PplWare Mobile

Afinal não é só a Samsung a impulsionar os benchmarks


Destaques PPLWARE

  1. Shikai says:

    Admira-me a nvidia não estar neste esquema, sendo que a uns anos atrás estava envolvida no desenvolvimento do 3D mark e houve a polémica de que sempre que o software detectava nvidia, também dava uns pozinhos :p

    • Nelson says:

      A nvidia está antes no jogo de “exclusivisar” jogos com os seus soc.

      por exemplo, o jogo horn, da gameloft, está disponível para iOS e Android, sendo que na versão Android, só funciona em chips Tegra (nvidia)

      isso até podia parecer minimamente aceitável, se não fosse o facto de no iPhone não haver nvidia… e o jogo obviamente ser opengl standard
      se eu tivesse acções da nvidia já as tinha vendido!

      perdeu o nexus 7, perdeu a PlayStation, perdeu grande parte do volume para a apple, já pouco deve lhe restar não sejam placas gráficas de 1000€…

      • th3god says:

        1º – Em relação ao nexus 7 é uma decisão normal, uma vez que a Nvidia vai lançar o seu tablet de 7 com o Tegra 4 por um preço a começar nos 199€.

        2º – Em relação a PS4, a decisão de não ser parceira da Sony nem da Microsoft foi apenas pelo factor económico, uma vez que a nvidia não tem problemas de liquides como a AMD, que teve de baixar o preço e assim despachar o que tinha em armazém.

        3º – A Nvidia é a única fabricante de chips gráficos e tem suporte nativo para o sistema operativo da Apple e a única a equipar as Workstations da Apple, a única a fornecer os principais estudios de animação como a Pixar e a Dreamworks.

      • Nelson says:

        1 – e??? vai vender tanto como vendeu o nexus 7? Nem em sonhos…

        2 – irrelevante, perdeu receitas, porque foi burra. Quando se faz um contrato com uma consola não é “despachar” o que se tem em armazem, porque agora a AMD vai ter de fabricar muitos chips para a PS, Xbox e Wii. Ou seja, são contratos que se fazem, claro que a Sony, Microsoft e Nintendo fizeram contratos a conseguirem os chips muito baratos, lol, mas não a prejuízo

        3 – lol? Era capaz de jurar que a AMD também equipava, e o próximo MacPro será com GPU’s AMD, mas estou enganado, já vi…

  2. newJ says:

    Porque referem a marca Apple no post? Depois não são tendenciosos.. Apple e muitas outras não aparecem na tabela, a ver são só os mais importantes sistemas Android que são analisados, e sim a Samsung está em todos..

    • Marco says:

      Se lesses o artigo original ficavas a saber porquê! A Anandtech tem muita experiência em análises extensivas de hardware e diz expressamente que os aparelhos da Apple não recorrem a este tipo de optimização.

    • Pedro says:

      Nem leste a notícia, rapaz. Não sejas assim…

    • Nuno Simões says:

      Tendenciosos em quê? A Apple fabrica smartphones. Isto é um teste a smartphones. É só juntar dois mais dois. Isto não é um teste a Android, até porque o problema não é do SO, seja Android ou iOS.

      • Nelson says:

        A trafulhice é feita no software (SO), e não no hardware.

        • Não se pode atribuir a culpa ao sistema quando a culpa não é do Android. A culpa é dos fabricantes que recorrem a várias artimanhas para fazer marketing e depois a experiência de utilização ficar limitada.

          Dos vários fabricantes Android, só a Samsung e a HTC é que tem feito um excelente trabalho na optimização do sistema (não me refiro a estes mecanismos para fazer boost).

          A Sony, apesar de ter vindo a melhorar bastante, continua a precisar de melhor optimização, tal como a LG.

        • Jorge Barbosa says:

          Amigo repara só que nos equipamentos NEXUS que se não sabes são os equipamentos oficiais google logo os verdadeiros android não tem qualquer de esquema para otimizar os benchmarks. Portanto isto sim tem a ver com o smartphone em si e a respectiva marca!

          • Nelson says:

            os nexus também vêm com sistemas operativos com partes proprietárias. olha, por exemplo, a “cena” que aconteceu com os binários do nexus 7 2013…

        • Nuno Simões says:

          E desde quando é que tudo o que é software é o sistema operativo? Se assim é, porque raio é que foi feito este teste? Se a culpa é do SO, então esta falha estaria presente em todos os dispositivos.

          • Nelson says:

            ora bem, é sistema operativo ou não?

            corre transparente? sim!
            tem acesso previligiado ao hardware? sim!
            não se destina a mais nenhuma função a não ser gestão dos recursos do computador? sim!

            portanto, é sistema operativo.

            sim, são os sistemas operativo chamados sense, touchwizz e wtv, e não o Android Open Source Project.

          • O Sense, TouchWiz, Sony Xperia UI, etc, não são sistemas operativos, são nada mais do que Interfaces de Utilizador e frameworks.
            Estas interfaces adicionam outras funcionalidades ao sistema e permitem que certas aplicações / funcionalidades da fabricante sejam exclusivas daquele framework.

            Da mesma forma que, a CyanogenMod nas versões do Android que desenvolve, o framework não é o mesmo do Android AOSP, apesar de ser baseado, tal como todos os outros, é desenvolvido pela CM para suportar as funcionalidades extras adicionadas.

            Mas no fundo, não passa do Android, este sim é que é o Sistema Operativo.

    • Eu incluí a referência à Apple não como forma de defender a marca, mas sim como forma de defender uma ideologia que deveria ser a principal preocupação dos fabricantes, experiência de utilização em vez da corrida para ver quem oferece o maior hardware.

  3. Abílio says:

    Com esta ética (ou falta dela), em que os gestores são premiados por tudo basta que atinjam os objectivos, admirava-me era do contrário.

  4. Alexandre Pinto says:

    Mas isto é o que eu esperava que acontecesse. Um benchmark é para medir o potencial máximo de um aparelho. No fim, acaba só para medir quem tem a pilinha maior.
    Se querem indicadores de experiência de utilização, não é por benchmarks que se devem orientar porque uma coisa não tem nada a ver com outra. Dai termos sistemas muito mais fluidos com hardware inferior.

    • Pedro says:

      Sim. Até porque, tal como diz na notícia, a LG tem uma ENORME dificuldade em optimizar o seu sistema.
      É impressionante a quantidade de smartphones que, apesar de terem um bom hardware, a experiência fica muito limitada. Refiro-me a lag e a problemas de lentidão em aplicações básicas. Como por exemplo o LG 4X HD com um Tegra 3, ou seja, Quad-Core. Nem uma atualização consegue fazer sem que o sistema bloqueie…

    • Francisco Pinto says:

      Eu acho que as pessoas especialmente os fanboy ainda não perceberam o que está em causa…! O que está em causa é publicidade “enganosa”! Usando uma analogia muito em voga; É como a Ferrari publicitar que o la Ferrari tem 700cv mas as ESCONDIDAS só disponibilizar para uso a quem o compra 300cv, permitindo só ao la Ferrari ter os 700cv quando vai dar uma voltinha à pista de testes da Ferrari “nas suas sessões” de markting! o Fundo da questão é que estas marcas sempre “impingiram”/venderam aos seus clientes que quanto mais cores,mais frequência,mais ram,etc melhor e é isso que “interessa” mas no fundo sabem que isso(mais cores,frequência) tem impactos na temperatura, autonomia que neste momento com a tecnologia atual não há como dar a volta então publicitam mas só disponibilizam nas pista de teste, fora disso ninguém tem acesso! E ainda por cima a Marca a abater(Apple) vem demonstrando que com teoricamente com menos consegue ter mais performance, e disponibilizar uma melhor experiência de utilização!

      • Marco says:

        Concordo com a ideia geral, mas creio que a analogia mais correcta para o Ferrari não seria na limitação de cavalos, mas alteração do controlo electrónico do motor, refrigeração, etc, mais ajustes na aerodinâmica, para que um condutor experiente consiga consiga fazer a volta mais rápida à pista, sem qualquer preocupação com durabilidade do motor, pneus, travões, e sem qualquer preocupação se seria o primeiro a acabar a corrida de 100 voltas.
        Isto já para não falar que tornaria quase impossível a outro condutor conduzir o carro numa estrada

      • Nelson says:

        Só para dar um exemplo, foi há tempos disponibilizado um teste em grupo, e os devices da Apple eram em 50ms mais rápidos que os mais rápidos da concorrência a responder ao toque.

        50ms, em termos humanos (1/20 de segundo), é perceptível, mas pouco, mas em termos de processador?

        Num processador como o do iPhone 5S, isso é equivalente a “largar” um processador inteiro de há 4 – 5 gerações atrás, ou seja, é como “largar” toda a performance de um processador do iPhone 3GS.

        Pois como o aumento da capacidade de processamento é exponencial (duplica a cada geração), um 5S faz tanto em 50ms como um 3GS fazia em 800ms, ou como o 3G fazia em 1600ms.

        (só para facilitar as contas, e é claro, isto é válido para toda a indústria, seja na apple, seja na qualcomm, seja na intel).

        • Nunes says:

          o que dizes não faz nenhum sentido! A velocidade de resposta do ecrã nada tem a ver com o processador, é limitada pela latência do sistema controlador/sensores ao toque

          • Miguel says:

            Faz todo o sentido, ao receber o input 50ms mais cedo podes começar logo a trabalhar nele, ganhas 50ms de tempo de processamento em relação a outros dispositivos.
            Como ele refere, 50ms dá para fazer muito, basta pensar que para um jogo correr a 60fps, tem de processar um frame a cada 16ms, perdes quase quatro frames desde que tocaste no ecrã até o processador receber o toque.
            Em certos tipos de jogos é muito perceptivel.

          • nunes says:

            mas nada disto tem a ver com o processador, é um fenómeno de latência independente do processador, o processador continua a trabalhar da mesma maneira a informação, de pouco serve ter um processador mais rápido!
            A consequência é descoordenação de eventos, e o atraso será o mesmo qualquer que seja o processador ou os fps!

  5. Hrungnir says:

    ”Esta situação deve-se ao facto da LG ter sérias dificuldades em fazer optimizações ao Android e ao hardware, talvez tenha falta de engenheiros com capacidades para fazerem isso.”

    Em 2010 o LG P990 maximo 2x (aquele primeiro LG com dual-core), com stock rom numa utilização normal, tinha pior desempenho que o Xperia Arc (single core), então ao reproduzir um video 720p via hdmi a diferença era gritante.

  6. Carlos says:

    Curioso que há anos que a Microsoft anda a dizer que esta coisa de benchmarks não tem interesse prático…

  7. Nuno says:

    No artigo original vem referido que a Apple e a Motorola são os unicos que não aldrabam nos testes. Mais, isto não é aldrabiçe, é FRAUDE.

  8. Vrx says:

    Appleware no seu melhor 😉 Saúdo-vos mais uma vez por serem tão tendenciosos

    • Pedro Pinto says:

      O Helder tendencioso Apple?

    • Pedro says:

      Outro que não leu a notícia…

    • Eu tendencioso Apple?
      Eu critico o que acho que tem de ser criticado e defendo aquilo que acho que deve ser defendido.

      Se leres o artigo como deve ser e pensares um pouco vais perceber onde eu queria chegar.

    • XBUZZY says:

      Essa tua inveja é tão feia :p

    • Paulo alexandre says:

      Helde o artigo esta bem elaborado, mas eu percebo o Vrx neste ponto.

      “A algum tempo atrás, a Apple percebeu que a corrida por melhores especificações não era sinónimo de domínio de mercado. O consumidor final preocupa-se ou deveria preocupar-se com a experiência de utilização e não com números abstractos que podem ou não ser usados pelo sistema e pelas várias aplicações que o utilizador pode instalar.”

      Porque e que existe necessidade de referir um ponto de vista pessoal teu neste artigo sobre a posicao de uma marca, quando na realidade o teu ponto pessoal nem tem nada a ver com o assunto principal do artigo ” Afinal não é só a Samsung a impulsionar os benchmarks”

      • Benchmark do iPhone 5 says:

        Lês pouco. O que se diz no post sobre a Apple está em linha com o que os sites de referência dizem. Não gostas, azar o teu.
        http://techcrunch.com/2013/10/01/galaxy-note-3-benchmark-boosts-miss-the-point-that-no-one-cares-about-benchmarks/

      • Se leres o artigo todo e se leres o artigo original na AnandTech, vais ver que tudo encaixa perfeitamente.
        Esta referência veio da AnandTech e achei interessante incluir porque iria encaixar naquilo que ia falar a seguir.
        Mas posso dar uma ajuda para perceberes, se vires o artigo refere-se ao facto das fabricantes usarem mecanismos para fazer boost nos benchmarks isto porque se preocupam demasiado com o hardware em vez com o que é realmente essencial, satisfação do consumidor.
        Tens o caso da LG com o LG G2, excelente hardware, de referir hardware topo de gama, mas o sistema está muito pouco optimizado, o que deixa o consumidor não muito satisfeito, então inclui o boost para não deixar o utilizador frustrado.

  9. Marco says:

    É engraçado que pegam no artigo da Anandtech, nos seus resultados e análises, mas em lado algum é aqui referido que isto é considerado como batota, jogo sujo, etc, não só pelos autores do artigo mas também por quem cria estes testes

    • Se leres o artigo, principalmente a ultima parte, vais concluir que foi exactamente isso que tentei transmitir.

      • Marco says:

        a ideia que fica é que isto é uma mera optimização usada para marketing, e não batota que é o nome mais correcto. É complicado chamar optimização a algo que não traz qualquer benefício para as aplicações!

        • E ser exclusivamente para marketing não é batota?
          Algo que é feito só como forma a vender mais, diga-se marketing, não é fraude como andam a dizer, mas sim batota, falta de ética.

          Mas como deves ter concluído ao ler o artigo, refiro que existem outras formas de fazer marketing, bastando que se preocupem realmente com os utilizadores e que optimizem melhor ainda o sistema e que ofereçam um sorte de actualizações alargado e devidamente bom.

          • Marco says:

            transparecia uma ideia mais suave! Mas fica esclarecida a posição!

          • Há formas de se dizer a mesma coisa mas sem usar termos não tão adequados.
            Em marketing tudo é possível mesmo que na realidade não seja realmente aquilo que dizem, mas desde que no final sirva para chegar aos objectivos, é o que interessa.

            Isto serve para todas e quaisquer fabricantes, nenhuma delas é inocente no uso de marketing irreal, umas mais do que outras, mas todas fazem.

        • Benchmark do iPhone 5 says:

          Marco, acho que não percebeste bem o que aconteceu.
          A Samsung matou e enterrou os testes de benchmark – e tinha sido avisada de que isso iria acontecer se continuasse a aldrabar os testes.
          A partir de agora quem é que se interessa pelos resultados do benchmark a produtos da Samsung ?

          Marketing é uma ação que nos beneficia. Não é uma que nos prejudica. Repetir a aldrabice que já tinha sido detectada com o S4 – não foi marketing, foi estupidez.

          • Pode ser considerado marketing na mesma, mas marketing irreal, o que se vê muito nos dias de hoje.
            O marketing pode ser aplicado de várias formas e pode vir de vários lados, tudo depende dos objectivos que querem alcançar.

          • iNelson says:

            E quem é que alguma vez se interessou pelos testes de benchmark a não ser para ver quem “a tem maior” (pontuação, entenda-se)?

          • Benchmark do iPhone 5 says:

            Quem se interessou ? Obviamente a Samsung.

          • iNelson says:

            OK, mais explicito:
            “A partir de agora quem é que se interessa pelos resultados do benchmark a produtos da Samsung ?”
            E então repito “quem é que alguma vez se interessou , seja da Samsung ou de outra marca qualquer, a não ser para o que disse?

          • Nelson says:

            > E quem é que alguma vez se interessou pelos testes de benchmark a não ser para ver quem “a tem maior” (pontuação, entenda-se)?

            Nomeadamente os fãs do android para dizer “uiuiuiui, olha o iphone ficou abaixo de (um android) qualquer, lolololol”

            “lololol, o iPhone novo só tem 2 cores lolol, o Samsung tem 8!”

          • Nunes says:

            @ iNelson
            Quase ninguém irá confiar nos aparelhos da Samsung.
            Quanto a quem se interessa, nas mãos de pessoas competentes, os benchmarks podem ser bons instrumentos de análise comparativa, e até, dependendo do teste, reveladores de vantagens específicas dum aparelho!

          • Benchmark do iPhone 5 says:

            Post do pplware de há dois dias atrás:
            “Geekbench 3 – Quem tem o smartphone/tablet mais poderoso?”

            Comentários: aos montes
            Fizeram os testes e apresentaram resultados: 30

            Vens agora atirar poeira para olhos de que os testes não interessavam 😉

            Talvez tenha sido bom a bronca ter rebentado para o pessoal não ligar, tanto, aos testes. Agora que ligava, ligava. Que isto traz publicidade negativa para a Samsung, traz.

  10. Benchmark do iPhone 5 says:

    “As a third part hardware benchmark tool, AnTuTu has got a worldwide accreditation of users. Millions of people choose AnTuTu Benchmark to test the performance level of their devices.Here, we do deep appreciation to the users for your trusts. However nowadays,there are some smartphone makers who do system optimization especially aiming at AnTuTu Benchmark to improve the test scores. A legal system optimization operation on devices is what we encourage, but the action of tricking customers by cheating is what we are firmly against.”

    http://www.antutu.net/view.shtml?id=7242

    • Nunes says:

      Considerando os comentários que alguns têm tido por estas bandas, de certeza que vão considerar que a AnTuTu não sabe o que está a dizer e que não há batota! lol

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.