Sabe o que é port forwarding e qual a sua utilização?

Por Diogo Gaspar para Pplware.com

Destaques PPLWARE

11 Respostas

  1. KitKat says:

    Bom artigo. Venham mais destes!

  2. Miguel says:

    Por acaso uso em casa…
    tenho um tablet a servir como webserver,, um pc com um cliente de torrent e um tablet a servir de camera ip. 😀

  3. Joel Reis says:

    Simples e elucidativo. Na questão dos IP publico e privado podia ter sido usado o típico exemplo da morada única de um prédio e da porta de cada apartamento.

    • Pedro Pinto says:

      Tínhamos esse exemplo para dar, mas nem faz muito sentido. Qual a semelhança entre a porta de um apartamento e um IP privado?

      • Joel Reis says:

        Toda, por isso é que esse é um exemplo tipicamente usado e vocês o tinham “para dar”.
        O carteiro traz os “pacotes” segundo o endereço público (prédio), depois ao chegar ao “router”, é feita a distribuição (neste caso por ele) de acordo com o endereço privado (do apartamento). Tal como nos IPs privados, há vários apartamentos com o mesmo “endereço”, em prédios diferentes, não no mesmo e sempre um endereço público único (que neste caso “nunca” muda).

        • Pedro Pinto says:

          Parece-me mais um exemplo para aplicar aos portos. Neste caso não há portforwarding…há sim NAT (talvez PAT)
          Simplificando: Com PortForwarding o pacote é enviado para o endereço público que depois, baseado no PORTO, redirecciona para um IP Privado.

  4. Jonas Tadeu says:

    Muito bom artigo. Obrigado!

  5. Susana says:

    Excelente artigo, aproveito o mesmo para colocar uma questão.
    Já alguém conseguiu abrir portas num router da NOS?
    Já tentei em vários routers diferentes das NOS e sempre que vou testar indica sempre ter a porta fechada.

  6. Hugo says:

    Susana sim já consegui vários serviços (portas) na nos.

  7. Joao Brito says:

    Bom artigo, mas o port forwarding não serve apenas para routers e redes públicas. Por exemplo dentro de uma rede privada se quisermos aceder a uma máquina, mas essa máquina só aceita pedidos de uma máquina específica (máquina de salto), podemos criar uma ligação SSH para essa máquina de salto e depois criar um túnel (port forward) dessa máquina de salto para a tal máquina que queremos aceder e não temos acesso.

    Desta forma temos acesso pela máquina de salto, bastando aceder ao porto local e a máquina de salto encarrega-se de transferir o tráfego para a máquina de destino.

    Por exemplo, com um túnel SSH criado, podemos aceder a um porto remoto desta forma: http://127.0.0.1:4444 e todo o tráfego será redirecionado para a máquina de destino para o porto remoto configurado no túnel.

    No windows isto pode ser facilmente configurado utilizando o PuTTY.

    Bem haja e venham mais artigos destes… 🙂

  8. Redin says:

    Agora para ficar bem completo só falta mesmo a criação de uma VPN . Artigos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.