PplWare Mobile

Qualcomm cria Chip com suporte para as 40 frequências 4G/LTE


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. tabonitota says:

    Isto só prova que quando não há interesses de markting e exclusividades se consegue fzr tudo.

  2. arkan says:

    gosto mais da qualcom que a murata tech

  3. Mata says:

    “capacidade de reduzir significativamente o consumo energético, oferecendo sempre a melhor performance ao nível das comunicações rádio.”

    Não parece que seja bem assim.
    Reparemos: quando o Tuner entrar em funcionamento, porque a antena não esta ressonante na frequência de trabalho, não só vai consumir parte da emissão rádio (menor eficiência), como irá aumentar o consumo de energia por ter um “chip” extra, que nem sempre necessita de trabalhar.

    Resultará em consumo extra de bateria e quebra de qualidade nas comunicações.

    Este cenário poderá nem sequer se aplicar em Portugal, pois depende da frequência (Mhz) onde a antena será menos ressonante.

    Aguardo pelos “testes” fora do “laboratório”.
    abraço,

    • Pedro Pinto says:

      “capacidade de reduzir significativamente o consumo energético, oferecendo sempre a melhor performance ao nível das comunicações rádio.”
      Esta observação faz parte do anuncio da própria empresa. Se assim for, é optimo 🙂

      • Mata says:

        Nunca duvidei que tivesse sido a empresa a fazer anuncio 🙂
        tudo o que escrevi, foi com base em situações que utilizo diariamente, por isso é que lancei o desafio da suposta “melhoria”.
        Quando utilizo antena tuner tenho grandes perdas de eficiência na comunicação rádio e aumentos de consumo.
        Continuação de bom trabalho.

    • eduardo says:

      acho que eles se referem ao consumo nas mesmas condições face a outros chips (mesma antena, mesma frequência, mesmo protocolo) – normalmente é assim que se compara!
      Creio que a grande vantagem desta tecnologia é que se tornará muito mais simples para os fabricantes construírem telemóveis adaptados para cada área geográfica – a única coisa que necessitariam de optimizar seriam as antenas, havendo até possibilidade de serem criados telemóveis capazes de operar universalmente, embora tal seja mais complicado

  4. Roy says:

    Independentemente do consumo (quanto mais baixo melhor, claro!), uma única antena para tudo do 2G ao 4G LTE parece um ótpimo desenvolvimento dado que serve para todo o mundo. E as aplicações não se ficam pelos telemóveis, poderá ser aplicada nos alarmes, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.