PplWare Mobile

Do Snake aos Smartphones: a história do jogo móvel


Hugo Cura

O gosto pela tecnologia despertou sentimentos únicos que levaram a escrever umas palavras e a premir o obturador.

Destaques PPLWARE

42 Respostas

  1. Vlad says:

    Será que me poderiam indicar a fonte onde foram buscar os dados para chegarem à conclusão que chegaram?

    • Blob says:

      +1
      Isso e fazer crer que o iPhone foi o primeiro telefone com ecrã tactil….

      • Vítor M. says:

        Multi-toque com um ecossistema? Então qual foi?

        • Blob says:

          Não vale a pena tentar distorcer as minhas palavras….O iPhone NÃO foi o primeiro telefone com ecrã tactil.
          E na altura no lançamento do primeiro iPhone, não existia nenhum “ecossistema”.. isso veio depois…

          • Vítor M. says:

            Qual foi com multi-toque? E não tinha ecossistema? Não tinha a iTunes Store? Não tinha o Safari? Não tinha serviço de mail?

            Óbvio que tinha 😉 e estava já com o iTunes que o ligava ao Mac para ter cópias de segurança é uma série de outros serviços.

            Aaaa e tinha apps, sim, eram apps da Apple e da Google. A isso chama-se ecossistema.

    • Vítor M. says:

      Mas quais dados queres especificamente? Não faltam dados que a história foi compilando. Do Snake ao Angry Birds, dos Nokias que passam o testemunho ao iPhone, que é quem revoluciona o mundo dos smartphones, depois chegam os jogos casuais e a densidade no mercado Android. A realidade é esta e sem dúvida que os jogos casuais têm no iOS o palco que outrora tinham no Symbian.

      Hoje é uma questão de quantidade em cada plataforma e isso “rouba” cada vez mais utilizadores às consolas. Quais dados queres mesmo?

      • Vlad says:

        Quero saber onde foram buscar os valores das receita do jogo móvel, e quero saber a evolução destes pelo menos anualmente.

        • Hugo Cura says:

          Está tudo acessível a partir do… Google! Ora experimenta 😉

          • Vlad says:

            Que eu saiba o ónus da prova está do lado de quem faz a afirmação, não de quem a ouve.

            E eu fiz uma pesquisa rápida pelo Google e o único sitio que encontrei os valores foi no wikipedia para 2005 aponta para um artigo não existente e para 2008 não fornece qualquer fonte. Eu não duvido destes números, mas apenas estes dois não é suficiente para saber se realmente foi a Apple a responsável pelo aumento destas ou não. Era necessário ver a evolução dos valores durante estes dois intervalos. Se houver um aumento brusco após o lançamento do iPhone, então sim, provavelmente foi responsável (digo provavelmente porque conexões causais tem que ser provadas e não apenas afirmadas), em caso de não ser esse o caso, então não.

      • Vlad says:

        E o iPhone não revolucionou o mundo dos smartphones, mas sim evolucionou-o.

        • Joel says:

          ja estava a espera dos Android fans a virem dizer que a apple não revolucionou nada xD tipico , whatever, esta na história, e negação não vai mudar.Está nas estatísticas, que vocês tanto duvidam, aliás, basta compararem o o primeiro iphone a todos os restantes telemóveis da época.

          • Vlad says:

            Os primeiros smartphones foram uma revolução a Apple sim evolucionou o segmento. Se calhar o melhor é veres o significado das palavras evolução e revolução.

    • Luis Coelho says:

      Chegaram os donos da verdade. Passam um ano a lerem o Correio da Manhã, a verem os reality shows da TVI e a basearem toda a sua argumentação em blogs duvidosos, depois chegam a este blog e pedem fontes.
      A wikipedia pode ser uma alternativa, sempre pode fazer uma pesquisa.
      Toda a gente sabe que a revolução que a Apple fez no mercado dos smartphones foi crucial para esta indústria dos jogos para dispositivos móveis. Se não fosse a Apple com certeza que seriam outros e até seria algo completamente diferente (não sei se melhor, se pior), mas isso é um facto incontornável.
      Não percebo estes comentários ressabiados sempre que se fala do iPhone ou de qualquer dispositivo da Apple. Quem quer comprar compra quem não quer não compra. Deixem-se lá disso, até parece que é o inventor do Android e que está chateado por ninguém lhe dar créditos.

      Já não há paciência para estes comentários pobres de conteúdo e que nada acrescentam. Completo ruído na rede.

      • Vlad says:

        Desculpa lá, mas quando alguém toma uma conclusão sem indicar todos os dados que usou para chegar a estes é perfeitamente natural pedirmos a fonte desses dados. Seria desonesto de minha parte aceitar esta conclusão sem ter factos para a comprovar.

      • Vlad says:

        E mais uma coisa, eu não argumentei seja o que for, pedi sim informação. Se calhar é melhor procurares no dicionário o significado de argumento.

  2. irlm says:

    também retiraram um pouco do mercado, as consolas móveis, como psp vita e o gameboy, assim como os gps para carro ficaram “parados” nas prateleiras das grandes superficies comerciais.

    como a indústria dos telemóveis cresceu ao longo destes anos…
    ou seja, um telemóvel hoje em dia é um todo-em-um.

    • Vítor M. says:

      Exactamente e com o advento do multi-toque, que apareceu com o iPhone em termos massivos, mais tarde com os muitos dispositivos Android, as consolas passaram para um plano mais restrito e para um segmento que não o casual, contudo, os jogos casuais estão a crescer em termos de consumo. A história é testemunha desta revolução….

  3. Alberto_ says:

    “Nada disto seria possível sem o iPhone – e quem poderia prever a forma como o lançamento deste telemóvel com ecrã tátil iria mudar o mundo? Muitos parabéns, iPhone!”
    Snake -> Nokia
    Para mim a Apple era o Steve Jobs, agora é só mais uma

  4. Blob says:

    Gosto de ler os “argumentos” a fazer da Apple o que não é….

    • Vítor M. says:

      Exacto, mas mostra argumentos em contrário, isso assim é mais interessante. Agora ai e tal não é assim, os números não contam, os valores da empresa não contam, os milhões vendidos não contam, as tecnologias que foram tendência não contam, as tomadas de posição não contam, os benchmarks não contam, os comparativos não contam… bora lá mostrar argumentos então?

    • Luis Coelho says:

      Mais um comentário que é como quem atira uma pedra e esconde a mão.
      Sem conteúdo nenhum e só lançando ruído na rede.
      Já temos o Correio da Manhã para fazer isso. Os comentários servem para se lançarem dúvidas, agradecimentos/dar os parabéns pelo artigo ou então revelar factos que comprovem que o tema/noticia esteja errado.

  5. V.T. says:

    Sim, concordo, muitos parabéns iPhone, agora chega para lá que estás a ser completamente ultrapassado e não estorves! Obrigado!

    • Vítor M. says:

      Pois se calhar sim, este ano ainda não tem um modelo novo e mesmo assim… ainda faz mexer os mercados. Não faz sentido a Apple ainda ganhar sem lançar nada.

      Claro que a Samsung lançou o S8 e o S8 Plus, a Huawei com os seus fantásticos P10 e o P10 Plus … não está fácil para a Apple, a menos que traga um ecrã TOP com Touch ID, 3D Touch, um iOS que traga mais estabilidade, melhor performance nas apps do dia a dia… para fazer mexer o mercado, está muito parado.

      Vamos ver o que dentro de dias a Apple vai mostrar.

      • V.T. says:

        Acho que a marca perdeu o factor “Uau”, coisa que a Samsung com o S8 e com os Edge tem estado a manter e a reforçar ano após ano!
        A marca da maçã, e claro na minha opinião e caso se mantenha com esta politica, arrisca-se a ser a próxima Nokia.
        Nunca, aqui há 3 ou 4 anos atrás pensaria que a Apple se tornasse na marca aborrecida em que se tornou… Não basta ser o mais rápido a abrir o Real Racing 3, pois uma diferença de 0,02 segundos é irrisório, e o ecrã? e a bateria? (nem carregamento rápido o iPhone tem) e a camara de vídeo e fotos? E a qualidade de construção? Um produto com tantas falhas e em que a concorrência a bate ano após ano… Leia-se Samsung!

        • Vítor M. says:

          Sim, isso é verdade, o fator WOW perdeu, mas nenhuma outra o trouxe de novo, mas sabes a razão, sabes que hoje o acesso á tecnologia convencional está ao dispor de todos e ninguém arrisca desenvolver algo “extraordinário” sem ter mercado certo, porque hoje um passo em falso é logo uma crise financeira. Basta vermos uma Sony por exemplo.

          Sobre tecnologias… o carregamento rápido não é algo que seja extraordinário, embora que faz falta sim, como por exemplo a Apple implementou nos AirPods. A Apple vai implementando certas tecnologias em produtos que não são de primeira linha, como o carregamento rápido nos AirPods, o carregamento por indução no Apple Watch… entre outras, até chegar ao produto principal, o iPhone.

          Sobre a fluidez, o iSO ºe mais fluído e menos pesado, a sua construção e a arquitetura 64bits está muito bem organizada e não tem bloatware como outras plataformas, isso é muito importante. Depois o sistema de notificações da Apple é igualmente um trunfo, o Apple Push Notification Service permite melhor desempenho e menos consumo de energia. A par disso, as apps são mais agradáveis no iOS que no Android, embora que as mais “populares” começam a ter uma qualidade paralela atualmente.

          Em termos de outras tecnologias, a Apple joga pelo seguro, mas poderia disponibilizar ao utilizador. Seja como for, é um sistema muito seguro, a Apple Store é muito mais segura que a PlayStore, tens tecnologias interessantes, como o Apple Pay, que depois todos os outros foram atrás, a Apple é o player no mundo cm maior base de dados de cartões de crédito, é a empresa que tem um ecossistema fortíssimo. Repara que desde a investigação, desenvolvimento, fabrico, logística, venda física., venda online e pós venda, controla tudo (com algumas excepções em que faz parcerias, como é o caso em Portugal dos centros autorizados).

          Não está velha nem ultrapassada, ainda é quem arrisca, quem dá passos para marcar ainda o mercado, removeu o jack 3.5 e todos irão atrás da Apple, foi quem criou uma “porta” inovadora a Lightning e sempre usou nas suas máquinas portas diferenciadoras tecnologicamente falando, lembro a tecnologia FireWire (IEEE 1394), lembro a Porta Thunderbolt, lembro que foi a Apple que chamou de novo o Touch ID à baila quando estava abandonado lá atrás sem evoluir, o 3D Touch e outras tecnologias que ainda haveremos de as ver nos smartphones. AirPlay, Air Print, AirDrop, a Time Machine, o Boot Camp e tantos outros recursos que quem tem Apple usa e abusa. Estás enganado se achas que está velha, não está, apenas está a trabalhar no que poderá ser o WOW do nosso tempo.

          Reapara que não cresce a HTC, não cresce a Sony, não cresce a LG, não cresce a Motorola…. num segmento onde os chineses são quem mandam, no Android e não a Google 😉

          • MacacOS says:

            “ainda é quem arrisca, quem dá passos para marcar ainda o mercado”
            O S8 continua com o Jack 3.5, será que o iPhone vai continuar com os bezels enormes, ou vai seguir a Samsung, que ainda que não tenha sido a primeira, marcou o mercado com os bezels mínimos? Será que o próximo iPhone vai trazer carregamento rápido, seguindo o mercado, marcado por outros? Será que vai trazer carregamento por indução, seguindo o mercado marcado por outros?
            Sera que vai dar passos para marcar o mercado, ou vai seguir o mercado marcado por outros?

          • Vítor M. says:

            Bom, tu parece que tens fraca memória. Isto porque no que toca ao ecrã, a Samsung foi copiar pela Xiaomi, entre outras. A Apple segue provavelmente o mesmo caminho que essas marcas chinesas, o S8 não traz nada de novo que seja o WOW, nada. Alias, o que tem de bom, o ecrã e o leitor de impressões digitais, copiou pela Xiaomi e pela Apple, o resto tenta descartar a Google, com alternativas a tudo o que vem nativo. Até a própria Google a Samsung quer descartar, já o fez nos smartwatches e nos smartphones está a canibalizar a Google com serviços e aplicações concorrentes, a Google certamente deve estar descontente.

            A Apple lançou o Apple Pay e a Samsung Lançou o Samsung Pay. A Apple tem a Apple Store, a Samsung copiou e lançou a Galaxy Store. A Apple laçou o Encontrar a Samsung copiou o conceito e lançou o Localizar o meu telemóvel. A Apple tem o iTunes e a Samsung lançou o Samsung Music. A Apple tem a Siri a Samsung copiou o conceito e lançou a Bixby… fora muito mais que a Samsung lança para apagar o que a Google faz 😉

            No que toca ao carregamento rápido, sim faz falta no iPhone mas a Apple já lançou por exemplo nos AirPod. No que toca ao carregamento sem fios, por indução, a Apple já tem isso há alguns anos no Apple Watch, portanto, tudo tecnologias que a empresa conhece. Agora, se colocares lado a lado as empresas, verás que a Apple lançou um sistema seu, ao passo que a Samsung usa o que é dos outros para singrar e agora está a morder a mão de quem a alimentou para tentar criar ecossistema. Ecossistema que é uma política criada pela Apple, desde há vários anos, décadas memos. No caso mobile, desde 2007.

            Sim o Tizen e o Bada são tentativas que ainda não resultaram, ao passo que na Apple o iOS resultou, a Samsung cresce e tem de pedir à Google autorização, porque quem manda no desenvolvimento do Android é a Google, que por sua vez, coloca no iOS as suas melhores ferramentas, assim como faz a Microsoft 😉

            Um cabo reversível e moderno? A Apple criou isso há anos e obrigou as empresas a usar um onde a própria Apple esteve no desenvolvimento, o USB-Tipo C, que provavelmente até virá substituir o Lightning. Mas há mais, A Apple sempre teve os seus produtos com tecnologias inovadoras, no passado a empresa sempre apostou em portas como FireWire, thunderbolt, etc… o que foi sempre uma forma de puxar o mercado para a frente. Foi quem decidiu modernizar os conceitos e arrumar com a disquete dos seus computadores, disquete que no passado era retirada de forma automática, uma pequena funcionalidade que bastava arrastar a mesma para o lixo e ela era expulsa da drive. Depois todas as outras arrumaram as drives de disquetes também. Mais tarde arrumou com a drive de CD/DVD e foi quem colocou o seu sistema operativo primeiro por USB e mais tarde via web, agora copiado pelos restantes.

            Mas tudo isso está patente no que é hoje a empresa, repara que removeu o Jack 3.5 e há já empresas a fazer o mesmo e mais, a sua política de ter uma bateria não removível é agora copiada por quase todas as empresas, até pela Samsung. Samsung que também está a tentar remover o que a Apple nunca usou, cartão micro SD. A cloud está cá e é para ser usada e para a frente é que é caminho.

            Mas há mais, contudo a Apple teve também de aprender com a Google e com a Microsoft e teve de modernizar o seu iOS com base no que era criado nos repositórios Cydia, copiados pelo Android e aclamados pelos utilizadores iOS (foi foi o caso da área de notificações).

            Mas há mais, o sistema de notificações que a Apple criou e patenteou, o Apple Push Notification Service, é algo que o Android tenta há anos copiar mas sem sucesso, serviço que torna as apps mais rápidas a responder, diminuiu o consumo de ram e energia (por isso o iOS não necessita de ter tanta RAM). Mas há mais, não podemos esquecer que a Apple foi quem avançou primeiro com um sistema operativo móvel a 64bits, coisa que os outros disseram que não era o caminho e agora… sim, todos copiaram.

            Isto assim ao de leve, porque há muito mais, a Apple sempre foi quem puxou este mercado, mas é verdade que perdeu o factor WOW… pena que mais ninguém o conseguiu também.

          • V.T. says:

            Nenhuma marca conseguiu esse efeito? Já teve pelo menos um S8 na mão? Ok, pode não ter feito “uau”, mas de certeza que fez… “uiuiaie”! Aposto!
            Essa bajulação à Apple só vos fica mal, muito mal! Para mais quando esta correlação entre iPhone e jogos moveis está completamente errada! Androides, estais a ouvir???

          • Vítor M. says:

            Sabes, percebo que a tua azia por vezes te faça dizer essas coisas. Eu recebi o S8 e sem dúvida que gostei e para mim é um dos equipamentos mais bem conseguidos da atualidade. Principalmente porque do meu S6 Edge para o S8 há um salto ergonómico fantástico. Pese o facto de ser um utilizar Apple, porque para mim é muito superior todo o ecossistema Apple face à Samsung ou qualquer outro player, uso vários equipamentos. Portanto, ao contrario de ti, que não usas e desconheces como várias vezes afirmaste, eu gosto de usar estas tecnologias e sei que sendo muito bom não trouxe o factor WOW que outrora outros o conseguiram.

            Só te fica mal esta bajulação à Samsung, deves ser patrocinado ou funcionário, não tenho dúvidas, mas estás no teu direito, embora que não vais influenciar ninguém. cada um usa o que quer e nem que queiras muito, não vais convencer ninguém. Por acaso ainda não troquei o meu S6 Edge mas provavelmente, mais lá para a frente, será por um P10 Plus, a Huawei está bem mais interessante.

            No que toca a jogos, deves estar distraído, até porque nos últimos anos a Apple tem apresentado títulos das mais poderosas editoras de jogos do mundo. basta estares atento 😉

    • Luis Coelho says:

      A sério?

  6. iDespairing says:

    Concordo no verao de 2008 quando comprei o meu primeiro iphone o 3G. O pessoal que tinha Smartphones ou tinha Nokias E qualquer coisa, HTC’s com windows ou claro os quase esquecidos Blackberrys .

  7. Artur Santos Silva says:

    Penso que estão a fazer uma correlação um pouco precipitada entre o surgimento do iphone e a crescimento da industria dos jogos móveis. Passo a explicar a minha ideia: apesar do iphone ter revolucionado o segmento dos smartphones, na minha opinião, o que fez “explodir” os jogos nos dispositivos móveis, foi mesmo a massificação do Android no mercado de smartphones, com modelos para todos os gostos e jogos de tudo e mais alguma coisa…isso sim, fez crescer exponencialmente o mercado dos jogos em dispositivos móveis.

  8. Helder says:

    Blá blá “só mais uma”, blá blá, “Steve Jobs”, blá blá “já não inova”

    Enfim… metade dos comentários deste site gira em torno da Apple… podem fingir, mas não podem esconder!

    • MacacOS says:

      É normal, num site com tantos artigos a promover a Apple, que se gerem tantos comentários sobre a mesma.

      • Vítor M. says:

        MacacOS mas tu és sempre o que mais comentas nos assuntos Apple, isso diz muito das tuas preferências e ambições 😉 já um dia disse isso, mas cai-te a ti de forma perfeita o adágio popular “quem desdenha quer comprar” 😀 tanto que dizes não gostar, não prestar, não querer mas adoras falar da Apple, seguir o que fazem, espiolhar o pormenor… isso é amor 😀

        • MacacOS says:

          Sim, gosto de espiolhar tecnologia (por isso sigo o pplware), e sendo a Apple a maior do mercado, naturalmente suscita muita curiosidade.
          Eu tanto digo o quê!? O que eu digo é que a Apple faz bons produtos(!), mas não são (obviamente) perfeitos, como os fãs cegos apregoam, nem são muitas vezes os melhores, e é isso que eu critico e é isso que eu não gosto, porque não presta.

          • Vítor M. says:

            Mas ninguém no seu bom juízo diz que são perfeitos, além de ser impossível, porra, era uma chatice, aborrecidos… nada é perfeito se tem sempre por onde melhorar 😉 o bom que tem a tecnologia é que nunca conseguirá o ponto da perfeição, sempre é possível fazer melhor. Quem diz que algo é perfeito ou é lírico ou desconhece o que está a falar, um poeta ou alguém que vê as coisas no mundo da fantasia.

          • MacacOS says:

            “ninguém no seu bom juízo diz que são perfeitos”
            Quantos queres? Começa aí pelo Helder! 😉

          • Vítor M. says:

            Bom, se há dois que são certinhos na mesma tecla és tu e ele. Por mim, está tudo OK, 😉 uma espécie de Yin Yang 😀

  9. Romeu says:

    Já há teletransporte e eu não sabia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.

Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia