PplWare Mobile

Saiba o que é a Hiperconvergência e as suas vantagens


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. rand says:

    Eu devo estar mesmo cansado porque não consigo perceber o que é isto da “Hiperconvergência”. Alguém pode fazer a caridade de o explicar como se eu tivesse 5 anos?

  2. ze carlos says:

    Pesquisem por HPE Simplivity, por exemplo.

  3. Jose Rodrigues says:

    (após 45 minutos a aguardar “moderação”, nova versão sem link web
    )
    Simplificando : uma solução hiperconvergente é aquela que junta às funções de um hypervisor do tipo 1 (por exemplo VMware ou Proxmox) que já virtualiza os recursos de computação e de networking, uma SDS (software defined storage) fazendo com que cada nó (computador fisico) tenha em si todos os recursos.
    Um bom exemplo são os sistemas SYNETO que acrescentam ao software VMware uma SDS e um interface de gestão simplificado para todos os recursos, usando as API’s da VMware.

    • Blackbit says:

      Ok, faz sentido ter debaixo de um mesmo sistema a gestão de todo o HW (LAN, SAN, backup, servidores fisicos?), VM’s, Gestão de Capacidade e DR, penso que esse será o próximo grande passo na gestão de Datacenter.
      Relativamente ao Syneto, não tem (ainda) capacidade para tal. Gerir até 50 VM’s (info no site da Syneto) é francamente pouco, muito pouco…

    • rand says:

      Obrigado entre a tua resposta e a do ze carlos fiquei 100% esclarecido

  4. Fábio Pereirinha says:

    Para uma solução de Datacenter, muitos operadores estão a mudar para Openstack devido à sua flexibilidade embora traga uma complexidade extra na altura da instalação. É altamente resiliente, e combina um hypervisor de tipo1, com um VIM (Virtualized Infrastructure Manager), tendo um deployment automatizado, e desde a release Queens, já possui os seus serviços a correr em Containers. Tem também differents modos de storage, podendo os mesmos serem locais ou centralizados e de gestão simplificada. Se a isso somar-mos uma layer de SDN com automatismos, então estamos assim presentes numa solução que é de mais fácil gestão e operação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.