Investigadores quebraram a criptografia quântica “inquebrável”


Destaques PPLWARE

11 Respostas

  1. Jorge says:

    As finanças lá vão ter de renovar os sistemas informáticos outra vez e gastar mais uns milhões xD

  2. Jonas says:

    Estes gajos são finos, nun são ?

  3. _root says:

    Tudo é seguro até prova em contrário.

  4. pentestbox says:

    Conseguem quebrar a criptografia quântica, mas até hj eu não escutei nada falando de quebra do AES 256 bits, como pode?

    • Joao says:

      O AES 256 bits foi, de todos a concurso na altura, considerado aquele que menos margem de segurança tem. Dito isto, apenas governos e muito grandes empresas é que talvez tenham capacidade de o quebrar na prática, porque em teoria deve ser seguro por muitos anos… como pode ser isso de na pratica ser possível e em teoria não? Bom, na teoria 256 bits é muito… mas na pratica alguém quis estabelecer esses 256 bits de chave como máximo… porque não 2048 bits? Porque não 4096 bits? E não estou a confundir com chaves RSA/ DSA, estou mesmo a falar de um AES de “2048” bits ou um AES “4096” bits em vez de apenas 256 bits… poucos saberão dizer o porquê de terem limitado a apenas 256 bits… será que é mesmo seguro, ou é apenas seguro para a maioria dos possíveis atacantes… e é preciso lembrar que 256 bits é o tamanho da chave que protege o bloco da cifra, que tem apenas 128 bits… porquê apenas 128 bits? Porque não 512 bits ou 1024 bits?
      Provavelmente mencionarão os smart cards e tal… mas a mim cheira-me que a realidade é mais simples… porque com o padrão AES em uso por todo o lado, pelo menos os EUA, e provavelmente os outros países, e muito grandes empresas de defesa, conseguem interceptar as comunicações e descodifica-las… mesmo que andem para aí a chorar-se que não conseguem.

  5. TiagoDM says:

    Penso que, pelo menos em Portugal, nenhuma grande Instituição (e o estado tb conta) não utilize a tecnologia quântica … apenas nas universidades para estudo… como gerar qubits sem processador quântico?

  6. Pedro E. says:

    “Os investigadores descobriram que a integridade só poderá ser assegurada se as duas partes usarem uma fonte de fotões e não uma fonte tradicional de luz.”
    Esta página é uma anedota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.