Quantcast
PplWare Mobile

Cash Trapping: Alerta aos multibancos com “armadilhas”

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Lynx says:

    Eu assisti e entrevi em uma situação destas. Um “fulano” chega-se à beira da senhora de idade, que tinha acabado de meter o cartão na ATM, e perguntou se presisava de ajuda. Eu, que estava à espera de ir a seguir, intrevi e disse se a senhora precisasse de ajuda eu estaria disponível para ajudar e não alguém que aparece do nada para esse efeito, mesmo que tenha vindo com todas as boas intenções. O “fulano” entendeu o meu bom civismo e foi-se embora.

  2. David Guerreiro says:

    Ligar para o 112 por causa disto… Existem números das esquadras.

    • Nelson Carvalho says:

      Caro David,

      O meu amigo (permita que assim o trate com todo o respeito) numa situação de emergência em que precise de ajuda das autoridades, conhece os nºs de telefona de todas as esquadras da PSP e postos da GNR do país?

      112 é um número que está em todos os carros patrulha da PSP e por alguma razão será.

      Um abraço.

    • PM says:

      E conheces os números dessas esquadras?

      • Ricardo says:

        No teclado alfanumérico (quase todos, actualmente) do telefone fixo ou móvel, marcamos 21 e de seguida premimos as teclas correspondentes às letras da palavra «polícia». No final, teremos o número 217 654 242, que é o do Comando Metropolitano da PSP. A quem nos atender, basta pedir o número de telefone da esquadra pretendida.

    • Vítor M. says:

      Mas eu sei lá o número da esquadra! O 112 é o número nacional de emergência que nos permite contratar rapidamente quer o serviço de emergência quer as autoridades.

      David, o 112 não é só para chamar o INEM 😉

    • Pedro Pinto says:

      David, já agora isso é informação da própria PSP

    • int3 says:

      David, 112 serve para tudo. Obviamente que não vai ocupar a linha porque errou o código 3x… Mas sim se suspeitar alguma coisa deve ligar ao 112. Seja para o que for.
      O 112 funciona assim, infelizmente sei disto:
      -A central atende e pergunta a emergencia
      -Deves dizer que queres ou chamar o inem ou ligar para a esquadra mais próxima
      -a central transfere-te a chamada em segundos.
      O meu caso real foi o INEM e depois de transferir a chamada (depois de dizer que queria uma ambulancia ) é que uma senhora atendeu-me provavelmente do hospital mais próximo e perguntou-me o que se passava. Aí expliquei a situação toda.
      112 não é só INEM. Bombeiros, Proteção civil, Polícia enfim tudo que seja considerado emergencia. E teres suspeitas que a caixa está de facto a comer-te dinheiro tens que chamar a policia ao local para registarem a situação. Se não ficas sem o €€. 🙂

    • carlos says:

      Tu ao ligares para o 112 estas a ligar diretamente para a psp pois sao eles que atendem todas as chamadas!

    • SCC says:

      Para informação, o 112 é uma linha de emergencia, e basta uma pequena pesquisa no site deles em

      http://www.inem.pt/PageGen.aspx?WMCM_PaginaId=28186
      para encontrar isto:

      O 112 é o Número Europeu de Emergência, sendo comum, para além da saúde, a outras situações tais como incêndios, assaltos ou roubos. As chamadas efectuadas para o 112 são atendidas, em primeira linha, por uma Central de Emergência da PSP que apenas canaliza para os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM as chamadas que à saúde digam respeito.

      Quer isto dizer que QUALQUER tipo de emergencia pode ser feita e relatada pelo 112 que TEM A OBRIGAÇÃO de encaminhar para o serviço correcto.

      Se um operador do INEM diz que nada tem a ver com acidentes na 2a Circular ou com assaltos a ATMs , é simples: é fazer queixa dele, até porque as chamadas são gravadas, e isso é de lei!

  3. marferio says:

    é verdade, existem números das Esquadras, mas quem é que conhece o n.º da Esquadra do local onde se encontra? O mais correto é ligar o 112 e pedir à Central para ligar à PSP daquela área. Isto dito por quem sabe.

  4. JJ says:

    Mas as caixas de MB não tem todas câmaras? A PJ pode muito bem conseguir perceber/saber quem faz esse tipo de fraudes, ao visionar as imagens das câmaras.

    • Antonio says:

      E depois ? enquanto localiza e identifica, já o dinheiro foi gasto. Ainda por cima muitas das vezes são romenos, búlgaros e outros estrangeiros que o fazem !!!!

      • Cajó Mack says:

        Obviamente que são romenos, búlgaros e outros estrangeiros! Basta conhecer minimamente as nossas prisões e verificar que aquilo está cheio de portugueses. Logo só podem ser estrangeiros a fazer estas malandrices. Haja paciência.

    • Gerardo says:

      hahahahhahaha
      Segundo me contou um passarinho essas câmaras estão todas (ou quase todas) desactivadas, simplesmente porque não lhes compen$$a.

      Não sei se é verdade ou não, mas acredito visto que nunca ouvi uma noticia em que se recorresse a essas imagens…

    • Nelson Carvalho says:

      Supostamente deveria ser assim, mas não é.

      Mesmo nos locais com CCTV (camara a apontar ao ATM), é muito complicado perceber o que estão a fazer os meliantes, porque os que sabem fazer, não têm o rosto à mostra. Basta um boné e uns óculos de sol, para que as imagens não sirvam de prova. Só através de um sistema de reconhecimento de estrutura facial e isso meus caro…é muito muito caro.

      • JJ says:

        O problema não é ser cara… o problema é que em tribunal, qualquer reprodução feita informaticamente não pode ser constituída como prova…

        Por exemplo, a reconstituição de uma acidente de aviação, feito pelo LNEC (uma instituição do estado e de referencia), que tem a tecnologia mais avançada para o efeito, essa reconstituição não é pode ser considerada como prova. Uma triste realidade, que tive conhecimento…

  5. André says:

    Se observarem a máquina, conseguem notar que existe um objeto estranho que não encaixa na abertura por onde as notas saiem. Outro golpe é o usado por uns certos grupos que colocam uma mini câmara numa das laterais da máquina a apontar para o teclado numérico. Se notarem um objecto pequeno (que mais parece um autocolante de publicidade que tem uma pedra lá debaixo, passem a mão por cima, vão notar que está lá algo rígido. Arranquem-no. Contactem as autoridades e cuidado com as crianças que se aproximam como se andassem a brincar. Já vi 2 miúdos de 10-12 anos a tentar fazer isso a uma rapariga que estava a falar ao telemóvel e a usar o cartão. Tiveram azar que eu estava na caixa ao lado e, “sem querer” empurrei um deles contra a rapariga. Nesse momento afastaram-se e foram ter com um individuo mais velho que estava a assistir dentro de um carro. Falei com o segurança que contactou as autoridades porque já tinha existido um assalto a uma velhota ali nas imediações com contornos semelhantes. Os miúdos e o homem arrancaram do local mal um carro da polícia encostou do outro lado do parque de estacionamento. Coincidências…

  6. abutre says:

    escrevam em português já que a maioria do povo português não entende um cara… de o ingles o que normal porque estamos em PORTUGAL

  7. Ricardo says:

    Uma vez na Covilhã, uma senhora que precisava de transferir 3000 e qq coisa euros, já não me recordo bem, pediu-me a mim que estava a seguir a ela para a ajudar…e assim o fiz, mas há pessoas prontas para tudo…

  8. Nuno Guedes says:

    Também se pode telefonar directamente para a PSP, basta escrever o indicativo da zona e as teclas necessárias para escrever POLICIA.
    Se for em Lisboa: 21POLICIA (217654242)

    • Carlos says:

      Tenho ideia que esse “atalho” apenas funciona para Lisboa e Porto(?). Para o restante país como funciona? Por exemplo o indicativo de Vila Franca de Xira é 263… se adicionar POLICIA(7654242) ficamos com um numero de telefone com 10 algarismos…

    • SCC says:

      Confirma-se , Nuno.

      Desconhecia isso, mas pesquisei no site da PSP (http://www.psp.pt/Pages/apsp/ondeEstamos.aspx)
      e filtrando pelo distrito de Lisboa e concelho de Lisboa, o numero bate certo com 21POLICIA apontando para o comando distrital de Lisboa.
      Muito bom!

      Mas isso não funciona com os restantes distritos ou restantes cidades, ou seja, de pouco ou nada serve, a nao ser que se viva em Lisboa! … é uma pena, porque seria de grande ajuda!

  9. Cuidado says:

    Uma vez em lisboa num ATM fiquei com um cartão preso e acho que era num esquema desses, mas conseguia segurar uma pequena ponta do cartão, porque o cartão estava ali mesmo à entrada, só que não sei como, preso. Foi pontapés à máquina até o cuspir. E cuspiu!

  10. KikoFHM says:

    Eu defendo que a responsabilidade deveria ser das entidades bancárias responsáveis pelo ATM (ou de quem deposita o dinheiro nelas) de verificar o estado das mesmas por exemplo. São as primeiras pessoas a ter noção (formação) dos sinais de bom ou mau estado da mesma.
    Bem como de colarem ou gravarem a laser o numero de telefone da policia ou de outra entidade.

    É que é tudo muito bonito ter o nosso número nacional para todo o tipo de emergências mas o problema é saber analisar o que é uma emergência /urgência. Ok tudo bem 112 não é só INEM então arranjem um para essa finalidade, pois por vezes pode salvar a vida de alguém à custa do congestionamento de chamadas e/ou dos sucessivos reencaminhamentos… mas isto é a minha opinião.
    No meu tempo de faculdade infelizmente precisei de chamar o INEM e durou muito tempo, a resposta além de não ser rápida não foi muito eficaz, mas felizmente não era uma questão de vida ou de morte.

  11. Berrio says:

    Lembro-me de a uns três anos atrás, no inverno…ter telefonado para o 112 a avisar que a estrada em que eu circulava tinha um buraco tão grande que cabia la um carro, em consequência da forte chuvada que tinha caído…só faltou baterem- me e eu feito estúpido com o carro com os 4 piscas ligados em frente ao buraco de modo a alertar os outros condutores para evitar algum acidente .
    So neste pais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.