PplWare Mobile

O serviço Beats chegará ao iPhone e ao iPad


Autor: Maria Inês Coelho

Destaques PPLWARE

  1. Jijij says:

    Cada vez melhor o ios, so falta split screen e os droidfans ate babam de raiva

    • Pedro Gonçalves says:

      So te digo uma coisa- Music Key

      • VM says:

        Que idiotice, os dois…

        O Beats está disponível também no Android.

        E o Music Key, de certeza absoluta que vem também para o iOS.

        O que interessa é clientes…

        Quanto à notícia, sim, sim, o iTunes está a morrer lentamente, por isso é que é, e continua a ser, e previsivelmente vai continuando a ser a maior loja de música online. tadinhos…

    • lo says:

      porquê ficar com ódio por o ios integrar isto? Há muitos outros serviços de música que são cross-platform.

    • Joao says:

      Babo-me é com o dinheiro a render juros no banco por ter comprado um telefone por 1/3 do valor.

      • Parabéns says:

        Parabéns João!
        Se puseres os 200 € que poupas no banco a render 2% ao ano (taxa real, ou seja, acima da inflação) e nunca tirares os juros, ao fim de 10 anos ganhas 43,80 € !!

        • AA says:

          AHAHAHAH! Ganhaste!

        • Pedro Gonçalves says:

          Muita gente vive so com 43euros …
          Se para ti 43 euros nao é nada, para mim é!

          • Pedro Gonçalves says:

            alias o meu telemóvel custou pouco mais de 43 euros…

          • Parabéns says:

            Pedro, penso que não percebeste bem. 43 € era em 10 anos (isto porque estava a ser amigo e estava a dar de barato o imposto e a inflação). Mesmo assim, no primeiro ano o teu juro (anual) seria de cerca de 4€, ou seja, cerca de 30 cêntimos por mês… Duvido que alguém viva com 30 cêntimos por mês.

          • Parabéns says:

            E eu, pessoalmente, prefiro deixar de ganhar 30 cêntimos por mês do que invocar essa razão para comprar um “telemóvel de 100€” em vez de um iPhone… Haverá melhores razões, com certeza.

            Poderás dizer que, ao optares pelo “telemóvel de 100€” no final ainda tens os 200€ que poupaste no banco, o que é certo (desde que escolhas bem o banco, claro).

            No entanto, o meu iphone comprado hoje por 300€ pode ser vendido daqui por 2 ou 3 anos por cerca de metade do valor. Ou seja, efectivamente gastei 150€ no telemóvel, ao passo que comprares hoje um “telemóvel de 100€” daqui por 2 ou 3 anos valerá, se o conseguires impingir a uma tia que não perceba nada de telemóveis, uns 20 euros. Em termos de desvalorização, continuo a preferir um iPhone (a depreciar 50% em 2 anos) do que um “telemóvel de 100€”, que desvaloriza entre 80% e 100% no mesmo período.

            Isto são os factos. Quanto à preferência, cada um sabe de si, e se te sentes pior com um iphone, acho muito bem que faças o esforço de comprar um “telemóvel de 100€”.

  2. Jack says:

    Bom dia,

    Acho que tanto iOS, Android, Windows ou Blackberry têm uma aplicação para contabilizarem esses dados económicos..

    No entanto em termos monetários o telemóvel “barato” oferece um custo total analitico muito mais baixo, seja pelo valor inicial, seja pelo valor investido tendo em conta o tempo (útil de vida) vs. dinheiro…
    Quanto a ter esse valor “a render” num banco, a coisa nem se põe para qualquer desses valores. Agora se utilizarem esses valores em investimentos de risco, por exemplo na bolsa, esses valores podem representar uma historia bem diferente, dependendo de onde se investirem… Podem-se tornar em prejuizo ou em lucro.
    Tudo é relativo.
    Sair da loja com um iPhone de 600€ e deixá-lo cair e partir-se no chão é um prejuizo bem maior do que deixar cair um telefone de 100€…
    Ahh e tal mas o iphone mesmo partido vale mais e pode-se arranjar. Verdade. Mas o investimento sobe ainda mais e o valor efectivo do bem desce…
    Tudo é realtivo. Pode-se investir 600€ no euromilhoes e perder tudo e pode-se investir 2€ e ficar milionário, cazar-se e dois anos depois divorciar-se e perder metado do dinheiro.
    Tudo é relativo!!

    O mais importante é aquilo que se vai fazer com o investimento.

    Para jogar à malha, mais vale comprar um Nokia 3110 do que um iPhone. A vida util para o jogo da malha é muito superior no primeiro relativamente ao segundo…
    Com o iPhone pode-se jogar à malha com uma aplicação, mas não é a mesma coisa..

    Agora contabilizando efectivamente todos os cálculos, talvez a história seja outra se retirarmos da equação a utilidade desse telefone e o seu utilizador. Pois em termos efectivos, alterando a variavel tempo de vida util para termo fixo de por exemplo 2 anos (para um iPhone é um tempo justo) comparando com o outro telemovel de baixo custo que em dois anos ainda estará mais desactualizado (independente do S.O que certamente não será iOS) logo em termos de aplicações de produtividade mais comuns aquilo que se fará com um telefone (para alem de telefonar e enviar sms’s) com um equipamento de 600 euros será sempre muito mais ao londo desses dois anos do que com o telefone “barato”.

    Tudo é relativo…

    Já tive iPhone e Andorid.. Tenho iPad e smartphone Android foi a melhor solução para as minhas necessidades, os dois juntos não subtituiem o PC (e portátil) com Linux…

    Mas é verdade que quando vou passear de mota, bicicleta ou simplesmente correr, levo o iPhone 3G (sem S) para ouvir música… Tempo util de vida vai em 6 anos.. para ouvir música…

    Agora voltando ao tema da notícia… Evolução é preciso, marketing a funcionar muito bem com aquisição da Beats para substituir o iTunes!
    A Beats é uma marca com mais nome que qualidade, não que não a tenha mas o nome grita mais alto.. Apple.. Ah pois…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.