Quantcast
PplWare Mobile

Novo Conector USB universal: especificações já conhecidas

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. David Guerreiro says:

    Isto seria como o standard USB deveria ter sido feito de início. Era muito fácil projetar uma ficha de forma a poder ser ligado de qualquer forma, não existiu foi vontade para isso. Quantas pessoas não danificaram portas USB em todo o mundo à custa disso? Dá quase para pensar que se calhar até o fizeram propositadamente.

    • João Ferreira says:

      Que devia de ter sido algo pensado logo no inicio, não tenho qualque duvida.
      Mas agora as pessoas que danificaram portas USB por tentarem meter o conector USB ao contrário só mesmo à bruta e depois de muita insistencia é que o conseguem fazer, e quem quer que o tenha conseguido fazer, mosta a total burrice de quem o conseguiu. É a mesma coisa que os ratos com ligação PS2 que conseguiam meter de qualquer maneira, se parassem um pouco e darem-se ao trabalho de ver o que estavam a fazer mal, já não acontecia.
      Tipicamente … quando fazem borrada, a culpa é de quem inventou que devia de projectar um produto à prova de idiotas!!!

    • Nunes says:

      ERa muito fácil de projectar? como é que sabes?
      aqui não está descrito como é que implementam a reversibilidade, mas no Lightning da Apple é necessário um chip no conector do cabo para fazer a reversão e alinhar correctamente com os pinos no aparelho. Este tipo de coisas faz aumentar os custos e complexidade dos componentes. Não me parece que fosse uma coisa viável há 20 anos atrás.

  2. gltichmaker says:

    ‘Bora lá comprar mais um adaptador…

  3. Raul says:

    quando o USB foi pensado, não se olhava a este pormenor. Já muito bom era para a epoca!

    • Sergio J says:

      as portas usb qd sairam ainda andaram bastante tempo ali sem ninguem as usar. Na altura pensavamos em portas rs232, paralela/Centronix. Aquilo já era uma uma grande simplificação de conector face ao que existia.

  4. Pedro says:

    Independentemente da velocidade de transmissão que permite, acho que poderiam ter desenvolvido o conector com um mecanismo “lock” e espero que não venha a ter a fragilidade de um micro-usb.
    De resto, são todas óptimas notícias, exepto a questão da falta de retro compatibilidade.

  5. Alex says:

    Ligar um cabo usb tem 2 tentativas… Á 3ª já é “falta de inteligência (para não dizer outro termo)!!

  6. Daniel Isidro says:

    O que mais me saltou a vista foi:

    “Além disso conseguirá fornecer uma potencia de 100W para carregamento de dispositivos, incluindo portáteis (recorrendo a tecnologia USB Power Delivery)”

    Caneco, 100W se for a 5V são 20A!!
    Acho que isto responde a algumas questões sobre baterias neste artigo da pplware:
    https://pplware.sapo.pt/pessoal/ciencia_saude/novas-baterias-poderao-durar-ate-3-vezes-mais/

    • Nunes says:

      Não são 20A! Isso até deve queimar o cabo. São 5A a 20V

      • rjSampaio says:

        vai dar ao mesmo, é 100W na mesma…

        • Nunes says:

          para aparelhos electrónicos não vai dar ao mesmo!
          E 20 amperes requer cabos mais grossos

          • rjSampaio says:

            a sim? qual é a diferença ja agora?

          • rjSampaio says:

            Ja agora, quando disse qual a diferença, é nesta apicação, porque maior voltagem é mais eficiente (reduz as perdas), mas nao nestes valores (5V ou 20V)

          • Nunes says:

            estás a fazer essa pergunta? mesmo depois de referir problemas de resistência/aquecimento…? A partir deveria ser fácil perceber algumas das implicações. Os aparelho electrónicos funcionam dentro de parâmetros eléctricos não muito flexíveis. Experimenta carregar uma bateria de lítio dum telemóvel com 20A para ver o que acontece.
            Mesmo as lâmpada incandescentes dão luz diferente com diferentes voltagens – a potência indicada é pensada para uma determinada voltagem, com uma resistência constante menor voltagem implica menor potência

          • EXP001 says:

            @rjSampaio
            A diferença é que se ligares um periferico (rato ou camera por ex.) preparado para receber 5v a uma porta com 20v de output vais queima-lo

          • Sérgio J says:

            A espessura do cabo depende da corrente. Teoricamente se colocares 1000V significa que para 100W tens 0.1A. O cabo poderia ser super fino.

          • rjSampaio says:

            @nunes, fazedo as contas, a estas voltagens nao faz grande diferença

            @EXP001, obvio, os aparelhos teriam de ser apropriados.

          • Nunes says:

            @ rjSampaio
            se aceitas que os aparelhos tinham que ser apropriados como é que então achas que vai dar ao mesmo???? Decide-te
            já agora que contas é que fizeste?

            Uma bateria moderna de lítio dum telemóvel não deve receber mais do que 2A ou arrisca a explodir. A voltagem de carregamento da bateria anda abaixo dos 4,5V ou arrisca-se a danificar a bateria – os processos electroquímicos ocorrem só dentro duma faixa de voltagem.

            Para teres uma noção, cabos aconselhados para 20A são aqueles dos aquecedores acima de 1000W, bastante mais grossos que os cabos USB.

          • Nunes says:

            @ rjSampaio
            e esqueci-me duma coisa!
            20A a 5V implica uma resistência de 0,25ohm. Não faço ideia onde é que vais encontrar um aparelho electrónico só com essa resistência!

          • ACS says:

            e 20 amperes são perigosos para se usar em entradas como estas nao?

          • Nunes says:

            @ ACS
            dificilmente conseguirias ter 20 amperes nos pins dum conector USB… é olhar para a grossura dos pins nas tomadas para perceber o que é aconselhado para essa corrente

        • J.Mendes says:

          Não vai dar ao mesmo, só o resultado final.
          Um cabo para suportar 20A e outro para 5A a secção é muito diferente!

      • Daniel Isidro says:

        Por isso mesmo é que eu disse, “SE for a 5V são 20A”.
        Porque 5V é a tensão utilizada agora nas portas USB. Daí o meu espanto ao ver falar e 100W numa porta USB!
        Claro que se aumentarem a tensão a corrente desce, a lei de Ohm não falha!

        Mais um bocado podem começar a vender kits de soldadura a arco electrico para ligar a portas USB!
        🙂

        • Nunes says:

          E eu apontei que um cabo destes não aguentaria 20A, quase de certeza queimaria, por isso não faria sentido 20A, mesmo até que o cálculo leve a igual potência. O cálculo de potência não é a lei de Ohm. A lei de Ohm é sobre circuitos com resistência, relação corrente-tensão, maior tensão implica maior corrente no mesmo circuito.

          • Daniel Isidro says:

            Uma coisa e certa, só podem mexer na na corrente ou na tensão, para ter os 100W. A não ser que tenham inventado um coversor DCDC manhoso que mexa noutra grandeza qualquer!
            Se vão usar fios de cobre da expessura de cabelos ou cabos de 50mm de secção vamos espera para ver. Mas concerteza a espessura dos cabos irá dar uma pista da corrente que vão ultizar!
            E sim, a Lei de ohm não é o calculo de potência, mas se fixares a resistencia de carga e mexeres na tensão ou na corrente para para manter a Potencia dissipada num circuito, lá hade chegar a altura em que a lei de Ohm aprece lá pelo meio!! Até porque para calcualres a potencia num cuircuito o podes fazer de varias maneiras diferentes, recorrendo exactamente a lei de Ohm!

          • Nunes says:

            :S
            Aconselho-te a reflectir mais calmamente. Se a resistência do circuito é uma constante, não tens forma de manter a mesma potência se mexeres na corrente ou na tensão. Se queres ter a mesma potência com tensão diferente, tens que ter uma resistência associada diferente, com um circuito diferente ou um transformador pelo meio – embora não haja transformadores 100% eficientes, por isso tecnicamente a potência não será a mesma.
            A lei de Ohm não é para cálculo de potência, mas pode ser usada para derivar o cálculo, caso saibas a resistência e a tensão, mas não a corrente por exemplo. Mas não é desses casos que estamos a falar, e o que é mais fácil de medir é corrente e tensão.

    • EXP001 says:

      Confesso que tambem fiquei bem surpreendido.

      Uam achega para o esclarecimento

      “The USB 3.0 SuperSpeed specifications boost will up the power delivery to 100 watts, from just 10 watts, through delivering a maximum of 20 volts at 5 amps. A range of different power profiles will be available, some that appear to be designed with laptop charging in mind, such as the 60W (20V at 3A) profile. As well as the higher-power profiles, the standard 10W profile (5V at 2A, perfect for smartphone charging) will still remain.”
      fonte: http://www.neowin.net/news/say-goodbye-to-power-cords-with-usb-30-update

      • Daniel Isidro says:

        EXP001 obrigado pelo exclarecimento!
        Eu por acaso antes de postar o cometario fui ver se encontrava alguma coisa em relação a tensão utilizada, não encontrei nada, daí assumir que iam usar os mesmos 5V que se usão hoje para a norma USB e ter feito o cementário dos 20A.
        Como é obvio, se o controlador tiver a cacidade de fazer um boost de tensão para 20V, uma corrente de 5A já é mais acitavél!
        Também não é mensionado na noticia se esses 100W são regime permante ou em pico, isso também faz diferença para calculo de todos os aparelhos e acessórios!

        • Daniel Isidro says:

          PS: No fim de colocar o cometário é que reparei, desculpem os erros ortográficos, acordei a bocado ainda tinha o carburador frio!! 🙂

        • Nunes says:

          Isto permite 100W permanente, não é picos. São especificadas várias potências para diferentes cenários, havendo por exemplo o cenário de 60W para carregamento de baterias de portáteis. Muito provavelmente nem todos os cabos serão possíveis de usar para 100W, e nem todos os aparelhos serão capazes de oferecer essa potência – num portátil quase de certeza que só serão possíveis potências inferiores.

        • EXP001 says:

          @Daniel Isidro
          Não foi facil encontrar não senhor. Tive de esgravatar um bocado ate consegui encontrar 😉
          Abç

    • Sergio J says:

      Estive a reler o que disseram. É preciso ver uma coisa: os 100W não serão, com certeza, por cabo. mas sim a potencia total disponibilizada pelo controlador USB (especulo eu).

  7. JMCS says:

    Já era tempo! Aquele micro-USB 3 que anda por aí é um fracasso monumental de design…

  8. rjSampaio says:

    Estive a ler os esquemas e especificacoes, encontrei isto

    4.1 Dead Battery Detection / Unpowered Port Detection The Power Delivery specification provides a mechanism for a USB Device to provide power to a USB Host under the circumstances where the USB Host:  Has a Dead Battery that requires charging or  Has lost its power source or  Does not have a power source or  Does not want to provide power. The USB Peripheral primarily acts as a USB Device that may also provide power to the USB Host if the correct detection is carried out.

    Basicamente um aparelho pode carregar o Host, por exemplo, um aparelho pode carregar um portatil, LINDO

  9. Miguel B. says:

    Uma potência 100w a 20v já dá um belo estrago! mas mesmo com este nível de tensão não estou a ver os terminais de contacto a durarem muito, se for recorrente o uso das portas para fornecer corrente

    • rmcrys says:

      Acredito que a qualidade do cabo dita quanta energia passará por ele assim como muitos modelos detectam já hoje se o cabo é apropriado ou não, e carregam a diferentes velocidades, O meu note 3 por exemplo com um bom cabo (mesmo carregador) carrega 2-3h, com um cabo chinês demora umas 6-8 h.

      Não acredito também que um aparelho pequeno como um telemóvel carregue portáteis ou coisas mais fortes. Isso sim vai permitir ter HDD USB em OTG sem problemas.

  10. ACS says:

    Só quero agradecer á apple e á intel pelo Lightning cable pois isso forçou o usb fazer uma coisa que ja devia existir desde a versão 2.0. Ainda bem que há empresas como a apple e a intel que pensam que “simple plug and play is the way.

    • Miguel says:

      toto o usb tem 20 anos, ainda nem deverias andar por aqui nem existia iphones nem coisa do genero…

      Claro que com o tempo se vai aperfeicoando, agora a apple é que pode agradecer ao ppl do USB pois tiveram algo para copiar e melhorar…

    • Nunes says:

      A Intel não tem nada a ver com o Lightning da Apple. Deves estar a confundir com o Thunderbolt

    • rjSampaio says:

      nao te esquecas de agradecer pelo firewire tambem, oh wait, a apple armou-se em parva com as patentes, e praticamente ninguém usou.

      A appla vez zero com o cabo deles, se é só para ligar um único aparelho, o próprio, é facil desenhar o que lhes bem apetecer.
      Fazer um universal para todos usarem (milhares de empresas) é outra historia.

      Se o USB2.0 ja devia ser assim, lol quando saiu ainda a maioria dos aparelhos usavam serie ou paralelo, tambem querias que usassem fibra optica? é que já existia na altura.

      • ACS says:

        Na altura que o firewire saiu toda a gente usava o seu cabo. O USB não era assim tão comum como é agora por isso a apple usou como uma vantagem dos seus produtos. Agora como quase toda as empresas e produtos usam o usb e convém ter um carregador ou cabo que sirva para todos os aparelhos faz sentido deixar os outros usarem os teus cabos. Se não estou enganado a apple permite os outros usarem os seus cabos.

        Eu não estou a dizer que a apple fez bem ou mal no passado só fico contente que o facto de eles terem se chegado á frente com o deles que permite ligar phones e tudo tenha forçado o usb 3.1 a ser ainda melhor. e acrescento mais mesmo que o firewire tenha sido fechado tinha coisas como full-duplex que só apareceu no usb3.0. Nem o usb2.0 tinha. ainda bem que o cabo que a apple criou meteu a organização por de trás do usb na linha pois a evolução do usb tinha sido até agora fraca.

      • Nelson says:

        “nao te esquecas de agradecer pelo firewire tambem, oh wait, a apple armou-se em parva com as patentes, e praticamente ninguém usou.”

        Oh, wait, mentira, o Firewire é um standard do IEEE (com p.ex. o Bluetooth e o Wifi).

        Diz antes, custa dinheiro pôr firewires nos computadores… fica mais caro fazer periféricos firewire…

    • Blasterjack says:

      É o que não acontece cá com os operadores de telecomunicações MEUS e ZUNS, mal os MEUS engoliram a TMN a primeira coisa foi aumentar os preços das chamadas/sms, não percebo porque se paga tanto por SMS’s se não implicam peso nenhum na rede deles, é mesmo extorquir dinheiro.

      A free que tem tarifários espectaculares na França é que devia vir para cá, iam ver como MZERRUS começavam se a mexer. Empresas com pessoal do governo são iguais ao governo, é só olhar para a Brisa…

  11. helio says:

    universal serial bus universal… faz sentido!

  12. Blasterjack says:

    +1 pelo design arredondado do conector.

    Até quero ver até que tamanho vão chegar as pens nesta especificação, finalmente vou puder andar com uma na carteira sem grandes chatices.

  13. Jorge Silva says:

    mais um. nunca mais se consegue um universal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.