Quantcast
PplWare Mobile

Google Pixel Slate: Será este o rival do Surface Pro?

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Manuel says:

    Concorrente do surface com Android????? Sério?

  2. iDespairing says:

    Crome OS

  3. Miguel says:

    Só se for por também ser um tablet! O Android num tablet é muito bom para internet, ver filmes e séries e email, mas para além disso não vejo qual a vantagem em relação ao Windows 10. É mais simples e fácil, também menos completo: tem muito menos potencial. Agora, que vai ser concorrente do Galaxy Tab S4, isso sim. Pessoalmente estou decidido a comprar um dos novos Surface Pro 6 para substituir o meu tablet Android.

  4. zeze camarinha says:

    tudo que e vendido a nao ser ipad e puro lixo electronico ponto final

  5. Cortano says:

    Se ainda dissessem Surface Go com modo S…. OK… Ainda conseguia perceber. Agora, comparar com o Surface Pro?
    Não faz sentido.

  6. LG says:

    Lol… Surface Pro… good joke 😉

  7. Celso R says:

    @Pedro Pinto

    Acho que fazia sentido um artigo no pplware sobre os estado atual do Chrome OS e do respetivo hardware. Até os comentários aqui revelam o desconhecimento de muita gente.

    O Pixel Slate vai especificações que competem diretamente com o Surface Pro (CPU até Core i7 e 16 GB de RAM).

    A nível de software/OS, o ChromeOS vai permitir correr aplicações Android em modo tablet, mas vai também permite funcionamento em modo desktop.

    Neste último modo é disponibilizado um ambiente “tradicional” de janelas, com multitasking “verdadeiro”, suporte a rato e teclado, browsers desktop (ao invés da versão mobile) e suporte para aplicações Linux.

    Até ao final do ano também vai ser implementada o AltOS, que vai permitir instalar Windows, se for necessário, de uma forma semelhante ao Boot Camp da Apple nos Macs.

    Por isso, sim, na minha opnião, o Pixel Slate e os equipamentos dos vários OEMs que se seguirão poderão, para muita gente, ser o único “PC” que necessitarão.

    É pena que em Portugal ainda haja muito pouco suporte e divulgação deste tipo de equipamentos, mas pode ser que isso comece a mudar a partir do próximo ano, uma vez que a previsão é o que os grandes OEMs (Samsung, Huawei, Lenovo, Acer…) vão começar a lançar tablets ChromeOS ao invés de “simples” tablets Android.

    • LG says:

      Sim parece tudo bonito escrito em papel… Chrome OS tem o potencial que tem e o hardware deste realmente é de sublinhar. Mas na prática está longe de ser um concorrente do Surface Pro. O SP tem Windows e pode correr por exemplo o Adobe Illustrator, ou progamardores podem compilar programas em IDEs muito complexos… Chrome OS não tem disso. Enquanto for assim, este Chrome OS só é concorrente ao iPad Pro

      • Celso R says:

        Aplicações Adobe de desktop não, porque não existem para Linux, mas podes usar as aplicações mobile Android e existem montes de aplicações Linux bastante completas, como o Inkscape para gráficos vectoriais.

        A nível de IDEs, desde que exista versão Linux, então podes utilizar, como, por exemplo o Android Studio, para apps Android, Eclipse, Brackets, etc e editores de código-fonte ricos como o VSCode.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.