PplWare Mobile

Google e YouTube enfrentam a crispação e fúria da comunidade LGBT


Fonte: The Verge

Autor: Micael Pires


  1. Pauloj says:

    Finalmente algo decente feito pela google.
    Peca e por vir tarde!

  2. maxgiger says:

    As minorias estão a virar maiorias, tal como esta comunidade, são pessoas com enorme poder de mudar e até destruir grandes empresas simplesmente afirmando que são sempre vitimas, pobres coitados. Nao se sentem amandos, aceites pela sociedade, no entanto nao respeitam os outros quando lhes toca a respeitar. Eles querem mudar de sexo, trocar de género, assumir a sua homosexualidade? Porreiro! Mas por favor, não influenciem os outros a fazer o mesmo e a ter de aceitar os vossos ideais.

    • leo says:

      Deixe de ser ignorante. Se essas influências fossem válidas, não haveria nenhum homossexual porque “propaganda” heterossexual está em todo o lado – televisão, notícias, música. As pessoas apenas estão a lutar pelos seus direitos e para serem tratados com a mesma liberdade e dignidade que qualquer outro. Ainda há países onde as pessoas são mortas por serem diferentes! Por não falar daqueles que vão para a rua porque a família não os aceita..

      • pauloj says:

        mas de que direitos falas tu?
        Fazer uma pride parade par monstrar as bolas e o rabo mais cenas obcenas?!

        Propaganda heterossexual? mas andas a fumar o que?
        90% ou mais do reino animal e heterossexual 6 a 8% homosexual – 2% uma peturbacao mental!
        Deseja elaborar a propaganda heterossexual?

  3. Kan says:

    Ah faça me o favor!

    minoria CHATA!

  4. Greenshines says:

    Sou do tempo em que só havia dois géneros…

    • Theboice says:

      POIS EU CONTINUO A SER… (Desse tempo e com esse pensar…)

    • Hugo Nobre says:

      Só há dois.
      O resto são orientações sexuais.

    • Gintoki Sakata says:

      Em nenhum tempo se tinha só dois gêneros, é que as pessoas só agora descobriram que há várias formas de gêneros além do dual masc/fem.
      E vá se acostumando porque eles existem e não vai ser um bando de keklanders franco-salazaristas que vai extingir isso. Palavra de um homem cis e hétero como o senhor.

  5. BlackFerdyPT says:

    Claro…

    Como a comunidade LGBT+ claramente não prima pela inteligência (sendo a mesma que, em grande parte, diz que o dito “sexo anal” é algo de perfeitamente normal, saudável e recomendável e deve ser permitida a mutilação sexual de crianças, ainda que várias delas depois se arrependam disso),

    Não só é preciso as empresas que a contratam virem explicar algo de tão básico como que, as convicções pessoais de cada um nada têm a ver com a empresa onde se trabalha e não se pode agir como representante de uma empresa sem a autorização da última… como ainda fica tal comunidade revoltada com tal chamada de atenção.

    Parecem crianças que, desprovidas de inteligência, não compreendem a justeza de certos castigos.

    Também, “tolerância” por parte desta comunidade, é apenas para com quem pensa da mesma maneira que ela – e, por isso, toca a censurar quem pensa de modo diferente.

  6. guilas says:

    Hein??

    “While I have never denied my sexuality, I haven’t publicly acknowledged it either, until now. So let me be clear: I’m proud to be gay, and I consider being gay among the greatest gifts God has given me.”

    Quem disse isto em 30.10.2014???

  7. paulo says:

    Os Illuminati querem uma guerra equilibrada para ver se vão todos pra inferno.

  8. Rodrigo says:

    Wow não acredito que acabei de ler estes comentários! Simplesmente, horrível e de total desrespeito pela Humanidade.

    Estamos a falar de seres humanos que nasceram para viver LIVREMENTE. Qual é o problema em aceitar o que cada um faz da sua vida? Existem tantos problemas no mundo e as pessoas ainda dão ênfase, estando contra, a atos de igualdade social.

    E fazer referência aos extremínios de Hitler?! Vocês não andam bem da cabeça.

    Estou absolutamente chocado com a falta de civismo que se constata. Lembrem-se que não estão livres dos vossos “pudores”.

    • nop90 says:

      O problema é mesmo esse, essas minorias não aceitam que cada um faça a sua vida, têm de vir criar eventos, meses especiais, bandeiras, etc, para mostrar o que fazem na sua vida privada.
      Por mim podem dormir com cães, portas, gajos, gajas, cavalos, evitam é de andar a esfregar isso na cara de toda a gente. vivam a vossa vida e deixem os outros em paz.

      • maxgiger says:

        É isso e mais! até os gays se sentem humilhados e envergonhados pela existencia desses eventos. Dai dá para ver a falta de visão destas minorias.
        Quanto ao Rodrigo, se há falta de respeito a Humanidade, esta falta começa exactamente por estas minorias. Eles são livres em fazer o que querem da sua vida, mas acham que são sempre os coitados e querem direitos sem falar em deveres.

      • Nuno V says:

        Quem é que te disse que essas minorias não aceitam que cada qual faça o que quer com a sua vida? O propósito dos eventos e manifestções é esse mesmo, cada qual é livre de ter a sua orientação sexual, livre de qualquer tipo de represália ou repressão por parte da sociedade. Eles não têm que se esconder da sociedade simplesmente porque uns mentecaptos não concordam com a orientação sexual deles. Lamento mas mostrar ao público que são gays, lésbicas ou seja lá o que for não é uma ultrapassar a liberdade de ninguém, no entanto tu pensares que eles não o podem fazer é. Ou será que nunca beijaste a tua mulher, ou mostraste carinho por esta, em publico? Se tu o podes fazer, também eles o podem.

        • nop90 says:

          E alguma vez os impedi? pelo amor da santa, lá fora é prato do dia e ninguém quer saber, cá a mesma coisa a menos que estejas numa terreola onde no máximo te olham de lado, já nos países que agora os SJW tanto defendem, são apedrejados até à morte, se calhar lá é que têm que fazer street parades e eventos para lhes mudar a mentalidade 🙂

          • Nuno V says:

            1. Não, tu não os impedes, mas tens problemas quando o demonstram em publico. Caso contrário o teu argumento auto derrota-se.

            2. Eu sou heterossexual, logo a pessoa que escolheste do verbo estar encontra-se incorreta (estejam em vez de estejas).

            3. Sim cá o perigo máximo de um gay é que lhe olhem de lado se estiverem numa terriola. Claro que os casos de violência a pessoas não hetero não existe, mesmo que documentadas, porque tu vais ignorar estes. O mesmo se diz dos casos de discriminação, abandono parental, ataque verbal,… também não existem, mesmo que documentados. A situação em Portugal melhorou bastante, mas também ainda não é o paraíso que tentas passar.

            “já nos países que agora os SJW tanto defendem, são apedrejados até à morte, se calhar lá é que têm que fazer street parades e eventos para lhes mudar a mentalidade”
            Esta tua afirmação não passa de uma falácia lógica e tentativa de envenenar o poço. Quem é que te disse que a comunidade LGBT defende um país/países em específico? Simplesmente patético.

      • Ze Carlos N says:

        ” essas minorias não aceitam que cada um faça a sua vida”
        Como? Alguma marcha LGBT impede um heterossexual de ser heterossexual?

        Olhe, eu sou heterossexual e tenho de levar com as marchas LGBT. Sou anti-pseudo-futebol-portugues e tenho de levar com celebracoes de campeonatos e coisas afins. Etc, etc. E’ a Democracia, nenhum desses eventos nega a minha liberdade de nao fazer parte deles.

        • nop90 says:

          Estás a comparar o incomparável. Eventos públicos de interesse geral com eventos a celebrar o que fazes no teu quarto. Estou contigo na parte da bola, o fechar dos olhos das autoridades nesses dias, quando num dia normal nem uma buzinadela podes dar fora de horas é do mais imbecil que já presenciei até hoje.

    • Balmer says:

      O nop90 já basicamente disse o queria dizer, mas tem de ser reforçado.

      Para ser claro, eu não tenho nada contra gays, transexuais (amiga minha é trans), etctera e o que mais. Acredito que as pessoas têm o direito de ser o que bem quiserem desde que não causem mal a outros.

      Dito isso, uma consideravel parge do do movimento LGBT é composto por pessoas recheadas de hipocrisia e más intenções que se demonstram sempre assim que se sintam minimamente ofendidas ainda que ninguem tenha sequer falado com elas.
      Tudo bem que estas pessoas lutem por terem iguais direitos, não há razão para não; o problema é que como já obtiveram essa igualdade em muitos casos agora vêem-se na liberdade de pedir algo mais, e criar uma tempestade se não lhes for feita a vontade.

      Existe uma irritante necessidade por parte dessas pessoas de se mostrarem como sendo pessoas “assim”, em vez de levar uma vida normal e lutar pelos direitos onde necessário. Como consequencia, se até aqui têem vindo a conseguir obter a simpatia e o suporte de outras pessoas, agora começam a alienar algumas dessas mesmas pessoas.
      Conheço pessoas que têem vergonha do movimento, porque são pessoas que se expuseram como sendo X ou Y porque lhes perguntaram e responderam honestamente. Foram aceites, alguns casos com mais dificuldade, mas conseguiram por merito mostrar que são pessoas normais. E depois tens umas pessoas a fazer barulho como vadios – Faz lembrar aquele cliché de homosexuais que têem de mostrar a todos o quão abichanados realmente são, só assim se sentem satisfeitos!

      E então social media…

      Portanto, quando quiseres falar da “falta de civismo”, olha para o grupo de pessoas que estás a tentar defender, pois são um grande exemplo disso mesmo.
      “Accept my beliefs, because I will not accept yours”

      • Nuno V says:

        “Dito isso, uma consideravel parge do do movimento LGBT é composto por pessoas recheadas de hipocrisia e más intenções que se demonstram sempre assim que se sintam minimamente ofendidas ainda que ninguem tenha sequer falado com elas.”
        Claro que existem pessoas hipócritas e mal intencionadas no movimento LGBT. Mas isto é verdade para todos os sub-grupos da sociedade, sejam minoritários ou não! Agora quando dizes que a maioria das pessoas do movimento LGBT são as pessoas que descreveste digo que falas pelo traseiro.

        “Tudo bem que estas pessoas lutem por terem iguais direitos, não há razão para não; o problema é que como já obtiveram essa igualdade em muitos casos agora vêem-se na liberdade de pedir algo mais, e criar uma tempestade se não lhes for feita a vontade.”
        Podes-me dizer o que a comunidade LGBT exige que seja considerado favorecimento sobre os heterosexuais? E achas mesmo que estes já obtiveram a igualdade?

        “Portanto, quando quiseres falar da “falta de civismo”, olha para o grupo de pessoas que estás a tentar defender, pois são um grande exemplo disso mesmo.”
        Tendo em conta que o direito de reunião e de manifestação é algo que está consagrado na nossa constituição, eu cá digo que não sabes o que é falta de civismo.

    • paulo says:

      bla bla bla

  9. Viana says:

    Intolerância e e falta de respeito de uns , exagero nas exigências de outros , ódio de alguns … é isso que se tem, e assim caminha a humanidade!

  10. BlackFerdyPT says:

    (Algumas sugestões que aqui deixo, para a mencionada comunidade LGBT+ intolerante…)

    Pressionem também:

    – a Google, para esconder (no seu motor de busca) os estudos feitos em gémeos verdadeiros, que provam que a homossexualidade não é de origem genética;
    – o Twitter, para censurar os tweets daquelas pessoas que, conhecendo homossexuais, dizem que por trás da maioria destes há a história de um mau pai ou de uma má mãe;
    – uma vez mais, a Google, para esconder as revelações de quem investiga os componentes das vacinas e tem nelas descoberto ADN humano do sexo oposto.

    • Nuno V says:

      1. Mas alguém alguma vez alguém, na sua perfeita capacidade de juízo, disse que a homossexualidade era apenas causada geneticamente? Isto é que se chama recorrer a uma falácia do espantalho. Os múltiplos estudos realizados à homossexualidade demonstram que existe uma ligação entre fatores biológicos, incluindo genéticos, no entanto não são os únicos fatores. Existem também fatores cognitivos, bem como no meio onde a pessoa se insere.

      2. É verdade que maltratos na infância têm influencia no desenvolvimento sexual da criança, daí ter mencionado o meio onde a pessoa se insere como um dos fatores no desenvolvimento da homossexualidade. Agora quando dizes que a grande maioria dos homossexuais assim o são simplesmente por causa de um mau pai ou mãe, lamento mas estás a retirar informação do traseiro. Se não mostra-me valores publicados em textos revisto por pares, em que inequivocamente demonstre que tal é o caso da maioria dos homossexuais. Não quero provas anedóticas como as que acabaste de descrever.

      3. Que distorção da realidade. Os componentes de que falas têm a ver com a cultura do vírus para a produção da vacina, que inevitavelmente aparece no produto final em quantidades minúsculas (< 10^-12 g) como um subproducto. E nem sempre são componentes humanos, podem ser de outros animais. Nem muito são do sexo oposto. Os que são cultivados em tecido fetal, são do sexo oposto se for um rapaz a tomar a vacina, se for uma mulher já não. O mesmo se diz dos vírus cultivados em cadeias de células de um homem, se for uma mulher a tomar é do sexo oposto, se for um homem já não o é. Nem muito o que estás para aqui a dizer têm alguma coisa a ver com a homossexualidade. É este o desespero do teu argumento, tudo serve para chegares à tua conclusão predeterminada.

  11. EacHTimE says:

    O politicamente correto está a destruir os EUA

    • nop90 says:

      E já se alastra para cá, começou nas redes sociais, agora a sites e fóruns comuns, espero que demore até passar à vida real, infelizmente, vejo as coisas a caminhar para outro lado, há uns refugiados na escola do meu puto, não se dão com ninguém, batem nos outros a torto e direito, mas coitadinhos que não se lhes pode ralhar porque não percebem o conceito de viver em sociedade.

    • Gintoki Sakata says:

      Deixa eu consertar sua frase: “O politicamente correto está a destruir os PREONCEITUOSOS E AS KU KLUX KLANS DOS EUA

  12. vale says:

    O mundo virou uma nova caricatura marxista, com novos opressores e oprimidos

  13. Fulano says:

    E trabalhar? É que parece que esta malta quer é ter direitos e esquecem as claras obrigações. Depois se a empresa que lhes paga o ordenado tem um código de conduta que lhes foi mostrado e com o qual concordaram quando assinaram o vínculo com a empresa, só resta à empresa despedir por justa causa todo o qualquer colaborador que não cumpra as regras, sujeitando-se a ter de pagar uma indemnização.
    Farto deste lixo do “politicamente correto”.

    • Nuno V says:

      Mas tu sabes se as pessoas trabalham bem ou mal? Claro que sim, porque todos os que não concordarem com a tua visão é porque são preguiçosos que não cumprem com as suas obrigações. Tristeza de abertura.

      Sim, porque as lei não existem para ser cumpridas. Eu se calhar na minha empresa vou obrigar quem trabalha sobre a minha alçada a assinar um acordo que diga que não podem ter filhos. Se eles não quiserem cumprir com a regra despeço-os por justa causa e ainda peço uma indemnização. Argumento sem pés nem cabeça.

  14. ToFerreira says:

    Mais um artigo longo mas confuso. Não percebi metade da história. Quanto aos comentários, isto da “comunidade LGBT” faz-me lembrar sempre uma antiga série da britcom, chamada o gay da aldeia ou uma coisa assim, já na altura acertava em cheio nos “activistas”.

    • Vítor M. says:

      Boas. Este comentário também diz muito sobre a razão de não teres percebido o texto deixado no artigo. Cump.

      • JMonte says:

        @Vítor M.: Essa doeu, mas apetece responder assim. ehehehehehe

        @ToFerreira: Tó, uma dica: é normal não percebermos um texto, a solução é lermos novamente, com atenção e interesse. No final, se for caso disso, comentas ou não. Mas sempre de forma construtiva e não negativa.

        Abraços

  15. Jorge Queirós says:

    Ainda hoje, mulheres, pessoas negras e outras faixas da população continuam a ter de “reclamar” por causa de situações descriminatórias. A comunidade LGBT, que sempre existiu, mas só nas últimas décadas ganhou visibilidade, também tem o direito de ser “chata”, para usar as palavras de alguns dos comentários aqui.

    E aproveito para esclarecer alguns pontos:

    Minorias não se tornam maiorias. A comunidade LGBT sempre representou cerca de 7% da população. O que significa que toda a gente conhece e tem na família, provavelmente, alguém LGBT. O que acontece é que atualmente já existe muita gente não LGBT sem preconceitos e disponível para apoiar as causas de lutas sociais.

    Convém evitar generalizações! Lá por acharem que alguém se está a fazer de vítima não significa que possam acusar toda uma comunidade do mesmo. Por outro lado, se existe tanto descontentamento e protesto por parte da comunidade LGBT, em geral, pode ser um indicativo de que algo está mal, mas que passa despercebido ou é insignificante para alguém que não é LGBT.

    Que disparate é esse da comunidade LGBT não querer trabalhar? As pessoas LGBT estão em todo o lado, em todo o tipo de trabalhos e classes sociais. E se olharmos com atenção vemos que em muitos dos protestos e marchas pelos direitos LGBT existem reivindicações pelos direitos dos trabalhadores, pelo ambiente, pelos animais, etc. Lá por aparecerem nas notícias umas vezes ao ano (e estamos a falar de uma pequena parte) não quer dizer que passem o resto do ano sentados no sofá.

    Percebam! A conquista de direitos e progresso social nunca se fez sem que alguém reclamasse e se sentisse apanhado de surpresa. Brancos achavam que os negros abusaram quando queriam ser livres ou estar em espaços comuns. Homens achavam que mulheres estavam a “tornar-se homens” quando estas quiseram votar e trabalhar. Enfim. Tal como tem que se mudar a lei, no papel, e mudar as mentalidades, também as empresas devem respeitar e ter um discurso e conduta concordantes com os direitos defendidos.

  16. THIS NEEDS TO STOP says:

    ENOUGH IS ENOUGH, IF PEOPLE WANT FREEDOM THEN THATS FINE BUT TO SUPPRESS THOSE WITH DIFFERENT OPINIONS IS A DISGRACE TO HUMANITY, IN AUSTRALIA Israel Folau HAS BEEN SILENCED BY THE MEDIA AND THE LEFT WINGERS. SUPPRESSING PEOPLE IS A BREACH OF FREEDOM OF SPEECH. THIS CANNOT GO ON, WE NEED TO STOP THE LGBT COMMUNITY FROM ASKING FOR THESE DEMANDS, THE RAINBOW GROUP IS RESPONSIBLE FOR SO MUCH CRAP AND EVEN PEOPLE FROM THAT GROUP DISAGREE WITH THE MOVEMENT. THERE NEEDS TO BE POLITICAL BALANCE, WE SHOULD HAVE A BIGGER EMPHASIS ON CENTRISM AND WE SHOULD TEACH SCHOOLS THAT COMMUNISM IS JUST AS BAD AS FASCISM. THANKS FOR READING, I’M JUST VERY ANGRY THAT NOTHING HAS BEEN DONE BY THE LEADERS. DON’T BE A MINDLESS SHEEP, MAKE UP YOUR OWN MIND BASED ON RATIONAL THINKING.

  17. ervilhoid says:

    Li na dioganal, a Google só não permite que se identifiquem como funcionários da Google.
    isso não é normal? acho que devem fazer isso seja qual for a natureza da manifestação em que são pessoas que vão e não funcionários/empresa

  18. Danilo says:

    Esse vídeo demonstra como os GLBT ou como quiser chamá-los não sabem nem pelo que lutam… Vamos rir?

    youtube.com/watch?v=mx7l8V-WiCo&t=449s

  19. JMonte says:

    Surpreende-me tanta homofobia, intolerância e conservadorismo.

    Ainda bem que as pessoas estão a ficar sem medo
    e lutam por um mundo mais inclusivo.

    Preparem-se porque vai haver muitas mudanças,
    nos tempos próximos.

    • Alex says:

      Ser hétero agora é ser homofóbico? Acredito no direito do cidadão, mas não concordo com a “luta” homossexual, todo cidadão tem seus direitos e deveres independentes do sexo, fazer passeatas com homossexuais semi nus e cometendo atos que deveriam ser feitos em privado no meio da rua não ajuda a combater em nada da “suposta causa”.

      • Gintoki Sakata says:

        Seu comentário claramente homofóbico só deu mais lenha para a “suposta causa”. E para de chorar, porque nós, héteros, permaneceremos com os mesmos direitos, a diferença é que os homos terão agora os mesmos, assim como os negros o tiveram na Lei Áurea de 1888

  20. David Guerreiro says:

    Nunca entendi qual o objetivo de ir para a rua e fazer aqueles gay parade… Não vejo heterossexuais a fazer paradas na rua. Cada um pode ter a orientação sexual que entender, mas daí a andar na rua a desfilar…

    • Nuno V says:

      Simples, os héteros, costumam ser descriminados por serem héteros, ser insultados por serem héteros, sofrer de violência por serem héteros,…?

  21. zacarias says:

    o Nuno v é rabeta!

  22. Alex says:

    A comunidade mais chata que existe é esta LGBTYXZwH3xTurbo e sei lá mais o que, eles não se aceitam e querem que todos concordem com o que eles deveriam fazer no particular mas o fazem em publico, o tal “orgulho LGBT” nada mais é que uma tentativa de impor algo que não interessa pra mais ninguém que não o próprio protestante, ninguém liga para o que fazem com suas partes intimas desde que seja na sua privacidade, não vejo héteros em uma marcha impondo o seu modo de viver, querem ser aceitos então hajam naturalmente e pronto.

    • Gintoki Sakata says:

      What? O senhor tomaste alguma Sagres com Gadernal antes de falar essa? Ou já nasceste calhau?
      Os LGBTQ não querem impor nada pra ninguém, só querem ter os mesmos direitos, será que é difícil compreender?
      E se tu nunca viste um hétero impondo seu modo de viver, então nunca soube que Hitler e seus comparsas (Pavelvich, Mussolini, Tizo, Franco et caterva) mataram homossexuais como “lição” para outros ficarem no armário. E que até os anos 60 ser gay ou lesbian no RU era crime (pesquise sobre a vida de Alan Turing ). E que vários ustashas de estádio no mundo (tal como os Carecas do ABC) matam homos por serem homos.
      Se isso não é impor heterossexualidade então não sei o que é?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.