Quantcast
PplWare Mobile

Anomos – BitTorrent Anónimo

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Francisco Aragão


  1. n0stra says:

    E eu que pensava que os grafos so serviam para me chatear a cabeça nas aulas de matemática discreta!!! 😀 😀 😀

    Afinal também servem para algo útil 😀

  2. Shogun says:

    Hmm…Gostei da arquitectura parece-me bastante interessante.

    @Offtopic:

    Mais uma vez venho fazer uma sugestão apenas por capricho talvez mas porque acho que também seria bastante interessante.Qual seria a possibilidade de apresentar uma versão em inglês de cada artigo? Não digo que se traduza todos os artigos antigos mas começar a partir de agora.Espero que aceitem como uma sugestão construtiva.Abraço.

    • Francisco Aragão says:

      Sim, também concordo ia nos dar bastante projecção internacional, mas também mais trabalho.

      Cumprimentos

    • UKN says:

      Para quê !?

      É que se é para oferecer concorrência aos 300.000 blogs em inglês semelhantes ao pplware que já existem …

      Só ia aumentar a carga de trabalhos aos que o fazem para resultados mínimos correndo o risco de se perder no meio da medianez …

      Temos aqui um dos melhores, senão o melhor (pelo menos é o unico que frequento, embora conheça mais alguns “de vista”) blog de tecnologia português …

      • Shogun says:

        A intenção n é concorrer é porque imagina que tens um amigo que n é portugues, o q no meu caso é muito comum e gostavas de lhe mostrar o blog, explicame como vai ele seguir o blog se esta em portugues? Google translator.Até porque digamos que me sinto mais confortavel a ler ingles do que alguns artigos luso-brasileiros que as vezes aparecem.

        • Francisco Aragão says:

          Para isso o google translate ajuda… a tradução nem é má.

          Cumprimentos

        • João Ferreira says:

          Em relação a isso faz assim instalas o FireFox sacas o Ubiquity depois basta seleccionares o texto ctrl + espaço e escreves Trans This to [Lingua que queres] não é tão simples? dás enter depois voltas a seleccionar e fazes ctrl + espaço e escreves Mail To ….. E pronto até imagem envia

  3. Nuno Barros says:

    Algo a experimentar! (Ah, primeiro post ^^)

  4. Gota says:

    Interessante… Isso quer dizer que a lei dos três avisos passa à história?

    Existem alguns sites que disponibilizam os torrents em SSL. Isso significa que posso usar o Utorrent, por exemplo, e estar anónimo? O que isso afecta a segurança ou o anonimato? Alguém me pode explicar?

    obrigado.

    • Alex says:

      Se tiveres uma ligação SSL significa que a mesma esta encriptada com uma chave.

      Basicamente o protocolo SSL provê a privacidade e a integridade de dados entre duas aplicações que estejam se comunicando pela Internet. Isto ocorre através da autenticação das partes envolvidas e da criptografia dos dados transmitidos entre as partes. Esse protocolo ajuda a prevenir que intermediários entre as duas pontas da comunicação tenham acesso indevido ou falsifiquem os dados sendo transmitidos.

      Fonte Wikipedia.

      Se algum meter-se no meio da ligação isso vai provocar um erro no protocolo. Caso o software de torrent detectar este erro (alguém se meteu no meio) pode parar de fazer o download ou tentar “criar” uma rota alternativa.

  5. Gota says:

    PS: Para linux é tão pequenino… E para Windows… PUMBA! 14mb… LOL

  6. Bit&Byte says:

    Mas afinal, seja como for, não acaba por ficar tudo gravado no tracker????

  7. K A I S A R says:

    entao e a “performance” deste é tao boa como a do utorrent?

    • Alex says:

      A performance pode diminuir um bocado. Depende do algoritmo de encriptação, mas o SSL é rápido. Única coisa que vai mudar é que tens mais uma camada entre camada de aplicação e TCP. Sera preciso enviar mais dados.

  8. Russo says:

    Desculpem lá a minha ignorância, mas não percebo a diferença entre utilizar este novo software, ou utilizar por exemplo o deluge com a opção de encryption activada.
    Mas mesmo assim parece interessante

    • JoniD says:

      Pelo que percebi, quando utilizas este cliente, ao descarregares uma parte de um ficheiro de um utilizador, não vais descarregar dessa pessoa directamente. Cada pacote vai ser encaminhado para outros utilizadores intermediários até chegar a ti. Esses nós intermediários apenas confirmam que os vizinhos participam na rede, não determinando dessa forma que os seus vizinhos estão a partilhar informação ou até mesmo o que está a ser partilhado. Mas claro que isto é tudo muito bonito apenas entre utilizadores do Anomos. Pode ser que isto seja um inicio de uma espécie de standardização alargada aos já conhecidos clientes de bittorrent e aí sim, será mesmo uma metodologia viável na minha opinião.

  9. EacHTimE says:

    Se não usar toda a gente este Anomos não serve de muito eu usar pois não?

  10. Francisco Aragão says:

    Ainda está em versão Beta, e ainda não há nenhum tracker público, mas em breve de certeza que irá existir.

    Cumprimentos

  11. kim says:

    Olá pessoal quanto á performance

  12. 3biz says:

    Nao entendo, porque nao passa a ser obrigatorio ou pelo menos default ter a encriptacao ligada no bittorrent normal? Isso ja protegia os dados que andam pelos peers. E faz parte de praticamente todos os clientes de torrent. Depois disso https nos trackers e está andar de mota.

  13. ls says:

    Os pacotes ao serem reencaminhados por outras pessoas até chegar até nós, não vai aumentar a quantidade de tráfego que os outros descarregam e enviam?

    • JoniD says:

      De certa forma vai, mas isso é um preço a pagar pela privacidade. O tráfego terá de ser distribuído de forma equilibrada pelos vizinhos de forma a não exceder os limites aceitáveis de utilização de largura de banda dos utilizadores. Por isso, penso que o desempenho da rede só deverá crescer à medida que mais utilizadores forem aderindo a este cliente, pois apesar dos cálculos efectuados através do grafo para determinar o melhor caminho, haverá sempre maior latência na recepção de um pactote do que existe numa ligação directa com o destino e só a abundância de utilizadores poderá, na minha opinião, compensar este factor.

      • 3biz says:

        sonha. temos o planeta cheio de leechers…

        • JoniD says:

          É por isso que eu já deixei de usar torrents há muito tempo. Se formos a ver, uma conta Rapidshare a longo prazo não é assim tão cara e compensa totalmente o investimento. Vejo muito pessoal que tem net a 30Mb e que usa torrent… Penso que é muito mais sensato aderir a pacotes de internet com velocidades inferiores e com o que sobra da poupança, investir numa conta Premium. É que desta forma ainda vão conseguir taxas de download superiores com uma net de velocidade inferior, do que recorrendo ao bittorrent com a net de alta velocidade (a titulo exemplificativo, a net de 30Mb).

  14. Emannxx says:

    Era o que eu estava mesmo a precisar.. o Pplware é nosso amigo! xP

  15. J0n says:

    Para qualquer isp sabe e bem que é impossível saber o que o seu cliente está a descarregar sendo este legal ou não. Existem é por aí umas ditas almas a “dizer” que conseguem controlar os conteúdos, meus amigos para se saber tem de descarregar o seu conteúdo é muito simples, TCP/IP não é assim tão linear como parece.

  16. J.C says:

    sempre que ha uma ligação entre duas maquinas é sempre possivel de fazer o trace mesmo que se use muitas maquinas em cadeia.

    Quem acredita na anonimidade na internet ou é inocente ou não sabe do que está a falar.

    Conhecem o TOR? Sabem que existem servidores anonimos do TOR que sao controlados por quem gosta de saber quem é que usa o serviço?

    Anonimidade na internet? Sim claro. Dream on. Nem com spots wifi publicos se safam. 🙂

    • JoniD says:

      Quando dizes máquinas referes-te a routers, certo? E já agora, irias fazer trace a quê? Ao computador de destino? Sabes o que te iria aparecer? Simplesmente os dispositivos intermediários a.k.a Routers existentes entre o teu PC e o PC de destino. Para que é que isso te serve em termos legais? Nada, não provas nada. E já agora, só exemplificando: Tens 3 PCS (PC1, PC2 e PC3) que usam esse cliente de bittorrent. O PC1 quer receber um pacote do PC3, só que irá passar pelo PC2(sendo neste caso o intermediário). Quando o pacote sai do PC1 para o PC3, o endereço de destino no cabeçalho do pacote será o do PC2 e não o do PC3. Quando chega ao PC2 o pacote será desencapsulado e aí sim, no campo de dados do pacote existirá um sub-campo criado pelo protocolo desenvolvido pelos criadores do programa a dizer que o endereço de destino é o do PC3 (este campo estará obviamente encriptado e a leitura só será feita pelo próprio programa). Conclusão: quando o pacote sai do PC2 para o PC3, o endereço de destino no cabeçalho do pacote será o do PC3, enquanto que o de origem será o do PC2 (logo onde é que vais fazer trace para o PC1, que é neste caso o infractor?). E todo o processo de desencapsulamento volta a repetir-se. Espero que tenhas percebido que aqui não existe trace entre a máquina de origem e a de destino dos pacotes. Poderá eventualmente existir entre uma máquina de origem e outra intermediária, que não te dará, volto a repetir, informação válida em termos judiciais.

      Já agora também podes ler o FAQ ( http://anomos.info/wp/faq/ ) para veres que isto é diferente do Tor.

      • Acácio Bernardo says:

        Obrigado. Muito bem explicado.
        Acrescento: A necessidade é a mãe do engenho. Os senhores donos das grandes industrias supostamente afectadas por estas redes, nunca ouviram falar de grafos, redes e à pouco tempo nem sabiam usar um computador. É o poder da arrogância, sem imaginação nenhuma, salvo algumas excepções que já se vão vendo em que encontram modelos de negócio alternativos, contra o poder do engenho. Espero que seja um sucesso.

      • J.C says:

        Eu por acaso até gosto destas explicações simplistas do que são estas redes. Alias ha uma do mesmo genero de nome KAD à alguns anos. O principio é o mesmo. Em vez de haver um nó central que faz o tracking, cada cliente é tracker e cliente ao mesmo tempo. A ideia é bastante interessante e funciona… mas volto a dizer… pensar que isto cria qq tipo de anonimato é perigozo.

        O IP da tua maquina está na rede e se alguem se dedicar a “snifar” quem esta lá, e nao o que transmite, em alguns casos é o que chega para chegar as pessoas.

        Mas olha o que te digo a ti é que acredita no que quiseres. E usa se quiseres. Mas já diz o ditado e é verdade… Quem nao deve nao teme e por isso só usa esse tipos de rede quem tem algo a esconder. É logo um bom principio para se fiar no anonimato nao é? 🙂

  17. sonoro says:

    pelos os visto isto tem algo dentro dele com p4p.. estarei certou ou errado?

    Só por isso já se torna interessante para perceber se funciona!

    Mas depois leva me pensar porque eu ei de facilitar o meu isp quando ele me mete DPi + TS + etc.. com este tipo de programa??

    hasta

  18. Snipper1 says:

    Bem muitas explicações, sendo que são bastante esclarecedoras e úteis, mas a “Million Dollar Question” é:
    Vale a pena, actualmente?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.