Quantcast
PplWare Mobile

Análise The Division (Playstation 4)

                                    
                                

Autor: Paulo Silva


  1. Hugo says:

    Comprar jogos em lojas tugas é pra esquecer.
    Uma key pra este jogo anda à volta de 38-40€.

  2. Katia says:

    Discordo com o “CONTRA: História desinteressante”, tem um historia muito interessante, cativante, a parte dos smartphones e dos Echos esta também muito bem conseguida, o voice acting está excelente. Segui a historias até a ultima missão e gostei imenso.

    O som é das melhores coisas deste jogo. O nível de detalhe é incrível. Por exemplo, quando usamos o proximity chat, se tiveres dentro de um tunnel a nossa voz ganha echo, ou reverberação dentro de espaços pequenos. Mais uma vez as conversas que ouvimos nos telemóveis, o voice acting, tudo excelente. Pontos muito fortes.

    Agora, o facto de as missões serem repetitivas isso concordo, mas penso que é algo relacionado com a parte de ser um RPG. E que pode ser alterado com novos conteúdos que ja foram prometidos.

    • Barros says:

      Não obstante da tua opinião e cada um tem uma, não posso deixar de exprimir o contrário nomeadamente num factor (entre tantos) O som do jogo deixa a desejar principalmente o som das armas onde o som de uma AK47 é extremamente parecido com o som de uma M4. Poderia ter sido dado mais atenção a esse pormenor.

  3. rui says:

    Ora vamos lá dar uma opinião como deve ser acerca disto. Vou começar por fazer uma pergunta: gostam de jogos ao estilo de borderlands? Um “rpg de tiros”? Então the division está na vossa praia. Sim, vão repetir missões várias vezes se quiserem subir de nível rapidamente e tentar conseguir bom loot (armas, roupa, etc.). Vão querer matar toda a gente que apanharem e virarem rogue, mas um conselho: quando o fizerem vão em grupo ou se forem sozinhos, façam-no apenas com grupos com pouca gente. O ganho é enorme enquanto rogue, mas as perdas são grandes também caso sejam mortos (se calhar até penso que podem superar os ganhos numa margem que não é assim tão pequena, o que faz com que não seja bom de o fazer). Este jogo é um RPG, ou seja, irá ter missões primárias e secundárias tudo misturado, o que fará a história confusa para alguns.
    Teve um downgrade gráfico? Sim, teve. É impedimento para comprar e jogar? Claro que não. E os jogos recentes não terão grande avanço graficamente pois nenhum jogo de pc pode superar a qualidade de uma consola de ultima geração ou então ninguém as compra (o downgrade gráfico deste jogo foi imposto pela malta que controla as consolas). Claro que quem tem um pc topo de gama que consegue correr este jogo em 4k (ou mesmo mais) terá um grafismo espetacular. Mas de qualquer forma, lembrem-se que o mostrado com grafismo melhor tinha muito CGI misturado (como todos os trailers).
    Vejo muita gente a reclamar por causa dos inimigos serem “esponjas de balas” (“bullet sponges”). Ora, se isto é um RPG, é perfeitamente normal isso acontecer. O objetivo é tentar conseguir armas melhores para matar os inimigos mais facilmente. Os únicos 2 males que vejo neste jogo é que foram anunciados 2 dlcs ainda antes de o jogo ser lançado, com coisas que já deviam existir na versão do jogo a sair para o público (aposto que assim vendem o jogo a 60 mocas e os dlcs a 40 cada um) e o pvp está muito fraco (com isto quero dizer que ainda tem muito mais para dar e evoluir. Espero que os da ubi façam alguma coisa de jeito finalmente pois até quero comprar o jogo para mim e jogar muito mais do que já joguei – conta emprestada para experimentar o jogo).
    E concordo com o 8/10. É uma nota adequada à diversão que tive neste jogo.

  4. Carlos Martins says:

    Também penso que a história não seja assim tão desinteressante, confesso que não me agarrou logo desde a primeira hora, mas a partir da segunda missão começou tudo a fazer sentido, as diferentes facções são muito interessantes tendo cada uma uma forma diferente de atuar.

    Acho que a única coisa que peca para já seja os inimigos serem praticamente todos iguais, e os “bosses” sempre esponjas de balas, sem ser necessário usar grandes táticas. Espero que isso mude agora com as Incursion.

    Admito que este jogo me agarrou desde a beta, e encostei o Destiny, onde já tinha mais de 800 horas de jogo, e que não tenho intenção de voltar tão cedo. A Bungie está a falhar e a Massive a aprender com erros deles. Em duas semanas já arranjaram mais que a Bungie em 2 anos.

  5. tiago says:

    Paulo Silva, vá lá, mais brio: “A ação desenrolasse em Nova York”? Escreve-se “A ação desenrola-se em Nova York”.

  6. TOTILMAN says:

    Foi jogo que não me seduziu

  7. Ricardo Ruivo (TcoDownLoad in-game) says:

    quem joga…. isto é fixe é jogar com tugas na equipa!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.