Quantcast
PplWare Mobile

Autárquicas 2017: Saiba já o local onde vai votar no domingo

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Bernardo says:

    Estando no estrangeiro existe alguma forma de votar?

  2. zé povinho says:

    votar em abutres e tachos não obrigado, vou gastar o meu tempo a fazer outras coisas mais interessantes…

  3. Catarino says:

    A única razão pelo qual se vota.
    http://www.jornaldenegocios.pt/economia/politica/eleicoes/detalhe/sabe_quantos_euros_vale_o_seu_voto
    Assim não fosse não existir um “ditador” no lugar de primeiro ministro.
    A única diferença é que as pessoas pensam que votaram nele quando no entanto, arranjou forma de ficar lá sem ter o maior número de votos.
    Quando acabarem com estas palhaçadas e com o inconstitucional vou votar.
    “O Estado pôs à disposição dos partidos para financiar a campanha um valor total de 6,8 milhões de euros” – Porque razão temos nós de pagar tudo isto e muito mais?

    • Bruno M . says:

      @Catarino… Pela constituição, um partido que não reuna maioria, pode obtê-la coligando-se a partidos até que obtenha maioria!
      O caso do PS foi isso que aconteceu! Co-ligou-se ao PCP+BE+Pan, obtendo maioria relativamente ao PSD e CDS!

      É legal, está previsto na constituição e nada pode ser feito!
      O problema é a ignorancia das pessoas que pensam que “ah e tal.. tenho a maioria vou governar”
      ERRADO!

      • Catarino says:

        Lá por estar na constituição na minha opinião não o acho correcto, existe muito na constituição que foi mudado a belo prazer de quem lá está.

        Assim como não acho correcto a quantidade de deputados no parlamento.

        Assim como não acho correcto pagar ordenados/reformas de valores astronómicos e que se alguém tentar mudar isso é inconstitucional.

        Só para andar a “roubar” o Zé Povinho isso é que não é inconstitucional.

        Para além disso se já que são todos iguais e dá para se coa-ligar porque não fazem um único partido e deixam de andar a mamar à conta do Zé Povinho?

        E não me venham com a treta que têm ideais diferentes, porque todos eles andam a saltitar de um lado para o outro, se fossem assim tão diferentes não o fariam.

        Realmente é verdade as pessoas são ignorantes por deixarem estes “pavões” fazer o que querem e bem lhes apetece.

        Se fosse em outros países há muito que isto já teria dado para o torto.

        Portugal é um país muito bom e daria para todos viverem muito bem, mas quando andam uns a trabalhar para os outros isto nunca irá mudar.

        Os votos é apenas uma forma dissimulada de calar a população como se de alguma forma com o seu voto alguma coisa mudasse.

        • Miguel Costa says:

          Sabes que 90% dos governos da Europa tem 2 ou mais partidos?
          Saberás tu que na Finlândia o governo foi nomeado por 7 partidos e que os 2 partidos com mais votos nacionais, estão na oposição?
          A representação é feita por eleitos por cada província/distrito. Isto não é nenhuma ditadura como estás a afirmar onde votas no PSD e o PSD passa a ter 100% do poder, eliminando os outros todos. Nas presidenciais é que 50% mais 1 voto, entregam a cadeira à pessoa. No resto, são eleitos representantes de acordo com os votos expressos. Ganha o que conseguir ter mais apoio dentro da Assembleia de representantes, que estão lá a representar o eleitorado TODO.

          • Catarino says:

            Para mim pouco me interessa quem vai para lá se é o PSD, PS ou outro qualquer, como já referi anteriormente na minha opinião são todos iguais, já que se for necessário aprovar algo tem de haver acordo entre todos e para alterar algo que esteja na lei nem eles têm poder para isso como foi caso das reformas vitalícias e de reformas astronómicos comparativamente ao resto “mundo dos mortais”

            E para além disso já que sabes comparar com outros países, porque não colocam máxima transparência nas contas de acesso publico em que qualquer pessoa comum tem acesso onde/quando/como foi gasto o dinheiro de todos como é o caso da Noruega, pois isso já não interessa.

            Em relação ao apoio dentro da Assembleia de representantes (ou seja aqueles chulos que andam lá todos a mamar à nossa conta) acho tudo isso um “negócio”

            Só quem vê o canal do Parlamento, é que vê a palhaçada de troca de “piadinhas” e resolver os problemas do país é que nada.

            E continuo afirmar que é um ditador (alguém que contorna a regra principal que é o voto para conseguir estar no poder sem ser realmente eleito) na minha opinião não é muito diferente de outros em outros países que ajustam a lei de forma a ir/ficar no poder.

            Não votaram nele e ponto final. Dessa forma como tudo o resto não faz qualquer sentido votar.

      • Constitucionalista says:

        Sim, é constitucional ! Mas, neste caso, não foi honesto! De facto, seria politicamente mais honesto se tivesse dito de antemão que, caso não conseguisse a maioria absoluta, se coligaria aos partidos tal, tal, e tal. E isso não aconteceu. Aqueles que votaram no PSD sabiam de antemão que Passos Coelho faria uma coligação com o CDS mesmo que o PSD, sozinho, tivesse maioria absoluta.
        Portugal é um país habitado por burros de carga!

        • Rui says:

          O PSD só concorreu sozinho na Madeira e nos Açores. No continente concorreu coligado com o CDS numa coligação chamada Portugal à Frente. Logo, nunca ganharia a maioria absoluta sozinho. Se alguns eleitores votaram a pensar que o PSD iria coligar-se ao CDS após as eleições é porque nem sabiam no que é que votavam.

        • Miguel Costa says:

          Em 2011, Passos Coelho a 4 dias das eleições JUROU que não se iria juntar com ninguém.
          Em 2015 só quem votou na Madera é que votou no PSD (ou no CDS)… Em todo o Portugal Continental e Açores, votaram em listas de candidatos onde estavam membros do PSD e CDS misturados.
          O que conta é quem tem os deputados a apoiar dentro da Assembleia da República. PSD e CDS ameaçaram que iriam acabar com as eleições e começarem a prender/matar todos os opositores políticos, não conseguiram os 116 deputados, ficaram na bancada a assistir e a votar contra tudo, incluindo coisas que foram eles que legislaram ou que os membros do partido que estão no Parlamento Europeu votaram a favor, sendo que a transcrição para a lei nacional levou o voto contra do PSD-CDS… quando o CDS-PSD do parlamento europeu foram preponentes desses diplomas. Incoerências…

      • Rui Costa says:

        Exatamente.

        Não existiu e ainda existe a coligação PSD + CDS?
        Não vai agora a Merkel procurar coligações inéditas, na Alemanha para que o governo não caia?

      • Rui says:

        O PAN não entrou na chamada “geringonça”.

      • Miguel Costa says:

        Não é ignorância… os elementos apoiantes do PSD acham que Portugal tem de voltar à ditadura, onde só quem tem cartão do PSD pode ir votar. Os que não tenham, não são cidadãos, por isso só tem de pagar os impostos para os membros do PSD poderem liderar o país. É o que ele está a dizer…

    • Mindful Peasant says:

      E qual é a sua alternativa?
      Pôr o Pingo Doce, a Altice, a Microsoft, as petrolíferas, os bancos, etc. a financiar directamente os partidos?
      Se já há a sensação que os partidos servem grandes interesses e não o interesse comum pior seria se os grandes interesses financeiros e económicos fossem os donos dos partidos.
      É isto que acontece nos EUA, é por isso que aquele país se está a afundar…

      • Catarino says:

        Qual alternativa?

        Se querem fazer campanhas que o façam do próprio bolso.

        Porque razão devemos nós portugueses financiar seja o que for quando andamos a pedir dinheiro da UE?

        Gastamos balúrdios em campanhas de treta, o parlamento tem mais “palhaços” que o circo, e depois vamos pedir dinheiro para pagar a divida portuguesa?

        E para mim não devia existir empresas do estado a dar prejuízo.

        O caso da TAP que andava a perder milhões todos os dias, assim que “passou de mãos” começou a ter lucros, como é isso possível?

        E como esta existe tantas outras que andam a ser governadas por “ladrões”

        Já agora porque devemos andar a sustentar antigos Presidentes da República (cada um mais de 300 mil) Porquê?

        • Miguel Costa says:

          A TAP perdeu dinheiro sim… até 2007. Desde aí para cá, tem dado lucros e a única coisa que tem estado a correr mal, foi a compra de 5 unidades de serviços para aviões, no Brasil, que tem dado prejuízos. Foi daí que o tipo da Azul veio comprar a TAP. É que ele tem uma empresa igual no Brasil e dava jeito juntar tudo, pois ele perde muito dinheiro para obter contratos e lixar a TAP.
          A EDP dava 500 milhões de euros de dividendos ao estado anualmente, foi vendida por 2500 milhões. Os CTT davam 40 milhões de dividendos, foram vendidos por 146 milhões.
          Consegues fazer uma conta muito simples para veres quanto é que vamos perder com essas grandiosas vendas?
          Ou estarás a falar da concessão do Metro e Carris de Lisboa que incluiam despesas de 170 milhões de euros mais 400 milhões de euros, ao cabo de 5 ano, de pagamentos extra à empresa concessionária por causa das obras, pagas pelo estado, e por causa de terem poucos passageiros (a Carris tinha previstos 140 milhões de passageiros anualmente… quando a média está abaixo dos 70 milhões de viagens). Imaginas quem é que iria arrotar com as custas ao final dos 5 anos? Eras tu e eu… não era o governo que fez esse “tremendo negócio”.

          • Catarino says:

            De uma coisa eu sei, pago eu e pagas tu e sabes lá para onde vai o dinheiro e a forma que é gerido, não é do domínio publico.

            E pelo que tenho visto por tudo o que é do estado só tem vindo a correr mal, é prejuízo atrás de prejuízo e quem paga é sempre o mesmo.

            Quando tínhamos Juntas a receber 10mil euros por uma garrafa de vinho branco, quando tínhamos Câmaras com portáteis a custar 1milhão, quando temos mais de 3 bancos a ter prejuízos e quem paga?

            Acham mesmo que todas as outras empresas do domínio publico não roubam igual?

            Como já referi anteriormente não existe “máxima transparência” nos dinheiros públicos.

            E não vejo nenhum partido a ir para lá e mudar isso.

        • Mindful Peasant says:

          O Catarino não apresentou qualquer alternativa.

          Democracia tem custos, se o Catarino não gosta da democracia actual pode sempre dizer que outra democracia podemos ter ou então defender acabar com a democracia…

          “E para mim não devia existir empresas do estado a dar prejuízo.”

          Imagino que pensa quando os privados dão prejuízos as empresas privadas deviam deixar de existir, certo?

          Tem estado atento ao que se tem passado no mundo Catarino?

          Sabe quando a indústria automóvel PRIVADA faliu nos EUA, sabe quem foi ao socorro da General Motors, Ford, etc? Foi Estado/ contribuintes.

          Sabe quem tem andado a meter dinheiro no cancro que é a banca privada há anos?

          É o Estado Catarino, são contribuintes que andam a sustentar muito privado falido.

          Coitados dos privados se não houvesse Estado…

          • Catarino says:

            A pensar dessa forma é que o país está como está.

            Já dei a minha alternativa (paguem do próprio bolso), dizer que as campanhas eleitorais é democracia é para rir mesmo.

            Não devem mesmo saber como funciona as tesourarias dos partidos (tenho conhecimento por algumas pessoas que trabalhavam nas tesourarias destes nossos maiores partidos)

            Tem andado atento ao que passa no país Mindful Peasant?

            Desde quando é que existe algum tipo de democracia quando o único objectivo é chegar ao poder para “chular” o zé povinho?

            Como já referi anteriormente andam uns a trabalhar para os outros.

            E não compare os EUA com o resto da europa principalmente Portugal porque não é comparativo, as regras estruturais do EUA são completamente diferentes do resto da europa.

            Se tem realmente alguns conhecimentos saiba que quem anda a sustentar muito privado falido, foram muitos outras empresas que tiveram de aguentar o “barco”

            Continuo a dizer qualquer empresa que dê prejuízo não pode estar a funcionar bem, é a uma regra básica da economia.

        • Mindful Peasant says:

          O Catarino não compreendeu aquilo que escrevi, eu não defendi partidos ou políticos, eu defendi o processo democrático.
          Eu também não gostos dos abusos que vejo mas se quero que as coisas mudem tenho que apresentar alternativas, e o Catarino não apresenta alternativas.

          O Catarino também revela não entender o que é o Estado e como os privados são dependentes dele.
          Pensava que os resgates da banca e outras mega corporações tivessem elucidado as mentes, mas parece que alguns continuam a ser ingénuos…

          Os EUA até podem ter outro processo, e é exactamente esse processo (partidos a receberem milhões dos bilionários) que esse país está a cair de podre de tanta corrupção.
          Donald Trump é um excelente exemplo dessa decadência.

          • Catarino says:

            O Mindful Peasant não deve ter percebido que eu nunca disse que os privados não estão dependentes do estado.

            O que eu disse é que o estado abusa do poder e das regras criadas anteriormente por alguns para beneficio próprio e que actualmente os partidos não têm interesse nem capacidade para as mudar.

            Disse também e volto a frisar que grande maioria das empresas está dependente de outras, e fazem ” jogo de cintura” entre elas.

            Posso dizer-lhe que pessoalmente conheço umas boas centenas delas, e acredito que o mesmo se passe no resto do país, pela informação que tenho lido.

            O processo democrático quer queira quer não está interligado a partidos e políticos.

            Pelos vistos após tantos anos de “desgaste” financeiro, com resgate da banca entre outros negócios obscuros, as pessoas continuam ser ingénuas e não perceber que quer se queira quer não, quem poderá ter o poder para mudar tudo isto não o está a fazer, não obstante estes defendem-nos com unhas e dentes.

            Estou inteiramente de acordo com a democracia se ela for “transparente” e que um voto directo ou através dos seus representantes seja acima de tudo um voto de confiança contudo não é isto que acontece.

            Em relação à corrupção que está a falar dos EUA, já deu realmente uma vista de olhos ao nosso país? Já agora aproveite para analisar quanta corrupção existe e quem fez parte dela.

            Em relação ao Donald Trump o homem não é exemplo de nada nem para nada.
            Tem ideias contraditórias de 5 em 5 minutos.

    • Rui says:

      Quais 6 milhões? As eleições autárquicas vão custar ao país 46 milhões de Euros: https://www.dn.pt/portugal/interior/eleicoes-custam-459-milhoes1276-euros-por-cada-eleito-8683242.html

      No entanto os partidos com a sua esperteza saloia, colocam à semanas notícias plantadas nos jornais de que os submarinos custam cerca de 10 milhões de euros por ano a manter, mas “omitem” que os partidos recebem subvenções de 46 milhões de euros só para as autárquicas!!!!!!

    • Miguel Costa says:

      Precisas de ir aprender o que são eleições…. seu catarino laranjas.
      Quando vais votar (se é que tens idade para votar) só existe 1 eleição onde votas em alguém directamente: nas Presidenciais (vais procurar ao google o que é isso). Em todas as outras, votas em listas de pessoas que se apresentam com um partido ou grupo cívico. Sejam legislativas ou autárquicas, são a nível distrital ou freguesia-concelho. As para o Parlamento Europeu existe uma lista nacional de cada partido.
      Ao contrário da tua afirmação LARANJA PODRE, quem ganha as legislativas é quem conseguem ter a maioria dos votos na Assembleia da República onde estão 230 representantes, eleitos pelos Portugueses. Só que os laranjas podres não quiseram aprender isso.

      • Catarino says:

        lol andas com azia vai lá tomar renie ver se isso passa.

        Quero eu lá saber se é laranja amarelo rosa ou azul, não tenho nenhum partido, apenas sei que durante 30 anos quem paga a factura é sempre os mesmos.

        Existe alguma diferença entre partidos? Tendo em conta os últimos 30 anos não vejo qualquer diferença entre eles, por isso devem ser todos podres, hahaha

        Como referi anteriormente, são todos iguais.

        • Cortana says:

          Deixa lá Catarino, esta gente vê os partidos como clubes de futebol, por muito mau que seja o candidato votam na mesma nele. Ou isso ou tem interesses partidários que também é o mais comum.

          • Catarino says:

            Já começo achar que sim, não interessa o que os partidos fazem, eu sou do partido xpto e eu que tenho razão…

            Na minha opinião a escolha de um partido deverá ter em conta as nossas opiniões/valores, não uma questão de cores ou esquerdas e direitas.

  4. IKAROS says:

    Para votar basta mostrar o Cartão de Cidadão?
    Não faço ideia onde anda o meu cartão de eleitor…

    • Krad Fire says:

      Já somos dois. Também estou nessa situação. Pelo que li parece-me ue basta apresentar o CC e dizer o seu número de eleitor (pode consultá-lo online) mas não sei se é assim. Gostava que alguém mais informado pudesse me esclarecer melhor essa situação se possível.

    • Miguel Costa says:

      Vai ali ao site, introduz o teu número de identidade e a data de nascimento. Recebes uma letra e um número (ou só um número). Aponta-o num papel.
      Quando fores votar, apresenta esse número e o teu cartão de cidadão. (Se tens net no telemóvel, até podes introduzir a informação no telemóvel antes de entrares na assembleia de voto, apresentares o telemóvel e o cartão do cidadão, apesar de ser mais fácil levares um bocado de papel com a identificação de eleitor…)

  5. Tiago says:

    Já deviam era fazer o voto online que simplificava a votação de muitos que têm +18 anos e deslocaram-se para fora e fazer viagens só para votar é ridiculamente parvo e gastar dinheiro.

    • Miguel Costa says:

      Existem várias formas de exercer o direito de voto. Se vais estar fora na altura da eleição, podes ir à câmara municipal da morada que tenhas no cartão do cidadão, duas semanas antes das eleições, entregar o requerimento e votas.
      Se tens uma morada no cartão do cidadão e nunca a mudaste, esse é problema teu. Se estás fora de Portugal, nas autárquicas NÃO podes votar. Nas outras eleições, é ires ao consulado/embaixada e votares (se tiveres os dados todos em ordem em como estás a viver fora de Portugal).

      • Tiago says:

        Ora Viva Miguel,
        Estou a falar sinceramente dos estudantes e não só, que têm de ir à santa terra votar quando estão a 300km ( por exemplo vive em Lisboa mas não tem morada de lisboa por não ter uma residência em algum contrato o que acontece com muitos estudantes e não só tenho já a dizer ) e estar a gastar 40 ou 50€ só por causa de um voto acho ridiculo.

    • ThreadRipper says:

      Concordo. Onde está o botão para pôr like??

    • int3 says:

      isso é uma ideia muito muito má. esquece lá isso. o risco é extramente alto de alguém conseguir adulterar resultados.

      • Tiago says:

        Contratassem uma empresa de fora em vez de andarem a gastar não sei quantos milhões em campanhas e assim secalhar não haveria tanto voto em branco ou abstinencia . Não é assim tão complicado a meu ver de garantir isso. Existe 2 ou 3 formulas para isso.

        Se consegues entrar no site das finanças lá também poderias colocar o teu voto ( ou uma forma similar com o contribuinte ) que as passwords apenas são do conhecimento das pessoas.

        Em relação ao aultério de dados como referi em cima basta contratarem uma empresa de fora para servir o prepósito dos votos.

        Facilitava a vida a muita gente.

        • int3 says:

          de fora?? estás a confiar numa empresa de um outro país para fiscalizar os votos que vai decidir quem irá gerir o país inteiro? tens noção o que é que isso é???

          o processo atual está muito bem. a contagem de votos é feita pelos partidos todos para se auto-vigiarem e comunicarem os votos.

          se souberes inglês: https://www.youtube.com/watch?v=w3_0x6oaDmI

          • Tiago says:

            Acho que problemas irá sempre haver independemente de como se vota, o processo actualmente está muito bem para quem tem a sua casinha e vai à sua camara e vota, mas quem está a 300km ou 500km em Portugal por causa dos estudos e senhorios que não querem passar faturas nem nada muitas pessoas nem se vão dar ao trabalho.

            O vídeo que colocaste já vi algumas vezes porém cada vez temos mais maneiras de fazer as coisas e de várias soluções ( e felizmente sei ingles não te preocupes ).

            Eu nunca disse um país para fiscalizar ( essas foram as tuas palavras ), independentemente da empresa teria de ser imparcial e sabemos que em portugal não existe isso porque é amigos em todo o lado.

            E eu nunca disse que se devia retirar o foto em papel apenas disse que devia também existir o voto eletronico ou deixarem as pessoas votar onde quisessem e disessem qual era a camara respectiva que queriam votar.

            Agora dizer-me que o sistema actual está muito bem para a actualidade não condordo, existe sempre espaço para melhorar.

  6. Filémon says:

    Saber onde votar na Internet surgiu na CNE creio que em 2013 e ainda continua disponível.

    http://www.cne.pt/content/onde-voto

  7. int3 says:

    cerca de 50% dos tuga são retardados. nem vão votar. nem sabem o que é isso. nem sabem como funciona o sistema eleitural. estão preocupados com meia dúzia de trocos que o voto deles vale ao partido. que nabos.
    isto é das coisas que mais me faz sentir desiludido neste país. habitado por macacos que ficaram presos na idade média.

  8. falcaobranco says:

    E quando metem o voto obrigatório? Hum… boa questão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.