PplWare Mobile

Como fazer um cabo cruzado (crossover) ?


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Filipe Silva says:

    Qual é o porque de em equipamentos iguais se usarem cabos cruzados?

  2. jr says:

    @ Filipe Silva
    Acho que vendo a fig. com as normas se percebe. TX+ liga a Rx+, TX- liga a RX- ,etc. Dum lado transmite o sinal e do outro recebe.

  3. freedy says:

    Bom tutorial! Certamente que será util para muita gente.

  4. Preto says:

    @Filipe Silva
    Amigo porque recebem e enviam dados pelos mesmos “sítios”, são oito filamentos dentro do cabo, o 1, 2 enviam dados o 3 e 6 recebem dados por isso havia conflito, assim cruza-se para sair pelo 1,2 e entrar na outra maquina no 3 e 6 e vice-versa. Espero ter ajudado.

  5. Pedro says:

    já ninguem faz cabos crossover por causa do MDI-X..mas seja como for..como é obvio hj em dia quando se faz um crossover é para gigabit e nao para 10/100…

    tá a perder qualidade isto..

    errr
    tenho dito!

  6. Pedro says:

    PS:

    (troca dos pares 1-2 com os pares 3-6).

    mais valia dizer: 1 com o 3 e o 2 com o 6 🙂 mto mais fácil de memorizar.

    Por norma a regra diz que em equipamentos iguais usamos um cabo crossover e em equipamentos diferentes usamos um cabo directo.

    Não entendi isto..lol então devo usar um cabo crossover quando ligo de um switch a um switch? ou de um router a um router? 🙂 hehe

  7. Btxeize says:

    E que tal comprar um cabo? É caro? Ou wireless, não é melhor?

    Hum…

  8. Pedro says:

    os cabos até são caros..e obviamente não arranjas cabos de todos os tamanhos, mto menos compras um cabo feito para passar numa calha .. 🙂

  9. carlos rajas says:

    muito útil sim. Beleza de post. PArabens.

    OFF TOPIC :
    pessoal, alguem poderia me indicar um programa (varios) para poder achar o que eu tenho nos meus cd’s ? EXplico. Tenho centenas de cd’s de programas e dados e música e SO’s, mas não coloquei etiqueta neles,só a data. Agora quando preciso de alguma coisa tenho que procurar um por um. Sei que tem muitos e preciso testar todos. POde ser pago ou não. O VItor acho que ja postou sobre isso varias vezes. Já testei alguns mas eram muito intrusivos depois de instalados. Agradeço muito a todos por aí. 😉

  10. Pedro Pinto says:

    @Pedro, quando li a tua primeira mensagem fiquei com a sensação que estavas a mandar bits para o ar….Na segunda intervenção andas-te a apanhar os bits que mandas-te na primeira mensagem….e mais não digo…

    Quando fizeres intervenções pelo menos pensa duas vezes no que vais escrever, senão “perdes qualidade” no que escreves

    Abraço

  11. ApacheDraco says:

    Há ppl que só sabe criticar, criticar é fácil, o dificil é fazer, tenho dito…

  12. BESTCINE says:

    Grande, grande Dica!!!! Parabéns…

    Abraço,

    ———

    http://www.best-cine.com/

  13. Diogo R says:

    isto vai ajudar uns colegas meus que já queimaram alguns cabos para tentar jogar CS XD

    obrigado pelo post 🙂

  14. Bom post Pinto. Há gente que não tem gosto em fazer nada 🙂

  15. Pirotas says:

    Acho que nem toda a gente vive na vanguarda da informática, ou será a maioria das pessoa!!! hum… tenho dúvidas.

    Não interessa, é uma dica útil mais que não seja pelo facto de nem todos termos uma rede montada em casa, quer seja em calha ou dentro das paredes, também é verdade que “nós pobres” poderemos não ter net wireless em casa. Assim, a dica pode ajudar algumas pessoas que queiram ligar duas máquinas. É ou não útil?

  16. Hugo Cura says:

    Bom artigo. Pena é o preço dos alicates de cravar que, para uso pontual, me levou a pedir um emprestado em vez de o comprar, na altura que precisei…

  17. Hugo Cura says:

    Ah, e aos que falam em wireless… Não há nada como as ligações físicas directas.

  18. West says:

    Actualmente quase todos os equipamentos teem uma característica que dá pelo nome de auto-mdi/mdi-x. É uma funcionalidade que permite reconhecer que tipo de cabo é e inverter os pares trançados.

  19. Nome says:

    este artigo nao está grande coisa.
    Nao entendi em que casos se usa o directo e em que casos se usa o crossover.

    Eu uso qualquer um. e nunca tive dramas

  20. carlos rajas says:

    concordo, devemos dar valor às dicas dos participantes. Aquele que acha que ja sabe ou aprendeu tudo, não sabe é de nada e não passa de um jegue… na boa!
    😉

    _________________________________
    http://burnurl.com/opi7G0
    cool stuff

  21. Primax says:

    “Peçam a um engenheiro informático ou de telecomunicações para fazerem um cabo cruzado.”

    Por experiência própria, podem-se admirar com o resultado…

  22. Primax says:

    PS: bom post!

  23. Hugo Cura says:

    @ Primax: eu não ando a estudar para engenheiro electrotécnico para fazer cabos cruzados, se é que me entendes 😉

  24. Nuno Amaral says:

    Esta dica pode dar jeito.

    ——-
    http://www.cidadeviseu.com

  25. Hugo Cura says:

    @ Nome, para quem não tem hardware que faz a comutação automática de pares e pretende ligar 2 PC’s sem switch (ou router), é necessário fazê-lo.

  26. Pedro says:

    estava a escrever um bom comentário mas desisti quando vi algumas das criticas que fizeram aos meus comentarios..realmente ve-se que nao sabem a diferença entre um crossover 10/100 e um crossover gigabit.

  27. R00KIE says:

    @Pedro
    Quando não sabes o que estás a dizer vale mais estares calado. Para tua informação a detecção automática do tipo de cabo (straight ou crossover) e respectiva configuração adequada apareceu com as placas gigabit e só depois o equipamento activo que suporta apenas 10/100 foi incorporando isso também porque simplifica a vida ao utilizador. O tipo de cabo a utilizar devia ser escolhido de acordo com o que os manuais de cada equipamento aconselhavam.

  28. Eri says:

    Bom, nas placas de rede gigabit não é mais necessário fazer cabos cross pq elas fazem a conversão automática, assim como 99% dos Hub/Switch fazem.
    Quanto a qualidade da transferência nunca fiz testes.

    Mas, para ligar dois micros diretamente, com placas de rede 10/100 é necessário um cabo cross!

  29. Rui Oliveira says:

    @Pedro
    Queres que te diga o que fizeste mal?
    1º Para já a atitude de eu é que sei e desprezares o conhecimentos dos outros fica-te mal

    2º”tá a perder qualidade isto..” Níos damos informação técnica e interessante aos utilizadores e dizes que estamos a perder qualidade? Desculpa mas não passa de mero comentário destrutivo.

  30. Pedro Pinto says:

    @TODOS
    Esta pequena dica que aqui deixei hoje é para as pessoas que não têm conhecimentos para fazer um cabo que em muitas circunstâncias pode dar muito jeito. Lembro-me aqui à 10 anos atrás quando comecei a ver umas coisas de informática e no dia em que consegui ligar 2 pc’s por cabo paralelo …. Grande aventura !!!! Senti-me realizado….Por isso antes de fazerem críticas pensam primeiro naqueles que não sabem e que nunca tiveram a possibilidade de experimentar….e já agora usem o vosso conhecimento para ajudar quem precisa…que é o que eu faço…
    Depois, explicar pessoalmente como se faz um cabo é bem mais simples do que escrever como fazê-lo.
    Bom fim de semana a todos !!!!!

  31. Vítor M. says:

    Comprar cabos já prontos não é solução se o problema inclui barreiras arquitectónicas.

    É um excelente post sim senhor pois quantas vezes não é necessário fazer cabos para ligar equipamentos com placas 10/100 distantes umas das outras.

    O que se tem visto é as máquinas industriais necessitarem de cabos para o controlo remoto.

  32. CapitaoLuso says:

    @ carlos rajas

    OFF-TOPIC
    Em relação aos programas para armazenar o conteúdo dos CD/DVD existem vários. Eu uma vez andei a pesquisar e testei vários. Um dos factores que eu apontei como forma de os distinguir era a sua capacidade de exportação de dados para outros tipos (HTML, MDB, Excel, CSV, etc) e criação de reports (PDF, ou que desse para imprimir de forma organizada). Estas funcionalidade neste tipo de programas são muito importantes já que podemos fazer uma base de dados (caso exporte para MDB – Access ou DBF – Dbase, ou outro motor), podemos enviar a nossa lista em TXT, Excel ou PDF como report organizado para os nossos amigos ou por email e ainda colocar na internet na forma de HTML. As possibilidades são muitas.

    Os que aconselho e testados por mim estão por ordem de preferência a seguir:

    WhereIsIt (Bom suporte para exportação de dados e criação de “Reports” para mim o melhor)
    http://www.whereisit-soft.com

    cdTree (Mais valias: bom suporte a exportar dados para HTML, Excel, etc. Um dos melhores até encontrar o WhereIsIt. Pena é a sua interface)
    http://www.vbknowledgesolutions.com

    Advanced Disk Catalog
    http://www.disk-catalog.com

    Disk Explorer Professional
    http://www.tjelinek.com/main.php?setLng=EN

    WinCatalog
    http://www.wincatalog.com

    CD Storage Master
    http://www.cdstorager.com

    CD Collection
    http://www.nicomsoft.com/cdc

    Media Catalog Studio
    http://www.maniactools.com

    CD Catalog Expert
    http://www.zero2000.com

    A maior parte dos que pesquisei, foram estes, são quase todos programas pagos, no entanto existem ainda muito mais soluções gratuitas de boa qualidade. Para isso poderá fazer uma pesquisa no google por “cd file catalog” ou “file catalog” ou ainda no motor de pesquisa se software como por exemplo o http://www.softpedia.com/ pesquisando por “Catalog” onde irão aparecer algumas soluções gratuitas.
    Espero ter ajudado.

    @ Vítor M.
    Como este utilizador já referiu, era de todo interessante fazer um artigo-teste a vários programas deste tipo. Pois como eu existe muitas pessoas que ao longo do tempo armazenam várias centenas de GB de informação nos discos rígidos que a determinada altura queremos pesquisar um programa ou documento já “esquecido” e se não estiver catalogado/organizado é como procurar uma agulha num palheiro… 🙂

  33. DarkGhost says:

    @Pedro: “Não entendi isto..lol então devo usar um cabo crossover quando ligo de um switch a um switch? ou de um router a um router?”…
    Eu explico-te face a tanta admiração amigo…
    Por dois equipamentos iguais, entende-se com as mesmas funcionalidades. Um router trabalha ao nível da camada de rede do modelo OSI, logo a nível de funcionalidades trabalha com ip/subnet mask/gateway… logo sim… para ligar router a router é um cabo crossover que deve ser utilizado… um switch trabalha ao nível da camada Data Link do modelo OSI, logo como deves saber trabalha com MAC Addresses… por isso um router e um switch têm funcionalidades diferentes, por conseguinte utiliza-se um cabo straiht through…
    Mais te informo que a maneira correcta de se ligar um pc a um router doméstico, ao contrário do que muita gente pensa, é com cabo crossover… no entanto é muito comum utilizar-se o straight through porque o router faz auto-negociation (MDI-X). Mas experimenta ligar um router mais antigo (um verdadeiro router – não um router doméstico, que na realidade é um router/switch) que não possua MDI-X que comprovas o que digo.

    Desculpa a exaustão, mas quis certificar-me de que aprendeste algo hoje. É que fiquei com a impressão que aprendeste um palavra nova numa revista qualquer e quiseste-te juntar à conversa de bar sem realmente saberes do que falas.

    Sou engenheiro informático e bem antes de sequer pensar em o ser, já fazia este tipo de cabos para grandes jogatanas de cs mano-a-mano, e tudo graças a posts como estes, por isso não menosprezem a qualidade deste tipo de artigos. Se não o sabem, é sempre bom aprender algo novo, se acham que já sabem não se ponham com conversa de engate (acabamos de ver o resultado), se têm a certeza que já o sabem então enriqueçam os artigos com os vossos comentários.

  34. Pedro Pinto says:

    @DarkGhost

    Subescrevo o que acabas-te de escrever.

    Apenas acrescento que poderíamos acrescentar aqui muita coisa neste post como por exemplo, crosstalk, MDI, MDI-X, o porque dos fios interlaçados, o porque de 100 m para um cabo, o porque da blindagem, o porque de cravar assim os fios,explicar modelo OSI, explicar as 7 camadas do modelo OSI, etc etc etc
    No entanto pretende-se simplificar a coisa…e ensinar o básico por agora é isto pode ser que em próximos posts venham outras coisas…. Mandem IDEIAS 😀

  35. Vítor M. says:

    CapitaoLuso sim é verdade. Não queres fazer as honras à casa e escrever esse post 😉

    Pois parece que já levas algum avanço face à excelente relação que apresentaste.

  36. R00KIE says:

    @Pedro Pinto
    É boa ideia mas dá pano para mangas como deduzo que saibas pois falas em coisas que com que ninguém se preocupa normalmente (como por exemplo os cabos serem cravados como são, essa não sei a explicação 😛 )

    @Vítor M., CapitaoLuso
    Muito boa ideia, já há muito tempo eu comecei a usar o offline cd browser para catalogar os cds e dvds que tenho com coisas que fui tirando da net e com trabalhos, mas já não tem actualizações há muito tempo. Se possível a comparação deveria incluir programas multi-plataforma (visto que cada vez mais se começa a usar linux e mac e or artigos que vão aparecendo aqui demonstram isso).
    Não é necessário que os programas guardem muita informação, apenas a estrutura de directorias e os ficheiros em cada directoria chega (assim como uma forma fácil de procurar o que queremos, seja pastas/directorias ou ficheiros).

  37. CapitaoLuso says:

    @ Vitor M.
    Assim o farei. Será um prazer.

  38. Martins says:

    Boa tarde.
    Acho que é sempre importante partilhar a informação.
    Se detectarmos erros, devemos corrigir. Quem não sabe, aprende. Quem sabe que partilhe mais alguma coisa se quiser. Só não acho bem estar a deitar abaixo quem muito faz em partilhar o que sabe.
    Parabêns ao Pedro Pinto. Eu aprendi alguma coisa.

  39. Miguel Guerra says:

    Para quem ficou com dúvidas, um cabo croossover, deve ser usado entre aparelhos que trabalhem a nível de IP. Por exemplo entre um PC e um router ou entre 2 PC’s. Um cabo straight deve ser usado quando um dos aparelhos não trabalhe a nível de IP. Por exemplo exemplo entre um PC e um Switch.

    Nota: Embora um switch tenha IP, este serve apenas para administração do mesmo.

    Quanto ao artigo, é util sim senhor! Muitas temos de fazer os cabos.

  40. UKN says:

    Excelente. Por acaso tenho vários cabos feitos por amigos com várias medidas.

  41. Tenente says:

    @Pedro Pinto

    Podias ter lembrado que a aventura do cabo pararalelo incluía o saudoso Laplink e conseguíamos atingir a extraordinária velocidade de 200Kbs (pelo menos comigo) 😉

    Sobre o “poderíamos acrescentar … crosstalk, MDI, MDI-X, …” também acrescento métodos de codificação, atenuação, jitters, etc. Basta dizer que um curso básico de redes tem quilos de papel (ou palha) e tem de se saber tudo. (CCNA).

  42. LoboSILVA says:

    usa-se um cruzado de pc para pc direto sem usar um modem.. com se diZ por aki .. ponto-a-ponto
    usa-se um cabo direto para fazer ligação do PC para um modem um hub ou outro periferico.
    como um amigo falou acima…
    dispositivos iguais.. ex. pc a pc = cabo cruzado
    dispositivos diferentes.. ex. pc a hub ou modem = cabo direto
    se errei algo ajudem-me

  43. carlos rajas says:

    @Capitão Luso, eu já estava preocupado e até pensei que não foi um bom momento perguntar sobre o catalogo quando aparece você com esta aula de cooperação e prestação de servoç, mais do que completo. muitíssimo obrigado e claro que o Vitor não deixaria passar o convite pois percebeu a sua competência…muito obrigado 😉

    http://www.delaorden.wordpress.com

  44. carlos rajas says:

    ops..quis dizer “…prestação de serviço…”

  45. Barros says:

    @ Pedro Pinto – Estiveste do melhor! 🙂 São artigos como este que fazem “perder o medo” de evoluir na informática! Sem ser necessário consultar manuais… que ninguém lê! Tipo o faça você mesmo!

    @ Pedro – Estiveste do pior! Sabes como classifico os gajos que pensam que são inteligentes e alem de terem o rei na barriga pressupõem que toda a gente sabe o básico/desconhecido? Broncos!! Tira daí as tuas brilhantes conclusões!!!

  46. Iv@n says:

    Perguntei um dia, quando pequeno ainda, para Papai:- Que são esses sinais nesse papel? Tive a resposta:- São as letras que formam as palavras, meu filho. Quando aprender a lê-los vai entender muita coisa e poderá até ensinar àquele que não sabe.

    Abraço

    Iv@n

  47. BlinZk says:

    É um bom post!
    Embora existam imensos tutoriais idênticos na internet.
    Mas confesso que quando uma vez precisei, há alguns anos atrás, nunca encontrei nada em português. Por isso… é um bom e util post na mesma.
    Quando mais não seja, como cultura geral (informática), pois a maioria das pessoas ao comprar um cabo numa grande superficie, leva o que calhar e nem sabe se vai dar para o que pretende.
    Hoje já é comum ver cabos crossover em qualquer loja de informática, ou nas grandes superficies… e eu até prefiro cabos de fábrica, do que feitos à mão, pois geralmente são soldados (o plastico) e não se soltam da ficha, como por vezes acontece com os feitos à mão.
    Mas o problema… é que encontramos cabos straigh-trhough (os chamados “normais”) de várias medidas… 2, 5, 10, 15, 20 metros… o que se quiser.
    Mas os crossover, geralmente existe pouca variedade, pelo que geralmente para cabos mais longos, tem que se fazer à mão!

    Em relação a estarmos numa geração “wireless”…
    Tenho Netcabo a 18Mb… e com o wireless não estava a conseguir mais do que 8-9Mb de velocidade e estava somente a 2 metros sem obstáculos. Então comprei um cabo de 10 metros (para contornar moveis e paredes) e… já consigo uns 15-16Mb de velocidade!
    Ainda vale mais a pena usar cabo…. mas um BOM cabo!! 😛

  48. Lápis Azul says:

    Simples e eficaz. Bom post amigo PP.

    Embora o wi-fi esteja na moda, e em muitos casos é a única solução, um belo cabo cruzado (ou não) ainda é muito mais seguro! 😉

    E não há nada mais gratificante do que fazermos algo com as nossas próprias mãos e ver a funcionar! Nem que seja um simples(?) cabo cruzado…
    Essa teoria de “não vale a pena, pois comprar um já feito é melhor” é muito redutora e não ajuda em nada o cérebro a desenvolver-se! Como já foi referido, nem que se seja apenas para puro conhecimento, pois o saber não ocupa lugar.
    Noto que há por aqui gente que deveria ter brincado com LEGOs quando era garoto…

  49. João Rocha says:

    As vezes podemos precisar de um cabo cross-over com dimensões que não existe no mercado á venda, por exemplo um cabo com uma extensão superior a 10 metros, nesse caso temos de conhecer qual a sua estrutura e pegar no alicate e fazer (isto para responder a quem disse “e que tal comprar o cabo?” 🙂

  50. Miguel Guerra says:

    @LoboSILVA

    Não é bem como disseste. Para ligar um PC a um router (aparelhos diferentes), usa-se um crossover. Nos routers “caseiros” pode-se ligar o router ao PC por um cabo directo porque esses routers (caseiros) têm um switch icorporado.
    Mas numa ligação de um router normal a um PC usa-se o crossover por serem aparelhos que trabalham ambos a nível de IP.

  51. Andrius says:

    Eu acho que hoje em dia o hardware já faz a conversão pa cabo cruzado ou não quando necessário…

  52. Rodrigo says:

    Bom pode ter sido sorte mas a pouco tempo consegui fazer ligação de dois PCs usando um cabo-direto
    ambas as maquinas estavam rodando WinXP Pro com TODAS as atualizações em dia.
    Não sei se isso se deu ao fato do sistema gerenciar as conexões ou se foi o hardware que deu uma ajudinha.

    Mas já tive inumeros problemas ao tentar ligar dois pc´s por cabo direto como já foi dito acima pelo Andrius o hardware choje deve estar se responsabilizando pela conversão da entrada e saida de dados.

  53. Ei Pedro.
    Parabéns pelo seu trabalho.
    Decidi escrever depois que vi a polêmica criada pela sua postagem e as críticas injustas, talvez invejosas de alguns participantes desta comunidade.
    Seu trabalho está perfeito, didaticamente extraordinário e de grande valor para quem precisa deste serviço.
    Hoje corre o mundo, e eu, macaco velho nesta profissão, aqui no Brasil, pude aproveitar de sua informação, para me lembrar da posição dos fios, que já havia esquecido.
    Brilhante seu trabalho.
    De grande utilidade.
    Parabéns

  54. @paulo says:

    Porreiro tirou-me as dúvidas para poder ligar os meus dois portáteis sem precisar de comprar um hub.

    Obrigado e que Deus te conserve.

  55. jouber says:

    Gostaria de saber se este cabo cruzado serve pra usar no xbox para conexão com pc?
    valeu

  56. tuga says:

    o switch puro trabalha por mac adress e nao por ip! e nao, nao e um hub!

  57. Alexandre Garcia says:

    São tutoriais muito bacana e ficarão para sempre na formação de muitos de nós.

  58. Tiago says:

    Broken link no processo de crimpagem 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.