Quantcast
PplWare Mobile

Apple e Samsung adoptam carregamento sem fios

                                    
                                

Autor: Mário Sousa


  1. irlm says:

    cuidado com as patentes Duracell…

  2. OneX says:

    Só compro isso quem andar a dormir lol E mesma bosta a diferença é que carrega numa base llllooollll Esse ditos carregadores sem fios são uma anedota mais uma estupidez para gastar dinheiro mal gasto lol quando não sabem mais o que inventar é mais um extra desnecessário para gastar dinheiro… carrega numa base por isso continua a ser com Fios DUHHHH lol é como ecras 1080p num smartphone ter resolução duma Tv num ecrã minúsculo não faz sentido nenhum é gastar dinheiro mal gasto lol

    • Afonso Gomes says:

      E para aqueles, que através de algum infortúnio, estragaram o carregador. Já não compensa? Compensa comprar outro carregador, quando, se adquirir este, já tem um carregador universal* para os novos telemóveis que surgirem com esta tecnologia, baseado neste standard.

      Já agora, em vez de se criticar por criticar, tem de se primeiro olhar para as vantagens e desvantagens dos equipamentos e depois cada um é que decide se realmente vale ou não a pena comprá-lo. Ou seja, cada pessoa tem a decisão de escolha mediante o que precisa.

      Eu vejo valor (relação qualidade/preço + uso que vou dar), apesar de não ser um carregamento wireless no estado puro (i.e. carregamento totalmente sem fios).

      *Entenda-se universal como baseado no standard QI.

      • OneX says:

        Standard já existe micro Ubs usado já algum tempo pelos grandes fabricantes HTC , nokia , samsung , sony … a Apple é que continua a insistir em adaptadores e mais fios lol

        • Afonso Gomes says:

          Standards existem muitos, cada um para a sua função. O micro USB não cumpre a mesma que o QI.

          Por isso, acrescento, se não vês valor, não compres. Quando os produtos começarem a sair em maior quantidade o próprio mercado vai decidir se é um produto que tem valor ou não para as massas.

          Por enquanto, é um produto cuja popularidade está a crescer. Dentro de pouco tempo saberemos o que o mercado decidiu sobre este produto e se vai ser ou não descontinuado.

          Quanto à referência à Apple não percebi, já que sou utilizador de Android e até de alguns serviços da Google.

      • S says:

        Uma boa utilizaçao seria no carro, um local onde se pousa e onde carrega automaticamente, sem necessidade de adaptadores. tipo em cima do tablier, etc
        Uma desvantagem é dificultar o uso quando esta a carregar.
        É uma questão de trade-off.

  3. OneX says:

    O mais engraçado é que para inventarem o verdadeiro carregador sem fios primeiro é preciso inventar a electricidade sem fios DUHHH …. Isto é a maior anedota tecnológica ate há data onde esta o carregador sem fios ??? ainda é pior que o carregador original que obriga a ter uma base ( mais um trambolho a ocupar espaço) lol inútil e desnecessário me**** para vender mais nada lol

    • Alexandre Amaral says:

      Vês algum fio? Não pois não? Então vai para as aulas que a campainha de entrada já tocou…

      • OneX says:

        sim vejo um fio é um trambolho duma base que serve para carregar o Telemóvel em vez de um simples e pratico carregador Usb universal lol lixo a dita almofada para carregar os nokia lumia é uma anedota da tecnologia só compra aquela m**** quem for realmente muito burro lol

        • Fábio says:

          A diferença é que com um carregador assim, se a base for suficientemente grande, podes carregar não só um telemovel.

          Se a Apple lançar o iWatch e tiver esta tecnologia, carregas iPhone, iWatch, iPod, wtv, tudo, numa só superficie. Ao invés de andares com 3 trambolhos atrás.

          • eduardo says:

            3 trambolhos?
            a probabilidade de teres que carregar tudo ao mesmo tempo é pequena! e para muita gente basta ter um cabo que se ligue a uma porta USB, nem precisam dum transformador que por sinal seria bem mais pequeno e leve que a solução por carregamento sem fios.
            Já agora a probabilidade de queres usar os aparelhos enquanto estão a carregar é bem grande… aí está uma coisa que não é possível fazer com as soluções apresentadas por carregamento sem fios.

          • Fábio says:

            Quanto a ti nao sei. Eu carrego as minhas coisas a noite. Quando vou dormir. Um iWatch não será carregado durante o dia. E também costumo desligar o pc a noite.

            Muitas pessoas chegam a casa, depois do trabalho, largam o telemóvel e vão ver tv. Vão para o pc, o Tablet, wtv. Só agarram no tlm se este tocar.

            E nada disto inválida o carregamento por usb quando necessário. Se ficares sem bateria a meio de um dia ainda teras um cabo usb para carregar.

          • eduardo says:

            e vais andar com isso atrás!?
            As pessoas só precisam dum cabo fora de casa se precisarem de carregar algum dos dispositivos.
            E em casa… quantos é que vão pagar para ter uma coisa dessas, sabendo que é menos funcional que um cabo que já têm!?
            Quanto a ti não sei, mas não iria pôr um carregador destes na mesinha de cabeceira!

    • Darth says:

      Tanta estupidez por frase eh de lhe tirar o chapeu.

    • Rafael B. says:

      wtf did i just read…..

    • Ricardo says:

      Tens toda a razão, embora pudesses exprimir melhor o teu ponto de vista.

      A base do smartphone tem fios, o que significa que em vez de um mero cabo usb, é preciso ter um dispositivo (com fios) certamente mais caro, para colocar o smartphone por cima. É certo que o smartphone não tem nenhum fio, mas tem a base!
      Não consigo ver a inovação aqui!
      É preciso levar o dispositivo (com fios) caso queira carregar o smartphone (sem fios)…

      • Sergio says:

        Eu acho que não estão a ver bem em termos tecnológicos a inovação. É um conceito conhecido, mas não muito desenvolvido. O conceito como querem é inviável, pelo menos para os próximos anos. Este conceito trabalhado poderá trazer benefícios no futuro. O teu dispositivo não ficara ligado a nada. Estará simplesmente pousado. Claro que há vantagens e desvantagens. Mas isso é como em tudo. Em engenharia faz-se sempre esse balanço para ver se no final é uma solução proveitosa ou não.

        Em termos conceptuais significa que o fio esta lá mas não tens que ter acesso a ele. Até pode estar escondido. Imagina que estas num restaurante. Não há fios. Simplesmente pousas o telemóvel.

        • eduardo says:

          Isso é um delírio. Um restaurante estar a investir dinheiro num ou vários dispositivos para que as pessoas gastem a sua electricidade e pelo capricho de não usarem fios!? Tal não vai acontecer…
          O futuro da tecnologia poderá trazer alguma solução muito mais avançada que poderá se revelar útil para muitos fins, mas tal como está não vai haver carregadores destes a cada canto para os telemóveis.

          • Sergio says:

            Estas a restringir-te só restaurante. Foi o primeiro lugar publico que me ocorreu. Como já disse noutro post, vejo isto como uma extensão ao conceito de Dock sem conectores.

          • eduardo says:

            primeiro lugar público que te lembraste!?
            Achas que vão pôr numa repartição de finanças, nas lojas da esquina, no estádio de futebol em cada lugar sentado!?
            Ninguém vai estar a investir numa coisa dessas para não ter qualquer benefício directo no seu negócio, só despesa, principalmente quando há uma alternativa muito mais barata – a tomada.
            Apenas vejo hoteis de gama alta a pensar em tal coisa, e mesmo esses só nalguns quartos.
            Aquilo que muitos se estão a esquecer é que isto são aparelhos por si só, que vão ter sempre despesas de manutenção (substituição, etc), que até podem avariar os aparelhos que carregam. Será que vai haver negócios a quererem correr esses riscos desnecessários!

    • LOL says:

      Não é necessário inventar electricidade sem fios, até porque a electricidade não foi inventada, antes de se criticar convém estar informado. Há uma pequeno fenómeno chamado indução electromagnética, descoberto por ums enhor chamado Michael Faraday, que permite produzir energia eléctrica num corpo sujeito a um campo magnético variável. De uma forma muito básica, a base onde o telemóvel vai estar a carregar vai produzir um campo magnético variável, e o telemóvel, que está sujeito a esse campo magnético vai conseguir converter a energia magnética em energia eléctrica para carregar a bateria.

      • eduardo says:

        O fenómeno de corrente eléctrica não é uma invenção, mas a electricidade que usamos é uma invenção, pois tens características próprias e uma base tecnológica bastante complexa – não basta teres corrente eléctrica, tem que ter uma voltagem e frequência definidas, já para não falar de toda a questão alterna/contínua!
        O carregamento sem fios é a mesma coisa, pode ter por base um fenómeno de indução magnética ou outro, mas o carregamento é uma invenção, pois para funcionar necessita de tecnologia, que até é ordens de magnitude mais complexa do que aquilo que Faraday usou!
        Não consegues variar o campo magnético sem inventar alguma coisa que crie esse fenómeno!!

        • A serio? says:

          Dizer que a electricidade q utilizamos hj em dia é uma invenção é no mínimo… lol… É o mesmo que dizer q a gravidade exercida hoje em dia sobre os helicópteros é uma invenção só pq a forma como estes fazem voo sustentado é diferente da do primeiro avião inventado pelos irmãos Wright.

          • eduardo says:

            :S
            confundes a descoberta do fenómeno de corrente eléctrica (que aliás pode assumir diversas formas e por isso até foi mais do que uma descoberta) com o uso que se tem, isto é, tecnologia.
            A electricidade que usas tem características bem definidas, e os aparelhos estão adaptados a essas características, de tal forma que se usares outro tipo de corrente podes danificar seriamente o aparelho. Para teres a electricidade foi necessário inventar um infindável número de tecnologias, para “criar” e modular a energia. Grande parte dos aparelhos nem sequer usam a corrente tal como é fornecida, necessitando de transformadores que tantas vezes dão problemas.
            Se não há invenção, então por essa ordem de ideias a luz eléctrica tb não foi inventada, pois luz já existe há biliões de anos!!!

        • Vasco says:

          estava a ler isto e a pensar «muitas certezas dão muito disparate». Aceitando as minhas suspeitas sobre a aplicabilidade imediata desta tecnologia, não consigo deixar de pensar que houve um arauto a escrever “… vão ter que inventar a electricidade sem fios!”

          E estava a ver que ninguém lhe atirava com a indução magnética (que não tem nada a ver com o Tesla que aparece sempre nestas historias).

          acho que um trovão também conta, para falar a verdade, desde que haja diferença de potencial e um meio que não seja completamente isolante, pimba! lá vai uma descarga eléctrica em direcção a um destino mais ou menos desejado 😛

  4. Sergio says:

    Como simples carregador é um conceito fraco. Agora imaginem como Dock. Chegar ao escritório/casa/ café e simplesmente pousar o smartphone em cima de algo e automaticamente esta a carregar, esta ligado ao monitor, esta conectado ao rato e teclado sem fios.
    Este é um cenário, mas podem ser imaginados tantos outros.
    Acredito que num futuro os desktops poderão ser quase dummy terminals. O processamento será feito de duas formas: remoto ligando a servidores (solução cada vez mais adoptada por empresas) ou locais em que a unidade de processamento poderá ser o smartphone de qualquer um. E que melho Dock que uma simples base que além de interface tb carrega

    • Ricardo says:

      Eu tenho um cabo usb (c/s adaptador) e carrego o meu smartphone em qualquer lado. Perguntem-me a mim e eu respondo que é apenas um capricho este dispositivo. Porém, é uma forma da tecnologia evoluir e quem sabe daqui a uns tempos os smartphones não precisem de bases, nem outro tipo de dispositivos para recarregarem. É aí que está a inovação.

  5. Alexandre Amaral says:

    Acho que esta tecnologia é bastante interessante em termos de potencialidades e possibilidades que oferece para carregar os nossos aparelhos (aplicar em mesas de café por ex seria interessante). No entanto, deixa de ser viável na minha opinião se tivermos de recorrer a capas para o efeito…dai achar que só é praticável em futuros terminais (porque as capas até tem bastante volume).

    O termo mais correcto por ventura será carregamento por indução.

    Num futuro, como o artigo o diz, os telemoveis irão vir com

  6. Liph says:

    O caminho é esse msm!
    Agora com a Samsung a apostar nessa tecnologia deverá ser o primeiro grande passo para a sua massificação.
    Uma tecnologia que tem grande futuro…

  7. OneX says:

    O que é preciso são Baterias de alta capacidade que durem pelos menos 4 a 5 dias em vez de um único dia lol para que raio quero uma base que carrega apenas o tlm lol

  8. Joao says:

    Por um lado a ideia é interessante. Temos uma base (ligada à corrente) onde podemos colocar o telemóvel e para parar de carregar não temos de desligar o fio. Mas isto trás mais problemas que vantagens. O carregador do iPhone é bastante pequeno, certamente muito mais pequeno que eventualmente essas bases. Quando tenho pouca bateria levo o carregador comigo, quando vou de férias, ou até quando vou à cozinha fazer o jantar. E transportar uma dessas bases (as que já existem são maiores que os próprios telemóveis) torna-se pouco prático.

  9. Camaro says:

    A ideia é interessante, mas não a considero prática. muitas das vezes temos o telefone a carregar e recebemos uma chamada ou temos de responder a uma sms. Alem de que andar com um carregador destes atrás quando se vai de férias ou fim de semana, não o torna assim tão útil.
    A única vantagem que se pode ter é poder carregar múltiplos aparelhos ao mesmo tempo, de resto, acho k o valor monetário vai ser estupidamente alto! Loool

  10. fil says:

    Esta nova tecnologia parece ser bastante útil e pratica, mas agora falta saber se não é nocivos para a saúde. Está provado que campo magnéticos provocam cancro, quem vive perto de estações eletricas ou cabos de alta tensão tem maior probabilidade de ter um cancro a longo prazo.

  11. Serginho M says:

    Deve ser a força dos tempos! A Nokia manda para o mercado e os outros vão atrás. Onde é que foi que eu já vi isto…

  12. António says:

    A Apple é a nova Microsoft? Tem de continuar a reinventar a roda em vez de usar standards?

  13. zélindo says:

    Eu também cozinho sem fios, tenho um fogão de indução e sem fonte calor pois o que aquece é o tacho , acho que conceito é mesmo que esses carregadores ditos sem fios , pois para mim sem fios não tem que esta colado a nada para carregar , a electricidade wireless ainda esta para vir apesar já ser uma tecnologia com mais de 100 anos.

  14. Gerardo says:

    Um cabo USB no bolso e com a maior parte dos smartphones actuais (claro que com a Apple não porque eles são “criativos”) estamos desenrascados em qualquer lado, porque actualmente encontra-se uma porta USB nos mais variados sítios e equipamentos. Se estes só derem para carregar assim (que não acredito) quero ver onde o vão carregar se ficarem enrascados fora de casa!!! (pelo menos por agora)

  15. Ricardo says:

    Para quem defende o carregamento com fios e diz que isto não presta.. Não se trata de substituir totalmente o fio ligado ao telemóvel, em casa se se tiver uma base vai dar ao mesmo e ainda se paga mais pela base. Mas não será util ter o telemóvel em cima da mesa de café a carregar? Ou na mesa de escritório enquanto se trabalha e não se está a utilizar frequentemente? Ou nas colunas/sistema de som quando se mete o dito lá em cima? Para uma geração de telemóveis cuja bateria dura 1 dia a massificação desta tecnologia vem diminuir a nossa dependência de carregar o telemóvel à noite e de não termos bateria quando realmente precisamos.

    Agora só é preciso baixar o custo de fabrico de coisas com tecnologia qi para se tornar ubíquo 😛 e dos smartphones, já agora, que 600€ por uma coisa tão pequenina é parvo num país em crise
    My 2cts

    • eduardo says:

      O erro do teu pressuposto é pensar que vão ser outros a pagar para tu teres esse “luxo”.
      Os cafés não vão pagar, o teu patrão não vai pagar [salvo certo tipo de empresas], vai ser raro ver uma coisa dessas, pois não traz qualquer benefício a quem tem o negócio e até incorre em despesas. – mais ainda sabendo que as pessoas podem carregar doutra forma! É um delírio pensar que isso vai acontecer.
      mais engraçado é que a maioria que pensa nisso, nem sequer iria querer gastar dinheiro para ter isso em casa!!

      • Alexandre Amaral says:

        Podes pagar uma taxa pelo carregamento ou não? Para mim faz lógica…e diga-se não é novidade nenhuma, muitos cafés já pedem dinheiro por carregares lá o portátil…a diferença é que não tens fios pelo chão.

        • eduardo says:

          ?
          de que maneira é que deixas de ter fios no chão? o carregador continua a ter que estar ligado a uma tomada, e ninguém vai fazer obras para evitar isso…
          e achas mesmo que as pessoas vão andar a pagar pela electricidade quando sabem que se esperarem mais um pouco podem carregar sem terem o “trabalho” de pagar? Ou que as pessoas vão preferir ir a algum sítio só porque têm esses carregadores?
          Poucos são aqueles que vão sequer pensar em fazer um investimento em carregadores, quando toda a gente já tem alternativa para o carregamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.