Discos Rígidos: Quais os modelos mais fiáveis?


Destaques PPLWARE

32 Respostas

  1. Catarino says:

    WDC WD40EFRX Red 4TB
    Dos 5 que tenho ainda não falhou nenhum, o mesmo não posso dizer dos Green :S

  2. int3 says:

    Useless. Para ser um estudo fiável é necessário normalizar os dados.
    Número de discos iguais, mesmo fim, mesma exigência, mesma configuração, mesmo ambiente (humidade e temperatura).
    Isto de cientifico não tem nada. Precisamos de ver dados com estas variáveis eliminadas que fazem estragar a intrepetação estatistica.

    • Não Interessa says:

      Boa, compra aí 80000 discos e faz aí tu um estudo normalizado. A gente agradece 🙂

      • int3 says:

        não é preciso 80mil discos.
        é preciso respeitar métodos cientificos. estes dados valem 0. até porque ao longo do tempo que a blaze tem vindo a mostrar é que modelos aqui mostrados a mais de 10% de falha, em dados anteriores estavam em 0%. Qual é a justificação para isto? Certamente haverá uma variavel que faça desencadear isso. Uso, temperatura, humidade, horas ligado, interferencias eletromagnéticas de onde se encontra, qualidade da energia da máquina (seja servidor, seja NAS) entre outras. Tudo conta.

    • Gilmar Bertolote Junior says:

      Exatamente isso, precisa submeter os discos às mesmas condições, aí sim o teste torna-se fiável.

    • Hugo Oliveira says:

      Reparei que na noticia refere que são discos de DataCenter, sendo que os datacenters têm que seguir normativas… logo as variáveis são iguais para todos os discos, visto que o que conta é o tempo que o disco está ON independentemente das tarefas que esteja a executar.

      • int3 says:

        quem te garante que todos os discos tiveram exatamente o mesmo usage?
        Até porque tens modelos de 7200 RPMs, e outros a 5400 RPMs, diferentes capacidades por isso o que dizes está completamente disprovado porque são incompativeis em vetores de RAID.
        É facil influenciar estes dados. Basta tu duplicares o número de discos daqueles que mais falhas, possivelmente, deverão ter e reduzes o fail ratio consideravelmente. Os que têm mais horas de utilização irão certamente falhar mais.
        Os números são números. Mas a forma como tu intrepetas e ignoras variáveis vão te mentir.

    • Luis Cabral says:

      Este vive num mundo perfeito no qual consegue controlar todas as variáveis.
      Não sei se gostaria de viver num mundo assim. 😀

      • int3 says:

        Luís, este “estudo” vale 0 como prova que modelos X ou Y são mais ou menos fiáveis. Até está disponivel num dado estatistico pela própria empresa que certos modelos que vejo aqui com 0% foram dos mais altos de falha. Ou seja alguma coisa está mal.
        É necessário limpar as variáveis ao máximo. É isto que se chama método cientifico se não souberes o que é: https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9todo_cient%C3%ADfico

        • Luis Cabral says:

          É preciso lembrar que qualquer estudo vale o que vale e este post é uma representação da realidade. Se é 100% Fiável? Longe disso.
          Espero que consigas admitir que pelo menos dá para ter uma ideia da realidade da empresa e tirares a tua opinião sobre o que poderá (ou não), acontecer a cada um desses modelos de discos caso ponderes adquirir algum.
          Só isso.
          Queres algo mais fiável, paga. Terás várias empresas de consultoria a fazer isso com todo gosto.

    • MLopes says:

      a única coisa que podes assumir logo à cabeça é que o número de discos não é igual. mas isso só vem prejudicar os que estão representados em menor número no caso de falha.
      como concluis de que o fim, a exigência, configuração e ambiente não são os mesmos?
      de qualquer modo, há algum outro local mais fiável para ir buscar dados? há algum outro estudo sobre a matéria que tenha mais credibilidade? qual? como o encontramos?

    • Sómaisum says:

      Onde diz que isto é um estudo cientifico?
      Isto apenas demonstra a fiabilidade dos discos em datacenters, e os modelos preferidos – custo/beneficio.

      Em relação à pergunta: tenho 3 NAS (5 + 4 + 2 ) todos com WD Red, e já tive de trocar 3 discos desde à 4 anos. Não considero mau, já que trabalham todos os dias.
      Como arquivo morto sao WD Green aos molhos, e recentemente dois Seagate 4000DM (por acaso tenho estes a frente dai saber o modelo).

      Até ver não há razão de queixa, mas não devem ter 500h de uso..

    • Vlad says:

      Acho que estás equivocado em algo. Isto não é um estudo científico, mas sim um relatório anual.

  3. LG says:

    Tenho 4x WD30EFRX a correr em Raid 1 na minha NAS. Pelo peço achei a melhor escolha na altura. A seagate tem mostrado algumas melhorias nos novos modelos. HGST considero a melhor mas paga-se quase o dobro por elas

  4. Hugo Cardoso says:

    Tenho 1 Toshiba HDD, 1 crucial SSD e 1 samsung SSD e nenhum deles me falhou ainda.

  5. khidreal says:

    Eu tenho um Toshiba Q300… até é bonzinho, tenho-o a rodar o Linux Solus… o OS já é uma maquina, então com este SSD 😛
    já roda à 1 ano, sem problemas.

  6. Paulo Santos says:

    “Como podemos ver, há marcas (como por exemplo a Toshiba, a WDC e HGST) que têm modelos cuja taxa anual de falhas é 0%.”
    Mas são amostras pouco significativas, todas com menos de 100 unidades.
    A amostra deveria ser mais homogénea.

  7. fakir says:

    Há dez anos que tenho um WD HDD e um Seagate HDD há cerca de sete anos e zero problemas.

  8. Alexandre says:

    De todos os discos que já tive durante 15 anos, a única marca que me falhou foi a seagate. Um disco de 300gb é mais recentemente um de 3Tb. Nunca tive qualquer problema com nenhum western digital e alguns já ultrapassaram o tempo de vida deles.
    Portanto, independentemente das variáveis, esta estatística está bem correcta.

  9. Rui Moritz says:

    Um WD20EARX que por cá roda (secundário a par de SSD) há uns bons anos.

  10. Antunes says:

    De todos os discos que tive até hoje nunca falhou nenhum e sou do tempo do 486dx por isso esse estudo para mim é igual a zero.

    Os jovens hoje tratam dos portateis como se fossem a prova de bala, e num datacenter um servidor pode ter uso intensivo e outro não por isso esses dados a mim não me dizem nada!

    Existe problemas de fábrica, mas 99% dos problemas em discos é o ppl que os cria.

    • Catarino says:

      Mas este estudo não se trata de discos usados em pcs/portáteis, não vamos confundir as coisas.

      São discos que estão ligados 24/7 durante anos como é o caso de alguns que tenho em casa numa NAS

      “Este dados referem-se ao uso das unidades de armazenamento em Datacenters.”

    • Sómaisum says:

      E aposto que ainda usas disquetes 5.25!
      Como foi referido: Datacenters. Ainda bem que não te consultaram antes de fazer o estudo, senão… oh oh…

      Por isso é que não usaram 2 servidores 🙂 foram vários, mas provavelmente deve ter sido 50/50.
      50 com uso a 99%, e 50 com uso a 1%. Os melhores claramente estão na segunda parte 😉

  11. joaocfb says:

    Já tenho o meu Hitachi de 320 gb a 5400 rpm à 7 anos a até hoje nunca parou de trabalhar. E eu uso o computador quase todos os dias.

  12. MLopes says:

    crucial ssd 250 gb (não sei qual mas já tem uns anos), samsung 840pro 120gb, 3 wd black 1tb 3.5″, 2 wd red 1tb 2.5″, 2 seagate externos 2.5″ 1tb (não sei os modelos), 3 toshiba externos 2.5″ 500gb e não me lembro de mais mas tenho lá mais um ou dois. os dois mais antigos têm talvez uns 11 anos e são os wd black 3.5″, o terceiro foi um dos que falhou e por isso é mais recente. de qualquer modo, todos têm vários anos.
    a precisar: de “arrumar a casa” e acabar com esta tralha toda! 🙂 uns 4 discos de 4 ou 5 tb seriam bem vindos

  13. Nelson says:

    Tenho vários WD GREEN desde 2011 que todos eles estão a apresentar falhas a torto e direito, são discos com muitas poucas horas de uso ou seja estão apenas a servir de backup, no entanto é estranho todos eles estarem a apresentar bads blocks para uso que têm e ainda pior é serem estes modelos a equipar as unidades externas da WD onde o grau de exigencia é maior. Para quem não saiba a WD batizou quase todos os GREEN por BLUE por algum motivo se deveu, ou seja para fugir ao mau nome q estes modelos tem no mercado em termos de fiabilidade e como exemplo é passagem da Nomenclatura ” WD60EZRX” para “WD60EZRZ”, ou seja quero com isto dizer que os modelos GREEN agora passam a ser BLUE para tentar ludribiar o consumidor mas a qualidade e fiabilidade é a mesma ou seja é péssima nestes modelos Home.

  14. Arkan says:

    Tenho a certeza que todos desde o fim da quantum, e outras, a seagate e western digital apostam qual empresa vai dar mais defeito.

    tenho uns 50 hds da seagate parados, de 500gb a 1tb dos mais diversos defeitos. e uns 78 hds western digital green, e uns 40 caviar blue.

    TODOS com diversos problemas, um hd de 1tb seagate simplesmente parou de um dia para outro, embora o culpado seja o cabo sata ruim.

    Esta dificil isso!

  15. Ras'al'gul says:

    Western Digital all the way! Nunca usei outra marca nos computadores que me passaram pelas mãos e nunca me falharam! Ainda tenho o mesmo WD Caviar que comprei à cerca de 9 anos (IDE/7200rpm) a funcionar perfeitamente como disco e reserva, ‘just in case’.

  16. gsilva says:

    Discos empresarias sao discos SAS 15krpm, SATA ja nao e tradicional a muito tempo para as empresas.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.