PplWare Mobile

Devemos proibir o uso de equipamentos electrónicos nos jovens?


Marisa Pinto

Editora no Pplware e psicóloga de profissão. Desde cedo que a tecnologia é uma paixão, interessando-se em particular com o impacto que esta tem na nossa vida e nos comportamentos que as pessoas adotam nas redes sociais.

Destaques PPLWARE

  1. Johnny says:

    Deviam era proibidir as redes sociais Facebook,Twitter,Instragram,ASK.fm e por ai fora isso sim é perigoso para alem de ver putos de 8-13 anos em redes sociais que nem têm noção do que fazem la.. Já vi de tudo no facebook desde crianças dos 9 anos até os 12 Anos com saias curtas mas onde já se viu isso? Deviam proibir era isso! Vejo também rapazes e raparigas com 10,11,12,13 com Tumblr com imagens e ask.fm etc a expor toda a sua vida pessoal isso sim deviam proibir o facebook nessas idades não presta.. Expõem-se demasiado depois choram que foram vitimas de memes e trolls na Internet etc

    Agora bloquear totalmente não é o ideal até porque o que vão fazer eles na horas que não têm nada para fazer? Ir para a rua? Ah mães que são muito protetoras o que quero dizer com isto? Não querem que ele va brincar para a rua com medo então pergunto-me eu se o puto não pode ir a rua brincar vai ir a onde? Vair sair com os pais TODOS os dias? TODOS? E depois de sair que faz ele? acho um bocado injusto.. Mas pronto cada familia tem a sua forma de educar, embora eu não concorde totalmente com essas noticias, podem utilizar a Internet desde que não vão para o facebook e essas redes sociais por mim tudo bem. É degredante ver rapazes e raparigas no facebook com mais de 200 amigos que nem metade deles conhecem!

    • Pedro Couto says:

      A culpa é dos papás ausentes, não é das redes sociais permitirem que miúdos as utilizem.

    • Tiago says:

      Essas tais crianças que falas, a culpa só é dos pais.
      O proprio facebook, já no proprio registo, conseguesse ver, que não permitem pessoas menores a 13 anos, logo a culpa é totalmente dos pais, que não lhe metem a mão.

      O porque não ir para a rua como antigamente? Ninguem morreu por causa disso, e para morrer, é em qualquer lado, logo ser-mos pais protetores para que? As crianças em modo livre, teem mais imaginação e desenvolvem-se mais com todas as asneiras que fazem ao longo da sua vida em crescimento.
      Tudo depende da mentalidade dos pais, e as crianças só aprendes com as atitudes de quem lhe manda, como os pais.

  2. Paulo says:

    ponto9 – Emissões radioactivas? Não serão antes, radiações eventualmente ionizantes?

  3. FOAD says:

    Esse ponto 9 é um tremendo disparate. Não é verdade.

  4. navyseal says:

    Que tal algo mais simples? Não deveriam os pais ter formação adequada para serem… pais?

    • cc says:

      Pois… mais isso dá trabalho. Resolvia a grande maioria dos problemas, mas dá trabalho… e em portugal n se gosta de ter trabalho.

      É como na política, se dá trabalho então deixa pros outros que vierem e fecharem a porta (aka reforma do estado).

  5. okapi says:

    Não precisei de ler um manual destes para ter as mesmas atitudes. O meu filho teve acesso ao 1º PC aos 3 anos para jogar aqueles incríveis jogos que alguns aqui se devem lembrar “Blue’s Clues” e depois mais tarde jogos na base do tema Desporto e mesmo assim com horários. Só já com 12 anos lhe dei uma consola portátil da Sony e aos 13 anos um telemóvel. Hoje se há coisa que não liga puto é a computadores e telemóveis e coisas do género, e só utiliza o Laptop para univ., pesquisar, FB e ainda ter um jogo de basket. E olhem que depois das minhas regras,eu não me arrependo e nem ele morre de saudades.

    • Paulo says:

      Como em tudo, depende do ponto de vista. O meu puto, com 10 anos, anda a experimentar criar coisas com o motor do Unity..

      Acima de tudo, devemos controlar, mas acho que proibir um completo disparate. Se a crianca gostar de musica e passar o tempos sentada ao piano, ja nao ha problema?

  6. Jose says:

    Parece a TVI, com estudos da treta.

    Eu ja mexo em PC’s a mais de 15 anos, e não tenho, nem nunca tive nenhum dos sintomas acima.

    O mesmo para o meu irmão de 14 anos, que joga PlayStation e mexe no computador a anos, e não tem também nenhum dos problemas acima.

    A culpa não é da tecnologia, é do meio ambiente em que vivem e dos pais, este artigo é ridiculo.

    • Marisa Pinto says:

      1. A TVI não faz estudos, eheh
      2. Eu também mexo em pcs há 15 anos, e, ao inicio pensei que este estudo fosse ridículo, mas, se pensarmos bem, não é, e a razao é simples. A tecnologia nos nossos 13 anos, não é como a tecnologia de hoje.
      No nosso tempo, a tecnologia obrigava-nos a explorar e a aprender mais sobre os computadores, a desenrascar, a descobrir, a procurar soluções, e hoje está tudo um bocado fácil demais, o que também faz com que algumas coisas do post (o artigo é informativo atenção, não fomos nos que fizemos o estudo eheh), até tenham algum sentido.

      Mas tudo deve ter peso e medida, a tecnologia deve ser usava com moderaçao, como tudo, pois sabemos que pode viciar porque, actualmente, os conteudos são muito mais ludicos 🙂

      • Rui says:

        E quem é que disse que os jovens são todos iguais e não pesquisam por coisas interessantes na Internet?
        E os pais é que devem ter o controlo nos jogos de que os filhos jogam. Está bem explícito na capa do GTA 5 que é para 18/+18 e se os pais compram os jogos a culpa naos é das crianças…
        Além disso, o atraso da mentalidade de algumas pessoas em Portugal faz com que o SEXO seja um tabu. Talvez se os pais falassem sobre este e outros assuntos às crianças teriam menos “medo” de estas andarem na Internet…

      • Diogo V says:

        Marisa Pinto. Eu concordo contigo.

        Filho que seja meu no futuro, não irei proibir de jogar ou usar tecnologia, deixo mas será uma coisa moderada. Ora tanto deixo estar a utilizar tecnologia, como também o vou por a brincar na rua como nós fizemos enquanto crianças.

        E subscrevo o que disseste: “Mas tudo deve ter peso e medida, a tecnologia deve ser usava com moderação, como tudo, pois sabemos que pode viciar porque, actualmente, os conteudos são muito mais ludicos :)”

        Quanto ao que o Rui diz, eu também não concordo que um GTA 5 ou outro GTA qualquer deva ser jogado por crianças e esse controlo deve ser feito pelos pais.
        o facto de ser para maiores de 18 ou não acaba por ser relativo, neste caso o gta é extremamente violento para crianças.
        Mas existem outros jogos para maiores de 18 que não são assim nada de especial, que só são para maiores de 18 porque tem umas asneiras ou porque têm sangue a mais (God of War 3):P.

        Isto é só uma opinião 🙂

      • Jose says:

        A TVI não faz estudos?

        A TVI é dos canais mais ridículos que há, com os poucos estudos que apresentam sobre este tema de tecnologias e jogos.

        Em ambos os temas, a culpa é dos pais, e não da tecnologias e jogos em si.

        Eu já joguei GTA, e não ando pela a rua a matar pessoas e a roubar carros.

        Tudo o que é demais faz mal, não há excepções. Os maluquinhos que andam por ai, é tudo culpa dos pais e não das tecnologias.

    • Manuel says:

      Concordo que o acesso a tecnologia deva ser limitado (mas nao proibido) para as criancas. Vejo aqui comentarios de pessoas que “mexem em pc’s a 15 anos”. Tudo bem. O que e certo e que nao me parece que mexendo no pc a 15 anos, fosse com idades entre os 0 e os 7/8 anos. Dai que se calhar praticaram desporto e brincaram com os amigos, cara a cara, e portanto nao se incluem na categoria que o artigo se refere. A verdade e que se uma crianca que desde o berco praticamente so utilize tecnologia, vai se adaptar e se moldar (fisicamente e mentalmente) a isso. Vai se adaptar a esta vida tecnologica sedentaria de hoje em dia. Quando tiverem 20 anos, para pouco ou nada servirao. Pode parecer exagerado, mas parece me ser isso.

    • Défice de atenção says:

      Parece-me que sofreu de pelo menos um dos sintomas acima referidos, o défice de atenção nas aulas de português. Ái, ái…
      “Eu ja mexo em PCs a mais de 15 anos (…)” deveria ser escrito recorrendo a uma conjugação do verbo haver, “há”.

      Já para não falar do resto dos erros de pontuação e ortográficos.

      ;P

  7. Jorge H says:

    Tudo com “conta, peso e medida”.
    A maioria dessas razões, já para não dizer todas, não serão exclusivas da utilização da tecnologia. Serão resultado de todo o ambiente que rodeia a criança. A educação não é escolher entre dar um ipad ou um quadro de giz, é muito mais que isso. As crianças têm de ser estimuladas pelo ambiente em que se inserem. Têm de conviver, brincar com outras crianças, conviver com adultos, ter contacto com tecnologia, com prática de desporto… sei lá, tanta coisa. O processo de educação e crescimento não é preto ou branco, dai que nao concorde com este pseudo-estudo.
    Isto é a minha opinião, que ainda não tenho filhos.

  8. Daniel Alves says:

    Ei quantos comentários cheios de agressividade pessoal, andam a lidar demais com tecnologia 😛 LOL

    Agora falando sério eu acho o estudo interessante e realista de facto. No entanto concordo plenamente com partes do que aqui foi dito nos comentários, creio que o principal problema está nos pais que não têm o cuidado de filtrar os conteúdos que os mais novos podem ter acesso assim como ensinar-lhes a ter uma utilização moderada da tecnologia.

    Trabalho numa conhecida cadeia que vende tecnologia e é ABSURDO a quantidade de pessoas que compram Tablets para crianças com 3 e 4 anos…
    E o que mais me assusta é que na maioria os pais ou familiares pedem-nos para instalar jogos porque “eu não percebo nada disto mas ele está sempre a pedir, é para ver se ele sossega” -.-‘

    Portanto este POST a meu ver tem muita coisa correcta e que faz sentido… Utilizar tecnologia nunca foi mau, é preciso é saber como a utilizar . . .

    • cc says:

      Ao ler os comentários percebi que nenhum deve ter ido procurar e ler o artigo em causa. O artigo é essencialmente composto por recomendações sobre a exposição à tecnologia e aos media, não citando estudos concretos sobre o maleficio A da exposição ao estimulo B. Estudos desses deve haver por ai, pode é dar trabalho a procurar.

      Mas sim, pelos comentários de alguns utilizadores dá para extrapolar que a tecnologia realmente faz mal ao desenvolvimento de certas pessoas 😛

  9. Carlos says:

    Concordo com alguns comentários aqui descritos, contra a proibição na sua totalidade.
    Mas também acho absurdo o uso de tablets, smartphones e afins para ajudar a sossegar as crianças, especialmente durante as refeições (então em restaurantes, é ridiculo).
    Como em qualquer sociedade livre, as pessoas devem conhecer e estabelecer limites para que a sua liberdade não entre em conflito com a de outros mas desde cedo as crianças são habituadas a que a sua Almighty vontade seja sempre feita (para terem sossego, dizem os pais) sem que lhe seja imposta regras basicas de boa educação e senso comum, e isso só com a educação dos pais (diga-se, pais interessados, honestamente) é que se consegue.
    Por isso, proibir só por proibir sou contra mas interessem-se a colocar limites e regras de boa educação, e ajudarão a criar crianças com bom futuro.

  10. Fakir says:

    Esta teoria tem tanta validade cientifica, como aquela que há 50 anos atrás defendia que a televisão era perniciosa para os jovens.

  11. Shynkendo says:

    Boas,os meus filhos usam o laptop desde os 4 anos (linux),mas como sabemos, na asia começam a utilizar na préprimaria, e ai,todos sabemos qual o resultado…

    • miguel says:

      Então vai ver o resultado….olha que não é lá muito famoso.
      O problema está na maneira como a tecnologia é usada, seus conteúdos e em que idades devem ter acesso aos mesmos e basta raciocinar um pouco para ver que tem todo o fundamento….

  12. Shynkendo says:

    É claro que tem de existir regras, e ai elas existem mesmo,

  13. FOXzinho says:

    Boa tarde
    Tenho 15 anos e sei que muita gente vaime ignorar porque sou um “puto” mas vamos diretos ao assunto:
    Desde muito novo que mexo em equipamentos electronicos,e nem eu nem os meus 2 irmaos temos problemas que se destaquam em cima.
    Somos Jovens saudaveis,n temos problemas a dormir,somos bastante pacificos,e n temos dificuldades na aprendizagem,basicamente somos pessoas normais.
    Eu nao concordo com o que diz no Post.
    E mais uma coisa concordo com o comentário do Johny,deviase eliminar o acesso a facebook,ask.fm,tumblr,etc…
    Porque jovens da minha idade ou mais novos só fazem cenas,e ainda por cima sao mal educados
    Obrigado

  14. Fernando Silva says:

    O meu filho tem 4 anos e já teve contacto com o computador e com o meu tlm. está é muito controlado e com regras muito rígidas de tempo e conteúdos.

  15. PahAssimTodosJáSabemOmeuNome says:

    Eu tenho o prob. 7 xD Por vezes leio vários artigos e chego ao final e nao me lembro de nada .s

    Mas se os voltar a ler ja sei o que irá aparecer lá, é estranho

  16. JL Martins says:

    Eh pá… utilizar equipamentos electónicos “NOS” jovens… Bom se calhar até sou contra… 😀

  17. Deus says:

    Eu não acho que a proibição seja a solução para nada, deve-se educar e ensinar a usar os equipamentos devidamente. Mas daí a proibir acho um exagero. Muitos de nós (eu pelo menos) mexo em computadores e telemóveis desde sempre mas quando tenho de trabalhar sei que o tenho graças à educação que me deram e ponho o face e os joguinhos de lado…

  18. I Be Live I Can Fly says:

    se os pais atuassem os miudos estariam nem com radiaçoes nem com nervosismo nem com obesidade.

    ||
    _

  19. me says:

    O problema dos pais em Portugal (falo na generalidade, mas claro que há excepções) é que deixam os filhos fazer tudo o que lhes apetece. Eu consigo há muito distinguir num restaurante se os miúdos são portugueses ou são estrangeiros, só pelo comportamento (e ruído).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.