PplWare Mobile

AirDrop tem falha que permite saber número de telefone de qualquer iPhone


Fonte: hexway

Autor: Pedro Simões


  1. Vasco marinho says:

    Ai está a qualidade apple… Só marketing… Segurança zero…
    A sorte da Apple é que não tem tantos utilizadores como a Microsoft ou android… Logo, não são criados vírus iu exploradas fragilidades com tanta frequência.
    Se existissem metade dos vírus que existem para Android ou Microsoft… A Apple já tinha falido… A sorte deles é que não são criados vírus…
    Não não sou contra Apple, até tenho um macbook de 2016…Porque gosto do design e da fluidez do sistema…. Mas não vale metade do que cobram por ele…
    Sim não sou apple doente, eu percebo porque dizem que é bom os Apple doentes… Dão balúrdios por iPhone dps não podem dizer q são maus… Se nao quem os está a ouvir diz q são malucos…
    Podem – me chamar maluco a vontade… Mas falo com conhecimento, tenho macbook, um Asus com Windows 10, 2 telemóveis Huawei e um iPhone 7… E vos garanto… Até pode ser chinês, mas é o melhor produto em termos de fluidez de limitações, que Nunca quebra nem fica lento… Huawei… A seguir apple em pc é o q uso mais…. Em trabalho… Tem os seus problemas e limitações …. Mas é melhor que windows 10, não porque o sistema operativo seja melhor, numa instalação limpa o Windows é melhor e mais rápido que macos.. O problema vem depois o windows 10 com as atualizações constantes vai deixando o Asus mais lento.

    • rodrigo says:

      Não ha virus para Mac não porque são poucos utilizadores mas pq ‘e baseado em unix que ‘e diferente do que o SO que a Microsoft utiliza.
      A apple nao tem tantos utilizadores como android ou microsoft mas tem a base de utilizadores com mais dinheiro ja que os seus produtos sao overpriced como dizes. Ora, nao fara sentido criar virus para apple ja que se pode sacar mais dinheiro dos seus utilizadores?? Se fosse assim tao fácil ja haveria virus como ha para windows.

      Mas continue a espalhar ignorância..parece que tens jeito pra coisa

      • Fernando says:

        Es programador? Não então cala a boca… Porque…Eu sou a 15 anos… Como desenvolvo apps para ios… Sei do que falo…e uso macos em trabalho por isso msm.
        É base unix.. Sim… Mas esta cheio de falhas…. Se fores por aí… Prefiro usar fedora ou ubuntu… É unix… E mais seguro… Que mac os…

        • Sujeito says:

          E conseguiste desviar o assunto.

          Programares em Linux tem zero relevancia com a questao de virus Mac vs windows relativo ao argumento da “base de utilizadores”.

    • 0mac says:

      OSX/CrescentCore
      OSX/Linker
      LoudMiner
      OSX/NewTab
      NetWire & Mokes
      Zoom
      CookieMiner
      Mac Auto Fixer
      Mshelper
      OSX/Shlayer
      OSX/MaMi
      Meltdown & Spectre
      OSX/Dok
      X-agent
      MacDownloader
      Fruitfly
      OSX/Pirrit
      KeRanger
      Safari-get

  2. Miguel Porto says:

    O último parágrafo é candidato ao Oscar de melhor actor do ano. E já ganhou!

    • Fixo says:

      O último parágrafo:
      “De qualquer modo, esta falha não representa qualquer problema maior aos utilizadores. É uma falha real, mas que não tem impacto direto nos utilizadores.”
      Está correto. O subtítulo: “Os dados do iPhone estão disponíveis aos atacantes” é que é enganador.

      Passo a explicar, começando por: “O problema é ainda maior quando a partilha é feita com os dados das redes Wi-Fi.” Se alguém for a minha casa com um iPhone, se eu quiser partilhar com ele a minha rede Wi-Fi não tenho que lhe dar a minha password da rede. Com o Wi-Fi e Bluetooh ligado nos dois equipamentos, no dele seleciona a minha rede, no meu aparece um pop-up a perguntar se que quero partilhar a minha rede com ele e se confirmar ele passa a aceder. Um “atacante” que estivesse à coca, ao alcance do Blootooth, com o seu computador ligado e o tal script ativo podia interceptar os hash’s entre os dois equipamentos e descobrir o respetivo endereço de e-mail – e nada mais do que isso.

      Quanto ao AirDrop, ao contrário do que muita gente continua a pensar de que é muito complexo transferir ficheiros entre equipamento Apple, é extremamente simples com o AirDrop. Faço isso constantemente entre iPhone/ iPad/ Mac, ambos com o Wi-Fi e Bluetooth ligados e depois já se terem reconhecido/emparelhado uma vez. Então qual era aqui o possível “ataque” segundo o autor so script. Vou no comboio e envio uma foto por AirDrop a um amigo ao meu ao lado – e calha o “atacante” também lá estar com o computador ligado e a correr o script – e apanha-me o n.º te telefone, nada mais do que isso.

      Por isso, que tem muito gosto nos posts que apontam as falhas do IOS e MacOS, convém moderar o entusiasmou e perceber primeiro primeiro, sendo certo que às vezes os posts são pouco esclarecedores. É que, como vêm alguém com um computador a correr um script, ao alcance do Bluetooth, no momento em que se dá a permissão de acesso à nossa rede Wi-Fi ou se usa o AirDropop, e pode obter o número de telefone ou o endereço de e-mail – não é propriamente um vírus ou um ataque remoto que de tal maneira que “Os dados do iPhone estão disponíveis ao atacante”.

      Mt obg pela vossa atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.