Quantcast
PplWare Mobile

Tags: Long March-5

China tem um plano para defender a Terra de um “Armageddon”

Apesar de haver milhões de asteroides “perto” da Terra, a verdade é que o nosso planeta tem tido sorte, pelo menos desde há uns milhões de anos para cá. Contudo, há um asteroide que desafia a imaginação dos investigadores e especialistas neste tipo de fenómenos, o Bennu. Espera-se que esta rocha massiva chegue a 7,5 milhões de quilómetros da órbita da Terra. Este é um asteroide ativo, e que tem hipótese, remota, de atingir a Terra.

Uma colisão entre a Terra e este asteroide resultaria num evento que poderia ser apelidado de Armageddon, ou a destruição de todas as formas de vida do planeta. Mas a China diz ter já um plano que nos salvará!

Imagem foguetão Longa Marcha 5 da China


Destroços do foguetão chinês caíram no oceano Índico (Maldivas)

Tal como tínhamos vindo a informar, um foguetão chinês iria reentrar na Terra de forma descontrolada. As possibilidades de locais onde os destroços poderiam cair eram muitos, mas felizmente o foguetão chinês não caiu em nenhuma zona urbana.

De acordo com a agência espacial da China, os destroços do foguetão chinês caíram no oceano Índico (perto das Maldivas).

Destroços do foguetão chinês caíram no oceano Índico (Maldivas)


NASA deixa recado à China, para partilharem os dados obtidos durante missão lunar

A China lançou ontem com êxito a sua sonda espacial Chang’e-5. Esta nave tem como finalidade a recolha de material da superfície lunar e regressar à Terra com o que foi obtido. É de realçar que esta é a primeira missão do género desde os anos 1970. Apesar da NASA nessa altura ter feito também várias recolhas, agora é a vez da China trazer solo lunar para o estudar.

Nesse sentido, a NASA afirmou numa declaração que tem expectativas que a China partilhe os dados obtidos durante a missão lunar do rover Chang’e.

Imagem do foguetão da China que leva a sonda sonda espacial Chang'e-5 à Lua


China quer chegar a Marte em 2020 e lança novo foguetão de testes

A exploração espacial está ao rubro e não há agência que queira ficar de fora da corrida a Marte. Pela terceira vez, a China testa o lançamento de um dos mais potentes foguetões de carga do mundo, o Long March-5.

Será com resultados positivos destes testes que o país pretende enviar a sua primeira sonda para o Planeta Vermelho.

China quer chegar a Marte em 2020 e lança novo foguetão de testes