Quantcast
PplWare Mobile

Qual o tempo de vida dos discos rígidos actuais?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Miguel says:

    Era bom um estudo sobre o tempo de vida dos 3 tipos agora mais usados no mercado.
    SSD
    Disco Rigido
    Hibrido

  2. E o que dizer dos discos mais antigos? São mais duráveis ou menos? Aqueles que por esta altura estão nos 4, 6 e 8 anos? Tenho em casa, exemplos com as idades que disse e continuam a “bombar” sem qualquer tipo de problema 🙂

  3. Chainsaw says:

    Tenho um HD IDE de 80GB Seagate desde 2000 a funcionar bem 🙂

    • Devilman says:

      Nem mais, tenho discos bem com mais de 4 anos e todos a funcionar até à data, se bem que vou comprando mais uns terras de vez enquanto para manter o WHS2011 a “funcionar” bem, mas alguns dos mesmos são bem antigos…

  4. CC says:

    “Já pensou que em cada 100 pessoas que compram um disco rígido, 10 deles podem ter problemas num espaço de 3 anos…”

    Não percebi se o estudo é sobre discos rigidos na cloud ou para o consumidor normal, visto que a diferença está no uso dos mesmos e o desgaste é diferente. Se fosse possivel esclareçam sff

  5. Mario Junior says:

    O meu Seagate, comprado em 2011, já está com bad blocks, smart acusando erro, mas continua funcionando. =D

    Depois da enchente, as fabricantes de HDs se aproveitaram disso, e jogaram os preços do HDs nas alturas, e até hoje não baixaram.

    Quando baixar novamente, eu compro outro HD, pra substituir esse com problema.

  6. DD says:

    No meu caso tive um disco que durou 2 anos, e este que tenho já esta com problemas… e tem só 1 ano.

  7. André Gomes says:

    Tenho um Maxtor de 200GB de finais de 2003 que está ligado 24h/dia e sem cooling de sala de servidores. Sem problemas, nada de bad sectors ou afins.

  8. Emannxx says:

    Eu tenho um seagate desde 2003, que quase todos os dias tem o IDM a tortura-lo com downloads (quando compila os ficheiros após o download), e funciona que é uma maravilha. 😉

  9. Adérito Fonseca says:

    Boa tarde.
    Tenho 2 HDs externos que ligo com pouca frequencia (uma vez a cada 6 meses). Que riscos corro?? Posso perder dados? Os HDs avariarem?

    • Mr. Lol says:

      Eu tambem tenho esta duvida, o meu externo raramente o ligo, apenas para backup. De resto esta sempre dentro da caixa de origem arrumado.

    • Filipe Oliveira says:

      Boa tarde ,

      Risco há sempre,mas tendo em conta que são usados com tão pouca regularidade o risco é relativamente pequeno. No entanto existe de facto um risco de se perderem dados já que os discos avariam.

      Actualmente a melhor solução para prevenir a perda de dados é mesmo os serviços de cloud.

    • Zane says:

      Isto é apenas um estudo, se alguém segui-se isto ninguém compravas HDDs ahah
      Os teus discos tanto podem “queimar” daqui a 10 minutos como podem durar até 10 anos, é relativo e imprevisível.

      A experiência que tenho em hdds, é mais fácil um disco externo avariar do que um interno num pc ou portátil. por variadas coisas. Como desliga-lo da corrente de repente sem ao menos ele parar sozinho, move-lo de sitio quanto está a funcionar, estar numa superfície irregular que faça um vibração excessiva sobre ele, etc.

      Eu por exemplo lixei “em parte” o externo que tenho de momento, o cabo da alimentação estava com mau contacto e danificou uns sectores do disco. Depois de reparar o cabo a solução foi isolar esse sectores para ao menos aumentar a vida o disco, até agora está a bombar, mas sei que não vai durar muito tempo.

  10. André says:

    Tenho dois discos de 320gb(nao sei a marca) que vinham equipados com o meu asus g71v. O portatil trabalha cerca de 10 a 12 horas por dia, mais ou menos 95% em linux e 5% em windows, e ao fim de cerca de 6 anos os discos mesmo sendo portatil e estando sempre em movimento diariamente, estão impecaveis e sem qualquer tipo de problema.

  11. Valter says:

    A vida útil de um HDD é proporcional à queda dos preços dos SSD (vida útil no sentido em estar em utilização constante, não por exemplo meter o disco no congelador durante 10 anos e ele funcionar quando é descongelado. Certamente os 2.5 duram menos que os 3.5, já que sofrem mais nos portáteis. E acho que com as Cloud os discos tem os dias contados, pelo menos a nível empresarial.

  12. irlm says:

    Os SSD também podem ter problemas de firmware e não são recuperáveis.

    por ex. o caso da controladora Sandforce

  13. Gonçalo says:

    Tenho um 250GB que com 2 meses caiu ao chão partiu-se em dois e consegui instalar windows numa parte e Linux na outra.

    • Helder says:

      Comprei um disco a meias com um amigo e fiz exactamente o mesmo…Ate hoje 0 problemas…

      Ate instalamos o sistema da maca que dizem que e mais rapido em meios pratos.

  14. ZoomOut says:

    Em primeiro lugar, tenho que lamentar mais uma vez a triste constatação do recorrente “Copy/paste & translate”, que se assiste nas “notícias” dos nossos dias. É degradante assistir a erros crassos de português e de tradução, nitidamente por falta de rigor jornalístico… Por outro lado, e quanto ao conteúdo, é também uma falácia achar que “(…) cada vez menos se ouve falar sobre discos com bad sectors, erros, etc”… como profissional na matéria, posso assegurar que a qualidade de construção de um HDD decaiu consideravelmente durante estes anos, e os HDD’s são muito menos robustos e duráveis, e tudo para baixar os preços e obrigar o mercado a “renovar”… exatamente na mesma onda “consumista” que assistimos em todo o lado…(Este estudo feito há 10 anos teria resultados surpreendentes que envergonhariam os actuais fabricantes).

    • W3B_413X says:

      Concordo com tudo o que foi dito pelo “ZoomOut”

    • Miguel says:

      Mas decaiu de qualidade em que componentes? cabeças , pratos, controladora , motor…quais ?

      • Edilson Maia Favero says:

        Todos os componentes, em especial, até desconfio de um defeito provocado que não existia antes, onde a agulha encosta nos discos e os risca profundamente entorno de uma ano e meio, já percebi isso nos seagate e western digital (ambos mesma fabricante), nos modelos mais baratos de 1 terabyte

  15. António Nunes says:

    Eu comprei o SSD Série Q da Toshiba e até agora 5 estrelas! A tecnologia evolui, é natural que as falhas diminuam…

  16. Felipe Rei says:

    Há uns 4 anos, comprei 2 discos Seagate que só me deram dores de cabeça.
    O primeiro, de 500 GB, simplesmente deixou de ser reconhecido. Fiz contato com a Seagate, que, a partir do serial, confirmou que havia um problema de firmware. Terminei por mandar para os Estados Unidos, em garantia, e o disco voltou devidamente consertado. Ainda o tenho, mas não confio nele.
    O outro, de 1TB, comprei uns meses após o primeiro, e hoje dá erros gravíssimos, e também está encostado.
    Seagate NUNCA MAIS.

    • Miguel says:

      Realmente tb não confio muito nessa marca, já são erros a mais em tão pouco tempo….antigamente não tinham estes problemas…. vê lá que ainda tenho uns seagates do tempo dos IDE a func. em perfeitas condições ou seja estão impecáveis enquanto os novos segates com 2 anos de uso já está a dar as ultimas….

  17. Andre Alves says:

    Boas,

    Eu discordo completamente com este estudo.
    Eu sou gestor de rmas / técnico e noto que os discos cada vez mais tem mais problemas nos dois primeiros anos de vida.

    Muitos são agora os casos que estes já se encontram em DOA.

    Por isso o que recomendo é sistemas com redundância sempre.

  18. Leo says:

    Onde posso encontrar essa imagem de disco duro em alta definição???

  19. Wagner Cruz says:

    Tinha um HD 1tb sata 2 Seagate a 3 anos e 6 meses deu problema semana passada na placa logica…

  20. palu says:

    tive agora um disco western digital a pifar. tinha 1,5TB de dados :s

    o que vale é que descobri o “data rescue 3” (mac) e consegui recuperar para ai uns 90-95% dos dados 😛

  21. luislelis says:

    Tenho varios discos rigidos de varios tamanhos e capacidades.
    Reparei q apos a saida desta noticia os discos comecaram a fazer bastante ruido.
    Sera q os discos se estao a manifestar por excesso de horas de trabalho? Poderei ser processado por eles?
    Terao os discos ficado alarmados com a noticia?
    Ele ha cada um q mais parecem dois.
    Aquele abraco

  22. domestos says:

    Bem…. então eu sou um sortudo!
    Utilizo dois discos de 500Gb a vários anos (mais ou menos 7 anos) e nunca me falharam. Alias, á parte da Cloud agora, são o que uso diariamente.
    Sempre com utilização intensiva.
    Ok, comparando com os SSD são lentos, mas o espaço extra compensa

  23. fernando says:

    Eu tenho um disco de 120 GB IDE já com 10 anos e rola bem.

  24. David Guerreiro says:

    Não concordo nada com esse estudo, aliás, aquilo que constato é exatamente o inverso. Os HDDs que se comercializam hoje em dia avariam muito facilmente. Mesmo o número de DOAs aumentou muito no úlltimo ano. Aquelas cheias na Tailândia causaram um caos no QC dos fabricantes, é só discos com problemas.
    Os HDDs da Toshiba são um pesadelo, avariam que é uma coisa doida.

    Confio muito mais num HDD mais antigo como um Samsung F3 do que um WD Green novo.

    • Miguel says:

      Apesar de ter vários green para backup, penso que nestes últimos 5 anos a qualidade dos discos regra geral diminuiu bastante…..é só aparecer uma tecnologia nova no mercado de backup que deixo de usar Disco Duros. Quanto á utilização da cloud tb não é muito confiável, principalmente depois do que aconteceu com o mega e outros serviços similares….por isso digo venha o diabo e escolha.

    • Nuno Vieira says:

      Isto porque os WD Green são os menos fiáveis da Western Digital. Tens sempre a série Black, a Xe, a Re,… Como é óbvio são mais caros, mas valem a pena.

  25. zemac says:

    Este estudo é interessante e no geral, está em linha com a minha experiencia de muitos anos a instalar e suportar discos rígidos. Falta só referir que de tempos a tempos sai um modelo de disco que estraga todas as estatisticas do fabricante – os “bigfoot” da defunta Conner eram quase “cada tiro cada melro” – e mesmo alguns modelos Enterprise da Seagate no passado foram uma verdadeira dôr de cabeça.

    Problemas quase sempre relacionados com a introdução de novas tecnologias ou inovações (o prato dos “bigfoot” tinha 5.25″) ou alterações drásticas no modo de gravação, material usado nas cabeças magnéticas, tecnologia dos motores, ou simplesmente opções no firmware da unidade de disco.

    Agora, no que à fiabilidade diz respeito, os discos estão cada vez melhores e mais robustos, e a prova da maturidade destes produtos é a concentração em 3 ou 4 fabricantes – ou seja neste sector não há “start-up’s”.

    • Miguel says:

      “prova da maturidade destes produtos é a concentração em 3 ou 4 fabricantes”…. a concentração do mercado nunca ditou qualidade mas sim o contrário, enquanto antigamente cada marca tinha os seus investimentos diversificados em vários segmentos de tecnologia logo atuando em várias frentes, hoje em dia para fazer frente á crise têm necessidade de fazerem monopólios, é por isso mesmo e não por dificuldade de fabricação ou inovação que não aparecem as tais start-up’s apesar de nãos ser um segmento lá muito sujeito á crise!

  26. zemac says:

    A concentração de mercado é reflexo da complexidade tecnológica e do elevado custo de entrada para um novo player, e dizem os livros é tanto maior quanto mais maduro o dado mercado está.

    Alguns fabricantes, na tentativa de ganhar market share a qualquer custo lançam produtos de baixo custo e reduzida fiabilidade, que vão parar ao “mercado doméstico” / “consumo”, e provocam as queixas acima referidas.

    Mas quem monta um serviço cloud com centenas ou milhares de discos, não escolhe apenas pelo preço e verifica as caracteristicas técnicas especificadas pelo fabricante. E nesse sentido o que o estudo diz é verdade no segmento enterprise.

    Deixo uma pergunta : qual a verdadeira diferença entre o WD Green, o Red e o Black – para além do preço e do “marketing hipe” do fabricante ?

    • Miguel says:

      Para justificar essas diferenças basta haver um melhor controlo da qualidade dos materiais como novas técnicas implementadas no fabrico….mas tb é preciso verificar que muitos discos no setor domestico são comprometidos devido ao mau uso, quebras repentinas de energia, conectores defeituosos….etc

  27. Chrono says:

    Se forem como o meu Toshiba de 500gb que tenho na ps3, não aguenta muito. O primeiro durou menos de meio ano antes de falhar, e só me apercebi que era do disco depois de mandar a ps3, erradamente, para arranjar. Só quando ela voltou e coloquei o disco lá dentro é que vi que o problema se mantinha (demorava 4 ou mais horas para instalar algo que demoraria menos de 10 minutos)…

    O segundo, por enquanto está a trabalhar bem… vai fazer 1 ano…

  28. Pedro says:

    Este estudo nada impacta o consumidor domestico.

    Estamos a falar em discos que estão permanentemente ligados e em escrita/leitura.

    A maior parte não tem o pc sempre ligado (24/7) e em escrita (tirando os torrent freaks [aqueles que sacam apenas por sacar]).

    Tive uns seagates que duraram 3/4 anos, ainda tenho um maxtor 2.5Gb de ’97 que ainda funciona, embora esteja sem uso desde 2009.

  29. CC says:

    Relativamente aos SSD existe um estudo no qual foram testadas falhas de corrente e avaliado o resultado https://www.usenix.org/conference/fast13/understanding-robustness-ssds-under-power-fault

  30. zeca says:

    por enquanto os hdd duram mais k os ssd.

  31. zemac says:

    Discordo da afirmação que este estudo não afecta o consumidor domwstico – a questão da Blackblaze era se os discos de desktop se aguentam bem num 24×7 conforme estava no artigo original :

    “When Backblaze started, there were some concerns that consumer-grade disk drives wouldn’t hold up in a data center. If this 6-year median lifespan is true, it means that more than half the drives will last six years, and those concerns were unfounded.”

    http://www.storagenewsletter.com/rubriques/hard-disk-drives/how-long-do-hdd-last/

  32. Mauro Neto says:

    Maxtor 6L080M0 Power-On Hours (POH) 1500d 17h E nem um sector danificado nem uma unica falha. Comprei em 2005 salvo erro.

  33. Ana Almeida says:

    O que acham da marca seagate para disco rígido?

  34. Nuno says:

    Posso dar o meu testemunho sobre o assunto com um exemplo interessante, tenho uma máquina (pc normal) no meu local de trabalho que corre windows server 2003 há 12 anos a trabalhar 24/7 e sem nunca dar um problema. Tenho também dois servidores HP DL380 com discos de 2,5” de 10000 rpm em que já avariaram 2 discos, penso que isto também é um bocado sorte. Antes destes tivemos um servidor a correr Small Business Server 4 penso eu que durou mais de 15 anos 24/7.

  35. Adam Cruise says:

    Tenho um HyperX de 120 GB no meu “micro-ondas” e um Evo 850 250GB e sinceramente ja nem quero ouvir falar dos HDD mecanicos, até mesmo para clientes, só aconselho SSD…a diferença é abismal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.