App vai substituir declaração amigável de acidente automóvel


Destaques PPLWARE

61 Respostas

  1. Não Interessa says:

    Num país de papais como o nosso, não sei se pega assim à primeira…

  2. Henrique says:

    É bem-vindo. Espero que possibilite tirar fotos para introdução na declaração em vez de se fazer o desenho. Também era bom se possibilitasse através da matrícula saber se o carro está ou não seguro.
    Bons acidentes malta 🙂

  3. Pedro Barros says:

    Não concordo propriamente com o termo “substituir”, deveria ser “complementar”. O formato em papel nunca poderá ser substituido neste caso. Estariamos a assumir que a totalidade dos condutores tem um smatphone que lhe permita usar a app , e que o condutor tenha conhecimentos ou capacidades para usar a mesma, ou ainda que tenha essas duas coisas, queira voluntariamente optar por “não” usar essa tecnologia prteferindo usar a declaração tradicional.

  4. Rui says:

    A declaração amigável, só serve se não houver feridos. Se houverem feridos, as autoridades têem de intervir, assim como no caso de dúvida e ausência de acordo.

    A declaração amigável serve apenas para, ENTRE COMPANHIAS, saber quem paga a quem, de forma barata, sem pagar 20 e tal euros por um auto das autoridades (tem muito mais valor o auto que qualquer declaração preenchida entre condutores e até testemunhas), ou ter que deslocar um perito dos seguros!!!!

    • PTZulu says:

      Na Declaração amigável também se desloca um perito. A peritagem existe sempre que envolve algo dos seguros (menos cobranças difíceis, a não ser que te partam as pernas, e tu estejas segurado ahah)

    • APereira says:

      A declaracao amigável serve apenas para cada uma das partes descrever da forma que mais se adapta (ou convem) o acidente.

      Ninguém se da como culpado ou nao por preencher ou assinar a declaracao amigável.

      • Rui says:

        Eu não disse o contrário, mas podes ter a certeza que as companhias envolvidas utilizam a declaração amigável para imediatamente detectarem quem é o culpado sem gastarem 1 cêntimo com a resolução do caso para além dos estragos provocados. Pergunta a um mediador se não estou a falar verdade? Pergunta-lhe se a formação das companhias de seguros não ensinam ao mediador para preencher a declaração on-line com base na declaração amigável e automaticamente o sistema diz logo quem é o culpado 🙂

  5. Kabuki says:

    Também pode ser visto de outra forma, os condutores serem obrigados a uma modernização, fruto do progresso. Como em tantas outras áreas, por vezes somos obrigados a mudar.

    • pintor says:

      Vamos então legislar para que todo o cidadão que tenha carta de condução seja obrigado a utilizar um smart phone com acesso a net sempre que conduza.

    • Mike says:

      Era só o que faltava era uma entidade obrigar as pessoas a terem de comprar um smartphone (que provavelmente terá de obedecer a certas características técnicas), terem um pacote de dados e terem obrigado a aprender a usar uma app.

      • Henrique says:

        Mas onde é que alguém falou em obrigar? O falar em substituir quer apenas dizer que este será o principal método de entrega da declaração amigável, não significa que o outro deixa de existir, apenas que este trará mais vantagens.
        Era o que mais faltava não evoluirmos a simplicidade dos nossos processos por haverem velhos do restelo ou pessoas sem pacote de dados…

        • Mike says:

          Eu estava a responder ao Kabuki!! 🙂

        • Pedro Barros says:

          Se experimentar a ler o post do Kabuki, verá que estas são respostas ao “brilhante”post do mesmo, e não respostas ao artigo!!
          Já agora, substituir significa passar a usar o processo novo EM DETERIMENTO do processo antigo, o que não se verifica nem se pode verificar. Trata-se de usar um novo processo (app) em PARALELO com o actual processo (papel). Convem compreender portugues…
          Ninguem está contra a implementação da app, muito pelo contrario. Foi apenas dito que não se trata de uma substituição mas de uma outra forma de entrega do processo em paralelo com o existente, porque não é a umica pessoa no mundo e há outras pessoas (os “velhos de restelo” como lhes chama) que não tem nem sabem usar um smartphone, para as quais o actual processo vai ter sempre de continuar a existir juntamente com a app.

    • Pedro Barros says:

      Que medida fantastica não é? Se as pessoas não tem ou não sabem, vamos obriga-las!
      Mas já agora porque parar ai? Vamos “obriga-lo” mas é a si trocar de carro para um novo que tenha acesso á net, assim nem precisa de usar um smatphone, faz logo na ligação do carro, afinal tem que acompanhar a evolução, é “fruto do progresso”…

      • PTZulu says:

        De certeza que ainda tens uma TV CRT, e a preto e branco, certo?
        A substituição não é imediata, e as duas vão funcionar em paralelo ao longo de certo tempo (não sei se leste a notícia efectivamente). Dito isso, Deve haver mais pessoas com smartphones, e know how para utilizar dita App, que pessoas com a declaração em bom estado, e por bom estado, em que o químico ainda funcione e não tenha manchado já tudo.

        Pois, é tudo bonito na teoria, mas a aplicação, no geral, é bem vinda.

        • Pedro Barros says:

          Se te desses ao trabalho de ter lido os meus posts anteriores, terias compreendido que eu não critiquei a existencia da app, apenas disse que o formato em papel nunca poderá ser substituido (eliminado) e o porquê, e evitarias o comentário infeliz da TV CRT….
          A minha resposta (propositadamente idiota) neste post especifico foi em resposta ao comentário acima mais idiota ainda…

        • badsector says:

          Não sei se o Pedro Barros leu a notícia mas tu pelos vistos não viste que ele estava a responder ao kabuki…

  6. MLopes says:

    boa notícia!
    espero que a app venha bem feitinha e funcional. o detalhe de poder anexar fotografias é importante porquanto fazer um esquema poderia não ser assim tão fácil, em especial para quem usa smartphone sem caneta

  7. kelsus says:

    E será que vai existir a app para todos os s.o.?

  8. Sergio says:

    Complemento e daqui 50 anos como substituição ..

  9. Nelson S. says:

    Dsd k venha facilitar a vida as pessoas eu estou de acordo!

  10. Cruzes canhoto says:

    “Cruzes canhoto, te arrenego três vezes” e mais três toques na madeira (conhecem mais esconjuros do diabo e do mau olhado?) – sendo certo que tenho tido sorte, acho isto muito bem vindo.

    Toda a gente já tem smartphones que permitem filmar e fotografar. Tirando os casos em que os carros não ficam no sítio e seja preciso chamar a polícia para determinar como/onde o acidente se deu – as filmagens e fotografias chegam (as companhias de seguros aceitam, os tribunais é que não).

    Fico doido como é que é preciso parar o trânsito durante que tempos e chamar a polícia em casos que se metem pelos olhos dentro – e em que estão os dois de acordo.

  11. João Rocha says:

    Isso ja foi feito, foi o meu projecto final de curso. http://pes.apphb.com/

    • Tiago says:

      E o meu (a app), inclusive a patente (que nem o meu nome vai referir).
      Se eu soubesse o que sei hoje…

    • António Borges says:

      Boas João,
      Estou a realizar um Plano de Negócios, sobre uma app deste género, como exercício académico na cadeira de Inovação e Empreendedorismo do curso de Engenheiria e Gestão Indústrial, acontece que soube desta notícia recentemente o que infelizmente deixa de ser um ideia inovadora, soube o ponto de vista de uma app. Contudo como já iniciamos a elaboração do PN no inicio de Setembro, vamos manter apenas como exercício académico, tens algum material do teu projecto final de curso que nos possa ser útil, e que podasses disponibilizar-me? Estou a falar de um PN do teu projecto ou da Tese que sustenta o teu projecto final de forma a que pudéssemos recolher informações úteis para o nosso PN?
      Agradeço desde já pela tua atenção.
      Os meus cumprimentos
      António Borges

      P.S.- Deixo o meu mail: fernandoborges22@hotmail.com

    • António Borges says:

      Boas João,
      Estou a realizar um Plano de Negócios, sobre uma app deste género, como exercício académico na cadeira de Inovação e Empreendedorismo do curso de Engenheiria e Gestão Indústrial, acontece que soube desta notícia recentemente o que infelizmente deixa de ser um ideia inovadora, soube o ponto de vista de uma app. Contudo como já iniciamos a elaboração do PN no inicio de Setembro, vamos manter apenas como exercício académico, tens algum material do teu projecto final de curso que nos possa ser útil, e que podasses disponibilizar-me? Estou a falar de um PN do teu projecto ou da Tese que sustenta o teu projecto final de forma a que pudéssemos recolher informações úteis para o nosso PN?
      Agradeço desde já pela tua atenção.
      Os meus cumprimentos
      António Borges

      P.S.- Deixo o meu mail: fernandoborges22@hotmail.com

  12. prodrigues says:

    Mike não deixa de ser curioso de que, de todos os que possuem smartphone, aparentemente todos sabem usar o Facebook! Não sabiam até que aprenderam a usar o Facebook… e depois ficaram por aí, parece que chega! Bom, uma pequena percentagem destes usa o equipamento para outras “coisas”…
    Eu vou dar aqui um pequeno exemplo: o “meu” euromilhões é feito através da app da SC e pergunto-me como é que tanta gente, que passa o tempo em selfies e no Facebook não usa esta app, preferindo se deslocar, no último dia e sujeitar-se às filas, para jogar neste… alguns, não podendo levar a viatura até junto à máquina de registo, deixam esta mal estacionada e a estorvar… mas tem Facebook!
    Acho que devemos estar abertos a este tipo de inovação… concerteza que a declaração em papel continuará, infelizmente, por muitos anos… até porque, como se sabe, existem locais sem qualquer cobertura GSM.

  13. Alvegasat says:

    Olé, venha ela, mas esqueceram-se de dizer que era para poupar uma árvores e mais uma serie de tretas, ao substituir o papel pelas app, ou será que nao vai ser para substituir, mas sim para complementar ?
    – Se for para substituir, eu que nao tenho telefone, como vou fazer quando tiver um acidente ?
    – Eu tenho vários carros, todos com seguro, claro, mas nao tenho telefone, vou deixar de ter seguro ?
    – Ou vão-me oferecer um telefone quando fizer o seguro ?
    – Vai ser um telefone para cada carro ?
    – Ainda que me dêem o telefone, quem vai pagar a assinatura e o tarifário ?

    Ao “Cruzes canhoto”, “Toda a gente já tem smartphones que permitem filmar e fotografar”, pois isso só se toda a gente nao me inclui.
    Mas em contrapartida tenho muitissimas coisas mais, que nao interessa aqui para o caso.
    E quando a rede nao funcionar, ou nao existir cobertura, ou algo similar ?
    o envio-o dos dados é feito há posteriori ?
    E como vou eu assinar no telelé do outro interveniente e ele igualmente no meu, a dar o “Agreement”, em como concorda com a minha descrição dos factos ?

    Esta é uma medida que iria por certo ter um prémio na web summit,.

    “ainda tradicional, com processos ainda muito manuais e mediadores”, a verdade da medida está aqui, retirar da fileira o MEDIADOR e passar os lucros para as companhias, mas eu alerto que pese embora o mediador possa “sacar” algum dinheiro, é cada vez mais necessário, pois a sua ausência implica :
    – Passar horas ao telefone, esperando e escutando musica, até que seja atendido, e quando o é nao se resolve coisa nenhuma.
    – O call center pode estar no “raio que os parta”, mas o mediador vai ao local do acidente se eu o chamar, ajuda e muito, dentro das possibilidades
    – Se eu nao tiver dinheiro disponível na data de vencimento do seguro, o mediador aguenta os papeis ou paga do seu bolso, o Raio da APP também vai esperar ?
    Podem rir e barafustar há vontade, os casos descritos acontecem amiúde, e muitos mais que poderia descrever.

  14. Pedro Silva says:

    Até agora, do pouco que conheço, as fotografias e filmagens não são admitidas como prova.
    Ou seja, se eu filmar alguém a conduzir mal à minha frente e eu filmar tudo, e na sequência, ele causar um acidente e eu bato por trás, a filmagem não é aceite.
    Se não provar por outro meio, estou lixado!!!
    Será que poderemos a partir de agora, utilizar filmagens (De uma dashboard cam) e utilizarmos para nossa defesa?
    Mais uma vez digo, até onde chega o meu conhecimento, penso que estou certo.
    Abraço
    PS

  15. Jonathan says:

    Devia ter patenteado a minha ideia de projecto da universidade lool

  16. F says:

    Era capaz de apostar que é a Accenture a fazer!

  17. nephrops says:

    Não querendo fazer de papel de vendedor de seguros, mas já existem companhias de seguros que utilizam apps para isso mesmo.
    myLOGO: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.logo.mylogo
    Lusitânia Help.U: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.lusitania.helpu.app

  18. tiago says:

    Quando sair a app logo vejo como trabalha, aliás o pplware poderia fazer um teste com a app, que certamente vai dar muito jeito e certamente milhares vao instalar…

    Mas tambem fica a pergunta no ar… e o pessoal que não tem tlm ou até mesmo telemoveis antigos? Como fazem? Lá se volta ao papel… 😉

  19. Pedro Cruz says:

    Mas toda a gente é obrigada a ter um smartphone ou a acreditar que estas aplicações funcionam bem? Não vai nem pode substituir o modelo em papel.

  20. Joao Salvador says:

    deixa-me rir

    só te fazem um seguro se tiveres um smartphone e internet movel
    ou então pagas e depois tens um problema, ou não tens um smartphone com internet movel, ou não tens rede, ou WiFi, ou não tens bateria.
    até o Khromo do websummit teve um problema

  21. Carlos Vieira says:

    Então,

    eu não tenho smartphone, uso um telemóvel bem velhinho que nem a cores é, não ha dinheiro para mais. Como faço ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.