PplWare Mobile

Sabe o que é a tecnologia 802.3af (Power-over-Ethernet)?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. mp says:

    “…dados dois pares (1-2 e 2-6).” Enganaste-te, é o par 1-2 e 3-6.
    Bom Post.

  2. Paulo Brinca says:

    Muito útil mesmo, tenho em muitos equipamentos, que fazem parte do meu hotspot público.

    Utilizo equipamentos RouterBoard, com Mikrotik RouterOS. Do melhor que conheço para redes.

    Bom post.

  3. 2xtreme says:

    Também e usado em câmaras de vigilância.

    Onde trabalho usamos disso.

  4. Também conhecidos na Cisco por Power Injector’s.
    Bom post.

  5. GoGoBoy says:

    “Segundo a norma 802.3af, o equipamento que injecta a electricidade no cabo tem de fornecer uma corrente directa de 48V.”

    No Brasil, 48V se refere à tensão e não à correnta.

    abraços

    • souza says:

      GoGoBoy, aqui em Portugal também nos referimos a uma tensão eléctrica quando falamos de Volt [V].

      Terá sido com certeza um lapso do Pedro Pinto, embora seja comum por entre os leigos no assunto confundirem os termos tensão e corrente.

      Em relação ao tópico, bom texto! 🙂
      Mais um passo na descomplicação do hardware.

    • Rui Peixeiro says:

      Não é só no Brasil… em qualquer lado corrente é medida em Amperes e tensão em Volts (unidades SI).

      O erro foi na tradução de DC, direct current, que foi feita à letra, em vez de dizerem Corrente Continua.

      (The IEEE 802.3af-2003 PoE standard (ratified June, 2003) provides up to 15.4 W of DC power (minimum 44 V DC and 350 mA) to each device. Only 12.95 W is assured to be available at the powered device as some power is dissipated in the cable.)

      Apesar de desconhecer esta norma, já o tinha usado há uns 6 anos, para alimentar um hub. Na altura, como sabia que só eram usados 4 dos 8 cabos, usei dois dos livres e liguei-os ao transformador original do hub e na outra ponta um novo jack. Nunca me deu problemas e esteve assim pelo menos um ano!

  6. ajs says:

    Depois da recente aquisição de uma Nanostation, este tópico cai que nem uma luva!
    Obrigado Pplware!

  7. José C. Ferreira says:

    Apesar de tudo o que foi dito não está de todo errado.
    Se calhar mal formulado?

    Vejamos trocando corrente directa (aqui está um pequeno erro (talvez do termo usado em inglês ) por corrente contínua, e adicionando “com uma tensão de”

    Ficaria algo deste género:

    “…tem de fornecer uma corrente contínua com uma tensão de 48V”

    Já agora essa tensão é a mesma utilizada na linha telefónica 😉

    E cada vez mais os dispositivos tem de ser capazes de utilizar uma alimentação parasita, numa tentativa de reduzir o numero de cabos utilizados tal como de aumentar a eficiência energética dos produtos

  8. speedy says:

    ja tinha ouvido falar, e ja vi muitos sitios onde se usa disto, principalmente em hotspots. e ate que da muito jeito. nao sabia era do nome (802.3af), so o conhecia como PoE

    excelente post 😉

  9. TiagoKito says:

    Ainda hoje ouvi falar disto, na sua utilização nas câmaras IP… Não percebo é como é possível alimentar dispositivos que necessitam de alguma potência, com fios tão finos como os presentes nos cabos UTP…

    Bom post PP!

    Abraço

    • Rui Peixeiro says:

      São fios pequenos mas são 4, e ao transmitirem uma tensão maior, a corrente transportada pode ser inferior. Depois no dispositivo receptor a tensão é “transformada” para uma mais baixa, aumentado a corrente disponível.

      • speedy says:

        exacto. é electrotecnia basica. é transmitida uma tensao maior, com uma corrente mais baixa, e atraves de uma serie de resistencias,entre elas o proprio condutor(acho que aqui, até é so o proprio condutor), a tensao baixa e a corrente eleva.

        é um exemplo perfeito para a lei de Ohm (R=V/I ou V=RI, como quiserem)

  10. digitalanarchy says:

    é sem duvida muito prático, tendo em conta a sua utilização em sistemas voip assim como no posicionamento de aps em locais de complicado acesso. Tem o inconveniente de encarecer os disposivos.
    A diferença de preço entre um switch POE e um sem, desemcoraja muitos utilizadores.

  11. nfu says:

    O problema disto é que ficamos apenas com 10mbps no máximo para tráfego…

  12. kwimerA says:

    Útil para acess points e terminais onde não há tomadas por perto.
    Já agora podiam também falar de switch’s layer 2 e 3. Explicar quais as diferenças entre um switch layer 3 e um router.
    Fica a sugestão.

  13. Muito bom o material é de grande valia… parabens pelo seu trabalho.. valeu

  14. roberto \broetto says:

    Meus caros.
    Essa tecnologia tem mais de 40 anos.
    Agora os caras resolveram re-descobrir.
    Pelo amor de DEUS, é cilada bino.

  15. João says:

    Boa tarde, qual o POE indicado para telefones Gigabit IP com norma 802.3af, modo A ou modo B?

  16. Maria Isadora says:

    Primeiro ɗe tudo Eu gostaria dе ⅾizer excelente blog!
    Eu tinha umа pergunta rápida գue eս gostaria de pedir se você don ‘ t mente.
    Eᥙ еra interessados saber como você concentre-se e limpar sua mente аntes de escrevendo.
    Eu tеnho tinha problemas limpando mеu mente na obtenção de meu ideias lá fora.
    Еu faço ter prazer em escrevendo no entanto
    parece ѕer os primeiros 10 а 15 minutos são
    desperdiçado simplesmente tentando descobrir сomo ⅽomeçar.
    Ԛualquer ideias оu dicas? Obrigado !

    Também visite meu página :: algarve cidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.