Quantcast
PplWare Mobile

Apple: Mais um trimestre positivo e novos recordes de receitas

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. LG says:

    Hmm… Estranho que a Apple tem sofrido uma descida nas ações neste passado trimestre. Será dos custos do novo edifício?

    • Miguel says:

      Tenho a explicação para isso, mas o meu post ainda aguarda moderação… deve ser por ter sido escrito pela app da PPLWare para Windows Phone.

      Adiante, a Bloomberg/CNN/Diário Económico/WSJ/Etc dizem que os resultados foram dececionantes, excepto aqui no PPLWare se escreve que os resultados da Apple forem excecionais.

      A realidade é que as ações da Apple estão em queda porque a Apple é extremamente dependente do iPhone onde provem a maior parte do seu lucro e as encomendas deste equipamento estão em baixa. Assim, uma diminuição da procura dos seus telefones irá ter efeitos graves nas contas da empresa já que as restantes gamas de produtos não sobem ao ritmo necessário ou não sobem de todo.

      • Vítor M. says:

        Miguel, se olhares com honestidade (que por vezes é algo de berço) verás que o pplware escreveu sobre o relatório da empresa e não sobre projecções 😉

        Depois, o que está em causa não é o mercado bolsista Miguel, o que foi mostrado foram os números referentes ao último trimestre de 2015, que representam o primeiro do ano fiscal de 2016 voltaram a ser favoráveis para a Apple, que apesar de ter menos vendas de equipamentos, conseguiu manter a sua curva de crescimento e voltar a superar os valores do trimestre passado.

        É isso Miguel, um relatório oficial e não projecções ou análises de mercado, são dados reais. 😉

        • Miguel says:

          Honestidade é olhar para os dados reais e esses apontam para o menor crescimento das encomendas de sempre que está a preocupar os investidores e não é dito por mim é dito pela Bloomberg, CNN, Routers, Diário Económico… etc. Só para a PPLWare é que foram resultados extraordinários.

          E isso é preocupante para uma empresa que é dependente do iPhone para os resultados positivos, pois os restantes produtos não acompanham da mesma forma.

          Desonestidade era dizer que vender 50 unidades no X, 100 unidades no ano X+1 e 101 unidades no ano X+2 e apregoar que se bateu todos os recordes quando o resultado mostra claramente uma desaceleração brutal das vendas embora não seja mentira que seja o maior resultado de sempre.

          Para os resultados financeiros também interessa saber a quantidade produtiva, interessa ainda mais a evolução das vendas…

          • Vítor M. says:

            Miguel, voltamos ao mesmo, tem honestidade, repara que são os valores dados pela Apple no relatório sobre o trimestre correspondente (não são nossos). Repara que não são projecções de mercado, são valores reais. Estás a ser teimoso e o que é dito é o seguinte:

            The Company posted record quarterly revenue of $75.9 billion and record quarterly net income of $18.4 billion, or $3.28 per diluted share. These results compare to revenue of $74.6 billion and net income of $18 billion, or $3.06 per diluted share, in the year-ago quarter. Gross margin was 40.1 percent compared to 39.9 percent in the year-ago quarter. International sales accounted for 66 percent of the quarter’s revenue.

            O resto que dizes e como já referi, é outra história, o que está a confundir o mercado são estas questões:

            Other Products brought in $4.3 billion in revenue compared to $1.6 billion in the first quarter the Apple Watch went on sale. That is easily the best yearly growth rate for any category of Apple products. But it’s unclear how much responsibility the Apple Watch has for that growth. Apple says this quarter garnered record Apple Watch sales, but it said the same about the Apple TV. Is the Apple Watch growing at a dramatic clip or barely setting sales records? Is the Apple TV and Beats products bringing in the lion’s share of revenue? With the Apple Watch, does Apple have another product with growth potential like the iPhone or iPad, or is this another Apple TV, which will take a bit of time to be adopted by the market?

            E mais… quantas vezes no passado os analistas estiveram de acordo com o crescimento da Apple? Zero… e quantas vezes se assistiu a perda de lucros nos últimos anos?

            Volto-te a repetir, sê honesto, a verdade é que este ano a Apple terá de mostrar mais do que nos últimos anos, mas os dados desse trimestre nada tem a ver com o sentimento, com o sonho ou com o desejo. O futuro é outra coisa o resultado liquido é o que está mostrado.

        • Carlos says:

          E os dados reais não são grande coisa.
          Comparado com o mesmo trimestre de 2015 a Apple vendeu menos Macs, significativamente menos iPads, e mesmo com as vendas na China a todo o vapor, apenas mais 311 mil iPhones. Para uma empresa que vende 76 milhões de iPhones por trimestre, aumentar as vendas em 311 mil nem mexe o ponteiro — a própria Apple disse que as vendas tiveram um crescimento de 0%
          Falando em iPads, o preço de venda médio do iPad foi USD 439, o que significa que o iPad Pro, a grande aposta da Apple para deixar de ser a empresa do iPhone e começar a ter presença séria no mercado empresarial, é um fiasco.
          Os lucros aumentaram sobretudo à custa de ganhos de eficiência, mas toda a gente sabe que isso é uma coisa que só se pode espremer até certo ponto e que não é por aí que vão haver grandes ganhos futuros.
          Aliás, a própria Apple avisou que no próximo trimestre é de esperar uma queda grande nas receitas.
          Se se juntarem as duas coisas, dependência de um só produto que põe em causa a rentabilidade a longo prazo e a própria empresa a dizer que espera um mau resultado a curto prazo, é fácil perceber a queda na bolsa.

    • Vítor M. says:

      Os números da Apple são os que estão presentes no relatório. Sabemos que os analistas em nenhum ano, trimestre ou exercício estiveram de acordo com a Apple, isto porque a opinião deles influência o mercado dos títulos.

      Contudo e como já foi dito em comentários mais abaixo, a Apple foi apanhar as vendas do natal e final de ano, para fazer estes números, alias, sabemos que sempre foi assim, mas o mercado está a abrandar, a China está também a importar menos e a própria Apple está a conseguir colocar menos equipamentos no mercado, por isso nota-se uma grande disponibilidade dos seus mais recentes gadgets.

      O grande desafio vai ser mesmo este ano, será que vão conseguir manter o nível crescente dos últimos recordes? Dificilmente, mas podem atacar outros segmentos, quem sabe o sector automóvel não será a solução?

      Mas não vai ser um ano fácil, até porque como também foi referido, está o mercado saturado e as novidades não se fazem sentir, investir am algo que não traz vantagem… para quê?

      Para já, perante os resultados e o encaixe financeiro, estes são os números reais da Apple de vendas, as projecções e o mercado bolsista é outra história, que 2016 será um desafio grande para a Apple, isso será, mas não será só para a Apple, outras marcas já estão a rever em baixa as suas projecções de vendas.

      Mas a Apple tem mesmo de apostar em algo WOW ou então… outra vez arroz!!!!!

      • Renato says:

        A China está a importar menos? Mas as vendas da Apple na China aumentaram!

        Está a importar menos é se calhar outras coisas…

        • Vítor M. says:

          Segundo os analistas e passamos para a área das projecções eles dizem o seguinte “Then there’s China – still growing but far more slowly. The iPhone is still an object of desire there, but at a time when Apple says it’s seeing softness in the economy, the attractions of cheaper rivals from local firms like Xiaomi may grow.”

          Isto a 26 deste mês, ontem portanto. O que temos vindo a acompanhar é um abrandamento da economia chinesa que dizem ter em 2016 um ponto critico, com baixa de produtividade, menos fabrico, mais desemprego, menos salários, etc… o que poderá agravar estes cenários (não só da Apple como de outros). Várias marcas chinesas já reviram em baixa as vendas para 2016, devido à crise económica chinesa, por isso refiro que a China é um ponto crucial nos números da Apple.

          Não obstante, a Apple está vocacionada para a Índia. Segundo alguns analistas, este será um ano para apostar com um equipamento mais “modesto” na Índia, conquistando cota de mercado que irá colmatar perdas na Europa e China.

          Vamos ver mais uns meses, lá para Maio, e depois já temos uma ideia mais interessante do mercado Apple 😉 Estamos também a esquecer que o iPad Pro não está a conseguir os números que a Apple projectou. Falta lançar, também, o novo Apple Watch 2, mas as vendas do actual Apple Watch enfraqueceram muito. Vamos ver.

          • Renato says:

            Claro! Não é possível ter sempre um crescimento de quase 100% ao ano para sempre…

          • Vítor M. says:

            A não ser que apareça um produto de outro segmento. Mas como foi dito também, a Apple é muito dependente do iPhone e isso pode condicionar os seus resultados. A questão os MacBooks 2015, uma aposta falhada no meu entender, os iMacs que precisam de mais inovação, os Macs Pro que têm preços estupidamente altos, os acessórios que são estupidamente caros, as empresas compradas e transformadas em produtos que a concorrência tem melhor, refiro-me ao Apple Music por exemplo…. são alguns exemplos falhados que poderiam ter sido apostas ganhadoras e que não foram.

            Mas, como referi, é nestas alturas que se vê se quem lá está vale ou não o valor que o mercado lhes tem cotado.

          • Renato says:

            O Apple Music é talvez o melhor… têm mais barato, mas melhor não têm, resolveram muitos bugs recentemente…

            Quando ao Mac, precisa claramente de uma renovação em todos os aspectos.

            Mas o maior problema é indolor forte!

          • Vítor M. says:

            São gostos e isso não se discute. Ei já não passo sem Spotify Premium… é em todo o lado, no escritório, no running, no carro… 🙂 é top o serviço e lá está, são gostos.

    • Vítor M. says:

      Mas isso está referido, embora as vendas estejam a cair, os lucros naquela trimestre em causa aumentaram. Mas a Apple tem de fazer algo, a tendência é essa. A China é um ponto importante que está a “ajudar” a estes números, o mercado saturado, a falta de inovação… não estão a projectar a Apple.

      Quem vai comprar o próximo iPhone se pouco ou nada traz em relação ao anterior? Isto depois pesado com mais uma série de problemas, outros gadgets e outros mercados a florescer… a Apple tem de abrir os olhos.

    • Renato says:

      Não é ponto de vista, se soubesses inglês sabias ler que a Apple advertiu que no próximo trimestre, pensa vender menos que no ano passado.

  2. jesus jones says:

    a apple faz-me lembrar o lehman brothers não sei porque tem algo de estranho nessa contas

  3. Ricky Manulo says:

    Artigo interessante, muito positivo, boa propaganda.
    Esqueceu foi o facto de, por causa destes resultados fantásticos, a cotação em Frankfurt caiu 3,5%.

    • Vítor M. says:

      Mas leste o artigo? É que está a misturar alhos com bugalhos.

      Sem dúvida que a Apple este ano não está com pujança, mas o que foi mostrado foram números concretos de um período e não o que estás a referir. 😉

      Mas concordo que a empresa está neste momento a ter de realmente agora puxar pelo que vale, agora sim é que vamos ver se o povo lá dentro vale ou não o que o mercado tem apostado neles.

      É na altura das vacas magras que se vê o valor dos criativos.

      • Jsp says:

        Vitor concordo com o que tens dito.
        A minha opinião das contas e da empresa é sobre outros assuntos é uma especulação própria e pessoal simplesmente acho a empresa demasiado fechada e secreta sabes-se pouco sobre o que se passa debaixo do tecto dela. Mas lá esta é uma opinião pessoal. Continue a dizer a apple tem bons equipamentos e com dising bonito à que admitir.

        • Vítor M. says:

          Sempre foi. Aquilo ali é um bunker (tirando o que é fabricado na China). Mas em relação aos números, ainda é pior. A Apple é gigante, só em acessórios são milhões de dólares que vende no mundo online e nas lojas físicas. Só em Macs são milhões de dólares. Milhões de dólares das várias App Stores. Milhões de dólares em música no iTunes, milhões de dólares em contratos com a google, como vimos há dias (entre outras empresas), milhões de dólares em cedências de patentes, milhões de dólares em iPhones, iPods e iPads… tudo junto dá somas incríveis que ainda se junta o valor pago mensalmente pelos serviços tipo iCloud, iTunes Match, Apple Pay e outros que nem se sabe bem ao certo.

          Portanto, o que se sabe é só o que a Apple quer que se saiba e mesmo assim são resultados excepcionais. Vamos imaginar agora tudo o que não é mostrado!!!

          PS: não é só a Apple, isto é geral.

  4. Santos says:

    o Ultimo trimestre do ano de 2015 e considerado o primeiro de 2016. fazem isto para apanhar as vendas de natal. e claro que no proximo ira decrescer pois nao ha vendas de natal para contabilizar. Acho que a Apple continuara nesse trend descendente e so tera picos de vendas no Natal mas menos que em anos anteriores. so conseguirão aumentar quota num mercado ja muito saturado se inventarem algo novo tipo iBaby ou semelhante. telefones ou dispositivos para a faixa etária dos 2 aos 13 anos.

  5. ILS says:

    “Os valores referentes ao primeiro trimestre de 2016 foram apresentados e mais uma vez a Apple superou-se e voltou a apresentar receitas recorde. ”

    Eu amo a Apple por estar sempre na linha do futuro, até na contabilidade. Desta vez, conseguiu a 27 de Janeiro apresentar os resultados dos meses de Janeiro, Fevereiro e Março de 2016.

  6. Miguel says:

    Bloomberg:
    http://www.bloomberg.com/news/articles/2016-01-26/apple-forecasts-first-sales-drop-since-2003-on-iphone-slowdown

    CNN:
    http://money.cnn.com/2016/01/26/technology/apple-earnings/index.html

    Diário Económico:
    http://economico.sapo.pt/noticias/vendas-de-iphone-ao-ritmo-mais-lento-de-sempre_240930.html

    E é porque a Apple é extremamente dependente do iPhone onde provem a maior parte do seu lucro. Uma diminuição da procura dos seus telefones irá ter efeitos graves nas contas da empresa já que as restantes gamas de produtos não sobem ao ritmo necessário.

    • Jorge Carvalho says:

      Dizer o que não se sabe dá sempre nisto … Retira os números do Iphone e vê quanto facturaram … Ao ano só na rubrica outros fatura mais que a Microsoft …

      Há anos que os analistas são gozados … 🙂

      Abc

  7. Carlos says:

    Questão rápida: se a Apple diz que vendeu *menos* Macs que no mesmo período do ano anterior (e convém lembrar que nos EUA o primeiro trimestre fiscal de 2016 vai de 1 de outubro a 31 de dezembro de 2015) como é que as Garters e tal dizem que vendeu mais?

  8. qwerty says:

    Bem, a recepção a este números, por parte dos investidores, não foi tão euforica como a do pplware …

    http://www.jornaldenegocios.pt/mercados/bolsa/detalhe/apple_afunda_35_em_frankfurt_apos_vendas_decepcionantes.html

    • Daniel says:

      aparentemente para o jornal de negócios os melhores valores trimestrais quer em termos de resultado, quer em termos de lucro de qualquer empresa na história equivalem a “vendas decepcionantes”

      Seria antes assim: Apple afunda 3,5% em frankfut após não corresponder a expectativas irrealistas de treinadores de bancada (leia-se, analistas)

    • Renato says:

      Essa é boa… a Apple está no Nasdaq, não em Frankfurt.

      O valor das acções não tem nada a ver com os resultados financeiros.

  9. Hugo says:

    não precisam ir mais longe. sapotek diz o contrario disto

  10. Rui Carriço says:

    Notícia no Negócios hoje às09:06 : Apple afunda 3.5% em Frankfurt após vendas decepcionantes.

    Estamos a falar da mesma Apple.

  11. Alcides says:

    Uns falam de valores reais, outros de análises futuristas… mas afinal, quem mete a mão nos dólares?

  12. Vitor says:

    Por um lado, a Apple volta a apresentar lucros recorde. Por outro lado o crescimento é nulo face aos anos anteriores, que é o que mais preocupa os investidores. Ou seja por um lado temos os apple fanboys q se alimentam psicologicamente da imagem dos investidores repartirem os lucros e por outro lado os próprios investidores que sofrem pelo actual crescimento das vendas. Sabem o q acontece qd uma empresa depende de um único produto?

  13. Boss says:

    Qual a razão da moderação ao meu comentário construtivo?

  14. Joao 2348 says:

    É pena que os investidores tenham normalmente prioridades diferentes das dos clientes!
    Os investidores querem meter 100 e receber 10000 se for possível… os clientes querem comprar algo por 1000 que dure e dure enquanto quiserem que dure (seja 1 mês ou 10 anos).

    Seja como for a Apple tem 200 milhar de milhões de dólares no banco… por isso até podia pagar a dívida nacional Portuguesa quase toda! (Que ronda os $ 249,360,555,389)
    Não é propriamente uma empresa com problemas de liquidez! Pode ser que aproveitem para baixar os valores das acções e comprá-las de volta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.