PplWare Mobile

Json (JavaScript Object Notation) – O sucessor do XML


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Baltazar says:

    Já gerei um JSON de um XML e a ler o JSON lê muito mais rápido.

    JSON – 0,5 seg
    XML – 4 seg

    Só é a pena a aplicação que estou a usar para desenvolver (Flash Builder 4) ainda não ter suporte oficial para JSON. Já existe um código que faz isso mas comigo não funciona …

  2. la_marca says:

    Já utilizo há algum tempo, mas o xml continuará a ser usado, p.e webservices e afins.

  3. António Mendes says:

    Bom artigo, não sabia que o JSON podia ter “colecções”.
    Sim, já conhecia o JSON e até lhe achei piada. Como dito no artigo, é utilizado no twitter e foi ai a primeira vez que aprendi o que era JSON, ao fazer um cliente. A última vez que o utilizei foi a usar a API do Google Translate, já que as API’s do Google também usam o JSON. Acho que vi-o também no Grooveshark, e se assim for, a ver se faço um cliente.

  4. Nuno Gonçalves says:

    Formatem bem o JSON por amor de deus:

    {
    “menu”:{
    “id”:”pplware”,
    “value”:”100″,
    “popup”:{
    “menuitem”:[
    {
    “value”:”Linux”,
    “Mac”:”Windows”
    },
    {
    “value”:”Android”,
    “iOS”:”Windows”
    },
    {
    “value”:”redes”,
    “apps”:”tutoriais”
    }

    ]

    }

    }
    }

  5. Fábio Rocha says:

    Para mim o melhor no json é o parsing simples quer em JS quer em PHP.
    No entanto a estrutura XML é mais fácil de ser lida e desenhada.

  6. Nuno Gonçalves says:

    Mas pah uso mto JSON no meu trabalho e realmente e mto mais simples de perceber e trabalhar do que o XML, no entanto não considero um substituto ao XML.

  7. Guilherme de Sousa says:

    Não conhecia, mas parece realmente interessante. Da próxima vez que sentir necessidade de algo do
    genero ei de experimentar.

    Bom post!

    Cum

  8. MightyOne says:

    O titulo é algo sensacionalista, devia ter um ponto de interrogação no final, mas enfim.
    Mais fácil de ler? Não sei onde está a dificuldade em ler XML, embora como trabalho à muito tempo com XML posso estar a ser tendencioso. Substituto? Duvido muito até porque o XML já está muito batido e pelo que me parece é mais poderoso que o JSON.
    Mas enfim, como tudo na vida logo se verá.

    Cumps

    • Luís Marado says:

      Realmente o título poderia ser feito em forma de questão já que na minha opinião cada um tem o seu espaço.

    • Pedro Pinto says:

      @MightyOne
      A questão não é tu leres um xml…é a máquina. E segundo muito artigos cientifico que ja li, é bem mais rápido ler um formato em JSON que XML. Aqui está a (grande) diferença

      • Sergio says:

        Pedro, como deves saber quando surgiu o XML também foi muito debatido a questão da performance. A questão do XML é a standardização.
        Andou-se a bater por esta bandeira, para agora deitar-se tudo por terra?

        Ainda por cima é estranho. Porque em outras áreas a performance sempre foi mais critica e aos poucos o XML foi entrando, apesar de ainda não totalmente. E agora vem a área que na altura fomentou o XML dizer que preferem um formato especifico para uma área especifica

  9. El Kabong says:

    Um bom artigo, para dar a conhecer o JSON a quem ainda não conhece.

    Contudo (e peço desculpa se li demasiado na diagonal), as imagens utilizadas parecem-me vagamente familiares 😉

    Se estiver enganado corrijam-me, mas não seria porreiro adicionar uma referência ao site http://www.json.org ?

  10. Fábio says:

    Só o facto do JSON ter menos overhead em relação ao XML já é motivo suficiente para ser preferido em relação ao XML em aplicações web.

  11. José Romão says:

    json deriva do jfather 😛

    realmente é uma excelente alternativa ao xml… ver se começo a aplica-lo mais vezes nas aplicaçoes que desenvolvo

  12. Trabalho com JSON há 2 anos.

    Não consigo mais trabalhar com XML.

  13. João Zenha says:

    É a primeira vez que ouço falar desta aplicação, sinceramente.
    E para dizer a verdade, cativou-me!

    Vou começar a usar isto em futuros projectos, visto que melhora o desempenho!

    Uma pergunta simples, o XML costuma dar problemas, especialmente usado em websites, a nível de formatação de texto. Costuma dar problemas com ç e acentos e etc… Com este formato, haverá esse tipo de problemas ou também tem que ser definido como no XML?

    • Fábio says:

      Recentemente fiz um projecto em .NET e C# em que gravava os dados num ficheiro (em formato JSON) e bastava-me especificar a codificação como UTF8 que era correctamente lido na página web. Não tenho grande experiência com XML mas pelo que sei dá para especificar a codificação no “cabeçalho” do ficheiro xml, o que não acontece com JSON.

  14. Enfim says:

    JSON não é o substituto do XML…

    Substitui neste caso isolado. Porque queremos coisas diferentes, sim concordo, agora com a afirmação que substitui é a mesma coisa que dizer que o RONALDO substitui o Messi quando tem características diferentes.

    Quem é do tempo do SGML e viu nascer o XML, percebe bem…

    Sim existe um substituído do XML que para alem da simples declaração fornece algo mais… Google it.

    []

    • Pedro Martins says:

      Olá,

      Uso o JSON já há alguns anos e acho este artigo muito bem escrito. Porém, tenho de concordar com este comentário, já que o JSON poderá substituir o XML em algumas coisas (Ajax requests / responses), mas noutras não acredito que me parece.

      Cada coisa no seu lugar e há que tirar partido das vantagens de um formato em determinado contexto e utilizar outro formato e as respectivas vantagens noutro contexto.

      Para quem conhece, já imaginaram um ficheiro SAFT-PT em JSON? Não estou a ver… 😛

      Abraços e parabéns ao Blog!

  15. Henrique Crachat says:

    Isto parece uma mistura de CSS com XML :S, não conhecia, mas vou explorar.

  16. jedi says:

    algo ferramenta que ja venha com isto de origem e que se possa da uns toques?

  17. Luís Santos says:

    É bom conhecer novas ferramentas. Quanto tiver opurtunidade já exploro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.