PplWare Mobile

IRS: Foi encontrado um bug no simulador


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Fairwind says:

    Ele há um lá que eu já tinha referido noutro artigo aqui, aquando duma explicação enorme que fiz sobre alguns pontos do IRS e o seu cálculo. E têm a haver com o novo ponto (que vai desaparecer novamente no próximo ano) do quociente conjugal, que na simulação “roubava” a parte referente aos filhos, aquando do cálculo final da colecta.
    Na maioria dos casos a diferença não vai ser muito grande, dê ele a pagar ou a receber.
    Pena no artigo do contapoupança não ser em parte mais específico, para eu entender se tinha a haver até com o ponto que acima refiro, se se referem ao mesmo que falo, foi tanto corrigido como nada pelo menos até a versão 2016.1.3 de 8 de Abril.

    • Manuel says:

      Olhe que não é a haver com , mas sim a ver com.

      • ZT says:

        Ó Manuel, és mesmo… De tudo o que o Fairwind disse, só tens isso a dizer? Não te deviam era reembolsar nada no IRS que era para não te armares naquilo que já se percebeu que és.

      • Fairwind says:

        Quem nunca errou que mande a primeira pedra … 😛 Por acaso, na situação que escrevi, sim devia ser: tem a ver com. Apesar de a palavra a haver estaria certa se eu me tivesse a referir a ter que receber valores monetários.

  2. Oscar says:

    Há outro BUG, experimentem colocar o meu NIB e vão ver o resultado!

  3. miguel says:

    Se fossemos nós, teríamos de pagar juros! E será fácil anular a declaração? Li que era preciso anular por escrito e ir a uma repartição perder tempo…

  4. Ricardo says:

    É impressionante como é que se ainda mantém um site daqueles! Aquilo é uma aberração em Java que obriga o utilizador a instalar a porcaria dum plugin. (bem pior que o flash) Onde é que está o design responsivo naquilo? Onde é que está o design funcional? Até quando é que vamos precisar dum curso para entregar o IRS… devia ser tudo transparente ao utilizador… no pior dos casos o utilizador só deveria dizer se está certo ou errado…
    Aquilo não é rocket science nem o bicho papão para terem medo de mudar… é um monte de regras e gerar um XML que é enviado para um servidor. Como é que ainda não fizeram uma página com simples HTML para entregar o IRS? Essa malta rouba tanto dinheiro que nem sobra uns trocos para pagar um sistema novo?

    • Rui C. says:

      Instalar o plugin para que, quando tens a aplicação.. perda de tempo.

    • Luis M. says:

      Eles disponibilizam uma aplicação java, não é preciso instalar o plugin nem browsers compatíveis.
      Se achas complicado entregar agora que é praticamente aceitar e submeter, imagino quando era necessário introduzir todas as faturas separadas por IVA…
      Mas sim, muito se podia melhorar.

      • sómaisum says:

        É sempre preciso instalar o java, seja como plugin seja como satandalone para conseguires correr a aplicação.

        Em relação ao resto, concordo, se agora é complicado, à uns 10 anos andava tudo pelos cabelos, e só contabilistas a facturar a custa disso.

  5. kabuki@gmail.com says:

    O Bug é só para quem simulou individual sendo casal anteriormente.
    Quem simulou sozinho como o ano anterior, tem tudo ok.

  6. Jorge says:

    Só uma questão. Vou submeter uma nova sem coimas mas depois tenho que estar + 30 dias há espera. Certo?

  7. FJR says:

    É giro isto; a AT deve pura e simplesmente olhar para os informáticos que estão a tratar destas plataformas informáticas. Há simuladores particulares que começaram a funcionar antes do período de entrega das declarações e que funcionam na plenitude e com exatidão. A AT e os seus funcionários necessitam de formação e de maior empenho na sua atividade. O contribuinte é que não deve estar a substituir a quem deve desempenhar as suas funções corretamente.

  8. BC says:

    É isto o que dá ao pessoal que se gabava “ah eu entreguei ainda antes do dia 1, e fui dos primeiros e tal!”
    Pois…

  9. Rui says:

    Uma pessegada!
    O Fisco é que se engana e o contribuinte é que tem de pedir por escrito para anularem a declaração num balcão das Finanças e posteriormente submeter uma nova declaração!??!?

  10. Filipe Henriques says:

    A porra dos bugs que tendem sempre para o mesmo lado…nunca há engano a favor do contribuinte…

    • Carlos Belchior says:

      Se fosse para o lado do contribuinte o contribuinte tinha que pagar. A segurança social também paga valores indevidos e quem os recebe tem que os devolver. Estado que é estado nunca sai a perder. Contribuinte que é contribuinte sai a perder, paga e ainda tem que andar contente e caladinho.
      Infelizmente existem muitos casos de unilateralidade…

  11. Paulo says:

    É inadmissível este bug. Simulei novamente e dá-me um cêntimo de diferença. Onde posso reclamar? 🙂

  12. Danny says:

    Aquilo esta tudo marado com despesas ou sem despesas o valor a pagar era sempre o mesmo. Quando vier para pagar se vier o valor que me mostrou vou ter de reclamar e me chatear

  13. tiago says:

    A mim que me apareça um erro, vou ás finanças, além de fazer barulho, faço reclamação… é uma vergonha gastarem 5 milhoes de € numa plataforma que no fim vai dar erro… informaticos da treta…

  14. Flav says:

    Admira-me é das pessoas não se queixarem em pleno século 21 de ainda terem que fazer IRS. Sabbem em que outros países isto ainda se faz?

  15. Pedro says:

    Fiquei sem perceber… para fazer a correção na declaração é necessário ir pessoalmente a uma repartição das finanças?!?!? Não basta simplesmente submeter uma nova versão do IRS como substituição da que já havia sido entregue?!

  16. João Rodrigues says:

    A nova declaração de substituição (submetida em conjunto com a minha mulher ainda antes do final de Abril) não anulou as anteriores submetidas de forma individual, ao fim de dois dias surgiu como errada por já existirem declarações anteriormente submetidas de forma individual. Após contactar a AT disseram-me ser necessário deslocar-me à repartição de finanças da minha residência (Montemor-o-Velho). Fui lá e disseram-me que sem cópia da certidão de casamento não anulam as primeiras declarações submetidas individualmente, portanto, o erro é das finanças, mas complicam ao contribuinte a resolução do mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.