PplWare Mobile

É oficial! Chegou o HarmonyOS, o novo sistema operativo da Huawei


Imagem: Engadget

Fonte: Huawei Developer Conference 2019

Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.

Destaques PPLWARE

  1. arc says:

    Está a dar em directo…

  2. Sérgio says:

    Um dia os chineses carregam no botão e desligam isto tudo.

  3. David Guerreiro says:

    Não permite acesso a root, então não serve. A Huawei não tem muito boa imagem na comunidade, começa logo com bootloaders bloqueados, o que torna a comunidade quase inexistente.

    • Eu Mesmo says:

      Tava a pensar no mesmo. O facto de ter ido para um OP é mesmo porque eles até incentivam a questão de Root

      • Ze Ingles says:

        Isso pode funcionar em smartphones mas isso não vai ser possível manter em equipamentos tipo para carros e afins dai a tendência seja cortar o acesso ao root. O fuchsia da google vai no mesmo sentido. Isso acaba por ser uma falsa questão. À medida que no smartphone se usa dados cada x mais sensíveis, não os queremos expor duma forma deliberada.

    • humberto rocha says:

      Só na sua ignorante comunidade…

      • Miguel Lopes says:

        Não é na ignorante comunidade dele, é na comunidade Huawei mesmo que 3rd parties pedem + de 100€ para desbloquear um bootloader só para podermos ter acesso a root que dá jeito para algumas pessoas, para si se calhar não dá porque não necessita

    • O novo do restelo says:

      “A comunidade”? Mais de 98% dos utilizadores de smartphones nunca fez nem vai fazer root na vida. Os programadores não precisam de root para testar as apps. Um iPhone alguma vez precisou de root para ter milhões e milhões de utilizadores?

      Isso é a leitura de elementos da “comunidade” preocupadinhos com o não poderem fazer tunning nos seus smartphones. Os outros 99% não querem saber.

      • KadoBR says:

        Concordo parcialmente meu caro, o root nos dá a liberdade de escolher quais aplicativos queremos realmente instalados em nosso smartphone, por exemplo eu não uso o app do facebook e um serviços do mesmo fica rodando em meu sistema sem que possa desinstalar, sem contar os apps da samsung, da operadora que também nos é colocado goela abaixo.

    • met says:

      Concordo que é chato. Mas uma palavra: ios.

    • sakura says:

      “”Não permite acesso a root, “”
      ou seja no SO não se pode aceder ao ” kernel space ” como no BSD, ROOT (User mode ok) ROOT SO (Kernel mode nop…)
      https://en.wikipedia.org/wiki/User_space

  4. Zé Duarte says:

    Viram o que acontece, Google? Viram? Deram o rabinho ao Trump e pumba, um novo concorrente. Lá se vai o Android no mercado chinês.

    … não dá para fazer root? Estão com sorte, Google.

  5. Savio Oliveira says:

    Esse sistema terá a mesma cida útil do UWP, uma pena…

  6. Reinaldo says:

    Todo o sistemas que tenham kernel dá para root
    Que venha para a rua para termos escolha entre chinês ou americano

  7. Pedro Santos says:

    Pelo menos assim ninguém lhes controla o espianço para a China.

    Só compra lolhuweis quem é maluco.

  8. arc says:

    Como dise o Richard Yu, o Harmony OS, é a primeiro Distribuição em microkernel-based, disponível para todos os cenários tecnológicos, quer isto dizer que o Harmony OS, pode ser integrado para permitir o funcionamento em vários devices, como seja o exemplo de carros, tvs, etc. Ao mesmo tempo, também esta plataforma pode funcionar com variações de RAM desde kilobytes até gigabytes.

    Por outro lado, o ARK Compiler, o qual é utilizado no Harmony OS, permite o desenvolvimento e escrita de aplicações em Kotlin, Java, C e C++.
    Quer isto dizer que a plataforma pode suportar, aplicações em HTML5, Linux e Android de forma nativa!

    Amanhã, o Harmony OS, vai ser apresentado conjuntamente com a TV Honor Vision

  9. Miguel Lopes says:

    Sem acesso de Root, só chega daqui a 1 ano aos wearables, está morto a nascença, é um non issue, Huawei e Trump podem-se juntar, só têm ideias idiotas, desde bootloaders bloqueados para mim Huawei está morta

    • Silvio says:

      Não se desesperem.
      Logo, logo alguém desbloqueia.
      O Android também foi assim.
      Hakers são mais inteligentes que os programadores normais.

      • Miguel Lopes says:

        Claro que alguém desbloqueia, a questão não é essa, é que a Huawei quer ser igual a Apple mas depois enche os smartphones de anuncios, não sei como é a Apple mas duvido que funcione assim, e depois para nos vermos livres de anuncios temos que pagar para desbloquear um bootloader, já vi desbloqueamentos a mais de 150€.

        • Helder Coelho says:

          Asneira atrás de asneira… Deves de estar a confundir com Xiaomi. A Huawei até a pouco tempo fornecia gratuitamente o desbloqueio do bootloader, reverteu a sua posição e muito bem! De que interessa comprar um smartphone e ter o bootloader desbloqueado e expor o terminal a tudo a mais alguma coisa com ROMs não certificadas, alteradas sem qualquer certificado ou garantia de qualidade ou segurança? Não digam asneiras… Só um nicho de utilizadores usa o bootloader desbloqueado e usa ROMs e maior parte nem sabe o que está a fazer!

          • Miguel Lopes says:

            Confundir? Huawei não desbloqueias bootloaders desde julho 2018, neste momento é a Apple do Android! Eu em todos meus equipamentos faço root, se é asneira, é minha!! Não gosto de levar com anuncios e gosto de ter total controlo do meu equipamento, a Xiaomi deixa desbloquear o bootloader passado vários dias de o teres comprado, alem disso o root pode ser tirado e bloquear de novo o bootloader, e voltar a ter a garantia, asneira se calhar és tu teres um smartphone com root, pode correr mal!! mas para quem sabe o que faz nem por isso, são opções, não asneiras.

  10. Jorge Carvalho says:

    Portanto vão usar o que a Apple usa desde 2001 ?

    Abc

  11. Jorge Madureira says:

    Este lançamento é uma tremenda derrota para os EUA e particularmente para Trump, acho até que este sistema não devia charmar-se Harmony, mas sim Trumpyes. De derrota em derrota até á derrota final, e estamos a falar de economia, quando for a militar então a China vão por os EUA de rastos, e isto até nem é mau, porquês acaba-se com uma nação patrocinadora do terrorismo.

  12. SpikyRaptor982 says:

    Como é que já chegou emui 10 se ainda nem sequer obtive o 9.1 no Huawei mate 20 lite ?! Alguém me sabe dizer se já receberam o 9.1 ?

  13. V.T. says:

    Tem nome de preservativo… Realmente os chineses não têm lá muita imaginação!

  14. arc says:

    Anda muita gente mesmo a menosprezar as capacidades da Huawei e da sua equipa de Desenvolvimento, sendo que é mais do que o momento para a UE, bater com o pé aos USA em todas as frentes e ombrear de igual para igual com os mais poderosos seja a que nível for.

    (Politiquices de lado…)

    Vamos a ver se nos entendemos…

    1. HarmonyOS é Seamless, quer isto dizer que é o PRIMEIRO SO para devices com arquitectura distribuída, proporcionado assim uma experiência perfeita entre todo e qualquer device.

    Escalpelizando, um pouco mais o conceito Seamless, quer dizer que ao ser adoptada esta arquitectura distribuída e a tecnologia do barramento distribuído, o HarmonyOS oferece uma plataforma de comunicação compartilhada, gestão de data distribuída, agendamento de tarefas distribuídas a todo e qualquer periférico virtual.
    Assim, com o HarmonyOS os programadores de aplicações, NÃO vão necessitar de lidar com a tecnologia subjacente para as aplicações distribuídas, permitindo que eles se concentrem na sua própria lógica de serviço individual. Portanto, as aplicações criadas no HarmonyOS, PODEM ser executadas em diferentes devices ao mesmo tempo que proporcionam uma experiência colaborativa em todos os cenários possíveis.

    2. HarmonyOS é Smooth, quer isto dizer que faz uso do que se chama de Deterministic Latency Engine e ao mesmo tempo de IPC (Inter Process Communication).

    Desenvolvendo o conceito, segundo consta, o HarmonyOS, vai abordar os desafios de baixo desempenho, com um mecanismo denominado de Deterministic Latency Engine e ainda com comunicação entre processos, o tal de IPC, de elevado desempenho.
    Importa dizer que o Deterministic Latency Engine, define por si mesmo, prioridades de execução de tarefas e ao mesmo tempo, limites de tempo para o agendamento antecipado (scheduling advance). Assim sendo, os recursos vão chamar a si, as tarefas com prioridades mais elevadas, reduzindo desde logo a latência de resposta das aplicações em 25.7%.

    3. Segurança, faz uso da arquitectura de microkernel que reformula a segurança e a confiança desde o início.

    Assim, o HarmonyOS vai utilizar um NOVO projecto de microkernel, o qual apresenta segurança aprimorada e ao mesmo tempo com baixa latência. Por isso mesmo, este microkernel, foi desenhado para simplificar as funções do kernel, implementar tantos serviços quantos possíveis no que se chama de user mode outside the kernel e ainda adicionar protecção de segurança mutua. O microkernel, fornece APENAS, os serviços mais “básicos”, como seja o agendamento de threads e o IPC.

    Indo um pouco mais fundo neste desiderato, podemos dizer, que o desenho presente no microkernel do HarmonyOS, vai utilizar métodos de verificação formal, para desse modo “remodular” a segurança e ao mesmo tempo a confiança a partir do zero, no que se designa por TEE (Trusted Execution Kernel).
    Assim o HarmonyOS, é o PRIMEIRO Sistema Operativo a utilizar este conceito de TTE, melhorando de forma significativa a SEGURANÇA.

    NOTA: quem estuda o Linux Kernel aos anos, sabe do que eu estou a falar.

    A juntar a tudo isto, ainda importa referir, que o microkernel do HarmonyOS, tem menos linhas de código (cerca de um milésimo da quantidade do Linux Kernel), tornando assim ainda menos provável as possibilidades de um ataque.

    NOTA: se eu me lembrar que aproximadamente 3/4 do code do Linux Kernel, são drivers, sistemas de ficheiros e arquitectura de código especifico, para além de uma abundância de comentários e linhas em branco, e se me lembrar ainda que o Linux kernel 5.2 vem com mais de 596.000 novas linhas de code (mais de 25 000 000 para o total do Linux Kernel 5.2)), olhem o que será este microkernel!

    4. Unificação, quer isto dizer, que o IDE de vários devices, permite que as aplicações, sejam completamente desenvolvidas, uma única vez e de imediato implementadas em vários devices.

    Indo um pouco mais fundo neste desiderato, ao ser “alimentado” por um IDE de vários devices, a compilação unificada em vários idiomas e ainda um kit de arquitectura distribuída (HiLink SDK), permite que o HarmonyOS pode ser capaz de se adaptar de forma totalmente automática a diferentes controles e interações de layout e ainda permitir o suporte para drag-and-drop bem como para a programação visual orientada para a visualização (preview-oriented visual programming).

    Como em tempo escrevi para o Pplware (num dos meus comentários), o Huawei Ark Compiler, é o PRIMEIRO compilador estático que permite executar a par com a máquina virtual do Android (dando por isso mesmo a capacidade aos programadores compilar desde logo uma vasta gama de linguagens avançadas em linguagem máquina), num ÚNICO ambiente unificado.

    Assim, o HarmonyOS, pode ser adaptado para de forma bastante flexível (como disse noutro comentário hoje), a qualquer device para assim criar uma experiência perfeita entre devices. Desenvolvido por intermédio do distributed capablity kit, ele cria um ecossistema de desenvolvimento compartilhado.
    O HaweiOS, utiliza Hawei Ark Compiler, com total suporte para o desenvolvimento de aplicações em vários tipos de linguagens, como sejam: Kotlin, Java, Javascript, C e C++, sendo que a plataforma vai permitir a compatibilidade de aplicações para HTML5, Linux e Android no futuro.

    São estas 4 características que diferenciam o HaweiOS, de todo e qualquer SO criado até hoje, e NÃO uma delas somente!!!

    • Reinaldo says:

      Muito bem explicado para o mortal comum

    • TuFfAs says:

      Sempre com comentários Premium, vale sempre a pena ler tudo. TOP

    • Miguel Lopes says:

      Muito bem, e desde quando é que um sistema bem feito por baixo é sinónimo de sucesso? basta ver o Windows, se falas em source code do Linux Kernel imagina então o tamanho do source do Windows Kernel? E no entanto o Windows é usado por 90% do comum mortal, o que interessa aqui é ADESÃO e a Huawei não mostra transparencia nem seriedade para ter essa adesão para destronar o que quer que seja, não é a qualidade técnica que mede um ecosistema é o marketing, infelizmente!

  15. Diogo says:

    Este SO promete bastante nem têm comparação possível com o WP que tanto comparam que foi logo um projecto falhado mesmo antes de ser lançado. Além disso a falta de apps não será um problema porque é muito fácil compilar as apps do Android para este harmony os.

  16. Buckethead, o meu coração só tem uma côr, azul e branco says:

    Boas a todos, eu sou um leigo nestas coisas, mas há um aspecto muito significativo que as pessoas se esquecem quando dizem que o ecossistema isto e aquilo, que não vai ter, não vai vingar, etc e tal.
    A China é o maior mercado, são centenas de milhões de utilizadores.
    Meter aquela gente a usar este sistema cria logo o ecossistema necessário.
    Segundo, todas as marcas chinesas poderão adoptar, em caso de necessidade, ou imposição, este novo sistema.
    Não se pode comprar o Windows phone, Symbian e outros, com este harmony.
    A realidade é completamente distinta….
    Não subestimem os chineses.
    Os tipos são espertos…
    É por último, já alguém parou para pensar e dizer… Pá, este sistema realmente mete o Android a um canto. É mesmo bom.
    Poderá vencer por ele mesmo.
    As coisas não são estáticas.
    Olhem para a Blackberry, para a Nokia… O que hoje é, amanhã já não é.
    Mas alguém pensa que a realidade de hoje será a mesma daqui a 5.anos ou 10?
    Marcas novas surgirão, outras irão desaparecer… Nada é demasiado grande para não cair.
    Só mesmo o Glorioso tem essa dimensão para não cair, mas pronto, o Glorioso é outra loiça.

    • Miguel Lopes says:

      Todos realmente um dia caiem.mas mais depressa quando adormecem, foi o que aconteceu com a Blackberry e com a Nokia (com o Symbian, ainda cheguei a programar nesse SO), a Google também poderá cair mas é uma empresa de software, não de hardware (como a Huawei), a Google desenvolve SO, desenvolve linguagens de programação (Go, Dart, Angular) e já está a preparar o futuro Android, o Fuchsia, na minha modestia opinião a Huawei não tem hipotese, até os próprios chineses não se vão todos juntar em torno da Huawei, a própria Samsung tentou com o Tizen e desistiu, é claro que a tecnologia têm um fim, mas não me parece que será o HarmonyOS com o seu microkernel (até parece que isto é novidade, já existem desde os anos 80) a destronar o Android

      • Buckethead, o meu coração só tem uma côr, azul e branco says:

        Até os próprios chineses não se vão juntar todos à Huawei, diz vc.
        Amigo, eu conheço muito bem a China porque já lá estive tantas vezes que já perdi a conta.
        Posso desde já garantir lhe que os chineses são muito nacionalistas perante acções externas.
        Basta lá o presidente pedir ao povo pela TV para preferirem marcas chinesas com o harmony, que a maior parte daquela gente vai toda fazer isso.
        É que depois quem não fizer assim é logo visto como traidor, não é patriota, etc.
        As vendas da Huawei na China aumentaram durante esta tensão com os EUA e a venda de iPhone diminuíram bastante, precisamente pelo nacionalismo, de preferir o que é deles.
        Já nós, enfim, o que é de fora é que é bom…
        Agora não podem, é claro, fazer isso no resto do mundo.
        Mas vamos aguardar, pode dar se o caso do sistema ser mesmo bom, diferente, com pernas para andar.
        Não acredito que os engenheiros da Huawei lancem um sistema que não preste.
        Para isso estavam quietos, para não cair no ridículo…

      • Diogo says:

        Você diz que o fuchsia é o futuro mas rebaixa o harmony os com o seu microkernel e eu pergunto o fucshia também não é microkernel???

  17. arc says:

    Vamos lá tentar esclarecer alguns factos, destinado aos menos esclarecidos e acabar de vez com tamanhas confusões!

    * O que é um Kernel?

    Vou abstrair e sendo assim, Kernel…mais não é do que um componente central de um SO.

    Assim, a sua função é agir como sendo uma “interface” entre toda e qualquer aplicação e o user e com o hardware, sendo que o ÚNICO objectivo de um Kernel é precisamente realizar a gestão da comunicação entre o software presente nessa máquina, ou se quiserem todas as aplicações no user level, e o hardware (CPU, memória, etc) ou se quiserem a comunicação via IPC.

    (Simplifiquei para não criar “nós” nos neurónios!), a quem ainda tem paciência para me ler no Pplware.

    PS: se ainda se recordam, e abordei sem mencionar isto mesmo, quando escrevi:
    “Deterministic Latency Engine e ainda com comunicação entre processos, o tal de IPC, de elevado desempenho.”, penso que foi em 2.

    Back…

    Eis as principais tarefas atribuídas a um qualquer Kernel:

    + Process Management
    + Device Management
    + Interrupt Handling
    + I/O Communication
    + File System, etc., etc.

    * O Linux é um Kernel ou um Sistema Operativo?

    Se olharmos para o que é um Kernel (acima em definição simples), então o Linux (Linux Kernel), NÃO é um SO.

    Hein?!?!

    Então como é possível um Kernel não ser um SO e porque quase todos o chamam de SO ao Kernel?

    Vejamos…

    Se o Kernel é o coração de um Sistema Operativo (seja ele qual for) e que realiza a gestão dos principais recursos de um Sistema Operativo, enquanto que algumas aplicações e outro tipo de utilitários são adicionados posteriormente ao Kernel, então SÓ assim poderemos ter um Sistema Operativo.

    A pergunta que se impõe neste momento, é …. Então o que é um SO afinal?

    Nada mais é do que: um kernel space e um user space, ambos em simbiose!!

    Tão simples quanto isto, verdade?

    Mas, voltemos pois, ao que muitos gostam de falar de Linux como sendo um SO e estão ERRADOS!

    Assim se o Linux é um kernel e NÃO um SO, na medida em que não inclui aplicações como utilitários de sistema de ficheiros, windowing systems e ambientes gráficos, comandos de administração do sistema, editores de texto, etc., etc.

    Então deve ser por isso isso mesmo que várias empresas, adicionam este e outros tipos de aplicações ao Linux Kernel e passam a disponibilizar um SO (Distribuições) como o Debian Linux, centOS, Arch Linux, etc., etc.

    (IMPORTANTE: chamo à atenção, que o Linux Kernel, para além das suas multi-facetas, tem uma que eu gosto imenso, ele pode ser compilado para a execução numa grande variedade de CPUs e plataformas com diferentes limitações e necessidades de arquitectura. A titulo de exemplo, poderei citar, a sua capacidade de execução de um processo com uma MMU (Memory Mnagement Unit), bem como processos que não fornecem de todo suporte para MMU.).

    Para não me alongar muito no tema, vou passar de imediato para as Diferenças entre um Microkernel e um Monolithic Kernel.

    PS: existem mais tipos de kernel em *nix e derivados e não *nixs, mas por agora para não complicar vamos com estes “fazer a festa”.

    Como escrevi acima, o kernel nada mais é do que a ponte entre as aplicações e o hardware do nosso computador, e NÃO é RIGOROSAMENTE mais NADA, por muito que andem por aí a dizerem o contrário!

    * Classificações do Kernel

    + O kernel, pode ser classificado em: Microkernel e Monolithic Kernel (mas há mais: Hybrid Kernel, Nanokernel e Exo-Kernel, quem sabe um dia falo destes!!).

    ++ Microkernel, é todo o kernel em que os user services e os kernel services, são mantidos em separado no que se designa por address space. No entanto, no Monolithic Kernel, kernel user services e kernel services (ambos), são mantidos no mesmo address space.

    Maionese do tema!?

    * Microkernel versus Monolithic Kernel

    + No Microkernel, o user services e o kernel services, são mantidos em separado no address space.
    + No Monolithic Kernel, quer os users services bem como os kernel services, encontram-se no mesmo address space.

    + Microkernel, é sempre menor no seu tamanho.
    + Monolithic Kernel, é maior que o Microkernel.

    + Microkernel, tem sempre uma execução lenta.
    + Monolithic Kernel, tem sempre uma execução rápida.

    + Em termos de segurança para o Microkernel, se um qualquer serviço falhar, isso afecta grandemente o total funcionamento do Microkernel.
    + Em termos de segurança para Monolithic Kernel, se um qualquer serviço falhar, a totalidade do sistema pode falhar.

    E muito mais haveria para dizer….

    Mini Resumo

    * Microkernel

    Como user services são mantidos no user address space e kernel services são mantidos em kernel address space, então podemos afirmar, que EXISTE uma redução para o tamanho real do Kernel e ao mesmo tempo, EXISTE uma redução para o tamanho final do SO.

    Vamos ao mix da “coisa”?

    Além da comunicação entre as aplicações e o hardware presente no sistema, o Microkernel, fornece por si só serviços mínimos de gestão de memoria e processos.

    As comunicações entre o programa cliente / aplicação e os serviços em execução no user address space é estabelecida, pelo que é designado por message passing, nunca interagindo directamente, reduzindo por isso mesmo a velocidade de execução do Microkernel.

    PS: no caso vertente da Huawei (para nos situarmos todos), é aqui que entra o Ark Compiler (mas não só, no SO deles), como venho a descrever.

    Num Microkernel, user services são isolados totalmente dos kernel services, assim se qualquer serviço do user falhar, isso mesmo não afecta o kernel service e por consequência o SO não sofre desse problema.

    Esta é a PRINCIPAL vantagem do Microkernel.

    Microkernel, é facilmente extensível, que isto dizer, se novos serviços forem necessários, eles vão ser adicionados ao user address space e por isso mesmo, o kernel space, não necessita de qualquer tipo de modificação.

    Microkernel, é também seguro e confiável bem como portable.

    * Monolithic Kernel

    O kernel monolítico realiza a gestão de todos os recursos do sistema entre as aplicações e o hardware do sistema.
    Mas,… contrariamente ao Microkernel, os user services e os kernel services, são implementados no mesmo address space.

    Assim sendo, isto vai aumentar o tamanho do Monolithic Kernel e aumenta mais o tamanho do SO.

    (lembram-se de eu ter escrito:

    “NOTA: se eu me lembrar que aproximadamente 3/4 do code do Linux Kernel, são drivers, sistemas de ficheiros e arquitectura de código especifico, para além de uma abundância de comentários e linhas em branco, e se me lembrar ainda que o Linux kernel 5.2 vem com mais de 596.000 novas linhas de code (mais de 25 000 000 para o total do Linux Kernel 5.2)), olhem o que será este microkernel!”).

    O Monolithic Kernel fornece CPU scheduling, gestão de memória, gestão de ficheiros e outra funções do sistema operativo via system calls.

    NOTA: system calls, um tema “medonho, mas doce” para ser falado um dia, com muita paciência, que tem todo o cabimento ser debatido, na medida em que envolve a transferência de controlo do user space para o kernel space e todas as suas “implicações”.

    Como os user service e os kernel services residem no mesmo address space, tem como resultante um SO com uma execução rápida.

    Uma das desvantagens do Monolithic Kernel é que, se algum serviço falha, todo o sistema pode falhar.

    Se um novo serviço for necessário ser adicionado no Monolithic Kernel, todo o sistema operativo deve ser modificado.

    Simplifiquei ao máximo definições e conceitos, para facilitar a vida a quem precisa dum mini-mini manual do Kernel.

    The End!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.