PplWare Mobile

FVM – Como é que o Raspberry Pi pode acender uma luz?


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Jqms says:

    Tenham cuidado com o codigo…. esqueceram-se da identação… Esse codigo dá erro, se nao for corrigido

  2. la_marca says:

    Qual a função do transistor no esquema? Tá a fazer de switch?

  3. Sergio says:

    Porque estão a usar Python?

    Nunca deve ser usadas comparações de string em embebidos. O compilador vai ter que gerar assembly para comparar cada um dos caracteres. Além de ocupar mais espaço, torna o código mais lento. É preferível comparar com uma constante

    Acho que seria importante explicar o conceito do relê porque a maior parte das pessoas nao sabe. Acerca fo transístor deveria se explicar a sua razão, pois as pessoas podem sentir-se tentadas a ligar o saída directamente ao relê e poderá dar asneira da grossa

  4. nuno says:

    onde é que posso comprar uma placa arduino com gsm a bom preço?

    obrigado

  5. Dante says:

    Estão a brincar cmg? Um uP a fazer um trabalho de uC… por favor!

    • Sergio says:

      tb nao não exageres. Eu percebo-te, mas olha o target do artigo. O objectivo é abrir portas ao pessoal do alto nível. É uma coisa amadora, um hobby. Devemos tentar fazer uma critica construtiva. Apenas estaremos a ajudar

    • nrafaello says:

      O exemplo está engraçado, e parabéns pela iniciativa! No entanto, até um Arduino era overkill para fazer isto. E o Arduino já tem uma camada de abstracção engraçada 🙂

      Acho que ficaria engraçado era o Raspeberry pi utilizar um CCD para “ver” a presença de pessoas. Aí já se justificava a capacidade de processamento.
      Como esforço não é nada de novo, como noticia… serve para dar a conhecer estas novas gerações de embedded devices.

      Fico à espera de ver aí uma aplicação mais avançada que mereça ser noticia 😉

      • Boa tarde nrafaello, de facto o exemplo apresentado poderia ser desenvolvido em Arduino, este suportaria sem duvida alguma a tão suave aplicação desenvolvida.
        No entanto pretendeu-se apresentar algo extremamente simples para o uso do GPIO do Raspberry. Como diz o Sérgio e muito bem, “target do artigo” não era para pessoas com um conhecimento tão avançado como o nrafaello aparenta ter.
        Ficamos então profundamente desiludidos de não lhe poder apresentar algo que o nrafaello encontrasse que “merece-se ser noticia”, quem sabe no futuro.

        • nrafaello says:

          Sim, dentro do target do artigo, está bem conseguido 🙂
          Mas de facto gostaria de ver uma aplicação que merecesse ser publicada, não só aqui, mas também como artigo científico! A deteção da presença de pessoas (não a deteção simples de movimento) associada a funções de domótica, a meu ver é uma área que pode ter impacto direto sobre a qualidade de vida das pessoas. E tem todo o interesse desde o hobbyist, ao geek de electrónica :), ao pessoal mais expert nas camadas superiores!
          Good luck!

          • Boa noite nrafaello, de facto a área que refere, detecção de presença de pessoas também é algo que me interessa bastante, assim como a qualquer outro adepto desta área. Desta forma peço-lhe que se desenvolver algo dentro desta temática publicasse para que assim todos pudéssemos aprender mais um pouco acerca do raspberry.

  6. antonio says:

    ora aqui está um tema interessante, e muito bem explicado como já tem sido hábito do pplware. agradecia mais temas (se não for pedir muito). OBRIGADO

  7. César Faria says:

    Já não se usam lâmpadas incandescentes… 🙂
    E onde é que eu posso arranjar uma caixa de um tlm da tmn para fazer a montagem? 🙂 🙂

    Bom tutorial!

  8. Daniel says:

    Excelente artigo!

    Existe algum website que possua mais exemplos deste tipo?

  9. says:

    Gostei! Mas sinceramente o raspberry pi tem mais recursos a oferecer, este exemplo podia-se adaptar melhor a um arduino. Mas é porreiro para quem não é da área da electrónica 🙂

    • Sem duvida que um Arduino chegava.
      No entanto pretendeu-se mostrar que o Raspberry também permite este tipo de programas. Alem disso o Raspberry disponibiliza um amigável ambiente gráfico que podemos usar, sendo este a preços muito próximo do Arduino.
      No entanto deve ter-se em conta que este é apenas um exemplo de como construir uma aplicação simples para controlo de um pino no GPIO do Raspberry.

  10. E porque não em vez de as empresas andarem a pagar por software e por SO’s onde as licenças são um balurdio, o Estado Português não faz um contrato com esta empresa, e as empresas nacionais migram para um sistema operativo simples, e por onde no exemplo da noticia da companhia de seguros Tranquilidadealém dos 80% de poupança, têm uma poupança de 180%?!
    Já que estas empresas, a única coisa que precisam é ligação á internet, um browser, pois ja todas as empresas têm os serviços online, ou então numa VPN.
    Mas é só uma ideia… 🙂

    Cumprimentos

  11. Rui Afonso says:

    Para curiosos e leigos por electrónica como eu (sou dos “betões”..), é muito interessante o desenvolvimento deste tipo de projectos que ligam PC (o Pi ou velhos) a sistemas de: domótica; aquecimento de água através da energia solar; aquecimento de habitações via parede de Trombe; sistemas de produção de energia fotovoltaíca e eólica, etc.
    Será pedir muito que empresas gastem tempo e dinheiro em projectos completos e os desponibilizem sem custos ao público, mas creio ser possivel pequenos (grandes..) artigos como este desenvolvam o interesse por soluções “caseiras” (tipo DIY).
    Cmprimentos

  12. antonio says:

    precisava de uma coisa deste género para abrir o portão da garagem.

  13. Marcelo says:

    Boas,

    Desde já obrigado pelo post.
    Ando a pensar comprar uma coisa destas :), alguém sabes quais as versões de Linux compatíveis, com o Raspberry.
    Será que consegue correr um Fedora, Ubuntu 🙂

    Obrigado,
    Marcelo

  14. Nuno says:

    Antes de mais,

    Os meus parabéns por este tutorial.

    Já gora alguém me sabe dizer quantos canais (pinos) podemos controlar no total por este método aqui explicado. Por aquilo que percebi este tutorial só esta a fazer uso de 1 pino que é o 17 certo?

  15. hm says:

    A MagicKey e toda a equipa naturalmente são espectaculares assim como todo o trabalho de desenvolvimento que fazem.
    Espero que dediquem ainda mais tempo a desenvolverem o MagicEye e que possam ponderar a possibilidade de o tornar mais acessível, quem sabe, recorrendo a um Raspberry destes.
    Cumps

  16. Para quem prefere em c, aqui fica o código.

    #include

    #include
    #include
    #include

    int main (void)
    {
    char entrada [5];
    int i=0;

    char festa [] = “festa\n”;

    if (wiringPiSetup () == -1)
    pinMode (7, OUTPUT) ;

    while(1)
    {
    printf (“Letra L para ligar, Letra D para desligar \n”) ;

    scanf(“%s”,&entrada);
    i=0;

    if(entrada[0]==’l’)
    {
    digitalWrite (7, 1) ;
    }
    else if(entrada[0]==’d’)
    {

    digitalWrite (7, 0) ;
    }
    else if(strcmp(entrada,festa)!=0)
    {
    while(i<30)
    {
    digitalWrite (7, 1) ;
    delay (500) ;
    digitalWrite (7, 0) ;
    delay (500) ;
    i++;
    }

    }

    delay (500) ;
    }

    return 0 ;
    }

  17. Existe um erro no circuito que qualquer pessoa com os mínimos conhecimentos de electrónica identificaria.Falta colocar um díodo para proteger o transístor .O mais certo é o circuito actual não durar muito tempo no entanto continua válido para testes mas é claro que o hardware é extremamente exagerado para o efeito.

    • Luís de facto no esquema apresentado falta um díodo, no entanto se atentar um pouco no video poderá vê-lo soldado nos terminais da bobine do Relé.

      • Roberto says:

        O duro é que o iniciante não vai notar esse detalhe e vai acabar danificando o transistor e/ou o GPIO. Sugiro que edite o post e coloque esse detalhe para o bem dos novatos.

        Ótimo projeto, simples e funcional. Parabéns.

  18. Tiago Marques says:

    Boas,

    Tenho apenas noções básicas de eletrónica.

    Que material preciso de ter para fazer este DIY?

  19. Renato Rod says:

    Muito legal. Estou aguardando o meu raspberry pi chegar e enquanto isso coletando algumas informações. Muito obrigado pelas dicas.
    PS: Que gambiarra na lâmpada heim! Cadê o soquete?

  20. Gabriel says:

    OK
    qual seria o part number do relé?
    e esse tal diodo que falta?

    Adorei a idéia, tem um esquema mais detalhado?

  21. para evitar este extenso comentario , não seria melhor ter comentado o codigo linha a linha, fazendo todo mundo entender o que o programa faz no seu passo a passo.

  22. Francisco Silva says:

    Será possível ligar e desligar a lâmpada através de um comando de televisão?

  23. Miguel Neto says:

    Boas pessoal, estou com um problema ai, estou a utilizar esse codigo , fiz as ligações todas iguais como está no esquema, mas quando vou correr o modulo dá um erro nesta linha
    (import RPi.GPIO as GPIO), a dizer que nao tenho permissões de acesso e diz para eu fazer login como root mas eu ja estou como root, sabem qual poderá ser o problema?
    obrigado

  24. Patrick Costa says:

    Ola, boa noite. Apesar da postagem antiga, me interessei bastante, mas gostaria de fazer para mais lampadas. Como posso proceder? Obrigado!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.