Quantcast
PplWare Mobile

Google vai matar o Flash no Chrome até ao final do ano

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. judas iscariotes says:

    já vai tarde

  2. Modem says:

    Curiosamente, porque é que o site do pplware precisa de flash?
    http://imgur.com/a/6mCww

    • Vítor M. says:

      Elementos externos, contudo com o passar dos meses, esses próprios elementos tendem a ser modernizados pelas entidades responsáveis e hoje já poucos sobram.

      No passado, como qualquer site, tínhamos muitos mais elementos em flash, quer internos quer de entidades externas, hoje, já é residual e tende a ser banido completamente.

      Alias, quem usa ainda flash sabe que é penalizado pelo Google e pelas estruturas dos dispositivos móveis. Por isso 😉

      Como tal, não leves tão a peito que exista no pplware elementos em flash, mais dia menos dia, a modernização chegará para os remover. Fica tranquilo. 🙂

      • Modem says:

        Não levo a mal, até porque tenho o flash desativado por omissão, apenas estranhei a vossa página tentar ativar o flash sem que eu veja a sua utilização. Dado que está num ficheiro (pelo menos) com o nome audo-player, penso que só em ocasiões muito esporádicas é que seja realmente usado, mas não sei até que pondo o JS não esteja a criar a sua instância sem que seja realmente necessário.

  3. Gabe says:

    As pessoas so usam o chrome pelo flash, se tirarem o suporte o edge agradece

    • Khidreal says:

      as pessoas usam o chrome pelo flash?? lês noticias sobre o flash? este pode ser usado – e de maneira bastante facil – por um hacker para invadir o teu PC, plantar virus nele…

      quem anda a usar determinado browser só porque tem acesso ao flash essa pessoa mais cedo ou mais tarde ainda vai ser hackeada… para não falar nos consumos do flash, que são alarmantes… uma vez estava eu no vivaldi a jogar um jogo no click jogos. são jogos todos em flash; o processo do flash estava a consumir 500MB de ram e 30% do processador…

      se usas um browser por causa do flash sugiro que vás estudar um pouco como o flash funciona e os imensos perigos que ele trás… hoje em dia quase nada usa flash. hoje usa-se o Adobe Air e o HTML5, os sites que uses que ainda usam Flash são sites que simplesmente estão-se a marimbar prá tua segurança.

      • rxl says:

        segurança… so uma questão de tempo ate o HTML5 ser tao atacado quanto o Chrome… isto e a lei da oferta procura…

        • Khidreal says:

          mesmo futuro, mas futuro esse que só acontecerá daqui a alguns anos?
          preferes manter-te susceptível a vírus ou preferes ficar seguro, nem mesmo que seja durante 2 anos?

          acho que escolhes a 2ª opção, como toda a gente… então não reclames tanto, principalmente quando os outros fazem o trabalho por ti.

    • Alexandre Carvalho says:

      Sou utilizador do Chrome e agradeço até que o Flash Morra, o HTML5 da conta do recado sem complicações e chatices

      • john says:

        Ai dá. Quero ver quanto tempo demora a portar aqueles joguinhos todos do Facebook e afins para HTML5. Olha, pergunta a quem sabe, aos programadores, se sequer o vão fazer.

        As pessoas estão mas é habituadas a falar de cor e acham que qualquer nova trend substitui logo a anterior. Bem meu caro, as coisas não funcionam assim no planeta programação. Para banners e afins até é exequível substituir Flash por HMTL5. Agora, metam na cabecinha, que não é tudo assim e existe muita coisa que não irá ser portada de um dia para o outro, ou sequer portada.

        P.S. : Aos moderadores. Podemos publicar o meu comentário mais em baixo ou existe algum problema com o mesmo ? Obrigado

        • Khidreal says:

          portado ou não, as coisas têm de evoluir, se determinada empresa não consegue acompanhar, então fechará as suas portas, simples, é a lei da economia.

          o que tu falas é o mesmo que o sistema operacional: tens coisas que são exclusivas do windows 7; tens coisas que só funcionarão durante 4 versões de um sistema operacional…

          se as empresas não conseguem aconpanhar a tendencia, morrem, desaparecem, encerram as portas, como ja dito, é a lei da economia;

          obs: se o jogo dá lucro, eles com certeza irão portar. se não irá ser portada, é porque não é importante, ponto. se for importante irá sê-lo.

    • xoxota says:

      Mas alguem usa edge?! Oh hum

  4. Flávio says:

    O Flash normalmente é utilizado para sites de jogos e agora o que vão utilizar para que os jogos dêem sem o Flash ?

    • Khidreal says:

      HTML5, serve para tudo.

      olha exemplos:
      html5games.com
      http://www.html5games.net
      http://www.kongregate.com/html5-games

      bastou-me pesquisar html5 games na net pra encontrar divrsos sites.

      não sei como é feito, mas suponho que já ajam plataformas para transformar codigo em flash para html5, digo eu, não tenho a certeza, digo isto porque o flash está a morrer e a alternativa mais viavel e segura é o html5, por isso alguém já deverá ter feito algum programa ou assim para ajudar na conversão e se não fez, bom, aprende-se HTML5. quem já aprendeu java, PHP, flash, html, etc para poder fazer um site não lhe deve custar nada aprender HTML5…

    • LG says:

      HTML5… Nunca jogaste os Doodles do Google como agora dos jogos olímpicos? HTML5 puro

      • JL says:

        “HTML5 Puro”, como assim?
        Podes explicar como é que se implementam determinados jogos (por exemplo o Forge of Empires) usando o HTML5?
        O HTML5 pode substituir totalemtne o Flash, por exemplo, na apresentação de vídeos mas há muitas áreas em que isso não é possível

      • john says:

        HTML 5 ? Ahahahahah !!! Nota-se logo a diferença entre um utilizador e um programador. Mas sim, os Doodles da Google são extremamente complicados …

  5. Rui C. says:

    Flash = “cancro”

  6. iPhonix says:

    Os users do linux perdem 90% das coisas que podiam fazer gracas ao flash no chrome como spotify, groove, etc.

  7. john says:

    “Esta tecnologia, há muito ultrapassada”

    Eu pergunto, ultrapassada porquê ? Não deve ser devido a actualizações pois updates é o que não falta. Eu acho que o pplware, em vez de fazer juízos de valor sem os explicar, deveria tentar perceber a verdadeira razão destas opções. E o Java, também está “ultrapassado” ? Quantas aplicações têm-no como base ? Como submetem o vosso IRS, por exemplo ? Não brinquem !

    Concedo no aspecto de existirem alternativas, nomeadamente HTML 5, que conseguem a mesma coisa que o flash consegue em muitos casos. Agora, animações e interacções mais complexas já é outra história. O Flash não tem só mais codding base a esse nível como mais capacidade em desenvolver mais rápido. Quanto a isto só dou o exemplo dos jogos de Facebook e afins. É preciso dizer mais ? Quem os porta para Html 5 ? Quanto tempo demora ? É mesmo possível ? Deixa-se de jogar ? Vá lá, expliquem aqui ao pessoal porque é que o Flash é “ultrapassado” tendo em conta todos estes aspectos.

    Outro aspecto é o Flash fora da web. Tudo menos ultrapassado. A minha filha estuda design & animação. O que usa para fazer as animações ? Flash. Será que é preciso dizer mais ?

    Para acabar. Isto vem de alguém que tem conhecimentos de iniciado em Flash, no entanto sou web master. É muito raro desenvolver para a web e necessitar de fazer algo em Flash, isso é verdade. No entanto, vejo a utilidade e o uso que tem mas não consigo explicar esta vontade imparável em acabar com o suporte para este plugin. Porque Flash, vai durar mais tempo do que possam pensar. Aliás, ainda vão pedir de joelhos para que volte a haver suporte nos browsers. Mark my words !

    • Hugo says:

      O melhor post, claro e objectivo que li até agora.
      Os meus sinceros parabéns !
      E também tenho a mesma questão para o pplware !

    • Vítor M. says:

      Por vezes há questões colocadas que dão a entender a falta de enquadramento da tecnologia. Vamos lá explicar.

      Citando:
      “Eu pergunto, ultrapassada porquê ? Não deve ser devido a actualizações pois updates é o que não falta. […]”

      Bom, a tecnologia em si, a sua estrutura exigente em recurso, em grosso modo, há muito que está a ser banida. Não só é uma tecnologia pesada e exigente para os recursos energéticos dos dispositivos móveis, como a própria Adobe já a descartou porque não tinha interesse em a evoluir: http://bit.ly/2aZr130

      “[…]Eu acho que o pplware, em vez de fazer juízos de valor sem os explicar, deveria tentar perceber a verdadeira razão destas opções. E o Java, também está “ultrapassado” ? Quantas aplicações têm-no como base ? Como submetem o vosso IRS, por exemplo ? Não brinquem !”

      Misturar alhos com bugalhos sempre foi uma “jogada fraca”, mas vamos lá remover o Java que é outra história diferente…

      A Apple, a Microsoft, o Facebook e a Google deixaram simplesmente de apostar nesta tecnologia. inicialmente foi a Apple que deu o “murro na mesa” http://bit.ly/2aZtfPH, depois juntou-se a Microsoft http://bit.ly/2aZt8Un e os outros mais tarde, como a Google que no início deste ano já dizia que as alterações nas suas estruturas começariam no início de Julho deste ano e incidirão sobre os anúncios de publicidade que deixarão de poder ser colocados em Flash nas plataformas da Google (AdWords ou DCDM) http://bit.ly/2aZv6nA, dia 2 de de Janeiro de 2017 já não haverá nenhuma publicidade activa, a Google irá remover todas dos seus canais.

      Mas não se fica por aqui a erradicação do Flash. Há muitas mais empresas que já não dão suporte ao Flash e que têm obviamente alternativas modernas, mais eficazes para tudo.

      “Concedo no aspecto de existirem alternativas, nomeadamente HTML 5, que conseguem a mesma coisa que o flash consegue em muitos casos. Agora, animações e interacções mais complexas já é outra história. O Flash não tem só mais codding base a esse nível como mais capacidade em desenvolver mais rápido. Quanto a isto só dou o exemplo dos jogos de Facebook e afins. É preciso dizer mais ? Quem os porta para Html 5 ? Quanto tempo demora ? É mesmo possível ? Deixa-se de jogar ? Vá lá, expliquem aqui ao pessoal porque é que o Flash é “ultrapassado” tendo em conta todos estes aspectos.”

      Facilmente estás a ver a própria ADOBE a tratar disso com facilidade. Mas o tempo está igualmente a forçar, o próprio Google motor de pesquisa já castiga os sites que tenham Flash. Isso não tens hipótese e muitos como tu diziam em 2010 que seria impossível acabar com o Flash. 6 anos depois já a Internet não sente falta do flash, quer nas animações quer nos mais rebuscados trabalhos conseguidos com essa tecnologia.

      Li há um ano atras esta afirmação: Five years ago, 28.9% of websites used Flash in some way, according to Matthias Gelbmann, managing director at web technology metrics firm W3Techs. As of August, Flash usage had fallen to 10.3%.

      Portanto, um ano depois, a fasquia caiu abaixo dos 10%, muito abaixo.

      “Outro aspecto é o Flash fora da web. Tudo menos ultrapassado. A minha filha estuda design & animação. O que usa para fazer as animações ? Flash. Será que é preciso dizer mais ?”

      Estuda mas faz parte de um leque de tecnologias que convém conhecer, mas não terá futuro se apostar em desenvolver trabalhos nessa tecnologia, até porque os próprios browsers estão determinados a varrer o Flash assim como os próprios sistemas operativos http://bit.ly/2aZurmp e não tenha qualquer dúvida que daqui a um ano, estaremos a dizer que a Internet moderna, a Internet 3.0 está limpa do flash.

      “Para acabar. Isto vem de alguém que tem conhecimentos de iniciado em Flash, no entanto sou web master. É muito raro desenvolver para a web e necessitar de fazer algo em Flash, isso é verdade. No entanto, vejo a utilidade e o uso que tem mas não consigo explicar esta vontade imparável em acabar com o suporte para este plugin. Porque Flash, vai durar mais tempo do que possam pensar. Aliás, ainda vão pedir de joelhos para que volte a haver suporte nos browsers. Mark my words !”

      Termina dando total razão ao que escrevi e desmistificando que falámos sem saber, apenas confirmou o que temos vindo a dizer com toda a razão, sempre suportados com a história e com os dados reais. Há anos que vimos a referir isso e quando falámos nisso pela primeira vez, há 6 anos atrás, salvo erro, caiu o “Carmo e a Trindade”… e não é que tínhamos razão? 😉

      Portanto, nós explicamos muito bem, ao pormenor, em mais de 40 mil artigos todos os assuntos. Temos uma elevada quantidade de informação que suporta o que temos noticiado e conjugado com a realidade factual.

      • john says:

        Boa ! Aplaudo a atitude informativa e explicativa do teu comentário. No entanto, tenho a dizer que nem sempre esta atitude faz parte dos artigos da pplware. Se o artigo tivesse, desde o início, tido essa preocupação, não estávamos aqui a falar sobre assunto. Isso parece-me evidente.

        No entanto, a explicação em si, denota o receio de muitos utilizadores. Em que deixamos de poder escolher o que queremos utilizar. É-nos imposto, através de uma espécie de proibição (ao retirar o suporte a x tecnologia) uma suposta evolução, por motivos exógenos à nossa utilização, o uso continuado – porque assim escolhemos e queremos – de determinada tecnologia. Imagina agora que as estradas de Portugal proibiam carros de mudanças manuais nas auto-estradas porque as automáticas são melhores, mais rápidas e mais resistentes. Vítor, será que faria algum sentido ? Isto já não são alhos com bugalhos. É uma simples analogia que faz sentido e explica aquilo que quero dizer.

        Por outro lado, eu não digo que uma nova tecnologia, que venha a substituir o actual flash, seja algo mau. De forma alguma ! O que quero dizer, é que parece que tudo está a ser feito à pressa e em cima do joelho. Em vez de ser uma evolução natural, em que teríamos ambas as tecnologias em paralelo e iríamos migrando conforme a antiga tecnologia fosse portada, tudo é feito porque os big players, as software houses assim o querem, não porque a maioria dos utilizadores assim o deseja (e digo “maioria de utilizadores” e não só “os utilizadores” por alguma razão).

        Eu não sei quanto a ti mas eu sou programador e analista de sistemas. Nunca na minha vida, empurraria desta forma os utilizadores para uma nova tecnologia sem ter salvaguardado o funcionamento e as funcionalidades da antiga tecnologia. Só se fosse ou estúpido ou burro. Tem que haver uma transição que faça sentido e que cause o menor impacto possível no funcionamento dessa infraestrutura existente que tens como base.

        Empurrar os utilizadores é a forma mais fácil, mais barata e rentável para os big players. Eles, de certa forma e com esta atitude, estão-se pouco marimbando para nós, utilizadores. Até podes ter os números todos certos e a fontes correctas mas aqui não se trata disso. Trata-se de pegar nessa informação e criar opinião através de uma ideia subjectiva. A de dizer que se trata de uma tecnologia “ultrapassada”. Juízo sintético à posteriori. Algo fica ultrapassado quando outra coisa lhe passa à frente. Onde está essa “coisa” ? Alguém a viu ? Enquanto não a vires, não tens qualquer “razão”. A única razão que existe agora é que querem acabar com o flash por vários motivos. Uns mais consistentes que outros mas a questão nem vai por aí. A questão é: porque tanta vontade em acabar com o flash rapidamente ?

        Só para acabar. Dei o exemplo do Java por uma simples razão. É o que vai acontecer quando retirarem o suporte ao flash. No Java, quando queres submeter o IRS no chrome o que fazes ? Mudas de browser. O que vai acontecer quando quiseres correr algo de flash no chrome (e/ou outro) ? Mudas de browser. E vais instalar novos browsers até que te permitam correr “a coisa” e até conseguires fazer o queres fazer. Parece-te uma comparação suficientemente justa agora ?

        • Vítor M. says:

          Viva.

          Cito:

          Boa ! Aplaudo a atitude informativa e explicativa do teu comentário. No entanto, tenho a dizer que nem sempre esta atitude faz parte dos artigos da pplware. Se o artigo tivesse, desde o início, tido essa preocupação, não estávamos aqui a falar sobre assunto. Isso parece-me evidente.

          Calma, não façamos um campo de batalha o que é simples. Os artigos são sempre uma continuidade da história do mundo tecnológico. Se em cada uma das notícias tivéssemos de recorrer aos apêndices informativos (artigos do passado) para suportar cada frase que dizemos e afirmamos, então eram artigos intragáveis. Tentamos sempre resumir com o conteúdo necessário e suportado na nossa vasta experiência deste mundo da tecnologia. Quem nos segue, e por isso somos líderes destacados em Portugal no segmento tecnológico, sabe que é verdade. Mas percebo o teu ponto de vista, claro e por isso achei que deveria introduzir ali alguns pontos importantes para debate.

          No entanto, a explicação em si, denota o receio de muitos utilizadores. Em que deixamos de poder escolher o que queremos utilizar. É-nos imposto, através de uma espécie de proibição (ao retirar o suporte a x tecnologia) uma suposta evolução, por motivos exógenos à nossa utilização, o uso continuado – porque assim escolhemos e queremos – de determinada tecnologia. Imagina agora que as estradas de Portugal proibiam carros de mudanças manuais nas auto-estradas porque as automáticas são melhores, mais rápidas e mais resistentes. Vítor, será que faria algum sentido ? Isto já não são alhos com bugalhos. É uma simples analogia que faz sentido e explica aquilo que quero dizer.

          Mas desde quando isso não é assim? O poder da escolha está confinado às próprias opções de escolha, é uma escolha condicionada à oferta, mas sempre foi, essa é a realidade do mundo em que vivemos. Percebo o que queres dizer, entendo que somos “condicionados a escolher de livre vontade as opções impostas” mas é assim desde que me conheço. Este é um mundo não não se gere pela unanimidade, mas sim pelas maiorias mercantis.

          Por outro lado, eu não digo que uma nova tecnologia, que venha a substituir o actual flash, seja algo mau. De forma alguma ! O que quero dizer, é que parece que tudo está a ser feito à pressa e em cima do joelho. Em vez de ser uma evolução natural, em que teríamos ambas as tecnologias em paralelo e iríamos migrando conforme a antiga tecnologia fosse portada, tudo é feito porque os big players, as software houses assim o querem, não porque a maioria dos utilizadores assim o deseja (e digo “maioria de utilizadores” e não só “os utilizadores” por alguma razão).

          As transições acontecem de forma sempre pensada para encurtarem custos e maximizarem proveitos, sempre. Claro que na Internet, dado o poder de meia dúzia de players, a vontade é deles. A Apple, a Google, a Microsoft, o Facebook e mais dois ou três têm a força de mudar o rumo conforme as suas estratégias e que muitas vezes são concertadas entre todos, nós é que temos de nos adaptar, mesmo não concordando. Então não vemos isso a cada lançamento dos sistemas operativos que são uma força para forçar as pessoas a gastar dinheiro em equipamentos novos?

          Eu não sei quanto a ti mas eu sou programador e analista de sistemas. Nunca na minha vida, empurraria desta forma os utilizadores para uma nova tecnologia sem ter salvaguardado o funcionamento e as funcionalidades da antiga tecnologia. Só se fosse ou estúpido ou burro. Tem que haver uma transição que faça sentido e que cause o menor impacto possível no funcionamento dessa infraestrutura existente que tens como base.

          Se tivesses um cliente que te dissesse que terias de largar determinada tecnologia porque queria investir uns milhões numa nova, tu como profissional terias de te adaptar ou alguém o faria no teu lugar. O mais certo, porque és um profissional, irias adaptar o teu modus operandi e resolvias o trabalho proposto.

          No que estamos a ver é o mesmo. Os grandes players querem ter o controlo das tecnologias nas mãos, não querem depender de uma tecnologia proprietária como é o flash (ter de pagar royalties à Adobe??? ou à Microsoft com o silverlight? nem pensar) e então não se querem a adaptar, obrigam o mundo a se adaptar às suas vontades (mesmo que tenham trunfos valiosos na modernização).

          Empurrar os utilizadores é a forma mais fácil, mais barata e rentável para os big players. Eles, de certa forma e com esta atitude, estão-se pouco marimbando para nós, utilizadores. Até podes ter os números todos certos e a fontes correctas mas aqui não se trata disso. Trata-se de pegar nessa informação e criar opinião através de uma ideia subjectiva. A de dizer que se trata de uma tecnologia “ultrapassada”. Juízo sintético à posteriori. Algo fica ultrapassado quando outra coisa lhe passa à frente. Onde está essa “coisa” ? Alguém a viu ? Enquanto não a vires, não tens qualquer “razão”. A única razão que existe agora é que querem acabar com o flash por vários motivos. Uns mais consistentes que outros mas a questão nem vai por aí. A questão é: porque tanta vontade em acabar com o flash rapidamente ?

          Eles não se estão a marimbar, até porque a alternativa ou alternativas são free e mais simples de serem usadas. Hoje programar com HTML5 é mais barato que trabalhar com licenças Adobe, como tu sabes.

          Mas sim, como dizes, é à vontade deles claro.

          Só para acabar. Dei o exemplo do Java por uma simples razão. É o que vai acontecer quando retirarem o suporte ao flash. No Java, quando queres submeter o IRS no chrome o que fazes ? Mudas de browser. O que vai acontecer quando quiseres correr algo de flash no chrome (e/ou outro) ? Mudas de browser. E vais instalar novos browsers até que te permitam correr “a coisa” e até conseguires fazer o queres fazer. Parece-te uma comparação suficientemente justa agora ?

          Actualmente em várias situações já tens de usar mais que um browser. Se usas certificados para gerir os serviços bancários, a Google no Chrome tem aquilo muito complicado e problemático, as instituições estão a encaminhar as pessoas para o Firefox.

          No que toca ao javascript, como sabes é ainda hoje uma das mais usadas tecnologias http://bit.ly/2aMwAyA mas mesmo aí a Google em 2011 tentou criar uma alternativa, apenas não teve hipótese nem eco noutros big player: http://bit.ly/2aMsSFm como sabes de certeza, na altura apresentou o Dart.

          Como vimos no início deste ano a Oracle acabou com o Plugin Java Web (Applet) mas isso não quer dizer que Java acabe tão cedo. Apenas se está a adaptar às modernidade e às constantes questões de segurança e usabilidade.

          Abraço.

          • john says:

            Ok. Já vi que temos uma visão algo diferente sobre várias coisas mas acho que consigo convergir contigo em alguns aspectos. No entanto, viva a diversidade ! De outra forma isto era muito monótono 😉

            Abraço

  8. eu says:

    cc Ministério das Finanças (Entrega IRS)

    • Mylittlelife says:

      A mim parece-me correcto que os browser tipo Chrome mantenham tecnologias más e velhas porque em Portugal os milhões injectados no serviço público servem só para pagar os almoços e jantares dos colarinhos brancos e pagar a empresas parte fazer um portal em linguagem ultrapassada, que assim pelo menos já vai haver justificação para mais uns milhões para passar de flash/Java etc para HTML5/outra actual.

      Ainda me lembro que tinha que ter o Java instalado só por causa do portal das finanças lolol

  9. carlos says:

    Já ganhei bastante dinheiro a custa do flash. Cerca de 10 anos atrás. Foi pena o rumo que a Adobe deu ao flash após ter comprado a Macromedia.
    Hoje em dia detesto flash, nem o posso ver a frente. Acho que a Adobe devia ter-se focado no flash como ferramenta de animação e não como “ferramenta para fazer sites”.
    É com bons olhos que vejo esta decisão da google.
    E sim, Detesto actionScript3.

  10. Gonçalo says:

    Custa-me um pouco ver o destino que a industria está a dar ao Flash, e dizer “Esta tecnologia, há muito ultrapassada” penso ser puxado.
    O Flash é associado a apenas pequenas animações e “website flash” quando é muito mais que isso e tinha muito para crescer se o seu declínio não tivesse começado por causa do Jobs.

    Lembro-me de para ai à 6 anos fazer uma aplicação p2p em flash (boas network features). Tinha também capacidades para trabalhar o video muito boas (aliás, até à pouco todo o que era streaming era em flash), como por exemplo reduzir o tamanho do video. Já na altura trabalhava-se com 3d misturando com actionscrip3 (que sempre achei muito boa, basta ver a api http://help.adobe.com/en_US/FlashPlatform/reference/actionscript/3/) fazia-se coisas espetaculares.

    Mas claro, se a industria segue o caminho contrário, é difícil uma tecnologia se manter activa por muito tempo…

    E por favor, chega de se dizer que o HTML5 substitui o Flash, que o diz não sabe do que fala.

  11. Flávio says:

    Que plugins vocês recomendariam que deixasse ativado no Google Chrome ?

  12. Nuno says:

    isto é tudo muito bonito, mas eu no YouTube tenho mais qualidade de imagem a ver em flash 1080p do que em HTML5… e para quem gosta de qualidade, vê se bem a diferença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.