PplWare Mobile

Bancos de Jardim inteligentes e amigos do ambiente


Autor: Vítor M.


  1. José Braz says:

    A ideia é boa, mas se montassem isso cá aposto que não duravam uma semana até serem roubados.

    • João Ramos says:

      Concordo senhor José Braz, roubados ou Vandalizados, está geração de jovens está nos a presenciar com muitos actos de vandalismo.

      • Fernando Moreira says:

        Senhor João Ramos para que culpar os jovens de hoje em relação ao vandalismo? Nunca percebi como se culpa os jovens quando a educação vem dos “adultos”… e acredite que não são só os jovens que fazem isso mas os supostos adultos também.

        Em relação ao banco, acho que já deveria de ter sido criado há mais tempo… Espero que implementem isto em paises de terceiro mundo.

      • Gonçalo Domingues says:

        Sinceramente não sei para que culpar os jovens.

        Eu já vivi em 3 bairros e realmente os jovens vandalizam mas porque? em casa são quase espancados pelos pais e sem o balanço amor/porrada eles passam a só haver porrada desiquilibra-os.

        Problemas com drogas/alcool com os pais.

        Quando eles vao para a rua e etc com esse desiquelibrio todo é mais que normal que sejam agressivos que fumem ganzas que não respeitam as pessoas, o ambiente, mas nunca se esqueçam de onde vem 😉

        • JBarbosa says:

          Então coitadinhos dos meninos, não vamos culpar que eles vandalizem o nosso belo País e que continuem a assaltar ou espancar gente pela rua fora, porque são traumatizados! Jovem, toda a gente tem problemas e toda a gente segue em frente, se eles são fracos psicologicamente mas são fortes o suficiente para fazerem o que fazem, podem muito bem arcar com as consequências…

          • Gonçalo Domingues says:

            Rapaz é por esses pensamentos assim que continua a haver vandalismo em alta escala.

            Ninguem nasce ensinado eles hoje vem, aprender, fazem!

            Não sou ninguem para te dar uma aula de psicopedagogia mas…

            lembra-te jovens hoje amanhã adultos!

          • JBarbosa says:

            Não percebo mesmo a tua linha de pensamento, contradizes tudo aquilo que dizes. É por causa do meu pensamento que há vandalismos na rua? Que eu saiba, vandalismo é feito por “pessoas” e não por ideias. E se eles não nascem ensinados, que aprendam a ser, é por isso que nasceram com um cérebro, para terem noção do ridículo. E infelizmente um dia vão ser adultos vão, e provavelmente vão ter de ser sustentados pelo suor de todos os portugueses, porque pronto, eles é que são as vítimas aqui no meio!

  2. Jorge Lafuente says:

    O link http://www.soofa.com, remete-me para um site chinês. Abraços.

  3. José Cardoso says:

    O endereço para mais informações está incorrecto é: http://www.soofa.co

  4. ze says:

    Vendo ali o Dono da NSA e lendo o texto até ao fim , deu-me logo pra pensar na teoria ….

    “tornando-os numa fonte de aproveitamento energético e de recolha de informação ambiental.”

    Imaginem , tal não é a coisa …

    já lhe chamam RECOLHA de INFORMAÇÃO AMBIENTAL

  5. akha says:

    Não imagino o mesmo por cá, se as grelhas em ferro das caixas de águas pluviais (que pouco valem) são roubadas a torto e a direito, imagino que a caixa que contem o painel solar tenha um destino igual.

  6. Filipe says:

    Em certos países aposto que alguém ia levar isto para “casa”

  7. tfae says:

    E enquanto os smartphones estão a carregar, os seus dados estão a ser “sugados” pela NSA 🙂

  8. Mario Junior says:

    Coloca isso aqui no Brasil, que o vagabundo leva o teu celular, leva o banco, e o que tiver pela frente. xD

  9. Mário Silva says:

    Mas banco, seja standard, seja tecnológico, é para sentar o traseiro ou também para descansar as patas? Ainda hoje fui num eléctrico (articulado) onde uma turista inglesa ia sentada com as patas em cima do banco da frente (daqueles bancos vis-à-vis). Ainda estive para lhe perguntar se no país dela também procedia assim, mas sinceramente, não estive parta me chatear. PQAP!

    • JJ says:

      Na primeira foto do artigo, a rapariga tem os pés em cima do banco… portanto se pergunta-se se fazia o mesmo no seu país ela respondia que sim.

  10. WPHONEboy says:

    Ideia genial para ser usada por pessoas civilizadas (não pelos macacos que habitam Lisboa)

  11. GothicX says:

    Se as pessoas fossem responsabilizadas pelos seu atos, poderiam montar tudo o que quisessem…
    Infelizmente ainda vivemos num País e numa Sociedade em que, apesar de ilegal (e não só…), as pessoas continuam a cuspir e a atirar lixo para o chão…
    Se coisas tão simples como estas não se resolvem, as outras são bem piores…

    Quanto à iniciativa, penso que era bem vinda por todos por cá, vistos estarmos cada vez mais dependentes dos gadgets.
    Eu, por norma, ando quase sempre com uma bateria e/ou painel solar atrás, não vá precisar de ter carga no móvel…:)
    Pontos de carga públicos, tarifários de rede móvel ilimitados, entre outros, seriam mesmo muito bem vindos por todos! 🙂

  12. JoseGomes says:

    Este banco tem claramente um defeito, a saber: 1º os velhotes vão aproveitar para jogar cartas, tapando naturalmente o painel solar com as cartas, 2º não tem encosto, como é que posso ouvir musica tranquilo se não me posso encostar e curtr a musica descansadamente?

  13. Raimoundo Correa says:

    Você conecta seu celular e o NSA ou “alguém” chupa todos os seus dados. Hoje em dia!!! Hummm sei não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.