Quantcast
PplWare Mobile

Daqui a 50 anos teremos Clones Humanos?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Marisa Pinto


  1. “Substituto”?
    A isto é que eu chamo de brincar com um ser, nem em sapos, nem em ovelhas nem em nada.
    Falam de um processo não natural. Sem dúvida seria óptimo para prolongar a vida de muitas pessoas usando celulas estaminais entre outras coisas.
    Mas nada mais do que estes cientistas usam as desculpas mais baratas para prosseguir com as suas pesquisas em frente, se um casal não pode ter mais filhos por alguma infelicidade muitas crianças estão por adotar e existe sempre a utilização do que hoje em dia se aceita de uma barriga de aluguer, porque não tentam desenvolver tecnicas para desenvolver os proprios fectos in vitro onde só pessoas que não podessem ter filhos usufruissem delas.
    Acho a ideia um absurdo (minha opiniao).

  2. Sou um dos que não acha piada nenhuma à clonagem humana. No meu ponto de vista é muito estúpido um casal querer ter um filho igual ao que tinha sabendo que tinha falecido ou assim. Não estou de acordo e não vejo nada de útil a não ser para fazer ‘backups’ de um ser para substituição de órgãos que possam vir a ter problemas. Mas não sei. Mostrem-me argumentos plausíveis e reconsiderarei a minha perspectiva.

    • Filipe Correia says:

      Como dizes, BACKUP, na minha opinião, seria uma grande inconsciência de ética. Sendo que irias matar um clono teu para usares os seus órgãos para a tua sobrevivência. Não está certo. Agora se me disserem “fazer BACKUP dos próprios órgãos sem clonagem Humana completa” sim, ai estou totalmente de acordo. Porque obviamente não mataria ninguém oportunamente.

      • Francisco Neves says:

        Sim, tens toda a razão. Quando me referi a clonar humanos com o objectivo de backup, era: caso levassem isso para a frente, era a coisa mais aceitável nessa questão. No fundo, era o “Se a clonagem humana tivesse de existir”. Não me fiz entender e, agora que releio o meu comentário, aquele “um ser” não fica bem, mas sim os órgãos do ser. Concordo plenamente, pois o ponto de vista que tens é o que eu queria transmitir.

        Portanto, resumindo, por mim, que a clonagem humana nunca consiga ascender à realidade.

    • João says:

      Quando se fala em colonagem humana acho que as pessoas estão muito agarradas à ideia que têm dos filmes de ficção científica. Temos 2 bactérias geneticamente iguais (clones), mas são duas bacterias e não 1 bactéria.
      Portanto isso dos filhos não é um bom exemplo de clonagem humana porque apesar de o “clone” e o filho serem geneticamente iguais serão certamente diferentes. Na minha opinião uma pessoa é mais do que o que está escrito no DNA (é infuenciada por outros fatores). Ou seja assim o filho e o clone seriam como gémeos homozigóticos que apesar de serem geneticamente iguais são diferentes! Ou vão me dizer que os gemeos homozigoticos tem personalidade igual?! Ou as mesmas memórias

      • Francisco Neves says:

        Sim, tenho quase a certeza que ter duas pessoas 100% iguais é impossível, até porque teriam que viver as mesmas experiências, as mesmas situações e a mesma vida (o que no caso de seres diferentes não é possível), ou seja, só há uma pessoa por vida.

        Mesmo que não sejam iguais, eu não gostaria, certamente, de ter uma pessoa igual a mim, com outra maneira de ser e, certamente, os meus pais também não queriam, por muito que gostassem de mim.

        • NazgulTuga says:

          Eu tenho um irmão gémeo, que tem outra maneira de ser, de agir e gostos diferentes.
          E não é por isso que os meus pais gostam menos de um ou do outro.

          Além disso, existem sócias por todo o lado, e não acredito que as pessoas tenham o direito de se sentirem incomodadas com isso.

          O que tiver de ser, será.
          Mete-me mais medo criarmos gerações de pessoas intelectualmente anorécticas de inteligência e de opinião própria, do que permitir que a ciência evolua, no bom sentido.

  3. Ruaben says:

    penso que, se for só os orgãos(coração, figado, etc.) ok, mas um ser humano, penso que pode ser um roubo de identidade, mesmo que seja de um parente morto. Cada pessoa deve ser unica.

  4. David says:

    que venham eles: *shoot ‘em up*
    50 anos? se calhar até antes….

  5. Manel says:

    Este tema, tem muito que se lhe diga… Eu sou totalmente a favor da ciência e acho que se traz avanços para a humanidade e não a prejudiva directamente que deve ser feito, mas em relação a clones humanos torço o nariz. Acho que vai criar graves problemas éticos, imaginem é criado um clone para dar orgãos e afins par ao “original”, mas na relaidade vai-se matar a cópia?!
    E a cópia não fica com sentimentos de inferioridade? Para não falar nos problemas em termos psicológicos que irão afectar a “cópia”…

    Já agora não acredito que se faça um avanço destes nos próximos 50 anos.

  6. fernando martini says:

    eu ja assisti ao filme remmilins, Os Substitutos sei o que vai dar hehehe

  7. Sergio says:

    o que hoje achamos como ideias aceitaveis/reprováveis, amanhã já não o são.

    São assuntos em que podemos/devemos debater de forma a amadurecermos conceitos.

    Não tenho opinião completamente formada, devido ao que disse logo no inicio

    Fazendo um pouco de ficção cientifica: será que após a clonagem humana, não conseguiremos um dia transferir a nossa mente para um hospede geneticamente igual?
    Não estou a falar a 50 anos, na realidade não sei a quantos anos, mas isso tb não é importante para a pergunta
    Esta questão levanta a questão do que é realmente a mente

  8. Jose Manuel says:

    Uma pergunta para ficar no ar, então ja somos 7 milhares no mundo um terço não tem trabalho, e vai em aumentando, então para que clones, para fazer o que, engrossar as listas de desenpregados para receber salario minimo, palavra que não percebo estes cientistas ?

    • Daniel says:

      Achei muito complicado perceber o teu português incorrecto também, mas fiz um esforço. De qualquer das formas, respondendo à tua pergunta, o mundo evolui, se daqui a 50 anos tivermos clones humanos, é difícil para ti perceber que provavelmente desemprego será algo do passado?

  9. F. Araújo says:

    A Clonagem é apenas o início de um longo processo. O futuro irá trazer a este Planeta enormes alterações e revelações ao nível da manipulação genética com seres vivos, vegetais, irracionais e racionais. É neste momento, difícil à mente e ao intelecto humano, conceber essa enormes descobertas e alterações…mas para termos uma ténue ideia basta pensarmos que o Universo tem um número superior a 125.000.000.000 de galáxias, e que cada galáxia tem milhares de sistemas solares, e que cada sistema solar tem inumeros planetas…O número de civilizações que se encontram milhoes de anos mais evoluidos (em inumerso aspectos) do que a raça Humana é colossal e o conhecimento tecnologico, cientifico, genético..tec..etc..é inimaginável para a nossa parca compreensão…O futuro é inevitável…nem que seja por cópis do que para outros já foi passado há muito , muito tempo…

  10. Daniel Madeira says:

    Acredito que possa acontecer bem antes dos 50 anos.

    E porque não a clonagem humana.

    A ciência é algo que evolui de forma avassaladora.

    DM

  11. visitante says:

    Vamos ver se ainda vou a tempo (de arranjar um meu, mesmo sem dentes…) 🙂

    Do que tenho lido, os cientistas não são muito sensiveis à ética…

  12. Ana Narciso says:

    Faz-me lembrar um filme que vi, em que as pessoas clonavam-se a si mesmas apenas para terem um backup de orgãos… os clonados viviam normalmente mas quando eram precisos, xau. E os clones terão identidade? Não são pessoas também?

    As questões de ética são demasiado gritantes. Espero que tal nunca veja a luz do dia.

    Espero que consigam clonar órgãos, membros, isso sim.

  13. andre lopes says:

    Já há gente a mais no mundo, ainda querem clonar? Duplicar, triplicar? Isso parece um filme do Woody Allen, uma cópia para trabalhar, outra para lavar a loiça e o original, perde-se nos meio das cópias. !ah -1meh pointless Men pretend to be GOD, quiet boring and redundant…

    • Daniel says:

      Ignorância.

      Gente a mais? Isso é matéria de geografia básica e estás errado. Mais, somos MUITO pequeninos, o universo é ENORME. E se te faz assim tanta diferença que o ser humano se arme num ser fictício como “deus” aposto que no dia que tiveres que ser operado já não te vai incomodar 😉

  14. Joaquim says:

    Eu não estou de acordo com a clonagem humana, mas assim uns barões sem escrupulos virem uma opurtunidade de “ganhar” uns milhões vão ver se há ou não clonagem humana

  15. Clonagem de órgãos, para mim, faz todo o sentido e só espero que os avanços se notem em breve pois há por aí muita boa gente com grande necessidade de ter um novo coração, rim, etc.

    No entanto discordo completamente da clonagem de seres humanos. Um clone, a não ser que se crie uma forma de migrar por completo a mente de alguém para outro corpo, sendo este um clone que jamais pensou (uma espécie de casulo) ainda é algo que poderia tolerar… mas daí a criar um clone que é um ser humano no seu todo, apenas geneticamente idêntico a outra pessoa, é algo com que jamais concordarei!

    • Daniel says:

      E se eu quiser adoptar um clone de mim mesmo? Apesar de estranho, de que forma é que isso te afecta? Fisicamente será igual a mim, mas psicologicamente vai ser único.

  16. Afonso Costa says:

    Estou a ver que o filme “A Ilha” está cada vez mais próximo…

    • Henrique C. says:

      Sim esse filme retrata bastante bem o tema deste artigo. Eu sinceramente não me importava de ter um clone meu onde caso me fosse preciso algum órgão ou algum transplante teria um dador 100% compatível. No entanto não queria que tivesse consciência. Isto só se saberá quando se criar algum. Quem sabe se isto não será a resposta para a questão, “A mente/consciência humana é fruto de um desenvolvimento biológico de milhares de anos ou será a alma?”.

  17. David says:

    Não me faz diferença. Daqui a 50 anos o mais provável é não cá estar, e hoje chegando a esta idade penso que o futuro não será nada humano apenas a funcionar para servir o propósito de alguns, que é o caso da clonagem humana. Como disse, de hoje em diante apenas o meu futuro interessa porque esse é o resto da minha vida. Quem quiser se clonar e ter clones é livre de o fazer mesmo abrigados por leis protectoras, já cá não estarei para ver a asneira…

  18. Os ultimos avanços cientificos de que tenho lido apontam para a criação de orgãos necessários atravez dás células estaminais, urina (sim urina) http://greensavers.sapo.pt/2012/12/15/cientistas-produzem-celulas-cerebrais-a-partir-de-urina/
    e outros avanços tem sido feitos tambem para tentar curar pessoas com progeria e por sua vez aumentar o tempo e qualidade de vida de pessoas saudáveis e continuo sem ver qualquer tipo de utilidade para a clonagem humana.
    sim, seria engraçado e provavelmente útil para a humanidade clonar certas pessoas e que elas miraculosamente tivessem as mesmas aptidões que quem as originou, como albert einstein, mas clonar filhos… e os problemas éticos seriam enormes. clonar um cão talvez eu compreendesse, se uma pessoa tivesse um cão e gostasse tanto dele que em vez de arranjar um igual fosse clonar, mas mesmo aí embora compreenda, sou mais a favor da pessoa adoptar um animal do que ir gastar dinheiro a clonar um

  19. timsil says:

    Como os portugueses estão todos a fugir daqui esta será uma boa saida para o passos: vai clonar o parvo que cá ficar a pagar em milhoes e fica com os problemas resolvidos…

  20. Ricardo Cardoso says:

    A clonagem humana acontecerá no futuro; as razões é que, no meu entender, serão diferentes das apresentadas. Não acredito que um pai ou mae queira ter um clone de um filho falecido; não seria bom para eles nem para o filho. A clonagem poderá interessar caso haja uma catástrofe humana e seja necessário a reprodução em “massa” de seres. A industria militar terá certamente um grande interesse na clonagem. A clonagem irá acontecer? Certamente. O retorno desse investimento será relevante? Duvido, pois por essa altura já haverão maquinas muito semelhantes ao ser humano. Porquê copiar seres humanos se podemos ter máquinas especificas para diferentes tarefas?
    A ciência irá desenvolver-se no sentido de criar, por exemplo, orgãos humanos, caso da pele, para serem implementados em hibridos.
    Não poderei deixar de referenciar o filme IA que levanta muitas questões éticas e filosóficas. Quais os sentimentos a ter para com uma maquina, em tudo semelhante a um ser humano?

    • Nelson Rocha says:

      Felizmente alguém com algum tino aqui.

      Acrescento só que a clonagem é má para a variedade genética, ou neste caso, falta dela. Mas isto só aconteceria numa sociedade em que já não se tinham filhos, mas sim clones de clones.

  21. Isabel Brito says:

    Tal como li num comentário em cima, “existem muitas crianças para adoptar” ou então “barrigas de aluguer” mas se os pais querem optar pelo caminho do clone qual é o problema? Só quem passa por uma grande perda é que sabe a dor tremenda de não poder nem tocar mais nessa pessoa é demasiado cruel. O clone não seria um “substituto” … O Clone é um gémeo mas fora do tempo, clonado e clone são seres geneticamente iguais, mas não são a mesma pessoa. Mas de uma certa forma diminuía a dor dos pais. Eu sou a favor desde que seja feito com o consentimento do clonado ou neste caso dos pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.