PplWare Mobile

Lisboa: Regras para a circulação e estacionamento de trotinetes elétricas


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. onurb82 says:

    Reparo que quem as utiliza, quando não precisa, as deixa em qualquer lado, sem querer saber se vão estorvar a alguém!
    Com esta falta de civismo, isto precisa é de sanções!

    • JJ_ says:

      O problema é apanhar essa gente.
      A maioria das pessoas não veem quem estaciona mal… mas aparecem mal estacionadas.

      • Biju says:

        As trotinetes têm um número único e gps. A responsabilidade é da empresa que disponibiliza o serviço. Depois de sancionada, deve fazer o que entender ao utilizador da trotinete em questão. Mas isso tem que fazer parte do acordo de utilização da empresa com o utilizador.

      • Antonio Salaraz says:

        No caso destas e-scooter alugadas a Lime no final do serviço tens de tirar uma foto onde deixaste a e-scooter e fazer upload na aplicação. A empresa pode começar a bloquear o serviço a quem não cumpre.

  2. Mr. Antunes says:

    E o que é foi aprovado ao certo? Era útil dizerem ou pelo menos referenciarem o documento.

  3. Rui Sousa says:

    Lisboa precisa é que os carros deixem de estacionar em cima do passeio, obrigando os peões a andar no meio da estrada. Precisa que a polícia fiscalize o excesso de velocidade e o uso do telemóvel ao volante, que são a causa directa de graves acidentes, alguns deles mortais.

  4. McGoms says:

    Um dia destes vemos os taxis a protestar contra as Trotinetes..

  5. Mateus says:

    A conclusão é: os portugueses têm tanta de civismo assim como os políticos (centrais e autarcas) passam 4 anos remunerados entre cafés e restaurantes e quando terminam acabam na direção de empresas grandes.

    Se a polícia e câmaras na cidade autoassem quem estaciona em locais indevidos e as câmaras melhorassem os passeios para as pessoas levarem os patins e bicicletas elétricas, talvez tivéssemos menos confusão e gastos. Uma pena também os mais velhos serem muito requintados e querem andar só de carro…

  6. Ferreira says:

    E ordenar a circulação das bicicletas, as quais circulam pelos passeios no meio dos peões.

  7. rui says:

    e ainda falta os capacetes

    • Antonio Salaraz says:

      A lime não disponibiliza capacete, mas quando vais iniciar o aluguer na aplicação avisam que é obrigatório o uso de capacete mas terás de ser tu a trazer, isentam-se de responsabilidade.

      • Paulo Almeida says:

        Não é obrigatório mas sim recomendado. Como para as bicicletas no código da estrada.
        Já agora as regras são iguais para as bicicletas e todos os velocípedes com motor auxiliar que não ultrapassem os 250w de potência e velocidade máxima de 25kmh.

  8. censo says:

    …e ver as trotinetes no meio das principais avenidas, sem iluminação, com o artista entre autocarros, sem qualquer capacete e/ou outro tipo de proteção…
    Como noutras cidades, as trotinetes vieram, para …desaparecerem. Moda agora, depois, não há regra que se imponha ao portuguesinho típico.

    • Mateus says:

      Se te referes noutras cidades europeias estás bem enganado, a tendência é mesmo bicicletas e trotinetes eléctricas pelo caminho de bicicletas, obrigatório. Se em Portugal não funcionará porque o tuga usa mal, porque o tuga polícia não autua e faz o mesmo e porque as autarquias não fazem os caminhos… então isso é outra conversa

    • Antonio Salaraz says:

      Outras cidades? Portuguesas, Costuma viajar para fora de Portugal? Vocês são uns profetas, atiram essas cenas a ver se acertam e depois podem vir dizer, “eu não disse, sou um sabichão more”
      Por exemplo em Barcelona nem falo do aluguer de e-scooter(trotinete), falo mesmo que vê centenas de residentes a deslocaram-se na sua própria e-scooter.

      • Mauro B says:

        neste país nunca ninguém está bem e tudo sempre incomoda, todos os que têm opiniões diferentes da nossa são burros, não conseguem argumentar sem imediatamente ofender o “opositor” e ninguém tem o mínimo interesse em se entender ou compreender os vários pontos de vista mesmo que não concordem com eles, o problema não é só o governo lambão e corrupto, o povo tem mea culpa porque é mais importante provar que esta certo e os outros errados do que resolver alguma coisa.

      • Fernando Pinto says:

        Imagino que os barceloneses que têm essas tais de e-scooters não as deixem no meio da rua, mas as levem para casa, não?

  9. Fernando Pinto says:

    Para grandes males, grandes remédios! Se as trotinetas estão estacionadas onde incomodam a circulação de peões e automóveis, com riscos acrescidos para pessoas com dificuldades de mobilidade e carrinhos de bebés, faça-se-lhes o que a EMEL faz aos veículos mal estacionados: levem-se para um depósito! É que se tal não acontecer, já imagino uma série de caixotes do lixo cheios delas, obra de peões irritados! Creio que as empresas exploradoras pensariam rapidamente em meios de controlar os estacionamentos! Quanto à circulação desordenada (sem capacetes, com mais de uma pessoa, no meio da rua, em velocidade excessiva, etc.), dê-se o poder que foi retirado às polícias pelos fiscais ao serviço da EMEL!

  10. luis says:

    Hoje vi uma trotinete no leito do Tejo na zona da Expo. A quem poderá ser atribuída a responsabilidade? Penso q a ninguém.
    Tb vi uma série de bicicletas com os stops partidos, mas estas estavam estacionadas num ponto de levantamento !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.