Quantcast
PplWare Mobile

Listen… o paradigma da simplicidade gestual!

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. zl says:

    Download para meu 5S

  2. Hugo Santos says:

    O CarTunes é parecido mas bem melhor. Costuma estar muitas vezes gratuito. Fica a dica.

  3. Diogo S. says:

    Nao gostei.
    Os letterings estao mal adaptados ao ecra.
    O conceito e’ interessante mas falta-lhe um design mais actual e funcional.
    Testado no iPhone 5S.

  4. Tiago Dias says:

    Parece-me que acertaram na interface. Simples e intuitiva.
    Contudo, com a revolução que se tem assistido no mercado da música, até que ponto os utilizadores continuarão a ter músicas nos seus dispositivos? Aplicações como Spotify, MusicBox, a própria iTunes Radio que, apesar de ainda não ter chegado a PT, está em expansão, vejo pouco futuro nestes players.
    Não me lembro da última vez que ouvi música das minhas bibliotecas offline e não devo ser o único.
    Uma boa alternativa seria a possibilidade de criar players que se conectassem às nossas contas de serviços de música online. Será que estes serviços estarão dispostos a disponibilizar SDKs para tal?

    • Filipe says:

      Com os preços que temos de internet móvel em Portugal, não acredito muito que este tipo de apps tenha futuro nos próximos anos.

      Quando falas em SDKs não querias antes falar em APIs? Se não estou em erro, acho que são coisas diferentes ou estarei a fazer alguma confusão?

      Ainda ninguém tentou investir numa app deste género (para contas de streaming) quando o primeiro sistema a disponibilizar, as outras em poucas semanas devem ir atrás.

    • Hugo Santos says:

      Tenho 1gb de net no iphone e passo quase todos os meses… Noutros locais com net ilimitada, como acontece em vários países, acredito, em Portugal não.
      Cá basicamente só podemos usar esses programas com wifi. Eu, por exemplo, ligo o meu iphone ao carro e oiço música, com streaming nunca o poderia pois ficava sem plafond num ápice…

      • Filipe says:

        Claro eu percebo, eu também tenho 1gb no iPhone e todos os meses chego aos últimos dias sem net porque já o passei.

        Mas claro, acredito que algum dia, Portugal consiga seguir os outros países e ter preços mais atractivos e/ou sem limites, algo que já deveria de existir à uns anos. A frase no outro comentário não foi lá muito bem construida.

        Ainda sou do tempo que queria fazer uma chamada ou mandar um sms no Natal ou ano novo e não conseguia por existir muita gente a usar.

        Já no ano passado notei que isto não aconteceu e este ano foi a mesma coisa. Será que as pessoas deixaram de fazer estas comunicações ou passaram antes a usar as redes sociais e afins? Acredito que tenha sido a segunda opção.

      • Tiago Dias says:

        Pensar que em Portugal os serviços não evoluirão como acontece em outros países, onde possivelmente a qualidade e os preços nem são comparáveis, desculpem-me mas é ter um pensamento retrógrado, algo que não coaduna com as TIC. Acesso ilimitado à internet em qualquer lugar será, num país desenvolvido, cada vez mais uma necessidade e não apenas um luxo. O futuro não é, ou não tem de ser, o presente…

        E volto a repetir-me, clientes TMN/MEO têm acesso gratuito ao serviço MusicBox, no qual o tráfego não é debitado, logo poderá usufruir de streaming no seu iphone enquanto conduz.

        • Filipe says:

          É tudo muito bonito para quem tem acesso as esses serviços.

          Eu deixei de ser cliente Meo porque ao fim de 2 anos e meio à espera da fibra deles acabei por optar por outra operadora que me consegue por a fibra em casa.

          Pagar um tarifário Tmn seria então a única solução para o Music Box mas se o pacote que tenho já tem telemóvel, para que iria pagar mais só para não ter limite de Music Box. Com Spotify ainda fico a poupar e é claramente melhor que Music Box.

          É por ser um quase “exclusivo” para clientes PT que Music Box não anda para a frente como deveria.

          Nem que se tenha de usar o modo Off do Spotify e assim não gastar net.

          • Tiago Dias says:

            Eu só não percebo como é que alguém que se mantém a par da evolução tecnológica, como penso serem todos os leitores do Pplware, não consegue ter uma perspectiva do que será o futuro das comunicações. A mim parece-me óbvio, lembrem-se das possibilidades que tinham para acesso à internet há 10/15 anos atrás, só não vê quem não quer ver… Há que ser um pouco mais “open-mind”, digo eu.

            Quanto ao MusicBox, apenas quis dar um exemplo de uma solução de streaming de música que possibilita aos utilizadores usufruir sem constrangimentos de tráfego, que era o meu foco inicial nesta discussão. É cliente quem quer e não quem pode, considerando que o Filipe já é cliente de uma operadora. Não estava agradado está no direito de fazer as suas opções, agora não penso que o seu relato contribua de alguma forma para esta discussão.

            E como penso ter sido já bastante explícito quanto à minha ideia sobre o tema, não vou dar continuidade à discussão. Quem quiser concorda, quem não quiser, não concorda. O futuro dirá quem tinha razão…

      • Andre says:

        Sim, realmente estamos sempre limitados a maior parte de aplicações (musica) por causa disso, infelizmente estamos muito atrás de outros países no que se trata a internet móvel ilimitada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.