Quantcast
PplWare Mobile

Clientes da Revolut “forçados” a fazer parte do banco da empresa

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. rSP says:

    Ah pois é bebê. Tudo tem um preço. Vão na cantiga do que é grátis e devolvem isto e não sei mais o quê…

    Agora usem o outro Moey e daqui a alguns anos já acontece de novo.

    Alguém tem de pagar..

    • Amílcar says:

      Mais um que só lê os títulos. Enfim

    • joao says:

      Epah, mas tu leste a noticia? Ou viste so o titulo e vieste comenta tipo a tia Joaquina da esquina?

    • Bruno says:

      E por causa de títulos como este que a pplware escolheu e de pessoas que não sabem ler que aparecem respostas destas.
      Também não percebo porque raio a pplware escolhe um título marcadamente negativista quando na realidade a mudança apenas trás benefícios.

      • Vítor M. says:

        Não digam disparates. Como está referido, “forçados” porque até agora era opcional. E pode trazer benefícios, mas pode não trazer. A pessoas se aderiu e não tinha esta opção e muitos não a quiserem usar, alguma razão tiveram. Portanto, não viagem na maionese 😉

        • Sergio says:

          Seria interessante para todo o mundo que esteja na noticias quais podem ser esses não benefícios que comenta. Mas tome esta oportunidade de nos dizer aqui! ficamos a espera. Já agora se vão fazer “copy Paste” da informação fornecida de RVL, normalmente se aplica ” ” ….

      • Ze says:

        Para mim isto significa que vou deixar de poder entregar o IRS automático. Tendo em conta que apenas uso o Revolut para compras online vou encerrar a conta

  2. gambuzino says:

    É pena, todos os investimentos em acções vão agora ser reportados ás finanças :/

    • Jamaral says:

      A típica mentalidade tuga…

      “É pena ter de cumprir a lei.”

      • JP says:

        Eu já faço outra leitura. Num sistema que tanto penaliza os contribuintes, parte destes, encontram formas legais de nao serem tao penalizados.

      • R!cardo says:

        Inicialmente o Revolut foi “inventado” para isso mesmo sendo tudo legal.

      • gambuzino says:

        É pena é muita gente ter uma mentalidade de ovelha e que comem tudo o que o estado impõe. Não sei se ja reparaste mas em Portugal a lei é só para alguns, olha o exemplo dos partidos politicos que NÃO pagam IMI sobre os imoveis do partido, e o povinho acha normal … sim vamos todos “cumprir a lei”. Já temos a maior carga fiscal de SEMPRE, continuem com esta atitude e vão ver onde vamos parar …

        • Karimaz says:

          Pelo bem da economia portuguesa o governo devia reter os salarios dos portugueses durante 2-3 meses. Antigamente também criticava a carga fiscal mas desde que me mudei para a Suica acredito que a carga de impostos ate devia subir mais para ajudar a economia do pais. Um pequeno sacrifício de todos afinal so 3 meses sem salario ate fazia bem pois Portugal tem excesso de obesidade.

        • Jamaral says:

          O argumento que, se os outros são criminosos eu também posso ser, é apenas a imbecilidade elevada à décima potência.

    • Pedro says:

      Pena?! Mas tu já eras obrigado a comunicar. Não percebo o lamento..:

      • gambuzino says:

        “Obrigado” é muito relativo. É a mesma coisa que alguem chegar ao pé de ti e te perguntar:
        “Olha queres me dar dinheiro que pertence a ti e que conseguiste porque tiveste visão em investimentos eu apesar de não ter nada a ver com isso vou ficar com parte dele ?”
        É como o IMI, tudo impostos xuxalilstas !

    • AZ says:

      O quê que o investimento em ações tem a ver com o Revolut … ?

  3. Joao Ptt says:

    Quem estiver cheio da nota que não saiba onde o estourar, sugiro colocarem algum no Brasil, em banco(s) sedeado(s) longe da costa Atlântica.
    Estou a pensar a longo prazo, não a curto/ médio prazo. Não como investimento, mas como reserva de emergência.
    Agradeçam-me depois.

  4. PorcoDoPunjab says:

    Eu não quero ser bota abaixo ou coisa do género, mas aconselho vivamente que as pessoas não depositem total confiança em bancos plenamente digitais, ainda por cima estrangeiros.
    Com isto quero dizer apenas o seguinte, não depositem nestes bancos fintech todas as poupanças.
    Ter lá uns trocos para compras, viagens etc e tal, OK tudo certo, mas usar um banco deste género para depositar as poupanças, é de uma ingenuidade que pode vir a ser catastrófica.

    Já sei que me vão cair em cima, mas a esses apenas digo, vejam a quantidade de pessoas, algumas delas com as poupanças todas nesse banco, o N26, que ficaram com as contas bloqueadas, impossibilitadas de a usar e em alguns casos pessoas que estão de férias em outros países e que ficaram sem acesso ao seu dinheiro.
    Apoio do banco é uma nódoa e não resolvem nada e deixam as pessoas entregues a si próprias.

    Fica aqui o aviso do amigo PorcoDoPunjab

    Volto a repetir, não usem um destes bancos como banco principal, não ponham os ovos todos no mesmo cesto.

    Num banco tradicional se a conta for bloqueada as pessoas vão lá reclamar e alguém vai ter de ouvir agora imaginem telefonar para o apoio da revolut ou outro igual e o tipo dizer assim, não temos mais informações para si por isso vamos encerrar este chat.
    Basta pesquisar um pouco.
    Bancos fintech, ter lá uns trocos para umas coisas divertidas, OK.
    Depositar todas as poupanças, absolutamente não.

    Mas isto sou eu, cada um que se oriente como quiser.

    Atenciosamente, PorcoDoPunjab

    • Eu says:

      Pensava que essas preocupações só eram apanágio das ctiptocoisas.

    • Luis Rosalino says:

      Isso o que se deve fazer para QUALQUER banco

    • Rui says:

      Claro, mas existem riscos até nos bancos tradicionais. Quantos bancos nacionais foram à falência nos últimos anos? As perdas só não foram maiores porque o estado tende a intervir. Não é certo que faça isso no futuro, até porque o povo está a ficar farto…
      O melhor mesmo é dividir as poupanças por várias instituições. De forma a limitar as perdas.
      Também tive o meu dinheiro bloqueado por mais de um ano num banco “fintech”, portanto sei bem que é possível isso acontecer. E o banco em questão era regulado no Reino Unido não num paraíso fiscal qualquer.

    • Sergio says:

      Só concordo com uma coisa que disseste, nao colocar todos os fundos no mesmo local.

      De resto toda essa distinção entre o banco digital e banco tradicional não faz sentido, aconselho-te a ler alguns livros porque a mim também me elucidaram sobre o atual sistema económico e bancário.

      1- O Millennium Bcp, dando um caso português, e outros bancos internacionais já foram atacados e perderam milhões e milhões de euros. Podes ler por exemplo sobre o roubo através do tão falado sistema Swift de 6 Milhões de euros a um banco russo em 2018.
      O que os safa são as seguradoras que para além de garantirem a reposição garantem o sigilo, porque se viesse a publico a imagem dos bancos mais dia menos dia era destruida.

      2- No banco tradicional tens o teu dinheiro bloqueado, se quiseres ir ao balcão levantar mais de 10 mil euros não consegues. De que te adianta o balcão?

      3- Os próprios bancos tradicionais, são cada vez mais digitais, o millennium Bcp em Aveiro centro tinha 5 agencias, neste momento tem duas. Quando queres fazer uma operação ao balcão e tens 30 pessoas à tua frente, dizem-te ” utilize a nossa maquina inteligente à entrada”.. lá segues tu para o digital sem serviço de balcão.

      4- queres fazer uma transferência internacional nesses tais bancos demora te sempre 48 horas com taxas absurdas.

      5- Pensa na Venezuela, uma família de classe media que tenha andado a juntar dinheiro durante 30 anos, antes de a moeda valor perto de zero já tinha as transferências e câmbios bloqueados meses antes.

      Não leves a mal, mas o ser humano é mesmo assim, temos tendência a tomar decisões baseados em crenças e cultura do que olhar os factos de frente.
      Enquanto o nosso dinheiro for controlado por uma third party, enquanto todo a aprovação tiver que passar pessoas, o risco de corrupção é enorme.

      Os nossos antepassados também não aceitaram bem a troca directa de bens ser substituida pela troca de um pedaço de metal chamado ouro.

      • PorcoDoPunjab says:

        Sérgio, isso tudo é muito bonito, mas na hora dos apertos é que a porca ou o Porco, torce o rabo.
        Todos sabemos que todos os sectores, especialmente os financeiros, tendem a ir para o digital, até porque é imensamente mais barato para os bancos, que não precisam de tantos empregados, e mais fácil para os clientes, que têm tudo à mão.

        Só que quando tudo corre bem, óptimo, o pior é quando corre mal.

        Imagine a seguinte situação, e isto que vou dizer está amplamente divulgado, com comprovativos, pela internet, a sua conta ficou bloqueada na N26 e numa do Millenium.
        No caso do N26 vc tem que andar a telefonar e é quando o atendem e depois despacham-no com uma treta qualquer e vc fica ali a olhar sem saber o que é que está a acontecer.
        No caso dum banco tradicional, vc vai falar com alguém e esse alguém tem que lhe dizer mais do que ” não temos mais informações e vamos encerrar a conversa “. E foi-se..
        Pessoas a receberem sms deste género, algumas em aflição porque estão longe e ficaram sem o dinheiro.

        Portanto, logo aqui há grandes diferenças.
        Eu não meto os pés num banco há que tempos, uso apenas as app, por isso ninguém me pode chamar de velho do Restelo.
        O que se passa é que essas fintech ainda não apresentam garantias suficientes.

        Eu vou explicar, resumidamente, o que se passa com o N26, para quem não está a par da situação.
        Devido a muitos scammers e criminosos usarem contas nesta fintech e não só nesta, o regulador Alemão está a ameaçar esta instituição com pesadas multas.
        Ora o que aconteceu, o algoritmo desenvolvido por este banco analisa os movimentos de todas as contas e quando detecta algo de invulgar, pimba, bloqueia a conta de imediato.
        Portanto, relatos de estudantes estrangeiros que recebem transferências de familiares que estão no país de origem, relatos de pessoas que estão de férias noutros países em férias a fazer movimentos, relatos de transferências perfeitamente normais mas que o algoritmo, que é muito agressivo, entende como suspeitas, é logo bloqueio em cima.
        Casos de alemães na Tailândia com contas anuladas e dinheiro nem vê-lo são às pazadas…
        E depois para resolver isto? Surreal, no mínimo.
        Telefonam, e quando finalmente atendem dizem que não tem mais informação sobre o caso e desligam, mandam sms a dizer que tem a conta bloqueada por actividades suspeitas, etc.
        Ou seja, para evitar multas, bloqueiam a conta de tudo e de todos, tanto faz serem criminosos ou não.
        Casos complicados de gente que ficou sem meios para pagar as contas é mato.
        E quando vão ver o dinheiro de volta?
        Pois, ninguém sabe… e entretanto as pessoas pagam as contas com o quê?
        Os casos são tantos que limpar o que é suspeito e o que não é demorará muito tempo e até lá que se desenrasquem…

        Alguém gostaria de estar nesta situação?
        Pois, tb me pareceu que não..

        Atenciosamente, PorcoDoPunjab

  5. Luis says:

    Presumo que quem tenha o plano free, continue a ser grátis!
    Não encontrei informação em contrário, mas também nenhuma que confirmasse categoricamente!

  6. Filipe says:

    O início do fim para quem pensava que podia escapar ao defeito que TODOS os bancos têm. Todos eles querem o mesmo. Vão na cantiga do bandido… Preparem-se para os próximos capítulos. E não, não li apenas o título.

    • falcaobranco says:

      Exacto… não é já “amanhã” mas isto é o pontapé de saída para muita mudança que o Revolut pode vir a ter e terem que pagar tal como os outros bancos…nem tudo na vida, pra sempre, é de borla!

  7. João Cabrito says:

    Estes revolut’s, paypal, e afins..
    Que vantagens temos em ter revolut?Qual a diferença em relação ao Paypal?
    O revolut funciona tipo um banco sem ter que pagar manutenção de conta, sem pagar pelos cartões, etc?

    O que ganha o revolut em prestar-nos este serviço?
    A mim parecem-me serviços de fachada..mas posso estar errado.

    • Rui says:

      A taxa cambial por exemplo, é muito mais vantajosa no Revolut do que no PayPal. A Revolut tem muitos serviços pagos, cartões especiais, seguros, taxas para mercados de ativos, etc. O serviço básico permite ter uma conta gratuita com um limite de levantamentos em caixas de multibanco (se ultrapassar o limite paga uma comissão). Além disso tem transferências gratuitas.
      Por mais ou menos o mesmo cobram-lhe uns 5€ por mês num banco tradicional e ainda tem de pagar as transferências.

    • Bruno says:

      O revolut é excepcional para quem viaja, quer seja em ferias ou trabalho, faz o cambio automaticamente e sem taxas, se fores viajar com o cartao do teu banco, cada compra que fazes em moeda diferente do euro (e as vezes ate pode ser em euro, mas se a empresa tiver sede fora da UE ja estas lixado), tens taxas e taxinhas, com o revolut tens zero taxas, desde que apareceu o revolut nunca mais usei outra coisa em viagens. Inclusive continuo a usar para por exemplo pagar mensalidades de serviços tipo youtube Premium, que o meu banco continua a teimar que precisa de ficar com 50 centimos todos os meses, acima da mensalidade que eu ja pago, so porque o youtube nao tem sede na UE. Ora com o Revolut, nao me cobram nada extra.

  8. Mike says:

    Infelizmente tive de fechar a conta.
    Como tenho conta de serviços mínimos, não posso ter mais nenhuma conta à ordem. O revolut era bom nesse aspecto.
    Para a maioria das pessoas isto não vai trazer diferenças, só em casos raros como o meu

    • R o B says:

      1.4 Revolut Bank não irá ter “conta de serviços mínimos”
      De acordo com esta notícia do jornal Público: o Revolut Bank “está autorizado a receber depósitos em Portugal, mas que não está incluído no conjunto de instituições de crédito obrigadas a prestar serviços mínimos bancários“. Desta forma, o entendimento é que podes ter um conta de serviços mínimos num banco em Portugal e ter na mesma a conta na Revolut, tal como, por exemplo, um emigrante pode ter uma conta de serviços mínimos em Portugal e ter uma conta bancária normal no país onde se encontra a trabalhar.

      • Mike says:

        No site do banco de Portugal não fala em contas noutros países. Diz que não se pode ter outras contas à ordem.
        Já mandei mail para eles a questionar exactamente isso mas responderam-me com links para a página deles, com respostas genéricas e fiquei na mesma. Acabei por fechar a conta da revolut.

        • Mike says:

          “Pessoas singulares que não sejam titulares de qualquer outra conta de depósito à ordem em qualquer instituição”.. Qualquer, no meu entender significa” seja onde for”, Portugal, reino unido ou Lituânia.

          • R o B says:

            Eu abuso da Revolut para movimentar fundos mais rapidamente que a minha SMB permite, e vou aguardar mais esclarecimentos.

            No meu ponto de vista, as regras para acesso aos Serviços Mínimos Bncários se limita a instituições abrangidas pelo Fundo de Garantia de Depósitos em Portugal, e como o BDP diz, a Revolut não faz parte.

  9. Alexandre Conceicao says:

    Boa tarde,

    Acabei de cancelar a minha conta Revolut, visto que não faço grande utilização dos serviços deles era somente para compras online e não eram assim tantas que justificasse ter o serviço. Mas pelo o que entendi só existia a necessidade de declarar no IRS se fizéssemos investimentos. Abraço

  10. R o B says:

    Lá terei que encerrar a minha conta Revolut, não posso ter duas contas bancárias devido a imposição de elegibilidade para os serviços mínimos bancários.

    • Mike says:

      Então? Num post dizes que vais ter que fechar, noutro dizes que não há problema porque as regras dos serviços mínimos não abrange a revolut. Como ficamos? Já agora, isso dos serviços mínimos apenas se limitar a instituições abrangidas pelo fundo de garantia de depósitos de portugal, é especulação tua. Não há sítio nenhum onde diga isso. O pdb só diz uma coisa: ““Pessoas singulares que não sejam titulares de qualquer outra conta de depósito à ordem em qualquer instituição”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.