Quantcast
PplWare Mobile

iPad ajudou em cirurgia ao fígado na Alemanha

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Marisa Pinto


  1. Ricardo Fernandes says:

    São noticias como esta que me deixam com vontade de comprar um ipad VS Android, como Sony Xperia Z ou Samsung Note 10″…. é a fiabilidade, a garantia que daqui a uns meses continua no seu melhor…Mas a limitação de “personalização” irrita-me um pouco 🙁

    • Pedro A. says:

      tb vais fazer operações?

      • Valente says:

        Eu para a minha operação vou esperar pelo 12.2″ da Samsung. Os médicos vêm melhor os meus interiores!!! 🙂

        • miguel says:

          ahahaha, por isso é que não usaram um samsung, mas sim um iPad, primeiro usar aparelhos de plastico como os samsungs é perigoso, segundo, ao usar um samsung, de certeza que a certo ponto ia crashar ou encravar, ahahaha, muito fraco.
          iPad = Fiabilidade acima de tudo.
          Samsung = M**rda acima de tudo.

          • Hugo Costa says:

            Antiga-me os cirurgiões deixavam tesouras e gazes dentro dos doentes… agora podem esquecer-se de ipad’s.

    • Hugo says:

      É uma noticia um pouco sensasionalista…
      Quem fez isto com um Ipad poderia muito bem ter feito com um outro tablet android…
      Qualquer um deles permitiria usar sistema de realidade aumentada!

      • Marisa Pinto says:

        Lol, agora é tudo sensacionalismo?

        Claro que poderia ter sido feito com outro tablet, mas não foi…
        Além disso aqui não está em destaque o iPad, mas sim a inovação que as tecnologias podem trazer e onde já estão a ser utilizadas.

        • Marisa Pinto says:

          omg…
          Porque iPad é o aparelho tecnológico que permitiu esta novidade.

          As coisas têm o sentido que lhes quisermos dar. Tenho pena que só vejam as coisas pela faceta material.

          • mario says:

            Isso é para rir. Não deves fazer a menor ideia de como é recolhida e processada a informação. Se pesquisares um pouco vais ver que isso já se faz à muito tempo, usando mesmo óculos 3D para visualizar a informação recolhida.

          • So_true says:

            A novidade é serem usados dispositivos comuns e baratos, como um iPad. Podemos imaginar por exemplo utilizações destas muito interessantes para os Google Glass…

          • Sergio J says:

            claro que sim. A questão é poder-se utilizar equipamentos com um bom grau de fiabilidade, mas infinitamente mais baratos.

            Utilizam ipads e não outros tablets por causa disso mesmo: fiabilidade. O mesmo é válido para os pilotos de aviões. Ou acham que escolhem o ipad por moda? Se vierem dizer que a Apple comparticipa, podem ter a certeza que a Google ou a Samsung tb comparticipariam se tivessem a oportunidade

          • Sergio J says:

            esta era uma resposta para o mario das 11h22 pm

          • jgt says:

            Talvez marketing:
            Um fã da apple estará sempre interessado em voar numa companhia que use um ipad.
            Aos outros apenas interessa preço e que o avião não caia.

          • Benchmark do iPhone 5 says:

            Os pilotos também estão interessados em usar um iPad no avião.

            http://www.forbes.com/sites/matthewstibbe/2013/05/03/american-airlines-pilots-lose-40lb-with-apple-ipad-electronic-flight-bag/

            P.S. Qualquer argumento que tome como premissa que quem usa equipamentos da Apple é estúpido e os “outros” (habitualmente os samsunguistas) é que são os inteligentes – é estúpido. E é assim para o infantilóide.

          • jgt says:

            Nada que não se fizesse com qualquer outro equipamento similar ( um kindle fazia o mesmo, era mais barato e mais leve). Se não fosse ipad não era notícia.

          • Nunes says:

            Na verdade não é assim tão simples como julgas. Para ser usado numa sala de operações terá que ter alguns requisitos mínimos em termos de materiais e fiabilidade!
            O iPad foi rapidamente adoptado em meios hospitalares um pouco por todo o mundo, pois comprovou ser de qualidade e confiança. PAra isso, muito ajudou o facto de não haver problemas de compatibilidade entre modelos e um rumo de desenvolvimento bem definido e com óptimas perspectivas de futuro!
            O mesmo é mais complicado de se obter no ambiente Android, dada a heterogeneidade da oferta, e alguma volatilidade! Quase obrigaria a ter modelos específicos para estas aplicações para assegurar compatibilidade ao longo dos anos! O facto é que o iPad dá mais garantias para o futuro para quem tem de investir neste tipo inovação!

          • jgt says:

            @Nunes
            Pelo teu paleio nunca deves ter entrado num bloco operatório.

          • Nunes says:

            Não sei ao que vem ao caso se entrei ou não numa sala de operações, embora te possa dizer que a minha área de trabalho já me pôs em contacto com cirurgia e com os cuidados necessários!
            Fica aqui uns factos para ruminares! Certos equipamentos de uso hospitalar necessitam de certificação, os materiais usados necessitam ser de fácil limpeza e deve ser possível usar produtos desinfectantes hospitalares! Creio que não é preciso fazer um desenho para se compreender que não é qualquer tablet que vai entrar numa sala de operações!
            Nada do que disse implica que só o iPad será usado, apenas que o iPad deu/dá mais garantias para este género de aplicações do que um tablet baratucho que se compre numa loja! Há companhias que desenvolvem este tipo de equipamentos especificamente para uso hospitalar, mas são obviamente mais caros!

          • jgt says:

            @Nunes
            Não são certos equipamentos, são quase todos. Os equipamentos que entrem em contacto com a área cirúrgica devem ser esterilizados ( por isso foi colocado num saco ). Espero que o teu desenho não seja feito num ipad.
            As companhias a que te referes produzem equipamentos que realmente tornam mais fácil e seguro a realização de algumas intervenções cirúrgicas. Isto que foi feito com o ipad apenas substitui a colocação de imagens num negatoscópio.
            As frases pomposas que usas podem ser aplicadas a qualquer área industrial e afins. Por isso é que sei que nunca entraste num bloco operatório. E sim, tudo isto não passa de publicidade.

          • Nunes says:

            Continuo a não perceber a relevância… será que é preciso entrar numa para saber regras e práticas básicas? E será que isso de alguma forma invalida que não é qualquer coisa que entra numa sala cirúrgica, e por consequência as escolhas de equipamentos para desenvolvimento/investigação!???
            “Não são certos equipamentos, são quase todos”
            hás de me explicar se como é que a expressão que usei não leva a ideia idêntica ao que acabaste de dizer? E há uma razão muito particular para ter dito como disse… equipamentos experimentais/protótipos tb entram em salas cirúrgicas. Em alguns hospitais até se fabricam instrumentos usados em cirurgia
            QUanto ao saco, sim, tens razão no que dizes, mas as superfícies dos equipamentos necessitam de ser desinfectadas na mesma… os materiais precisam por isso de resistir aos produtos usados e ser de fácil limpeza!
            Se tudo isto não passa de publicidade, então qualquer noticia não passa de publicidade a alguma coisa!

        • mario says:

          faz-me lembrar daquela noticia dos tipos da nasa usarem mac pro. Já todos os funboys acharam que só foram à lua devido à Apple.

        • Paulo says:

          no meu hospital faz muito tempo que é feito com um asus, se eu souvese que isso era importante já vos tinha dito, este site fazme pareser cada vez mais a TVI, qualquer coisa que dei-e dinheiro e sensação ´vira noticisa.

    • mario says:

      essa deve ser para rir. Já pensas-te os créditos são de que desenvolveu a aplicação e não do dispositivo em si, já pensas.te que a aplicação poderá existir igualmente para Android.

  2. DEVAXTATOR says:

    @ricardo fernandes compras um acer iconia w3 e tens o problema resolvido:
    fiabilidade é um windows 8 pro
    personalização é windows…
    garantia tenho que dizer que nao confio muito na acer…
    mas por 299 euros… um windows full tablet…

  3. Emannxx says:

    Também podiam ter usado a app “XRAY” para fotografar o corpo por dentro 😉 jk

  4. Tavares says:

    Ouvi dizer que o próximo modelo do iPad vai incorporar uma “gaveta” para as aspirinas e um dispenser para o anestésico…rsrs!!

  5. jgt says:

    Não passa de publicidade…

    • Benchmark do iPhone 5 says:

      Sem dúvida. Vê-se que são actores contratados e figurantes. Quanto é que terão pago ao que fazia de doente para lhe abrirem o fígado ?

      • So_true says:

        É perfeitamente expectável que o Fraunhofer Mevis tenha de alguma forma compensado o paciente que aceitou participar nesta “cirurgia experimental”, acabando com as suas entranhas expostas ao mundo inteiro, tal como à equipa médica e o próprio hospital. Se pagou, não foi certamente por caridade, mas uma questão de negócio, teste e sim, publicidade.

        • Marisa Pinto says:

          A questão é… O que isso interessa?
          Por vezes é esse género de visão que atrasa a evolução.
          Existe uma cirurgia que teve o auxilio de um tablet (que neste caso foi iPad). Acho que o essencial a que se deve dar foco é isso mesmo.. As implicações e oportunidades que daí se podem retirar num futuro.

        • Nunes says:

          Este género de coisas não têm compensações ou pagamentos, poderá até ser eticamente reprovável nalguns países ou mesmo banido, como em Portugal!
          Compensação em investigação em humanos limita-se a casos em que terá benefícios muitos remotos ou nenhuns para os sujeitos, no intuito de angariar voluntários para obter dados para estudo, não se aplica a pacientes submetidos a uma intervenção cirúrgica!
          A compensação é uma prática limitada a alguns países e necessita de autorização dum painel de avaliação independente.

          Obviamente que há sempre uma questão de divulgação de informação/publicidade da tecnologia desenvolvida, mas olhar para isto somente como mera publicidade é miopia! A tecnologia existe para ser um instrumento, uma ajuda na intervenção cirúrgica, não existe para ser publicidade!

          • So_true says:

            “A tecnologia existe para ser um instrumento, uma ajuda na intervenção cirúrgica, não existe para ser publicidade!” E o que será isto? Diplopia? Não, utopia!
            A (ou o) Fraunhofer Mevis, não é uma instituição de caridade, sobrevive e desenvolve a referida tecnologia com dinheiro e precisa de testar (e publicitar) os seus produtos, por razões económicas e não para “ajudar o próximo” (leia-se oc cirurgiões ou em última instância os doentes).

          • Nunes says:

            Isso já deve ser a concussão que sofreste, pois isto pouco difere de todas as outras noticias de avanços na medicina – tudo mexe dinheiro e tudo necessita de relações públicas!
            A tecnologia existe para ser um instrumento, não existe para ser publicidade, se a tecnologia não funciona ninguém compra! É uma área exigente, e não vai ser só porque aparece numa noticia do jornal que vão a correr comprar.
            Quanto à Fraunhofer, é uma instituição altamente respeitada no meio académico pela excelência da sua investigação! Tira proveitos económicos de muito do que desenvolve, mas não lhe tira o mérito da qualidade.

          • So_true says:

            Concussão?!
            Já estás a falar coisas sem senso e a tentar contradizer-me reforçando na verdade o que eu disse…

          • jgt says:

            Existem outros equipamentos que fazem o mesmo. A notícia é ter sido um ipad.
            Os pagamentos não necessitam ser directamente às pessoas. Gostaria de saber a lista de patrocínios do Instituto.
            È por estas razões que artigos científicos vêm com longas listas na área de conflito de interesses.

          • Nunes says:

            @ jgt
            exacto! existem outros que poderão fazer o mesmo, desde que tenha sido desenvolvido software para isso! Neste caso parece que desenvolveram para o iPad, o que pelos vistos leva muita gente à cegueira, pois deixam de ver a inovação (que é independente de ser ou não num iPad) e só conseguem ver publicidade! Se fosse outra marca será que faziam a mesma observação?

          • Nunes says:

            @ jgt
            quanto a pagamentos, explica a necessidade de pagar ao paciente indirectamente – era essa a questão!? Tal seria muito grave e completamente reprovado pelas autoridades!
            Se o teu comentário visa o pessoal do hospital, tendo envolvimento directo no projecto não faz muito sentido a questão de pagamentos, pois ninguém assume como sendo independentes!
            Deves estar a fazer confusão com outro tipo de estudos que às vezes aparecem, que supostamente seriam feitos por grupos independentes, mas pagos pelas empresas!

          • Nunes says:

            @ So_true
            Faz todo o sentido! É das poucas coisas que consegue explicar como é que classificas uma frase de utopia ignorando por completo o que digo mesmo antes, e ignorando tb toda a tua argumentação anterior sobre pagamentos. Claramente foi um problema de memória, e concussões podem levar a perda de memória!

          • jgt says:

            @Nunes
            Publicidade não se resume a pagar directamente às pessoas.

          • Nunes says:

            @ So_true
            queres dizer o quê com isso? Isso de alguma forma contraria o que disse? Tem algum paralelo até com o que é discutido aqui?

    • Marisa Pinto says:

      Eu acho que a Apple não precisa de publicidade 🙂

  6. Marcelo Barros says:

    A aplicação de realidade aumentada parece muito fraquinha, nota-se que não enquadra a imagem virtual com a imagem real do fígado.

    Demagogia pura para continuar a vender aos dummys.

    Isto pode ser feito com qualquer tablet como toda a gente sabe, basta para isso ser desenvolvido uma aplicação, mas a aplicação aqui em causa parece muito fraquinha.

    • Marisa Pinto says:

      Parece muito fraquinha?
      Ok, não percebo essa visão, o importante é ser uma app xpto ou fazer o que lhe é pedido?
      Acho que, no âmbito da saúde, o factor principal é a funcionalidade

      • Ivan Cantarino says:

        Realmente.
        A App é extremamente objetiva na sua função, o que faz com que cumpra todos os requisitos.
        Criticar é fácil, mas pode ser que esta App e um iPad ajudem alguns dos desfavoráveis da notícia.
        Aposto que se em vez de uma maçã na marca tivesse outro símbolo as opiniões não divergiam tanto…
        Enfim!
        Se calhar queriam que a App fizesse umas alheiras grelhadas!

    • pixar says:

      Não percebo nada de medicina para dizer se é fraquinha ou não.
      Posso é falar da minha experiência de pai. Aquando da gravidez para o meu primeiro filho, como é obvio, foram feitas as ecografias 2D pelos médicos e, porque os pais estão babados e gostam de ver tudo, também fomos fazer a ecografia 3D. Para nós, foi excelente porque se via tudo muito muito melhor. Para o médico, aquela ecografia era muito bonita, mas do ponto de vista médico, dizia-lhe pouco. Ele conseguia extrair mais informação da 2D que da 3D. Para mim a 2D não passam de manchas. Para um médico é informação.
      Por isso, o facto de não se ver muito bem, não significa que não seja útil para os médicos.

    • Nunes says:

      Deves ver muitos fígados todos os dias para ter tanta certeza que não se enquadra!
      Se fosse como tu dizes a aplicação não servia para nada, pois sem precisão facilmente se cometeriam erros na cirurgia!

  7. Pedro Dias says:

    Bem, é um bom modo de rentabilizar os devices que temos.
    Acho que o que falta é isso mesmo! Fazer apps que sejam verdadeiramente uteis para casos específicos (como no caso dum centro de saúde, por exemplo).
    Em Portugal será difícil, pelo menos no setor publico.
    Acho que é isso que tem feito do iPad um sucesso ao contrario dos Android. Apesar de mais caro e talvez menos potente, tem mais utilidade.

    Ps: Alguém aí mestre em iOS pode ajudar-me com as iMessage?
    Se nós enviarmos uma sms/iMessage para um numero de telemóvel (outro iPhone) não seria suposto que o sistema reconhecesse se o destinatário tem os dados/wifi ligados e assim escolher se envia sms ou iMessage? Tenho tido problemas com isto, nomeadamente com mensagens retidas.

  8. DanielC says:

    Este foi um dos grandes objetivos que o Steve Jobs queria atingir, que os seus iDevices ajudassem a mudar o mundo, e este é mais um caso deles 😉

  9. Jacinto Leite Capelo R says:

    Já foi feito com Android mas os pacientes morreram todos.

  10. kekes says:

    O louvor não é para o aparelho usado, mas sim para a aplicação. O resto é sensacionalismo e publicidade.

  11. ZiLOG says:

    Programas Windows, Linux, Android, iOS, etc. Os programadores fazem o que bem quiserem. Este programa podia estar a correr em qualquer sistema operativo.
    Como ele programava para iPad’s, fez o programa para ele.

  12. John says:

    Se realmente quisessem promover a app ou a novidade tinham-se referido ao iPad como um “Tablet” toda a gente via que era um iPad nas fotos, mas o texto foca bem a necessidade de ser um IPAD!

  13. Sergio J says:

    o ipad é um equipamento fiável, não crasha por tudo e por nada. Ou queriam que estivessem a utilizar e de repente ups. Ah, esperem é só fazer um hard reset, vai-se ao xda e coloca-se rapidamente uma rom cozinha e já está. Ora bem, continuemos então com a nossa operação

  14. Sergio J says:

    relativamente à publicidade, dizem que a Samsung tb vende frigorificos. E a Apple nao vende tb, por exemplo, portateis? Aí é um mercado cão e no entanto eles tem um quota importantissima.

    Normalmente é rara a publicidade aos ipohnes. Vê-se claramente muito mais publicidade aos Galaxy. No entanto, é importante não descurar a publicidade que é feita nos filmes. Sempre que vemos um iphone ou um Sony (refiro um Sony porque talver seja a marca que mais faz isto) num filme, as marcas estão a pagar rios de dinheiro.

  15. João Neves says:

    Confirmo, trabalho em imagiologia,já o aqui afirmaram, que a informação foi recolhida e tratada por máquinas que custam centenas de milhar de euros sendo utilizada uma aplicação específica num iPad (mas poderia eventualmente ser outro tablet qualquer). Não teriam dado tanto valor a esta noticia se seguissem a serie “Saving Hope” em que o Ipad (aqui entra MESMO a publicidade) é um instrumento de trabalho. A série vai quase com 3 anos de realização…

  16. Nuno says:

    Haters gonna hate ALWAYS!
    Basta ter uma maçã que as coisas ficam descontroladas! Este tópico passou de uma informação sobre uma avanço tecnológico, em que foi usado um ipad, para uma habitual guerra contra a Apple e que alguns entendem como uma operação de marketing… Se a noticia fosse sobre um programa desenvolvido para um Asus já não era… haja paciência!

  17. jgt says:

    ipad aparece 5 vezes na notícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.