PplWare Mobile

Ensino Superior 2018: Colocações da 1ª fase já disponíveis online


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Falcão Azul says:

    Tanta vaga em Engenharia Civil ainda por preencher.Como é possível ?? Um dos cursos mais prestigiantes que sempre existiu.Não entendo isto. 😐

  2. Guilherme says:

    Para que ir pá faculdade? Só fiz o 12 ano e recebo 4500 por mes em Hamburgo e tenho uma vida melhor que muitos mestrados em Lisboa infelizmente para eles.

    • Marisa Pinto says:

      Talvez não saibas mas há coisas bem mais importantes e gratificantes que o dinheiro. O conhecimento, por exemplo, torna-te numa pessoa melhor.

      • Unknown says:

        Andei no ISCTE e conhecimento que aprendi foi so o basico…a maioria aprende-se no mundo do trabalho. Alem do mais as pessoas nos exames era tudo a copiar uns pelos outros por isso não é nas universidades que se aprende mas por trabalho autonomo e no mundo empresarial

        • LR says:

          Claro, basta assistir a um par de episódios do Dr. House, ver 3 ou 4 videos de cirurgias no Youtube, e estamos aptos a fazer uma cirurgia, certo?
          O que dizes terá alguma parte de razão, os conhecimentos práticos são adquiridos ou consolidados pela experiência, mas não se pode generalizar.

      • pia says:

        E quem disse que fazer faculdade/universidade de fará ter conhecimento? Um bando de zé-droginha, esquedista. Vale mais ler um livro.

        • Entitulados estes. says:

          Talvez ter frequentado faculdades. Ter conversas com pessoas que frequentaram faculdades e ter conversas com quem não frequentou.
          O facto de ter passado por esa experiência acrescenta valor à uma pessoa.
          Valor que trabalhar em trabalhos sem especialização nunca irão dar.

        • Carlos Costa says:

          Se for as faculdades do Brasil aí sim é preciso ter muito cuidado. Conheço informáticos que lá tiraram o curso e nada sabem fazer.

    • LR says:

      Claro, tens toda a razão. E depois, quando precisasses de um médico, um farmacêutico, um engenheiro, um veterinário, um dentista, um arquiteto, etc, ias adorar ser atendido por curiosos, patos-bravos sem conhecimentos técnicos e científicos, que em vez de te resolver o problema, o iriam aumentar. Iluminado…

    • User Pplware says:

      Concordo, quem não tem vocação para prosseguir os estudos não o deve fazer só porque os outros dizem que é melhor.

      • LR says:

        Apesar de não concordar com o Guilherme, concordo contigo. Há imensa gente que insiste em prosseguir os estudos, apenas porque os outros dizem ou pressionam para o fazer, quando o que deveriam fazer era optar por um curso profissional, ou algo semelhante. E, por outro lado, talvez se percam excelentes profissionais, porque têm vocação e vontade, mas não têm possibilidades de prosseguir os seus estudos.

    • ivan says:

      Comentário bem triste mas pronto cada um mostra a cultura que tem

    • Carlos Costa says:

      Se tivesses estudado agora estarias a ganhar bem mais aí. 🙂

    • Pedro Santos says:

      +Guilherme tu vais para a faculdade para aprender de tudo para quando chegar a altura de trabalhares podes trabalhar em muitas áreas da informática. De qualquer maneira, parabéns, gosto de ouvir histórias de sucesso no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.