PplWare Mobile

Stacer: Está na hora de saber se o seu Ubuntu voa ou não


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Fusion says:

    Não funcionou :/
    Fiz todos os passos que referem no artigo, mas o meu Ubuntu não voou, até abri a janela e dei espaço para ele voar mas ficou só na secretaria parado.

  2. lumia says:


    desenhado com o objetivo de monitorizar o desempenho

    Fusion…Onde é que a monitorização é sinónimo de voo!??

  3. AP says:

    UAU. Um artigo de Linux com imagens! Qualquer dia até dá para usar o computador sem ser por terminal… ná, ficar preso nos anos 60 é que é.

    • Nuno José Almeida says:

      Vê-se mesmo que não usas. Lá porque preferimos o terminar, não quer dizer não existe GUI. Quase sempre os passos que vês por terminal têm GUI mas por terminal é tão mais simples.

      • AP says:

        “por terminal é mais simples”… para ti que não fazes mais nada da vida senão brincar com computadores. Gostava de saber se dizes o mesmo à tua mãe ou aos teus avós.

        • Miguel Lima says:

          Para a mãe dele, ou qualquer mãe existem distribuições Linux muito fáceis de trabalhar e de executar tudo sem usar o terminal para nada…Mas disto só sabe quem experimenta!

          • Danilo says:

            Minha mãe sabe usar o terminal, é só explicar. Ensinei a ela 11 maneiras de instalar um programa no Linux, acredite ou não, ela adorou o terminal, ela diz que se acha “uma hacker” digitando comandos.
            Hahahaha

        • ToFerreira says:

          Há algo mais simples do que copy/paste de comandos?

          • AP says:

            Sim. Um clique num botão. Nem precisas de teclado, nem de saber fazer “copy” ou “paste” (explica lá essa ao teu avô e depois vem falar comigo.).

          • Junior says:

            Se uma pessoa não sabe o que é copy and paste não deveria está usando um computador.

        • Joaquim Alcobia says:

          “Gostava de saber se dizes o mesmo à tua mãe ou aos teus avós.”
          LOL, por acaso digo o mesmo à minha mãe. Precisei de lhe deixar um laptop para ela ir à net e… obviamente que meti linux mint, não ia meter windows, né? senão tinha de andar lá a arranjar/limpar aquilo pelo menos de 3 ou 4 vezes por ano!

          • AP says:

            Ai sim, qual é que foi o último comando de terminal que ensinaste à tua mãe? Ensinaste-a a fazer tar foi? Idiota.

          • Junior says:

            Linux tem muitas interfaces gráficas, muitas distros diferentes, muitas formas de instalar um app. Terminal é uma linguagem universal.
            É mais fácil fazer um tutorial com comandos que vai servir em qualquer distribuição do que ficar fazendo 30 artigos ensinando a mesma coisa, de uma só forma, em diferentes distribuições e interfaces gráficas. Tenha bom senso!

        • Ruy Acquaviva says:

          Mães, avós, crianças, leigos, qualquer um pode usar linux sem maior esforço do que teria em usar Windows o MacOS. Só os burros acham difícil, mas aí o problema não é do Linux.
          Existem inúmeros tutoriais ilustrados, vídeos e todo tipo de material altamente didático mostrando com fatos e comprovando a facilidade de uso do Linux.
          Quem ainda fala que é difícil ou que é ultrapassado das duas uma, ou age de má fé ou é burro mesmo.

          • Junior says:

            Basta a pessoa saber ler e pronto. Não há mistério algum.

            Essas pessoas implicam com terminal mas não reclamam quando tem problemas no Windows (por ex. com atualizações) e vai no site da Microsoft e se depara com tutorias para usar o prompt de comando (cmd).

    • Junior says:

      Linux é tão complicado, que pra instalar o Chrome no Mint eu tive que acessar o site do Chrome baixar um DEB. Quero ver agora como vai atualizar sozinho. Não tem flatpak nem snap com Chrome (e dependendo da distro, vai ter que usar o terminal pra instalar o suporte a flatpak e snap – pois nem todas trazem, ex. Manjaro). Se você tirar a opção de baixar pelo site oficial, fica preso apenas a métodos arcaicos de terminal, ppa e wget. E depois ainda falam que usar Linux Mint é simples.

      • Samuel says:

        Se atualiza o Warspear Online que é mmorpg claro que vai atualizar o punhe… do Chome desde que tenha acesso ao servidor dele.

      • Filipe Coelho says:

        É assim tão complicado usar Linux que teve de ir ao site do Chrome para o descarregar e instalar? E no Windows como faz? É mais fácil?
        O Chrome não tem flatpak nem snap porque é software proprietário. E não te preocupes, se o Chrome sabe como se atualizar no Windows, não vai ser no Linux que não vai saber.

        • Junior says:

          Preferiria que tivesse todos os aplicativos que eu uso na loja do Mint ao invés de sair caçando pela internet, se for assim, pra ser igual o Windows então eu uso Windows oras.
          Nem todo pacote DEB atualiza. É como um tarball, que quando lança uma versão nova, você TEORICAMENTE tem que recompilar.

          • Filipe Coelho says:

            Se preferia então use o Chromium, é em quase tudo igual e está disponível na loja.

          • Junior says:

            Chromium não traz os codecs proprietários, e também não tem DRM. Logo não posso usar Spotify e Netflix.
            Então prefiro o Chrome.

      • Amilcar Alho says:

        Instalas o Chromium.

      • Junior says:

        O cara usa meu mesmo nome… Que vergonha, vai ser burro assim lá na $#@&

        • Junior says:

          Garanto que sei mais do que você. A questão aqui é facilidade, rapidez e agilidade. Se o Linux quer ser mais fácil que o Windows, então tem que fazer melhor que o Windows. Pra começar com uma loja completa, pra bater de frente com a Microsoft. Um bom design de loja (tipo Deepin), uma loja que tenha acesso a Flatpak, Snaps e AppImages, tudo separado com categoria.
          Enquanto não tiver isso, continuará sendo penoso.

  4. ademirt says:

    saudades dos anos 60

  5. Daniel says:

    Só serve para Ubuntu, o que acontece se instalar em outra distro?
    Algumas funções são semelhantes ao CCleaner e Bleachbit.

    • Alfie says:

      Vá lá uma ajudinha: dá para distribuições baseadas no Debian: Ubuntu, Mint, Elementary OS, Zorin, etc., etc.. Dá uma olhadela no Distrowatch e tens a lista.

  6. CMatomic says:

    Para que complicar quando a appimage esta disponível ?

    É fazer o download da appimage deste programa e executar .

    https://github.com/oguzhaninan/Stacer/releases/download/v1.0.9/Stacer-x86_64.AppImage

    É necessário dar a permissão de excussão , ver exemplo
    https://youtu.be/XudiIKIN3Q8?t=55

    No Linux também se pode fazer as coisas a windows .

  7. CMatomic says:

    “Em seguida obtenham o pacote .deb do stacer usando o seguinte comando…

    https://jaist.dl.sourceforge.net/project/stacer/v1.0.9/stacer_1.0.9_amd64.deb
    num terminal para descarregar um ficheiro web para o disco tem que se utilizar o comando” wget ”
    ou seja ficaria assim:
    wget https://jaist.dl.sourceforge.net/project/stacer/v1.0.9/stacer_1.0.9_amd64.deb .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.