Quantcast
PplWare Mobile

Dieselgate: Engenheiro da VW condenado a 40 meses de prisão

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Belmiro says:

    Uma boa parte da cadeia de comando sabia, mas claro, só a parte fraca vai de cana. Alemanha ou USA não são a Coreia do Sul onde se faz justiça …

  2. vitor says:

    e curiosamente sao mais poluentes com o software nao fraudulento ! (é so consultar a impeensa da especialidade) … ironico serem condenados por algo que ate se mostrou “amigo” do ambiente

    • Paulo Martins says:

      O problema não é o dano que o dieselgate provocou ao ambiente mas sim aos cofres do estado, visto que pelo facto de os carros serem menos poluentes no papel implica que pagam menos impostos.

      Quanto à condenação em si vamos ver, se for igual ou superior à das chefias será uma enorme injustiça, agora o facto de estar a cumprir ordens não o isenta do crime.

      • Fernando Jorge says:

        Nos outros países, não sei… mas em Portugal, a questão dos impostos apenas está relacionada com a libertação de CO2, e não era isso que o DieselGate estava a mascarar.
        Por isso, impostos não é a questão nesta situação.

        Isso não quer dizer que o estado Português não possa e não tenha alguma possibilidade de processar a VW por alguma outra razão (pessoalmente, não sei, porque não sou dessa área), mas parece-me que seria possível invocar alguma coisa.

  3. jone says:

    Boa. O gajo faz uma coisa recebendo ordens superiores. Quem vai preso é ele. A menos que tivesse agido
    por iniciativa própria, o que não é o caso, quem mandou fazer é que é o responsável.
    Quem se prejudica é sempre o mexilhão!

    • Sérgio E. says:

      Errado. Responsável são ambos: ele que o fez, mesmo cumprindo ordens e quem o mandou fazer.
      Se o seu patrão se chegasse hoje ao pé de si com uma arma na mão e o mandasse dar um tiro num colega, acha que isso o inocentava a si ? Se ele tinha consciência que estava a fazer algo para violar a lei, e sendo engenheiro certamente teria, é tão culpado como quem o mandou. É claro que depois poderá alegar que estava sob pressão de perder o emprego, e todos sabemos como as coisas funcionam na realidade, não pode nunca é alegar inocência, só por estar a cumprir ordens.

    • Adolfo Dias says:

      Não me parece que este seja mexilhão.

  4. Emanuel Vieira says:

    No príncipio comitente-comissário no máximo poderia ser co-responsável do crime. Mas como recebeu ordens pergunto-me se os superiores irão ser detidos também e com penas mais graves. Senão é vergonhoso!!!

  5. censo says:

    Sinceramente, para que serve a prisão nestes casos ? Para mim, para nada. O melhor é privar o senhor do seu estilo de vida, perdendo o emprego que tinha e o futuro acesso a cargos que possam substituir rendimentos perdidos. De resto, deixem o homem.

  6. Carlos says:

    “Só estava a cumprir ordens”.
    Não se lhe ocorreu não o fazer e bater com a porta… No mínimo, claro, porque tinha a obrigação moral e legal de denunciar a marosca. Sobretudo moral.
    Vai de cana que é bem feito.
    Agora espero é que os mandantes apanhem penas ainda mais pesadas.

  7. Luis says:

    À pergunta no meu entendimento, deve ter ficado provado que o supracitado engenheiro, agiu com dolo, com intenção lesiva real, apesar de ter apenas cumprido ordens, sabia bem que estas não eram corretas e conformou-se com as mesmas. Por isso no meu parecer estas também não deveriam ser considerado pelos juízes do processo.

  8. joao santos says:

    Não tenho pena nenhuma dinheiro naqueles bolsos e coisa que não deve faltar, achando que devia de pagar mais afinal de contas quem comprava o carro estava a ser enganado ele e os outros que mandaram o que o fizeram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.