Quantcast
PplWare Mobile

O extinto Tigre da Tasmânia poderá “renascer” graças à ciência e tecnologia

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Vitor Tavares says:

    O ser humano não aprende…temos exemplos à vista de todos que cada vez que o homem tenta “mexer” com a natureza é o iniciar do aparecimento de um novo cataclismo! Mas tudo bem…muita gente chama a “isto” evolução e/ou inovação!

    • Coelho says:

      Que exemplos?
      Mais um intelectual que lê a revista maria.

      • José santos says:

        É verdade o mundo esta cheio de exemplos disso, ainda ontem vi quatro ou cinco filmes e aquilo era exemplos que nunca mais acabava. E como dizia a minha trisavó se da em filmes ou aparece no facebook de certeza que é de verdade.

    • RUI says:

      Exemplos como aqueles retratados na série do Jurassic Park. Todos sabemos que aquilo é baseado em factos reais…cof…cof…mais um terraplanista.

  2. Grunho says:

    É fácil. Basta ir a uma casa que alugue fantasias de carnaval e alugar uma de tigre da Tasmânia.

  3. eu says:

    Jurassic Park.
    Como dizia o outro, isto será uma aberração e nunca o verdadeiro animal que ficou extinto, está na atrás no passado.

  4. Tonheco says:

    Mais um “projeto” para sugar dinheiro e nunca apresentar nada

  5. Ema Santos says:

    Até que ponto é que isso será viável? Ou necessário? Será que após quase um século após a extinção deste animal, e sem duvidar da sua importância à altura, o habitat do qual fazia parte não se terá readaptado, por forma a “passar” sem a sua presença?
    Compreendo e admiro, muito, a capacidade que o ser humano tem para tentar minimizar e reverter os danos que temos causado ao planeta, recorrendo à ciência, mas …

  6. iSheepNot says:

    Não têm mais nada para fazer?
    Quando e como é que se descobriu que a natureza precisa que essa espécie volte a viver?
    Já tinha ouvido falar de um projecto similar para algumas espécies de dinossauros.
    O Ser Humano quanto mais evoluí mais perigoso se torna. Isto é assustador.

    • Nuno V says:

      A natureza não precisa do quer que seja, esta não têm consciência. E mesmo que toda a vida no universo fosse extinta, a natureza continuaria a existir e a não “precisar” desta ou daquela espécie.

      Não sei se te disseram, mas o parque jurássico é ficção, não é um documentário. Até agora não possuímos uma única molécula de DNA de um dinossauro, portanto, é impossível clonar um.

      Não percebo qual é o teu problema com a nossa interferência na natureza. Afinal de contas, quase todos os alimentos que tu comes foram modificados para ser o que são hoje, através da selecção artificial, desde que apareceu a agricultura e a pecuária.

      O ser humano não é perigoso por causa do seu conhecimento, mas sim da sua ganância.

  7. Juliano Mossin says:

    Reverter um mal que causamos a uma espécie [e o mínimo que podemos realizar, o tempo todo estamos destruindo, modificando a natureza a nosso favor, praticamente tudo que usamos, comemos e interagimos estamos destruindo a natureza, portanto acho muito sensível e humano reparar um erro de vários que fazemos todos os dias ( combustível fóssil, industrialização, carne enlatada, peixes, alimentos transgênicos e tantos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.