Quantcast
PplWare Mobile

Tags: pulmão

Gripe induz a proliferação de “células gustativas” no pulmão

Nós, seres humanos, dependemos dos nossos sentidos para sobreviver. Inicialmente, Aristóteles definiu cinco sistemas sensoriais: a visão, a audição, o tato, o olfato e o paladar. Mas, na verdade, dependendo do ponto de vista, podem existir muitos mais.

O nosso corpo obtém este tipo de informações através de recetores celulares específicos que, normalmente, estão localizadas em zonas específicas. Mas e se estas células sensoriais estivessem em zonas onde não é suposto? Podem os nossos pulmões ter “células gustativas”?

Gripe induz a proliferação de “células gustativas” no pulmão


Inteligência Artificial da Google provou ser muito precisa a diagnosticar cancro do pulmão

Big data, Inteligência Artificial e aprendizagem automática. Decore estes conceitos porque serão os maiores aliados do ser humano daqui para o futuro. Assim, quando atualmente se desafia a Inteligência artificial a diagnosticar cancro, esta pode obter resultados mais precisos que os exames radiologistas preventivos convencionais. Segundo a Google, os primeiros resultados da IA ​​que desenvolveu para detetar cancro de pulmão são “encorajadores”.

O cancro do pulmão resulta em mais de 1,7 milhões de mortes por ano. Quer isto dizer que esta doença é a mais letal de todos os cancros em todo o mundo.

Imagem Inteligência Artificial da Google no combate ao cancro do pulmão


Cuba anuncia vacina para cancro do pulmão

Especialistas cubanos garantem que a vacina terapêutica aumenta a esperança de vida em doentes terminais. A Sociedade Portuguesa de Pneumologia reage com cautela ao anúncio.

Imagem de pulmão com e sem cancro. Vacina pode ser salvação,