PplWare Mobile

Project Maven – Google cede à pressão e vai abandonar o projeto militar


Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.

Destaques PPLWARE

  1. Jorge Rosa says:

    – Vale mesmo tudo por dinheiro. E não é só a “Google”!…
    – E infelizmente, em todos os países, os fundos “estatais” desde que sejam para aplicações militares, parecem ilimitados… São os humanos que pagam para a criação de armas para liquidar… humanos!…
    – Para mim, é um sinal que existe muita “inteligência artificial”… Mesmo fora das máquinas dos “binários”, infelizmente…

  2. Redin says:

    Quando a esmola é grande, o santo desconfia, já diz o ditado popular.

    Temos o abandono por parte da Google em projetos militares e temos de repente o trampa a ficar todo bonzinho com o rocket men.

    Embora tudo boas noticias e muito desejáveis, faz temer que por detrás disso estejam outros interesses escondidos.

    Vamos dormir mais uma noite descansados, porque amanhã poderá estar diferente.

  3. Rafael says:

    “cede a pressão” foi boa. kkk

  4. Arlindo says:

    Parece-me que fazem mal… Um projeto militar é um projeto de defesa das nações soberanas. Não fossem os militares dos EUA e da Rússia e hoje estávamos a ver o Estado Islâmico a alargar o seu território para a Turquia, e depois para a Europa.

    Houve muitos danos colaterais como mortes de civis, que talvez pudessem ser ter sido evitados com esta tecnologia que a Google estava a desenvolver. Ou então agravados, se caírem nas mãos erradas. E há lá mãos mais erradas que as de Trump, homem tresloucado e que tem pode para dar ordens diretas ao Pentágono? – o problema é este.

    • blabla says:

      O POTUS dar ordens directas ao Pentágono não funciona bem assim.

      “While the president’s ability to use executive orders as a means of implementing presidential power has been established as a matter of law and practice, it is equally well established that the substance of an executive order, including any requirements or prohibitions, may have the force and effect of law only if the presidential action is based on power vested in the president by the U.S. Constitution or delegated to the president by Congress,” the CRS says. “The president’s authority to issue executive orders does not include a grant of power to implement policy decisions that are not otherwise authorized by law.”

      • Arlindo says:

        Claro, decisões ilegais (i.e. que estejam fora do seu poder atribuído) não podem ser tomadas. E mesmo em decisões legais mas insensatas, há chefias militares americanas a dizerem que podem recusar-se

  5. Wishmaster says:

    A colaboração não deveria ser sempre vista de forma negativa.
    A Google colaborar neste projecto pode ser positivo se o resultado final for utilizado de forma conscienciosa e de forma a contribuir para a paz mundial ou para repelir ameaças concretas…
    Agora, com os polícias do mundo (EUA) a utilizar este equipamento bélico e outros como tem utilizado, em que tudo é feito em “prol da paz mundial” e “contra o terrorismo”, já não sabemos muito bem se se invadem países ou se há intervenções militares com vista a garantir a paz de forma legítima……e necessária…
    Assim, a terá que se concordar e concluir que, actualmente, colaborar no desenvolvimento destes equipamentos (podendo ser, como estão a ser, utilizados de forma interesseira e abusiva) pode sim ser visto de forma negativa. A Google fez bem deixar o projecto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.