece.
      cmps

  10. Lx says:

    Para informar a quem quiser e corrigir alguns e acalmar receios de outros.

    tecnologias SUN que vão desaparecer.
    Glassfish (suporte até 2017, a ideia é obrigar tudo a mudar para o websphere)
    Netbeans (suporte até 2014, vão retirar o matise e implementa-lo no jDeveloper)
    Opensolaris, esse já morreu, Ponto.

    Tecnologias que NÃO vão desaparecer
    VirtualBox (necessário pela ORACLE para tecnologias de virtualizações nos servidores deles)
    JAVA (há quem diga que compraram a sun por causa do java)

    ???
    MySQL já ouvi rumores que é para manter, mas também já ouvi rumores de que o projecto vai mudar-se (criando um fork, e sim este é mesmo fork e não como erradamente anunciado que o libre office também era)
    Solaris, já ouvi dizer que sim e que não. a oracle tem um OS próprio, pelo que deverão continuar com ele o que reforça o rumor do sim, vai desaparecer.

  11. aver says:

    O que lançou o fogo à palha foi esta queixa que a Oracle apresentou em tribunal contra o Google, por violação de patentes do Java no Android, patentes que pertenciam à Sun.
    Acho que o Google e os fabricantes de smartphones Android vão ter que pagar umas “lekas” boas à Oracle … p’r’aí o que a Oracle pagou pela Sun.

    http://i.i.com.com/cnwk.1d/i/ne/pdfs/FINAL_Complaint.pdf?tag=mncol;txt

  12. Pergunto-lhes: Se o Ubuntu usa o OpenOffice, e o LibreOffice não mudar de nome, daqui a algum tempo o pacotes de aplicativos de escritório do Ubuntu será o LibreOffice?!

    • lmx says:

      boas..
      eu acredito que sim , o pacote para ubuntu do ofice é refinado pela equipa debian/ubuntu penso eu, e penso que incluirão coisas dos dois, isto a continuar a existir o openofice, que duvido.

      cmps

  13. Yuy says:

    É fazer como eu, eu já desinstalei, mas é esperarem pela saída das traduções para português do LibreOffice… e desinstalarem o OpenOffice, e ao abrir a janela no browser a perguntar porque o desinstalaram… coloquem lá que mudaram para o LibreOffice e nos comentários em inglês que é porque querem um software livre, gratuito e apoiado pela comunidade como o LibreOffice… se forem milhares/ milhões de pessoas a dizer isso, talvez a Oracle tenha de reconhecer que vale mais apoiar o novo projecto e terminar o OpenOffice.

    Passem a palavra, divulguem, e sempre que efectuarem desinstalações, façam novamente esse comentário (em computadores de amigos, empresas e outros onde façam manutenção).

    • Trambulhao says:

      Eu até acho bom essa desvinculação com a Oracle. A empresa não está interessada mesmo. Portanto, se continuar com essa empresa haverá sempre problemas.

      Essa suite não vai acaba. Algumas empresas importantes, como o Google, se manifestaram a favor da continuidade, apoiando o projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.