PplWare Mobile

Magalhães: Estado tem que pagar mais 55 milhões de euros


Autor: Marisa Pinto


  1. Rui Costa says:

    Deveriam informar q este serviço foi criado pelo ex primeiro ministro e atual prisioneiro da prisao de evora.

    Atribuido a jp sa couto, empresa com milhares de euros ao fisco, por ajuste direto.

    Provavelmente tb contribuiram para a casa de paris…

    • Marisa Pinto says:

      Indicámos que foi desenvolvido por José Sócrates.

    • Miguel Sousa says:

      Também se podia dizer que o atual primeiro ministro (Paulo Portas) pediu a extinção da empresa JP Sá Couto e a ordenou 4 verificações financeiras por parte do ministério da economia, assim que chegou ao poder nas eleições de 2011 mas, a 4 de Junho de 2013, Paulo Portas liderou o lançamento do programa E-escola mexicano… pela empresa JP Sá Couto.
      Também a 19 de Dezembro de 2013, Pedro Passos Coelho esteve presente na festa de lançamento do novo Magalhães… da mesma empresa.
      Portanto, quando estavam fora do governo, aquela empresa era só de “amigos do Sócrates”, agora andam lá eles a ser amiguinhos…

      Já agora, O Rui Costa sabe que a Apple pagou quase 20 milhões de euros em donativos para várias festas do ministério da educação? Em troca o ministério deixou-os organizar cóloquios em vários universidades de Lisboa e Porto onde a empresa só permitia a utilização dos seus aparelhos porque “eram os melhores para qualquer aluno dos 6 aos 90 anos de idade”.

    • j says:

      Lamento que tudo o que esse sr.José Sócrates fez como individar-nos a todos nós a comunicação social devia estar na linha da frente para informar todos os portugueses as coisas que foram feitas por uma pessoa que alem de ser corrupto nunca deveria ter descanso e deveria pedir desculpa pelo atraso que deu para perceber que tudo o que fez foi não saber governar. Que o mesmo acontece a todos os sósialistas, como o António Costa que se sair da camara de Lisboa deixa uma dívida maior do que a do Sócrates. Portugueses revoltem-se?

    • Antonio Vaz says:

      Magalhães: um projeto fracassado.
      Desde 2010, foram vendidos sete milhões de computadores Magalhães em 70 países, 120 mil dos quais só para o México.
      Entretanto, já vão em 12 os prémios recebidos por este computador em termos de design e a sua presença no Museum of Outstanding Design em Itália, Dublin e Amesterdão.
      Cerca de 1500 veículos de várias forças policiais inglesas estão equipados com os computadores portáteis Magalhães.
      Com tudo isto, e apesar de ter contribuído para a formação de milhares de alunos portugueses na área digital, reduzindo também a info exclusão em outras tantas famílias, o computador Magalhães continua a não ser suficientemente bom para nós.
      Estranho, não é?J.M . Por : Fernando Faria. http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2013/06/simplex-e-magalhaes-ganha-premios.html

      • Gonçalo says:

        Compreendo o seu ponto de vista, mas, relembro-o que o objetivo do Magalhães era introduzir as Tenologias de Informação e Comunicação no ensino público e não exportar os computadores.

        Leia o meu comentário, publicado no dia 12 de Janeiro de 2015 às 6:53 pm e diga-me se continua a ser da mesma opinião.

  2. Carlos Silva says:

    Parece-me dinheiro gasto em vão. Mas perdeu-se uma oportunidade de dotar as escolas com meios tecnológicos importantes se o programa tivesse sido implementado de modo diferente.

    • José says:

      Foi gasto em vão porque nem sequer foi utilizado para o fim a que se propôs. Isto é muito bonito, mas alguém tem que pagar e normalmente somos nós!

      • Miguel Sousa says:

        Trabalho no sistema educativo e digo-lhe que nos últimos anos, foi das coisitas melhores que se fizeram.
        Sempre valia mais uma criança receber um computador destes, do que agora fazem com os tablets, que o ministério da educação continua a afirmar que devem ser “mais utilizados no dia a dia a partir da escola primária”.

        • Joaquim says:

          Piada do Seculo !!!! “Trabalho no sistema educativo e digo-lhe que nos últimos anos, foi das coisitas melhores que se fizeram.” um mini computador com um ecra minusculo (7″) e com uma resolução péssima servia apenas para quem o utilizasse durante alguma horas por dia via a precisar de oculos muito cedo!!!

          • Diogo says:

            Se não fosse esse “mini computador com um ecra minusculo (7″) e com uma resolução péssima” muito provavelmente eu não estaria aqui a fazer este comentário nem conheceria o pplware e na

          • Diogo says:

            Se não fosse esse “mini computador com um ecra minusculo (7″) e com uma resolução péssima” muito provavelmente eu não estaria aqui a fazer este comentário nem conheceria o pplware e não me teria gostado tanto de informática como gosto
            Já agora aproveito para dizer que mesmo agora, depois de ter comprado um pc novo ainda dou uso ao meu Magalhães, instalei-lhe o Ubuntu e dá perfeitamente para usar

          • RaCcOn says:

            Diogo, pelo que percebo ainda es muito novo para conseguir perceber, mas o problema nao esta no magalhaes mas sim em tudo o que esta a volta do magalhaes e que influenciou negativamente o pais e milhares de empresas pelo pais fora.

            Ja agora, tambem creio que deves de pensar que o magalhaes foi criado por Portugueses…nao foi…

        • lmx says:

          Miguel Sousa,

          concordo!

    • Palu says:

      mas pelo menos os ninos ja podem todos ir ao facebook e twitter ver videos com gatinhos e jogar jogos.

      obrigado, socras, o marocas tinha razao, devemos-te muito!

      • lmx says:

        bom..

        Se não gostas dos computadores, e não consegues perceber o conceito…
        tens outras escolhas…o que não faltam são escolhas…

        Podes sempre pagar o maior roubo de sempre em Portugal desde que há memória(BPN e SUBMARINOS)…

        Porque não esperes que quem os fez vá preso e o dinheiro devolvido…

        Digo-te desde já que a muito mais de 1000 euros/pessoa… e ainda não se conhece o fundo do “buraco”…

  3. ER says:

    Mais um projecto aberrante dessa gente. Portugal tem memória curta!

  4. jose says:

    Falta mencionar que a firma que forneceu os computadores, tinha dividas ao estado, e por lei nao podewria fornecer serviços ao estado enquanto nao liquida-se a sua divida.

  5. Minhoto Az says:

    É mais um projeto falhado. O princípio até poderia ser interessante: dotar os nossos alunos de ferramentas digitais. Contudo, foi dinheiro deitado fora. Teria sido preferível dotar as escolas dessas ferramentas. O trabalho foi mal feito e provavelmente nunca foi avaliado. Não foi uma mais valia para a comunidade e anda estamos a pagar milhões…
    Outra vez vez os mesmos senhores, os esbanjadores do costume.

    • Miguel Sousa says:

      O problema foi outro… a ideia era que os miúdos usassem as tecnologias mais cedo. E, no ano em que o projeto se iniciou, o computador valia para tudo e muito mais o que qualquer aluno até ao 12 ano podia querer de um portátil. Com a vantagem de os pais dos mais jovens poderem definir várias limitações.
      Depois disso avançar, então seriam as salas de aula a receber equipamentos.
      É que será que você sabe usar um sistema que lhe permita usar o seu computador para controlar 28 computadores que estão na sala de aula? Não é coisa de ligar o computador e realizar… É necessário equipamento e formação. E isso são coisas que levam tempo. Se já existir uma base, a formação é mais rápida. Se base, gastar 8000 milhões de euros em formação com informática (como gastou o instituto de formação profissional entre 2013 e 2014…) para os utilizadores continuarem a usar os mesmos computadores e o sistema antigo, pois o novo sistema, contratado a uma empresa privada que o devia ter entregue até ao final de 2013… ainda não está pronto e não há dinheiro para adquirir 6 novos servidores e 1200 computadores para o usar.

      Cá em Portugal costuma-se partir do telhado… as empresas dão formação para algo que vai ser. Depois é muito bonito dizer que tivemos quase o dobro de cursos de formação profissional que os Franceses… mas só 1 em cada 7300 formandos obteve trabalho entretanto. (nos franceses 1 em cada 1200 consegue trabalho nessa área)
      Desde 2011 que se criou a ideia que Formação é que é o caminho… é a mesma coisa que andar a dar cartas de condução ao mesmo tempo que se eliminam estradas e se tornam as outras muito mais caras para circular (incluir a subida de 170% na taxa de circulação viária que vêm com o IMI deste ano)

    • lmx says:

      Minhoto Az,

      não concordo!

      Se calhar acha que foi muito melhor “investimento”, a falência do BPN e os Submarinos, do que o magalhães??

      Gostos não se descutem…mas o magalhães tinha um proprósito, que era arrancar com a nossa industria tecnológica…

  6. Pois é, dividas ao fisco, e não só. Como pode uma empresa fornrcer o estado se tem dividas ás finaças. Incomprêncivel, lá vai o contribuinte pagar mais actura de milhoes !!!!

  7. Fábio Antunes says:

    tirem esse guito , da conta dele, aposto que deve la haver muito…
    A culpa é de quem votou nele….

  8. atjmbng says:

    os tribunais ou policia judiciaria deviam investigar a ligação José Sócrates -jp sá couto, como é possível fazer um computador que grande maioria não trabalhou um mês bem isto do magalhães foi a maior fraude a nivel mundial.o socrates fui o maior vendedor da j p sá couto tanto a nivel nacional como internacional.em prejuizo do País.

    • lmx says:

      a pj também deveria investigar o
      Passos Coelho, pelas fugas ao fisco, anunciadas nas tv’s e outras coisas..
      Cavaco silva pelo meio milhão de euros ganhos a NOSSA CUSTA no BPN, e outrs coisa..
      O Portas dos Submarinos, e outras coisas..

      etc, etc, etc.

      O crime sobre os submarinos foi cometido em 2009, porque foi nesta altura que Portugal pagou…

      Ora já vem gente fechar o caso e dizer que afinal…o caso prescreveu :S ??!!

      mais do mesmo…

  9. Benchmark do iPhone 6 says:

    Diz o post que o Estado gastou 273 milhões de euros com 1.372.815 computadores, o que dá uma média de 199 euros por computador (o preço a pagar pelos pais dos alunos era diferenciado).

    Este é o enésimo post sobre o Magalhães. Descontando os comentários dos nhã-nhã-nhãs, houve boas análises de professores. Como já passaram uns anos, para neste post não ser só nhã-nhã-nhãs, não andam por aí alunos que usaram o Magalhães para contar como foi?

  10. jAugusto says:

    O maior problema é saber então o resultado do investimento: miudos e empresa. A coreia sul apoiou a Samsung e esta é o que é agora, por cá qual foi o resultado: vivem apenas à custa de paises pobres que cujos dirigentes acham o pc uma coisa do outro mundo! Qual é a percentagem de negócio no mercado privado? Qual é o projecto? Nos USA a policia começa a usar tablets ou smartphones – portateis já foram (escrever um relatório num carro em movimento…) existem varias empresas a entrar no negócio, depois deste dinheiro todo onde estão os resultados sem o estado. >São estas empresas os filhos bastardos do estado que nos continuam a sugar!?

  11. zombie says:

    JP SA couto…JP SA couto…jp SA couto…no entanto esta eh mais uma gorda fatia de cerca de 20%, que vai parar aos cofres dos glutões do costume, operadoras de telecomunicações, os mm que nos vendem …gato por lebre…continuamente!

  12. Jose Simoes says:

    O magalhães foi uma ideia arrojada, mas foi mal executada. Não foram criadas estruturas de apoio (era difícil reparar magalhães, mesmo de problemas que não eram resultados de acidente violento, eu tive um e devolveram-me o dinheiro porque não o conseguiram reparar no prazo de 1 mês).

    Provavelmente o dinheiro teria sido melhor empregue criando locais de acesso permanente nas escolas e formando, se necessário, monitores e reparadores para suporte a essas estruturas.

    Mas o principal erro que aponto é não terem sido criadas estruturas que permitissem um seguimento da experiência.

    • lmx says:

      O problema é que:

      tens um governo…e tens uma oposição…que luta APENAS se promover,matando tudo o que de bom esse governo lança!
      Esse é que é o problema!

      O governo que vier a seguir, mata os sucessos do anterior…e é sempre isto…este é que é o problema!

  13. Rudi says:

    Se alguém já abriu um Magalhães e perceber mínimo de hardware e fizer comparação do que existia na altura vai aperceber-se de que foi tudo feito com restos das fabricas!

    Motherboard penso que era feita pela ECS (Elite Group que deve ser das piores fabricantes de MB)
    HDD de 30 Gb 1.8″ mais caro que um disco de 2.5″ 160 Gb (mais restos)
    Monitor mais comum que pode haver
    para não falar no resto

    Como é que um portátil destes custa 199€ ao estado e PVP custava mais de 300€ entregue a uma empresa que fugiu ao fisco, sem falar no suporte ao e-escolas que foi entregue a uma subsidiaria do BES salvo erro.

    Enfim a ideia era boa, a execução é que foi deveras espectacular… paga tuga.

  14. Manuel Ribeiro says:

    Foi mais um avanço e mais uma dívida. Acho que valeu correr o risco. Foi um progreso

  15. luis quadros says:

    a ideia era boa se pensarmos que foi pensada com o único intuito de melhorar o ensino-aprendizagem em Portugal e não como medida política e de favorecimento aa terceiros. como vivo neste país há 38 anos não acredito muito na primeira.
    mesmo aceitando até a concretização das duas últimas situações o governo da altura poderia muito bem ter investido esse dinheiro na implementação de salas de informática por essas escolas fora e dotando as escolas com técnicos de informática que prestassem apoio quer a nivel de hardware como de software a alunos e sobretudo docentes em vez de fornecer computadores aos utilizadores (ensina-os a pescar em vez de pescar para eles). o que se verifica hoje em dia é que as escolas precisam destes espaços e sobretduo destes técnicos pois quem anda a fazer essse papel é mais uma vez os professores por carolice a e abegnação.

  16. nuno says:

    Mais um desastre custo superior a 250 milhoes de euros.
    E nao ha responsaveis ? Todos nos portugueses fomos acusados pelos bancos de nao sabermos gerir as nossas contas pessoais e até nos responsabilizaram por estamos endividados .
    Na consequencia dessas dividas ficamos com os nossos bens penhorados e perdemos o que juntamos numa vida.
    Diariamente somos confrontados com desastres publicos de milhoes gastos e ninguem é investigado ( investigado no sentido real da palavra , onde se apuram responsaveis e prendem se os culpados) , ou seja ainda se gastam milhoes na justiça que somente serve para nos atirar areia para os olhos.
    Como portugues lamento muito esta pouca vergonha de helicopteros , submarinos , freeports e magalhaes.
    Aos tapados e ignorantes de sempre aclaro que nao tenho afeicao politica por nenhum partido e que praticamente todos os que estao actualmente na politica deviam ser presos ou expulsos dos partidos para limpar com esta malina que nos tem destruido.
    A começar pelo presidente da republica , pois mesmo sabendo que o bes estava falido , vem a publico afirmar que o banco apresentava boas condicoes economicas e que os portugueses podiam ser todos roubados e ir ao terceiro aumento de capital do bes.
    Perante isto o que somos ? Para que servimos ? O que andamos aqui a fazer ?

    • lmx says:

      ” Todos nos portugueses fomos acusados pelos bancos de nao sabermos gerir as nossas contas pessoais e até nos responsabilizaram por estamos endividados .”

      Pois e também todos os Portugueses acusaram os bancos e os boys quanto as jogatanas que se passaram lá…a diferença é que tu tens que pagar os impostos…e nos BPNs Submarinos, etc…ninguém está preso…

      Depois nem todos os Portugueses são iguais, e nem todos se endividaram!Mas todos os inocentes estão “a pagar a buxa”!

      Mais a culpa dos endividamentos por aquisição de imóvel foi dos bancos e dos construtores imobiliários que inflacionaram o preço das casas…os construtores para ganharem logo mais na venda e os bancos para ganharem mais em impostos e cederem empréstimos maiores…

      Mas ninguém quis saber!

      Olha aqui ao lado em Espanha…Obrigaram os bancos a pagar a conta!

      É certo que parte dela foi paga pelo povo, mais a maior parte foi paga pelos bancos!

      Nós cá é o mesmo de sempre…pedimos dinheiro á troica, que se farta de mamar a nossas custas…enfim!

  17. jose moreira says:

    Já diz o ditado popular do norte ,depois da p..a fo…a não faltam pretendentes,talvez o pograma do magalhaes não tenha sido introduzido da melhor maneira,no entanto foi uma ideia
    arrojada e com um objetivo válido,bem ou não tão bem obteve
    resultádos no que diz respeito á democratização da informática
    que até então só disponivel para os filhos dos srs fulanos e tál.
    basta ver em qualquer lado,adolescentes,ainda crianças de então,a banalizar o uso do computador e afins.(não querendo dizer que seja 100% benéfico)mas o fundamento consensual da iniçiativa era esse mesmo .
    Estámos habituados a reçeber tudo que vem de fora e açeitár sem reservas ou criticas pois lá fora é tudo mais moderno,inteligente e fiável,por outro ládo olha-se com desconfiança critica quase tudo que nasçe cá dentro,esta mentalidade baseada em complexos de inferioridade cada vez mais nos vái empurrar para os arrumos da europa.

  18. José Moreira says:

    “só não a pagámos porque não quisemos que fossem os contribuintes a pagar,”
    Gostei! Finalmente, os governantes vão pagar a dívida do próprio bolso. Nada de massacrar os contribuintes, eles vão deixar de tomar café e passar a fumar menos, para poupar.

  19. AFonso Henriques says:

    Um bom contributo para os 23 milhões do sócrates

  20. diego says:

    Parece-me que foi dinheiro bem gasto. Conseguiram fazer com que todos os alunos tivessem o seu primeiro computador portátil. Ainda hoje utilizo o meu Toshiba A300 do programa e-escolas.

    • Alex says:

      No meu em lugar do Gameforce veio um m761SU,o leitor foi o primeiro a deixar de funcionar (so o usei umas 4-7x), ventoinha montada ao contrario para facilitar nos ruidos, grafica e cpu em serie no cooler…devem ter pensado que o cpu passava frio

  21. pinguim says:

    Foi um programa do governo pago com dinheiros publicos… que trat de conversa andamos a poupar reste tempo… a poupar o que? dinheiro dos ordenados?

    A ideia do progrma magalhães não parecia ser má, desde que cada um pague qq coisa pelo computador e uma parte paga pelo estado pelo programa…

    Se o estado deve 54 milhões às operadoras que ajudaram a implementar o programa que pague, afinal não está a fazer mais que a sua obrigação que é patrocinar a educação aos portugueses e aos seus filhos.

    Estava em orçamento de estado ou não? ou os governos não respeitam os orçamentos de estado?
    se fossem investigar os nossos politicos, quse todos têm envolvimentos em assuntos de corrupção e favorecimento…
    sejam de que cor forem, os deputados têm acesso a informações e movem codelinhos para determinadas empresas ganharem as coisas… não é só no estado… os administradores das empresas publicas e de outras não publicas como algumas qu conheco fazem o mesmo…

    • lmx says:

      pois é a triste cina do nosso querido Portugal!

      Teremos que começar a votar melhor nas eleições..

      Se calhar começar a escolher pessoal menos conhecido, e dar-lhes uma hipotse…que é o que começa a acontecer noutros Países…

      Olha o exemplo aqui mesmo ao lado…

      O Movimento Podemos…caminha para alcançar um lugar de destak na vida Política…e parece que nós precisamos começar a apoiar outras ideias…

      precisamos apoiar coisas realmente tenham valor…e não sempre a mesma desgraça.

      Vamos ter outra vez essa oportunidade dentro de 2 anos…vamos ver…aquilo que escolhermos…vai ser aquilo com que ficamos!

  22. JoseG says:

    …até em feiras os Magalhães foram vendidos por umas certas pessoas, agora são os portugueses a ter que pagar politicas totalmente ESTÚPIDAS da forma como foram desenvolvidas. Apenas a ideia subjacente se aproveitava, mas com políticos altamente corruptos não se podia esperar melhor

    • JN says:

      E essas pessoas receberam-nos sem pagar um tusto r continuam a mamar em rsi o que eu desconto do meu trabalho!
      Agora podia mandar meia dúzia de Magalhães para equipar a hospedaria de Évora…

  23. antonio costa says:

    Os meus putos tem ali 2 magalhães, até posso vender e doar para pagar essa tal despesa

  24. Jesus says:

    “fomos surpreendidos por esta dívida e só não a pagámos porque não quisemos que fossem os contribuintes a pagar, então estivemos três anos a poupar para a pagar”.
    Mentira 1 – os orçamentos dos serviços do estado esto devidamente provisionados e discriminados
    Mentira 2 – a dívida estava definida desde o início é feito na assinatura do contrato não pagaram quando foram eleitos porque não quiseram
    Mentira 3- está é a pior não queriam que fossem os contribuintes a pagar?!?,
    Mas onde é que vive este gajo em algum buraco no meio da Sibéria? Claro que são os contribuintes a pagar tudo são os contribuintes a pagar através dos impostos dos cortes nos ordenados….
    Haja gente burra em abundância no governo…. Bolas!

  25. Nuno Rosa says:

    A única coisa a meu ver que o programa e-escolas trouxe de bom foi a descida do preço dos computadores portáteis (não tenho a certeza se foi uma consequência direta ou se foi simplesmente coincidência da evolução do mercado).
    Digo isto pois antes de saírem os computadores e-escolas que custavam 150€ (aos alunos) se quisessem comprar um portátil teriam de desembolsar 1000€ para cima por um celeron (pior coisa que há no mercado) e após isso começaram a aparecer computadores razoáveis a partir de 300€.

  26. Nuno says:

    bom dia,

    em todos os comentários foi “esquecido” o seguinte…

    Graças a este programa Magalhães (que podia ter corrido melhor e de forma mais transparente) Portugal exportou MILHÕES de Euros, assegurando vários postos de trabalho e inovação.

    Se houve esquemas? houve.
    Se devia ter existido um concurso publico? devia
    Beneficiou o sistema educativo? Temos vários posts de alunos e professores a afirmarem isso mesmo.
    Se foi um mau investimento? Não creio.

    Sugiro aos comentadores que se documentem e informem devidamente antes de expressar a opinião que em muitos casos resvala para o apontar de dedo ao socas, e de uma leviandade brutal.

  27. Gonçalo says:

    Eu sou aluno do ensino público e ainda do tempo do Primeiro Magalhães!

    Se acho que foi dinheiro gasto em vão? Sim!

    O primeiro aspeto com o qual não concordo é as ilegalidades cometidas neste projeto educativo.

    Depois foi a deficiente inserção deste projeto educativo no ambiente escolar. Quando recebi o meu Magalhães andava no 4.ºano, e, se querem que vos diga, usei-o pouquíssimas vezes. Aproximadamente 1 vez a cada 15 dias, e quando o usava era durante o tempo de outras disciplinas durante cerca de 1 hora. Agora digam-me como é que um aluno do 4.ºano com 8/9 anos consegue aprender alguma coisa nestas condições.

    Quando fui para a “escola dos crescidos” passei a ter T.I.C. (Tecnologias de Informação e Comunicação, um nome chique para informática) 1 vez por semana, com aulas de 45 minutos, ou seja, entrávamos, ligávamos e computador, trabalhávamos 10 minutos e deligávamo-lo.

    Resultado: Já passaram 5 anos e dos 20 alunos que faziam parte da minha turma apenas eu e mais 3 ou 4 sabem entregar um trabalho com um design apelativo, para não falar da dificuldade em trabalhar com outros programas, como por exemplo o Power Point, etc.

    Conclusão: Podia ter sido um bom programa para a evolução do ensino? Sim, podia ter sido excelente! Excelente se os senhores que estão lá no ministério a alterar coisas banais como a mais recente que me surpreendeu: Alterar as classificações dos testes de Satisfaz para Suficiente, Satisfaz Bastante para Bom, entre outras mudanças usassem a massa cinzenta para se aperceberem que atualmente o ensino das tecnologias de informação e comunicação tem que mudar. A carga horária tem que aumentar, e, depois desta mudança sim, a introdução do Magalhães seria rentável e valeria a pena o investimento nesta área, se, claro, não houvessem quaisquer ilegalidades no processo!

    • lmx says:

      pois…

      concordo, eu do meu ponto de vista, acho que falhou muita coisa da parte dos professores …

      Desde o inicio mostraram uma resistência, uma falta de vontade…e eles deveriam ser o “motor” impulsionador deste projecto.

      Estimular os alunos para que evoluão rápidamente.

      Depois tens o problema dos politicos…quem não se lembra de uma aplicação Francesa que foi traduzida para o Português e tinha uma gafe numa palavra??

      A pessoa que fez a tradução, foi vaiada, e até se falava em agir criminalmente…quando essa pessoa trabalhou de graça, e tinha mais competências, e formação, que eles todos juntos!

      Essa própria pessoa disse algo do género “Fiz isto por amor a minha língua, mas vou deixar de gastar o meu tempo a ajudar, que se não um dia destes ainda vou preso…”!!

      Lamentável isto tudo!

      Mas é sempre mais do mesmo…tenho muita pena que o nosso País nos últimos anos tenha regredido, em alguns casos mais de 10 anos, noutros, mais de 30.

      Cumprimentos e bom estudo 😉

  28. portaro says:

    Vamos rir-nos um cadito, pegando na descrição do Gonçalo a qual acho sensata tal qual a(s) do Miguel Sousa, dizer que todos os projectos educativos de referência e com futuro na área de TI e educação têm de ser feitos sobre sistema livre e software livre, o Magalhães trazia CM (quantos o usaram de forma educativa?). Exigem a alguns níveis dinheiros rincipalmente na área de programadores e projectos a 10 ou mais anos, cá isso não existe metas e medidas ou meios vão caindo como a chuva ao sabor do vento.
    Usava-se o WIndows e pronto aí têm. O projecto foi falhado na vertente escola e educação TI por falta de bons planos educativos do país nesta área, professores (alguns) sem visão ou preparação (usa PowerPoint e pronto…) cola e pega. Depois os políticos e os conselhos educativos de referência não tem minima ideia do que é educar tecnológicamente e com ferramentas livres e as suas vantagens. E pronto temos uma empresa colaborante da educação tipo encher chouriços , hoje temos o Activar Portugal que é outra mamadeira empresarial dentro da educação ou pseudo-educação, formação de incapacitados profissionais. Quem paga – o nivel intelectual do país onde reina o simples imitar o que já foi feito com (nivel tecnologia) uso de ferramentas e licenças fechadas e não criar que é o que o mercado demanda. A ver se alguém vê alguma escola divulgar as CC CL GPL, para quê… Resultado é o que se vê, um punhado de ignorantes que na sua ignorância se acham capazes(de fazer má figura claro) não tendo minima ideia do “panzer” que é deixar uma nação sem perfil tecnológico-ciêntifico e portanto económico de futuro. O projecto Magalhães era positivo, o problema era a formação de quem o usava (nas aulas) como meio recurso, como e com que finalidade o usava e as directrizes de uso que eram inexistentes resultado faz-se o fácil enquanto usares o que outros desenharam nunca serás capaz de desenhar tu o teu caminho, esse projecto é bem o espelho da muito fraca oferta educativa que reina nas nossas escolas, universidades, assim como é o perfeito exemplo do aproveitamento posterior de empresas privadas em penetrar numa área educativa e como a utilizam sob a capa de ONG com fim económico (Activar Portugal) dizerem-se a criar uma capa tecnológica (a ajudar) o país. A cabeçada vai ser forte e dura porque: ler e saber interpretar é uma coisa e ler (discursar) é outra totalmente diferente. A mim não me admira nada disto já estou habituado cá é sempre a somar para baixo, o que me admira e muito é como num país com tal falta de “boa-sociedade” a sociedade educa e tal falta de “boa escola” a escola instruí, existem tantos e tantas pessoas portuguesas com muitas potencialidades e ávidas de bom saber, haja quem saiba entender isso e o país dará certamente os passos que há a dar, desde logo acabar com pseudo-formação tipo Activar Portugal e dar voz a quem verdadeiramente pode e sabe ensinar para criar, aos bons professores e tutores conscientes do caminho que tem de ser feito na área TI e qualquer programador de médio nível o sabe uma plataforma livre e autónoma é absolutamente primária para boas colheitas futuras. NA educação acabar de uma vez por todas com o encher chouriços isso é perda de tempo e dinheiro, além de convidar à não pergunta que é o inicio de toda a prendizagem.

  29. Darcy Brás da Silva says:

    Pergunto me quanto deste montante é destinado a pagar licenças windows invés de sei la, ter linux… mas quem sou. mais um parvo por ai…

  30. Henrique says:

    Ah Ah Ah!,
    Serao pagos a uma pessoa que tem uma empresa em nome individual e que devia milhoes ao fisco e ao qual todas as dividas foram perdoadas, quando nem sequer era elegivel para tal (empresa em nome individual e dividas ao fisco). Ja para nao falar do concurso que for manipulado pela Fundacao para a Ciencia, para que tivesse “Ajuste Directo”.
    Politicos em empresarios portuguese – We got to love them

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.